Início » Telecomunicações » Os testes dos drones para acesso à internet do Facebook começam em 2015

Os testes dos drones para acesso à internet do Facebook começam em 2015

Por
5 anos atrás

Com o projeto Internet.org, o Facebook assumiu o compromisso de disponibilizar acesso à internet em lugares remotos ou carentes de infraestrutura. A companhia pretende cumprir pelo menos parte desta promessa com drones. Utopia? Pode até ser, mas os testes com as aeronaves começam em 2015.

É o que assegurou Yael Maguire, líder de engenharia da Connectivity Lab, divisão do Internet.org que trata de aspectos tecnológicos, durante o evento Social Good Summit.

O executivo revelou também que os drones do projeto não serão compactos, tal como a maior parte dos modelos atuais. Pelo contrário: os aviões não tripulados do Facebook terão, aproximadamente, o tamanho de um Boeing 747!

A ideia é fazer estes drones sobrevoarem as áreas de coberturas em altitudes entre 60 mil e 90 mil pés. Desta forma, as aeronaves ficariam menos suscetíveis a intercorrências causadas por condições climáticas e não atrapalhariam o tráfego aéreo convencional – na aviação comercial, a altitude máxima costuma ficar perto da casa dos 40 mil pés.

Drone Facebook

Mas voar tão alto não é suficiente. Os aviões da iniciativa também devem passar bastante tempo no ar, pelo menos alguns meses sem fazer um único pouso. Placas de energia solar deverão recobrir as asas para garantir o funcionamento das aeronaves durante períodos tão extensos.

É claro que os desafios são gigantes, beirando o inviável. A Connectivity Lab precisa encontrar empresas ou instituições para desenvolver os drones, por exemplo. O plano inicial era utilizar a Titan Aerospace como fornecedora, mas “coincidentemente”, a companhia foi comprada pelo Google.

Ainda na parte tecnológica, a Connectivity Lab tem que decidir como irá oferecer internet: sabe-se que o acesso será baseado em Wi-Fi, mas não quais companhias serão provedoras. Para este fim, o Google tem procurado operadoras móveis locais em seu projeto com balões.

Há ainda questões envolvendo legislação. Há países que restringem o uso de drones. Outros sequer possuem leis sobre o assunto. Obter autorizações para voos acima de 60 mil pés também não deve ser tarefa fácil.

Mas, se tudo der certo, as primeiras aeronaves do projeto começam a ser testadas no próximo ano e entrarão em funcionamento definitivo em 2017 – no mais tardar, em 2020.

Há, até o momento, 21 regiões na mira do projeto, incluindo pontos da África, Ásia e, veja só, América Latina.

Com informações: Mashable, Wired

Mais sobre: , ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.