Quando o Google+ foi lançado, o Google fez questão de deixar claro que não toleraria o uso de apelidos ou pseudônimos no serviço sob o argumento de querer formar uma comunidade com “pessoas reais”. Agora, pouco mais de três anos após o lançamento, a empresa decidiu anular esta exigência.

O uso do nome verdadeiro é uma forma de evitar spammers, perfis falsos (que se passam por celebridades, por exemplo) e ações ilegais motivadas pelo anonimato, tanto é que políticas semelhantes existem em outras redes sociais, como o Facebook. Por que então, passados tantos meses, o Google mudou de postura?

A explicação foi dada em uma página no próprio Google+. Na nota, a companhia argumenta que a sua política de nomes tem sido pouco clara e se desculpa pelas “experiências desnecessariamente difíceis” pelas quais alguns usuários passaram por conta desta condição de uso.

O ponto é que muitas pessoas utilizam pseudônimos para fazer manifestações de cunho político, social ou artístico, por exemplo, mas se viram praticamente “caladas” no serviço por causa das advertências ou mesmo suspensões de contas que o Google aplicou com base nesta política.

Edição de nome no Google+

O pseudônimo, de fato, é visto como uma maneira importante de proteger a identidade verdadeira de pessoas que se mobilizam para combater abusos de autoridades ou defender os interesses de grupos que lutam por causas sociais, por exemplo.

Muitas vezes, as motivações são bem menos nobres, mas não menos legítimas: não são poucos os usuários que querem apenas evitar uma possível exposição excessiva de seus nomes.

Por estas e outras razões, o Google vinha recebendo muitas reclamações de pessoas que entendem que o combate ao spam ou a perfis falsos não pode se sobrepor aos interesses de manifestações consistentes. A própria empresa reconheceu que, ao agir de tal forma, acabou afastando um número importante de usuários que queriam fazer parte do Google+, mas sem utilizar nomes verdadeiros.

O Google pode até ter demorado para flexibilizar a política de nomes do Google+, mas não é a primeira vez que a empresa tenta fazê-lo. No início de 2012, a companhia passou a permitir o uso de apelidos, nomes de solteiro ou do original escrito com uma grafia diferente, mas apenas como alternativa: o usuário ainda tinha que utilizar o seu nome verdadeiro como o principal da conta.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Adriano Dos Santos
bem vc não obrigado a usar
Fer
O Facebook deveria fazer o mesmo, mas duvido que o faça.
David Diniz
Ficarei feliz quando o google der a opção de apagar essa rede social inútil e continuar com a conta google.
Arch
Não uso esse serviço, mas é bom ver uma mudança nesse sentido.
RamonGonz
DUVIDA: trocar o nome no G+ troca também no Gmail? (nome do remetente quando eu enviar emails) Ou são independentes?
RamonGonz
isso é puro desespero... estao tomando ações pra tentar fazer a rede não ir pro limbo como tantas outras...
EFG
Eles AINDA não te permitem a você ocultar o perfil que eles te FORÇAM a criar para usar o YouTube e outros......
Jamis Casusa
Já estava mais que na hora
Rafael Gomes Rocha
Isso pode até ajudar a popularizar o Google+, mas por outro lado... o número de perfis falsos que deverão surgir será enorme.
@
Não vejo motivos para não usar o nome verdadeiro, facilita bastante a localização de amigos. Um dos motivos que me fizeram sair do Orkut há 5 anos era justamente o fato de que quando eu ia procurar por "Paula", não conseguia localizar porque Paula era na verdade "Loirinha da Paz" num dia e "Paulinha Gata" no outro.