Início » Internet » YouTube confirma serviço pago e quer bloquear vídeos de artistas que não aceitarem novos termos

YouTube confirma serviço pago e quer bloquear vídeos de artistas que não aceitarem novos termos

Paulo Higa Por

Em entrevista ao Financial Times, o chefe de conteúdo e operações do YouTube, Robert Kyncl, confirmou que o Google lançará em breve um serviço pago de streaming no YouTube. Até aí, nada chocante: rumores já apontavam isso há meses. A polêmica está na atitude no mínimo questionável da empresa: o YouTube pretende bloquear vídeos de artistas e gravadoras que se recusarem a assinar um novo acordo de licenciamento.

Kyncl diz que as grandes gravadoras, que representam 95% da indústria da música, já assinaram os novos termos. Mas empresas menores, como a XL Recordings (responsável por Adele e The xx) e a Domino (por trás do Arctic Monkeys), não aceitaram. Elas afirmam que o Google está querendo pagar muito pouco, embora o YouTube afirme que os valores são justos e condizentes com o resto da indústria.

youtube-erro

O Google parece estar apelando para lançar o serviço a qualquer custo: as empresas têm todo o direito de não aceitar o acordo, mas quem recusar deve ter os vídeos bloqueados já nos próximos dias. É algo ruim não só para os artistas, já que o YouTube é um grande meio de divulgação, mas também para os usuários, que terão menos conteúdo disponível. Por causa disso, algumas empresas estão pedindo ajuda à União Europeia para discutir se o Google está abusando de sua posição dominante no mercado de site de vídeos.

No mês passado, a Worldwide Independent Network, organização que representa várias gravadoras ao redor do mundo (inclusive do Brasil), publicou uma nota afirmando que o Google fechou bons acordos com as três grandes gravadoras (Sony, Warner e Universal), mas está procurando as pequenas empresas separadamente para fazer pressão com termos desfavoráveis e valores piores que os pagos por Spotify, Rdio, Deezer e outros serviços. O Spotify, vale lembrar, paga de US$ 0,006 a US$ 0,0084 por música executada.

O YouTube afirma que o serviço pago de streaming começará a ser testado nos próximos dias, enquanto o lançamento para o público acontecerá até o fim do verão americano (entre junho e setembro por aqui). O valor da assinatura ainda não foi divulgado. Se o Google colocar sua ameaça em prática, podemos dizer que o YouTube que conhecemos e que revelou vários artistas, infelizmente, vai acabar em breve.

Don't be evil, Google.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

TITANIUM ZEUS
nunca recebi uma reconpensa por video nem quando fui cadastrado no adsense,,nunca recebi,,isso e papo furado,,
Vagner
Jose eu tinha quase 10 mil acessos e estava ativado para monetização meus vídeos, mas ainda não tinha gerado 1 centavo, descobri que era porque eu ainda não tinha cadastrado minha conta do Google Adsense. Posteriormente ao me cadastrar e o Google aceitar minha inscrição e vincular minha conta do Google Adsense ao Youtube, comecei a ter os valores atualizados de monetização! Veja se não é o seu caso!
jose
tenho mais de 100 mil acessos dos meus videos nao recebi ainda nada ,
Ismael Guimarães
Igor Santiago espero que não tenha mesmo nada a ver. O YouTube está tão bem como está mas é normal que o Google queira investir num serviço de música por stream de forma, muito provavelmente, a permitir popularizar ainda mais a Google TV. Com a Google TV com esse serviço, poderíamos estar perante uma nova forma de se trabalhar com música, ou seja, passaríamos a poder deixar de pagar direitos audiovisuais para passar a pagar os direitos de uso diretamente aos seus autores. Um bar poderia comprar uma música com validade de 30 dias, por exemplo, e rodava-a quantas vezes quisesse. Ao fim de 30 dias podia recomprá-la por um preço menor é claro ou comprar outra. As músicas compradas ficavam uma vez ficavam com a opção Recompra ativa e custariam menos 50% que a primeira compra. Cada música custaria entre 1 e 3 euros. Seria excelente um serviço assim e todos saíam a ganhar. É claro que essas músicas mais caras, acima de 2 euros incluiriam o videoclip.
Matheus Pandolpho
Paulo Mota De olho não, já comprou!
Matheus Paes
Mostra a cara primeiro pra dps sair falando essas besteiras
Matheus Paes
Ismael Guimarães Acho que existe um equivoco na sua afirmação: "Se eu comprar algo, eu tenho direito de distribuir o que comprei". Você acha que tem direito de distribuir gratuitamente quando compra DVD ou BLU-RAY?
Ana Lúcia
O google nos deu tudo free pra gente se acostumar e ficar dependente. Dai ele cobra. Perfeito! Pro google, nao pra gente.
Daniel Souza
Vo estrupar a filha desse robert na frente dele e fazer esse filha da puta do caralho e viado comer a propria filha
Josy Vieira
Também achei estranho
Josy Vieira
Também achei estranho
Josy Vieira
Eu nao entendi a relação dos serviços de striming tem haver com preço pago a gravadora Que eu saiba o YouTube vai lançar canais pagos onde as pessoas vao poder assinar tipo as lutas do UFC ou coisas do tipo, coisas protegidas por direitos autorais no qual não aparece no YouTube normalmente Ja o quanto a google paga para as empresas por conteúdos musicais é algo totalmente diferente, sem contar que e ixistem sites que nem pagos Acho a matéria estranha e no minimo sensacionalista
Josy Vieira
Eu nao entendi a relação dos serviços de striming tem haver com preço pago a gravadora Que eu saiba o YouTube vai lançar canais pagos onde as pessoas vao poder assinar tipo as lutas do UFC ou coisas do tipo, coisas protegidas por direitos autorais no qual não aparece no YouTube normalmente Ja o quanto a google paga para as empresas por conteúdos musicais é algo totalmente diferente, sem contar que e ixistem sites que nem pagos Acho a matéria estranha e no minimo sensacionalista
Pedro Medeiros
Rodolpho Camargo O Vimeo é incrivel!
Ismael Guimarães
Celo Lacerda eu não gosto nada de ver o YouTube a pagar com a publicidade. Eu penso que há conteúdos que devem ser gratuitos e outros pagos. Eu acho isso em todo o lado. Eu gostava de poder comprar aquele artigo da revista sem ter que comprar a revista toda. O problema em causa é outro. Eu penso que se eu comprar algo, eu tenho direito de distribuir o que comprei. Essa é a diferença e é por isso que eu penso que o YouTube não vai ter sucesso nisso de vender os conteúdos a não ser que eles queiram apenas alugar os conteúdos mas aí terão que alugar os conteúdos por meses ou anos pois só assim fará sentido alguém adquirir esse aluguer. Não sei o que vão fazer mas eu, no momento, não sou um potencial cliente. Só fará sentido a venda de conteúdos quando a Internet passar a ser gratuita ou perto disso. Com a Internet aos preços de hoje, aqui em Portugal, as pessoas ou pagam a net ou compram conteúdos dispendiosos.
Exibir mais comentários