Início » Comportamento » Pesquisa mostra que cérebro humano quase não diferencia emoticons de rostos reais

Pesquisa mostra que cérebro humano quase não diferencia emoticons de rostos reais

Por
5 anos e meio atrás

Sim, a gente sabe que você diferencia claramente o que é um emoticon e o que é um rosto humano. Essa pesquisa feita na Universidade Flinders, da Austrália, analisou o que acontece no cérebro quando são mostrados um rosto e essa representação de um rosto e foi aí que veio a conclusão de que, para esse órgão, os dois são praticamente a mesma coisa.

A pesquisa foi feita com 20 voluntários, que foram expostos a imagens de pessoas sorrindo e símbolos gramaticais que indicam que a pessoa está sorrindo na outra ponta do chat. Ao mesmo tempo, eram monitorados sinais do cérebro para determinar em que região a atividade era mais intensa.

O resultado foi que, embora os picos com emoticons tenham sido menores, a área afetada foi a mesma que ao ver as fotos de pessoas.

emoticon real

No entanto, não é qualquer emoticon que funciona. Ao inverter o lado, por exemplo, com (-:, o efeito some.

A conclusão do trabalho foi que o cérebro tem a capacidade de aprender algo novo (emoticons) como se sempre soubesse disso (sorrisos) através da cultura à qual é exposto. “Antes de 1982, não haveria motivos para ‘🙂‘ ativar áreas sensíveis a rostos no córtex, mas agora tem porque aprendemos que isso representa um rosto”, explica o pesquisador  Owen Churches, que liderou o projeto.

Com informações: Revista Galileu

Mais sobre: