Início » Comportamento » Singapura encontrou uma boa maneira de facilitar a vida dos idosos na hora de atravessar a rua

Singapura encontrou uma boa maneira de facilitar a vida dos idosos na hora de atravessar a rua

Paulo Higa Por

singapura-green-man-plus

Em ruas e avenidas de alto tráfego, é comum encontrarmos semáforos para pedestres, que param os carros por alguns segundos e permitem que as pessoas atravessem a via. O problema é que esse tempo normalmente é curto, e frequentemente vemos pessoas correndo para terminar de atravessar antes que os carros voltem a andar. Para os jovens, tudo bem. Para os idosos ou pessoas com necessidades especiais, nem tanto. É aí que entra o Green Man Plus, usado em Singapura.

Como explica a Quartz, o Green Man Plus começou a ser implantado em 2009 pela autoridade local de transporte de Singapura. Funciona assim: pessoas com mais de 60 anos ou alguma deficiência podem obter um cartão especial para andar nos ônibus e trens, similar ao nosso Bilhete Único. Esse mesmo cartão pode ser usado em leitores existentes em semáforos especiais para pedestres. Ao detectar o cartão como válido, o semáforo automaticamente estende o tempo por até 13 segundos.

O tempo adicional para atravessar a rua varia de 3 a 13 segundos, dependendo da largura da via. Até 2015, a previsão é que 500 cruzamentos de pedestres suportem o Green Man Plus. Isso é especialmente importante em Singapura porque a expectativa de vida é extremamente alta no país: chega a 82 anos para homens e 87 anos para mulheres (no Brasil, a média é de 76,2 anos).

Claro que, do ponto de vista técnico, seria muito mais fácil e prático simplesmente ampliar o tempo de espera de todos os semáforos, mas isso não é tão eficiente se pensarmos que, mesmo com tanta correria, nossas ruas já estão muito congestionadas. Em Singapura, os pedestres terão o tempo que merecem para atravessar a rua. Mas só quando precisarem.

Vai ter no Brasil também

Ainda como projeto piloto, a cidade de Curitiba está testando um sistema similar ao de Singapura. Após aproximar o cartão de transporte de idoso e pessoa com deficiência da Urbs, o semáforo ficará aberto por um tempo de 20% a 30% maior que o normal. Por enquanto, a novidade funciona apenas em um semáforo, no bairro Alto da Glória. Se o teste correr como o esperado, a prefeitura de Curitiba pretende estender o sistema a outros cruzamentos.

curitiba

Atualizado às 16h04 para incluir informações do teste piloto de Curitiba. Obrigado a todos que avisaram!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Diego F. Duarte
Segundo o Contran, o pedestre tem prioridade máxima sobre toda a via. Ta certim...
Leandro
Mas cara, a prioridade é o pedestre mesmo. Os carros são a última prioridade.
Keaton
Adivinha o por que não vai funcionar no Brasil? Vandalismo, fraude e assaltos... esses tempos tinha uns marginais usando os botões para fechar o sinal para parar carros e assaltar. Não lembro se era em Curitiba.
pcdsjr
Se isso pega, o acre inteiro esta na pior. Os semáforos de pedestre aqui são assim: - Apertou, fecha em 5~10s no máximo - Abriu para o pedestre, passa um, passa dois, passa mais um, e passa a velhinha com seu jabuti de estimação. - Enquanto isso, você no carro rachando no sol esperando sinal vermelho pro nada.
Tiago Machado
Exatamente. Aqui em Curitiba já existe um semáforo destes em testes. Os idosos usam o cartão transporte de isentos, os mesmos usados para o transporte coletivo da cidade.
Alex Oliveira
Eu vi esse esquema sendo usado e desenvolvido por brasileiros. Se não estou enganado em Curitiba, não tenho certeza.
Eduardo Rigler
http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/curitiba-testa-sistema-que-aumenta-tempo-de-semaforo-para-pedestres-com-mobilidade-reduzida/33622