O segmento de PCs pode até estar em declínio, mas continua firme quando o assunto é games ou aplicações mais exigentes. Não é à toa que a Nvidia acaba de acirrar ainda mais a sua disputa de mercado com a AMD: a companhia anunciou nesta semana as primeiras GPUs baseadas na nova arquitetura Maxwell.

Assim como na Kepler, a arquitetura anterior, os novos chips contam com tecnologia de fabricação de 28 nanômetros e suporte nativo a DirectX 11.0 (para 11.1 e 11.2, só com algumas adaptações de software). A principal diferença entre ambos está no consumo muito mais eficiente de energia pela arquitetura Maxwell.

Para este feito, a Nvidia promoveu uma série de alterações, a principal delas no gerenciamento dos núcleos CUDA. Na arquitetura Kepler, aparentemente, estes componentes consomem energia mesmo quando ociosos, uma vez que seus controladores não podem simplesmente desativá-los individualmente.

Na arquitetura Maxwell, os núcleos são divididos em conjuntos lógicos independentes, de forma que cada um tenha um controlador próprio. Desta forma, é possível desativar os grupos ociosos, reduzindo o consumo de energia e a emissão de calor, além de otimizar o paralelismo, incrementando o desempenho.

Kepler x Maxwell

Kepler x Maxwell

As primeiras GPUs Maxwell são os modelos GeForce GTX 750 e GeForce GTX  750 Ti. O primeiro chip possui 512 núcleos CUDA, clock de 1020 MHz (1085 em modo Boost), 1 GB de memória GDDR5, 16 ROPs, TDP de 55 watts e PCI Express 3.0. O segundo muda apenas em alguns aspectos: possui 640 núcleos, pode trabalhar com 2 GB de GDDR5 e conta com TDP de 60 watts.

O curioso é que as duas GPUs são intermediárias. No Brasil, por exemplo, estes lançamentos terão preço sugerido de R$ 599 (GTX 750) e R$ 669 (GTX 750 Ti). Normalmente, a Nvidia anuncia um chip topo de linha para promover uma nova arquitetura. A empresa até lançou um GPU high-end nesta semana, a GTX Titan Black, mas esta é baseada na arquitetura Kepler.

GeForce GTX 750 Ti

GeForce GTX 750 Ti

Os motivos para esta decisão não ficaram claros, mas talvez a Nvidia queira fazer frente à política de preços mais agressivos da AMD ou esteja preparando um lançamento mais pomposo: há expectativa de que a empresa lance uma GPU mais sofisticada, com 20 nanômetros, ainda em 2014.

Com informações: ExtremeTech, PCWorld

Comentários

Envie uma pergunta