Início » Web » Facebook se pronuncia sobre a polêmica da política de nomes reais

Facebook se pronuncia sobre a polêmica da política de nomes reais

Por
3 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Na semana passada, o Ello teve um enorme boom de novos usuários descontentes com o Facebook. A nova rede social, que promete se manter livre de propagandas, também garante proteger a privacidade dos usuários, armazenando apenas as informações que reflitam os diferentes modos de uso da rede, de modo a melhorá-la continuamente.

O êxodo para o Ello começou com a comunidade LGBT, que cansou da exigência do Facebook em usar seu nome verdadeiro. Diversas drag queens tiveram suas contas bloqueadas por conta disso e foram obrigadas a utilizarem seus nomes de batismo; a orientação da rede social de Mark Zuckerberg era que elas utilizassem seus nomes verdadeiros em seus perfis e criassem fanpages com seus nomes artísticos para divulgar seus trabalhos, algo que não é o ideal para todos, não apenas pelo pouco alcance das páginas: a maior parte delas simplesmente não é chamada por ninguém por seus nomes de batismo.

Sister Roma, uma das drag queens afetadas pela política de nomes verdadeiros do Facebook

Sister Roma, uma das drag queens afetadas pela política de nomes verdadeiros do Facebook

Diante da desistência de tantas pessoas em usarem a rede social, o Facebook teve que se posicionar sobre a polêmica, e o fez ontem. O diretor de produtos da empresa, Chris Cox, publicou um post falando sobre o assunto.

Nele, Cox pede desculpas à comunidade LGBT pelo transtorno e explica como é a tal política de nomes verdadeiros. Segundo ele, o que aconteceu no caso das drag queens foi que, entre outras milhares de contas, as delas foram denunciadas como falsas e o procedimento padrão é pedir algum documento que comprove que a pessoa é a mesma que diz ser na rede social.

Cox afirma ainda que o Facebook apoia e encoraja que todos usem o mesmo nome que utilizam na vida real e reconhece que, apesar de estar há 10 anos em voga, a política precisa ser revisada para abranger todos os usuários. No entanto, acredita que essa mesma política é o que a diferencia do resto das redes sociais: ele dá a entender que, ao impedir o anonimato, o Facebook está protegendo os usuários de comportamentos nocivos e até criminosos.

Sister Roma, que chegou a ir até a sede da rede social para debater o assunto, comemorou a notícia. Ela declarou que sempre soube que o Facebook “faria a coisa certa”: “as pessoas que trabalham no Facebook moram em São Francisco e são parte da nossa comunidade. Você não pode morar em São Francisco e não amar drag queens”.

Cox, na declaração feita em seu perfil, diz que o Facebook está trabalhando em ferramentas que melhorem a autenticação de seus usuários sem que eles sejam forçados a utilizarem os nomes de batismo e sem abrir espaço para fakes, mas não comentou que tipos de ferramentas serão utilizadas, tampouco como será a mudança na política de nomes.

Com informações: The Verge

Mais sobre:
  • Ga-kun

    É o medo de que as pessoas mudem pro Ello, Facebook tá uma desgraça.

  • Juan Lourenço

    Complicado realmente, porque exigir nome real é bom sim, se não vira bagunça… o Orkut pagou muitas indenizações por causa de fakes, só pra dar um exemplo, e o uso do FB como autenticação em vários serviços também faz a exigência fazer sentido.

    Mas, no caso de drags e outros tantos, complica mesmo. Fanpage não é o mesmo que perfil, elas querem ter um perfil normal, com os amigos e tudo mais, mas sem usar o nome de batismo que quase ninguém conhece.

    • Luiz Ricardo Silveira

      Fico pensando se, neste caso, não seria interessante o Facebook utilizar um banco com 2 nomes para cada perfil: O real, de batismo, que seria utilizado no caso de recuperação de conta caso fosse necessário(E que não fosse liberado ao público) e o de exibição. No caso do nome de exibição, a pessoa escolheria se iria utilizar seu nome real, ou então seu nome artístico(ou o que desse vontade). Se fosse necessário, acharia justo que o Facebook exibisse um aviso, discreto, caso o nome de exibição fosse diferente do nome de batismo(Entretanto isto merece ser bem discutido…).

      • Guilherme C.

        Nem precisa disso. Basta eles tratarem todos igualmente. Outros artistas podem usar seus nomes artísticos. Pq alguns não podem?

        • Luiz Ricardo Silveira

          Verdade. :/

        • mrhertz

          Uma coisa é Lima Duarte (Ariclenes Venâncio Martins) , a outra é qualquer “PIPITA” da vida colocar um nome falso.

