apple-a8

Os novos iPhones foram lançados na última sexta-feira (19), venderam 10 milhões de unidades e os primeiros resultados de benchmarks começaram a surgir para nos darem uma ideia do que o novo chip A8 é capaz de fazer. Se depender dos testes do AnandTech e Tom’s Hardware, a Apple tem o que comemorar: o processador e a GPU do iPhone 6 e iPhone 6 Plus ganharam um bom upgrade em relação ao A7, do iPhone 5s.

Nos testes do SunSpider, Google Octane e WebXPRT, que levam em consideração principalmente o poder do processador e a otimização do navegador, os dois iPhones ocuparam as primeiras posições entre os smartphones. No Mozilla Kraken, eles foram ultrapassados pelo Nvidia Shield Tablet, que é equipado com o poderoso chip Tegra K1.

SunSpider e Mozilla Kraken (quanto menor, melhor)

SunSpider e Mozilla Kraken (quanto menor, melhor)

Repetindo o que aconteceu com o iPhone 5s, os aparelhos se saíram muito bem em relação aos concorrentes, especialmente levando em conta os “números pequenos” nas especificações de hardware. Mesmo com um processador dual-core de 1,4 GHz, iPhone 6 e iPhone 6 Plus conseguiram resultados significativamente superiores aos do novo Moto X e LG G3, que acompanham um processador quad-core de 2,5 GHz, o Snapdragon 801. É o típico caso em que os números enganam, como você bem sabe.

Geekbench-3

O Tom’s Hardware fez comparações especificamente com o Galaxy S5. No Geekbench 3, que consegue medir melhor a performance “pura” dos processadores, sem ser muito influenciado pelo navegador, o iPhone 6 ficou em primeiro, com 2931 pontos, seguido por Galaxy S5 (2927 pontos), iPhone 6 Plus (2903 pontos) e iPhone 5s (2542 pontos).

Mas os iPhones ficaram atrás de alguns Androids no 3DMark. Eles perderam apenas da GPU de 192 núcleos do Nvidia Shield Tablet no teste de gráficos, mas conseguiram uma pontuação bem baixa no teste de física, que mede a capacidade da CPU de fazer cálculos complexos — o iPhone 5s também tinha o mesmo problema. Com isso, iPhone 6 e iPhone 6 Plus ficaram apenas no meio da tabela no resultado geral, próximo a aparelhos como Galaxy Note 3 e Nexus 5.

No GFXBench, fica claro como a resolução da tela dos iPhones faz diferença para a GPU. O buraco mais significativo ficou no teste GFXBench 3.0 Manhattan: o iPhone 6, com resolução de 1334×750 pixels, atingiu 26,1 frames por segundo, enquanto o iPhone 6 Plus atingiu apenas 14,8 fps — este último renderiza gráficos a 2208×1242 pixels e possui uma tela de 1920×1080 pixels. Apesar disso, ambos tiveram resultados superiores à maioria dos Androids, que conseguiram algo entre 9 e 12 fps.

O mesmo processador gráfico, mas quase três vezes o número de pixels

O mesmo processador gráfico, mas quase três vezes o número de pixels

Confira todos os resultados no AnandTech e Tom’s Hardware. Se ainda não viu, aproveite também para ler nossas primeiras impressões dos novos iPhones.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Arthur Melo

http://www.centralandroid.c..., essa matéria deve ser falsa, então, dentre outras outras...

Arthur Melo
Vitor
Por acaso pode uma pessoa impresta a conta de seu iPhone para outra pessoa
Thalles Castro
OK, eu entendo sua posição, mas se pegarmos aparelhos que utilizam Android que foram fabricados nessa mesma época, dificilmente você terá algum exemplo para me dar de algum que rode a última versão desse SO. A grande realidade é que existe benefícios e malefícios em qualquer aparelho, mas na minha humilde visão, os produtos da Apple são na grande maioria mais rentáveis. Se você for considerar a rápida desvalorização dos aparelhos Samsung, LG, etc, que com apenas 1 ano perde mais de 50% do seu valor original, e a forma como ficam obsoletos em um período curto de tempo (o Galaxy SIII por exemplo), que simplesmente desaparecem do mercado. A uma semana eu vendi um iPhone 5 por R$ 1500,00 reais, alguns podem dizer que foi caro, e quem pagou foi inocente, mas a realidade é que os iPhones, Macbooks, iPads, etc são valorizados, e você não tem tanto prejuízo quando decide fazer um upgrade nos seus dispositivos. Estou tendo uma experiência de uso com o Moto X, realmente é um excelente aparelho, mas "NO MEU" modo de ver, apesar de ser um aparelho TOP de mercado (apesar de já existir o modelo novo) eu me sentia mais a vontade com o iPhone 5, que é de 2012. Em que? Fluidez na execução de aplicativos, travamentos inesperados de apps (não que não exista no iPhone, mas eles estão muito mais presentes agora), e o sistema no modo geral (aí já é questão de gosto, eu me familiarizei melhor com o iOS). De qualquer forma, não estou dizendo que você está certo ou errado, apenas expondo o que eu acredito.
Wendel Schelhan
Um Moto E é um hardware modesto, não estamos falando de um flagship de 2014 comparado a um de 2011. Não é o melhor exemplo possível, mas vem com o intuito de mostrar que o iOS já não é sistema leve já tem um tempinho. Já foi a época de estabilidade dele. O Android é vulnerável e cheio de falhas? Cara, você já leu a merda que é para um malware se infiltrar no OS Android? Existem um monte de passos que dependem da certificação do usuário e inclusive depois de instalado os apps passam por um scan periódico em busca de alguma malícia. Não estou dizendo que não há ameaças, mas acredito que isso não deva ser preocupação para um usuário normal. Quanto à Play Store, evidente que ela ainda está para trás quando comparada à App Store, mas ainda assim não sei se esses aplicativos ridículos são capazes de transmitir alguma praga (isso já aconteceu anteriormente em ambas as plataformas).
Thalles Castro
Cara, sinceramente, acho que o problema não é apenas esse. Eu vendi recentemente meu iPhone 5 para realizar a compra do novo i6, e nesse tempo que estou sem celular, estou utilizando meu aparelho de backup, um Moto X. O celular é realmente bom, tem fluidez, mas é como você comparar um Palio com uma BMW (como falando do Moto X e do iPhone). Velho, o celular consegue ter alguns travamentos para executar alguns aplicativos teoricamente simples, como Angry Birds, Facebook, Vídeos de longa duração, dentre outros. Eu gosto de muitas coisas que foram desenvolvidas pela Google, e ela tem mesmo muito a crescer, mas a comparação direta com o sistema da Apple é algo imensurável.
Thalles Castro
É incrível você querer comparar um celular que foi lançado em 2011 (iPhone 4S) com um que foi lançado agora (Moto E). Em questão de software não tem discussão cara, apesar do Android ser open source, ele é muito vulnerável e cheio de falhas. Uma prova disso é que podemos ver muitos aplicativos ridículos na Play Store.
Petter

Fera, iOS tem tantos problemas de segurança quanto você pode imaginar, são malwares, exploits e o setenta explorando brechas de segurança. Nenhum sistema é seguro e infalível.

Adianta criptografia para isso: http://www.viamais.net/blog...

Petter
Tirando que tem um monte de gente comentando que a Apple instruiu a equipe de desenvolvimento para aplicar controles para retardar propositalmente a execução do iOS 8 no iPhone 4s. Assim como diversos fabricantes de smartphones com Android otimizam seus gadgets para testes como o Antutu, daí pontua um monte mas se pela para executar qualquer joguinho meia boca....
Petter
Fera, respondi ali em cima, no geral eu generalizei para encurtar o assunto!
Petter
Eu apenas generalizei, no caso específico do S5, o que faz ele perder desempenho é o monte de coisa que a Samsung enfia nele. Em geral o Android em sí é leve e funciona muito bem, o problema é que o cara ou o cara quer pagar só 200 dilmas ou compra um top de linha entulhado de coisa, daí só com reza brava....
Petter
Na verdade, alguns Apps que utilizam algumas libs mais "hardcores" irão ter problemas, por exemplo o Xposed, ele utiliza uma lib que não existe no modo ART.
Rodrigo Cerqueira
Oxe... Kkkkkk o meu celular veinho não aparece em nenhum benchmark. Falou bobagem, mas tá tranquilo.
Wendel Schelhan
Você tem uma peça de ouro da Apple. Bons tempos. Vai ver agora como os iPhones novos estão em estabilidade Olha, você pode preferir o iOS por ter uma loja mais desenvolvida do que a Play Store, pela possibilidade do kill switch em caso de roubo, pela pós-venda excepcional, pelo design, dentre outros fatores. Mas não pela estabilidade, simplesmente porque os produtos da Apple não são mais os mesmos, logo o seu objeto de referência é duvidoso. Quanto ao Caio, Solamentos. O cara acha que hoje, em pleno 2014, um sistema operacional é mais rápido na execução de tarefas no sentido de programação do que o da concorrência. Pior ainda: ele acha que o Google é uma espécie de organização do mal que foi criada para a destruição de Caio Oliva. Ele é apenas um número, uma estatística de uma multidão imensa. O Google vende estatísticas, lucra com isso e, desculpe o termo, está pouco se fodendo para a pessoa específica dele. Ele e os amigos dele não sabem como funciona um sistema operacional na prática e não tem a mínima noção estratégica e operacional, e administrativa de uma organização. Enfim, vida que segue...
João Paulo Santos Carvalho
Infelizmente não tem como dialogar com você, desisto!
Exibir mais comentários