Início » Telecomunicações » Brasil perde posições em ranking global que avalia a velocidade média das conexões à internet

Brasil perde posições em ranking global que avalia a velocidade média das conexões à internet

Por
5 anos atrás

O ranking da Akamai que avalia o estado da internet pelo mundo foi atualizado recentemente e mostra que, no primeiro trimestre de 2014, a velocidade média das conexões aumentou para 3,9 Mb/s em escala global, mas apresentou ligeira queda no Brasil.

No relatório anterior, referente ao último trimestre de 2013, a média global de velocidade das conexões era de 3,8 Mb/s. Na ocasião, o Brasil ocupou o 83º lugar com média de 2,7 Mb/s em seus acessos. Na medição mais recente, o país caiu para a 87ª colocação ao apresentar velocidade média de 2,6 Mb/s.

Ranking global da Akamai - Primeiro trimestre de 2014

Sem causar estranheza, as primeiras colocações continuam com países asiáticos. A Coreia do Sul lidera com média de 23,6 Mb/s, 2 megabits a mais que no último trimestre de 2013. O Japão aparece na sequência: 14,6 Mb/s contra 12,8 Mb/s da medição anterior.

A comparação entre os últimos dois trimestres avaliados mostra que, do ponto de vista global, a velocidade média de acesso aumentou em 1,8%. Mas, comparando o primeiro trimestre de 2014 com o mesmo período de 2013, nota-se que a média teve melhora de 24%.

O Brasil também se saiu bem no “ano a ano”: em relação ao primeiro trimestre de 2013, a média de velocidade do país cresceu 23%. Mas, dos países da América Latina, Uruguai, Argentina e Peru é que mostraram números mais expressivos: 151% (4,3 Mb/s), 65% (3,2 Mb/s) e 46% (2,7 Mb/s), respectivamente.

Ranking americano da Akamai - Primeiro trimestre de 2014

A Akamai libera um relatório com as medições a cada três meses, mas este é o primeiro a considerar um parâmetro denominado “Global 4K Readiness” que, como o nome sugere, indica os níveis de preparação para transmissões 4K de cada país.

Apenas 11% das nações avaliadas têm a infraestrutura necessária para suportar este tipo de transmissão de maneira massiva, dentre os quais, Coreia do Sul e Japão (claro!), além de países como Finlândia, Holanda, Noruega e Suíça.

De modo geral, somente 47 nações registraram condições mínimas para 4K, com o Brasil aparecendo na 45º posição: apenas 0,3% das conexões do país têm pelo menos 15 Mb/s de velocidade, no entendimento da empresa, o mínimo necessário para streaming com esta resolução.

O relatório em questão está disponível em PDF no site da Akamai. Com 44 páginas, o documento é bastante detalhado, mostrando inclusive dados referentes à adoção do IPv6 e ao avanço da internet móvel em várias partes do mundo.

Mais sobre: