Início » Antivírus e Segurança » Outlook.com e OneDrive estão mais seguros para ninguém espionar seus dados

Outlook.com e OneDrive estão mais seguros para ninguém espionar seus dados

Por
5 anos atrás

Cumprindo uma promessa feita em dezembro e seguindo os passos dos concorrentes, a Microsoft fez melhorias internas no Outlook.com e no OneDrive para torná-los mais seguros. O objetivo é aumentar a transparência e proteger os dados dos usuários contra a espionagem norte-americana — se a NSA quiser acessar as informações de alguém, precisará usar meios legais, e não técnicas questionáveis.

A Microsoft passou a usar TLS (Transport Layer Security) no Outlook.com, seja para emails enviados ou recebidos. Isso significa que os dados são transmitidos de maneira criptografada, impedindo que eles sejam lidos pelo governo — como apontam os relatos, a NSA conseguia interceptar os cabos de fibra óptica entre os usuários e os servidores de empresas como Google e Yahoo para ter acesso aos dados. Se tentarem novamente, o que verão é uma sequência de caracteres aleatórios.

outlook-com

Com a ajuda do PFS (Perfect Forward Secrecy), os emails enviados por você a partir do Outlook.com serão transmitidos de forma criptografada para o destinatário e só serão descriptografados no servidor de email de destino, caso o provedor do seu contato também suporte a tecnologia. A Microsoft explica que a chave de criptografia no PFS é diferente a cada conexão, o que torna mais difícil decifrar os dados.

O mesmo PFS foi aplicado no OneDrive, serviço de armazenamento de arquivos que recentemente ganhou planos bem competitivos. Dessa forma, a conexão entre os servidores do OneDrive e o seu navegador, aplicativo móvel ou aplicativo de sincronização também serão criptografados de forma mais segura.

Nesta terça-feira (1º), a Microsoft abriu o primeiro Microsoft Transparency Center, na sede da empresa em Redmond — haverá mais centros de transparência, sendo um deles em Bruxelas, capital da Bélgica e da União Europeia. Esses centros permitirão que clientes governamentais possam analisar o código-fonte de produtos da Microsoft, para garantir que eles não possuem nenhum backdoor.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários.