Em março, a AMD anunciou uma nova plataforma para computadores de baixo custo, chamada AM1. Esses chips possuem socket FS1b e podem ser trocados sem necessidade de comprar outra placa mãe, diferente do que acontecia com as APUs Kabini lançadas até então. Nesta quarta-feira (9), a AMD apresentou os quatro primeiros modelos AM1 — e eles carregam as conhecidas marcas Athlon e Sempron, que estão de volta.

amd-sempron

Marca Athlon sumiu com a nova nomenclatura das APUs, mas está de volta

Marca Athlon sumiu com a nova nomenclatura das APUs, mas está de volta

A ideia da AMD com o AM1 é apostar forte nos PCs baratos: o chip mais caro anunciado até agora, Athlon 5350, tem preço estimado de somente US$ 59. O Sempron 3850 é outro destaque da AMD: por apenas US$ 39, o consumidor pode levar para casa um processador quad-core — o número de núcleos não significa muita coisa, mas não dá para negar que é uma característica bastante chamativa.

As novas APUs Athlon (5150 e 5350) e Sempron (2650 e 3850) são compostas por GPUs com arquitetura Graphics Core Next (GCN) com suporte a DirectX 11.2 e CPUs com dois ou quatro núcleos Jaguar. Apesar de serem voltadas para o mercado de baixo custo, os chips permitirão a montagem de máquinas com memórias DDR3 de até 1.600 MHz, até duas portas SATA de 6 Gb/s, duas USB 3.0, oito USB 2.0, PCIe 2.0, DisplayPort, HDMI e VGA. Nada mal!

As especificações dos quatro modelos são as seguintes (todos possuem TDP de 25W e GPU com 128 núcleos Radeon):

  • AMD Athlon 5350 (US$ 59): quad-core, 2,05 GHz, 2 MB de cache, DDR3 de até 1.600 MHz, GPU Radeon R3 de 600 MHz;
  • AMD Athlon 5150 (US$ 49): quad-core, 1,6 GHz, 2 MB de cache, DDR3 de até 1.600 MHz, GPU Radeon R3 de 600 MHz;
  • AMD Sempron 3850 (US$ 39): quad-core, 1,3 GHz, 2 MB de cache, DDR3 de até 1.600 MHz, GPU Radeon R3 de 450 MHz;
  • AMD Sempron 2650 (US$ 34): dual-core, 1,45 GHz, 1 MB de cache, DDR3 de até 1.333 MHz, GPU Radeon R3 de 400 MHz.

Você leva para casa o que paga, então não dá para exigir muita coisa. No geral, são processadores bem básicos, que se equiparam aos Celeron e Atom mais simples da Intel. O ponto forte dessas novas APUs da AMD provavelmente será a questão do upgrade — mas fico em dúvida se o público que monta seus próprios PCs (e, especialmente, PCs baratos) ainda é grande. Talvez esses chips sejam úteis em HTPCs e outros sistemas compactos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Edmilson Junior
Bateu forte a nostalgia aqui, a primeira máquina que eu montei foi um Athlon 2200+ 1,8Ghz se não me engano.
Luiz Ricardo Silveira
E, perdão se eu estou errado, mas ainda economizam uma boa grana ao não precisarem fazer o upgrade nas demais peças usadas(mb, memórias, etc), uma vez que estes usam o mesmo socket.
Renato Oliveira
Empresas que vendem PCs montados agradecem. Linhas de baixo custo vão ficar ainda mais baratas com essas alternativas.
Olacir Oliveira
Linha básica, mas pra quem vai usar pro foco deles, é uma boa opção, só quantidade de pessoas que montam PCs, espeficimente os baratos, como falou, geralmente quem usa PC pra pouca coisa, não tem la uma característica de montar Pcs, quem monta é porque quer algo mais especifico ou poderoso.