          Não é que artista mereça mais, mas é que devido a notoriedade deles (reconhecimento da figura pública pelo país todo), eles ja vivem montados em seus pseudônimos e qualquer pessoa os conhecerá.

          Muito diferente de uma drag qualquer desconhecida que bota seu nome artístico e só quem conhece é ela e amigos.

          Essa questão vai até mesmo no tocante a LIBERDADE DE EXPRESSÃO, onde para ter esse direito, você precisa usar seu nome verdadeiro, ou um “apelido”, porem a ressalva desse apelido é que ele deve ter reconhecimento público, como Pelé, Xuxa…. pessoas públicas que mesmo que tu não saiba o CPF delas, não tem como ter outro Pelé ou outra Xuxa no mundo, então a personalidade artística encontra-se fundida a pessoa, mas lembrando que tem que haver notoriedade pública.

          A sugestão do Luiz Ricardo procede, porque realmente internet não é terra de ninguém, e mesmo que você queira se manter no anonimato, você deve saber que ninguém é obrigado a acreditar em um cachorro ou papagaio, então deve ser de interesse do indivíduo a busca pela afirmação do nome próprio, a fim de ter credibilidade.

          No caso de transformista que não precisaria passar por isso, vale lembrar da Nani People, nacionalmente conhecida. Porém, que mal há deixar em um cantinho qual é o seu nome, pelo menos para fins legais?

          • Guilherme C.

            Nomes artísticos são nomes artísticos, independente se vc conhece ou não, se vc gosta da pessoa ou não. Nome artístico é como outros reconhecem vc e como vc quer ser reconhecido pelo público (mesmo que vc não tenha público).

            Pessoas com nomes artísticos devem ter o mesmo tratamento, ou seja, deve ter a mesma condição de uma “Lady Gaga”, ou “Cher”. Sister Roma pode não ter a mesma notoriedade, mas pouco importa. É só fazer o mesmo procedimento que outros artistas fazem, que é a verificação de identidade. Quem vai verificar a respeito da pessoa é a empresa (manda-se documentos e outros dados) e não existe qualquer necessidade de vc ter q apresentar-se com seu nome de registro civil para o público. O público não tem necessidade da Sister Roma apresentar-se como Michael Williams. Inclusive não faz o menor sentido. Pode-se dizer que Sistema Roma é uma pessoa e Michael Williams é outra.

          • mrhertz

            A questão não é no impedimento do nome artístico. Até esqueça o fato da pessoa ser artista. Você mesmo, imagine que você não é artista, mas é super conhecido por “Guiga”, e não por Guilherme.

            A sua notoriedade faria com que qualquer pessoa que lesse uma coisa sua numa revista ou na net, associaria GUIGA com sua cara, e saberia que foi você que escreveu, ou seja, você é uma pessoa localizável, caso alguém deseje te procurar para esclarecimentos caso tenha se sentido ofendido, ou te propor coisas caso tenha gostado.

            O problema é tão somente a existência da pessoa. Não é o fato de que artista mereça mais ou menos. Entre a vontade do usuário e o facebook ou qualquer mídia social, estão conjuntos de leis que regulam a amostragem das coisas, e tornam justas as relações. E se algum dia você se sentir ofendido, você fara uso dessas leis para identificar quem te ofendeu.

            E se em vez do nome da pessoa, aparecer um “fufu da cachorrinha” ?

            Ae você chegará num tribunal dizendo: Juiz, o usuário “fufu da cachorrinha” está dizendo coisas que tenho como provar que não são verdades, e estão me prejudicando na vida, seja pessoal ou profissional.

            OK cidadão… e quem porra é “fufu da cachorrinha”?

            Entendeu agora? Não sou contra a drag ter seu espaço (também não vou me fazer de coitadinho defensor das minorias – FODA-SE isso), o fato é que se é uma pessoa que se sente melhor com um nome falso, mas que o usa diariamente, e não vejo problemas em ela ter um perfil onde eu possa reconhece-la pelo nome de apelido.

            So quero que essa drag tenha um espacinho no face com os dados reais, mesmo que fique visível SÓ PRA ELA, porque SE algum dia eu me sentir prejudicado, eu posso entrar com ação, e se o tribunal decidir, eu possa ter a possibilidade de saber quem é essa drag, para que eu possa cobrar satisfações dela.

          • Guilherme C.

            Vc está confundindo o conceito de nome artístico com de nome falso. A questão não é essa. A pessoa não está usando um nome falso e nem está no anonimato (anônimo é qualquer um não identificável, o que não acontece com essas pessoas).

          • mrhertz

            Nome artístico é um nome falso. O nome da pessoa é o que consta em sua identidade de nascimento.

            Agora pode-se pegar uma foto do Pelé e dizer que o nome dele de perfil é Roberval. Mas todos sabemos que o nome dele é Pelé, que por si só ja é um nome falso, pois o verdadeiro é Edson Arantes do Nascimento.

            Contudo a gente aceita que Pelé seja o Edson…. mas não Roberval, que a gente sabe que não é, e claramente a pessoa ta usando de má fé ao fazer isso.

            Mas a questão em si não é no nome ser verdadeiro ou falso, mas sim dele ser associado a pessoa, independente de ser falso ou não. O nome artístico é um nome falso, mas no caso de um Pelé, a gente sabe quem é a pessoa, e a justiça teria como identificá-lo.

            Mas ae tem outro problema… CENTENAS DE MILHÕES DE PESSOAS usam o facebook diariamente, e é humanamente impossível de você estudar caso a caso, então com isso temos de determinar um padrão de funcionamento que sirva pra chegarmos facilmente a um resultado.

            Então o que você citou de nome falso e nome artístico ja é uma outra camada a ser vista, como falei, onde o Pelé seria erroneamente tratado como Roberval.

            O centro da questão é basicamente fazer com que a justiça possa saber quem é a pessoa que aparece no face, seja devido ao nome de batismo, ou a figura pessoal (no caso de notoriedade pública, seja a pessoa artista ou não). E no fim tu possa rastrear essa pessoa legalmente, para poder tomar satisfações caso você deseje.

            Se tratando de mega sistemas como esse, não dá pra analisar caso a caso, se o cara é o artistico, ou o fake do artistico, ou fake do fake do fake.

            Tem que haver uma maneira prática de saber, mesmo que seja por um perfil invisível, que você só possa ter acesso pela justiça.

            Eu sou muito conhecido por MrHertz, ou só Hertz nos jogos. Na real sou Eugenio Hertz, e sempre boto meu nome correto nos perfis. Do mesmo jeito da drag, eu adoraria ficar conhecido também.

          • Guilherme C.

            Nome artístico não é nome falso e nem ferramenta de anonimato. Nome artístico é escolhido pra fins artísticos, estéticos, não ilícitos.

            O Facebook não fez a regra por questão judicial, pois o nome não representa nada. Se João da Silva está caluniando você, não é com o nome dele que vc saberá quem é ou poderá processá-lo. Você não sabe a filiação e nem mesmo o mais importe, que são seus dados pessoais em documentos. Nome não representa nada. Ser identificável pra fins de direito não é ter seu nome bonitinho na rede social.

            Tanto é verdade que o Facebook está revendo as ferramentas de identificação pra não criar problemas pra quem usa nomes artísticos. Nem todos conseguem se chamar pelo mesmo nome na vida real e artística, (RuPaul é RuPaul, mas Milk é muito melhor pra apresentações do que Daniel Donigan).

          • Rhenan Belém

            Ter reconhecimento público não quer dizer ser famoso. Se as drags são conhecidas em seu meio social, entre amigos e familiares, além de no meio em que trabalham, pelo nome artístico, então esse nome tem sim reconhecimento público e não se diferencia do caso do Lima Duarte ou da Xuxa só porque estes são mais famosos.

  • Igor Antero

    Será que esse tal de Ello vai fazer o Facebook se tornar uma espécie de Orkut?! Só o tempo vai dizer.

  • Keaton

    Estranho… tempão atras fiz umas quarenta contas falsas para (uns amigos que queriam jogar aqueles farmviles da vida) com nomes bem absurdos e ninguém nunca reclamou delas. Todas funcionam ainda.

  • Ademar Abiko Jr.

    Só aplicar o conceito de nome real e nome público no cadastro. Mas isso é ruim pros negócios da empresa =/

  • Marcus Vinicius

    Eu fui vitima disso, trabalho a anos no Ramo de tatuagem e uso meu perfil e uma Page para divulgação. O facebook veio solicitar que eu mudasse o nome do perfil, eu fiz isso e depois me pediram um documento para comprovar que realmente era eu, fiz isso tbm. Agora meu facebook está bloqueado junto com a minha page e esta me prejudicando muito no trabalho, pois não posso responder os inbox de clientes.
    Estou aguardando resposta do facebook mas pelo visto vai ser difícil.

    Danger Tattooer

  • disqus_YQyCtqb0gK

    como se não fosse a coisa mais fácil do mundo criar um perfil fake no facebook. eu mesna tenho vários.