Início » Internet » Tecnocast 009 – A internet das coisas

Tecnocast 009 – A internet das coisas

Thiago Mobilon Por

A essa altura do campeonato você provavelmente já ouviu falar de internet das coisas, certo? Mas qual o real significado desse conceito? Estamos falando de novos gadgets? De geladeiras que fazem compras e acessam o Facebook? Será que eu preciso disso, mesmo?

Arte por Marcel @grigio Müller

Arte por Marcel @grigio Müller

Na verdade, apesar de gerar uma certa confusão, o conceito é relativamente simples. A internet passou pela era dos computadores e das pessoas (redes sociais, e-commerce etc.), mas agora será “utilizada” pelos objetos. Eles foram pensados para entender o nosso comportamento, se comunicar entre si através da rede e assim facilitar o nosso cotidiano, automatizando tarefas e algumas tomadas de decisão.

No último Tecnocast falamos sobre os smartwatches, talvez o primeiro device de massa da internet das coisas. Ou seja, a tecnologia é real. Ela ja está entre nós e está prestes a ficar realmente empolgante.

Bora viajar por esse caminho? Dá o play e vem com a gente.

Participantes

Links Citados

iot

Caixa Postal

Manda aí a sua mensagem: [email protected]

Assine o Tecnocast

Edição e Sonorização

O Tecnocast é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Renato Barboza da Costa
A era da IoT está vindo com tudo, eu criei um blog pra expor idéias relacionadas e compartilhar conhecimento. Quem tiver interesse dá uma passadinha lá :D http://andruinolab.blogspot.com.br/
Manoel Neto
muito bom, não vejo a hora de sair o próximo, e que seja um tema tão bom quanto esse.
Daniel Luiz
Falei internet sem fio na primeira frase, quando era pra ser energia elétrica sem fio...
Luis de Vaz Lobo

Gosto da ideia de ter um mundo de objetos e serviços conectados às minhas necessidades e vontades. Vejo com bons olhos uma boa parte das automações possíveis, mas acho que tudo isso só terá graça se vir aliado a facilidade de reprogramação ou a um maior reconhecimento de peculiaridades. A Motorola evoluiu muito no reconhecimento de comandos de voz, mas ainda é acionado por qualquer voz, apesar de já ser tecnologicamente possível essa personalização para a voz do usuário daquele celular. Uma atualização feita recentemente, possibilita usar/acionar o Google Now com qualquer comamndo de voz totalmente personalizável, acho que o caminho é bem por ai. No exemplo citado do cara que chega em casa tarde, seria interessante se o sistema reagendasse seu despertador após consultá-lo, o fato de não haver nenhuma reunião agendada pra manhã seguinte é muito vago, vc poderia ter marcado outra coisa e não ter colocado no sistema.
Se um dia existir um sistema de segurança inquebrável, à prova de erros e que se resolva em si, sem a necessidade de uso da internet, seria mais confiável e ai sim, eu forneceria todos os dados possíveis e imaginários sobre minhas rotinas e hábitos diversos e então, daria autonomia para o sistema reagendar meu despertador, meus encontros e compromissos.

Luis Carlos Rodrigues
Gosto da ideia de ter um mundo de objetos e serviços conectados às minhas necessidades e vontades. Vejo com bons olhos uma boa parte das automações possíveis, mas acho que tudo isso só terá graça se vir aliado a facilidade de reprogramação ou a um maior reconhecimento de peculiaridades. A Motorola evoluiu muito no reconhecimento de comandos de voz, mas ainda é acionado por qualquer voz, apesar de já ser tecnologicamente possível essa personalização para a voz do usuário daquele celular. Uma atualização feita recentemente, possibilita usar/acionar o Google Now com qualquer comamndo de voz totalmente personalizável, acho que o caminho é bem por ai. No exemplo citado do cara que chega em casa tarde, seria interessante se o sistema reagendasse seu despertador após consultá-lo, o fato de não haver nenhuma reunião agendada pra manhã seguinte é muito vago, vc poderia ter marcado outra coisa e não ter colocado no sistema. Se um dia existir um sistema de segurança inquebrável, à prova de erros e que se resolva em si, sem a necessidade de uso da internet, seria mais confiável e ai sim, eu forneceria todos os dados possíveis e imaginários sobre minhas rotinas e hábitos diversos e então, daria autonomia para o sistema reagendar meu despertador, meus encontros e compromissos.
Jamis Casusa
Verdade. Inclusive eu deixei de seguir esse site a meses, são mestres dos Clickbaits.
akasarto
Acho muito legal ver o conceito de internet das coisas ganhando visibilidade aqui no Brasil. Sou entusiasta da área já faz um tempo (http://haark.net) e torço para que essa popularização ajude a tornar viável o desenvolvimento independente destes dispositivos. Hoje em dia é bem mais fácil conseguir hardware para prototipagem aqui no país mas, ainda assim, dói no bolso. Um bom exemplo é a placa Raspberry Pi, que nos Estado Unidos custa em média U$ 35. Aqui não se consegue por menos de R$ 200. Do meu ponto de vista, incentivar uma comunidade maker (como vemos nos EUA) pode ser mais benéfico a longo prazo do que medidas protecionistas. Enfim. Parabéns pelo podcast!
FrankCastiglione
Fala galera! Parabéns pelo episódio. Acho que foi o melhor da nova fase do Tecnoblog. A forma como o assunto foi abordado e as projeções de como certas tecnologias poderiam ser usadas no futuro foram ótimas. Acho que uma coisa que está faltando é mais investimento e implementação da energia solar no Brasil. Lembro que, nos anos 90, era muito comum ver calculadoras que utilizavam esta tecnologia. Acho que alguns gadgets poderiam fazer uso dela também.
daniellz
Em relação aos comentários/emails do podcast, internet sem fio existe desde a utilização comercial da mesma, graças ao Tesla, inclusive hoje temos transmissão de rádio grande parte por causa das pesquisas dele de transmissão de energia elétrica, o que acontece é que a tecnologia usada por ele na época teria uma interferência monstruosa em qualquer rede que utilizamos hoje, o desafio (que já foi superado, se não me engano) é fazer com que essa transmissão de energia não atrapalhe nenhuma das outras.
Frink, o cientista

Ai galera do Tecnoblog não sei se alguém ai percebeu, mas hoje de manhã quando fui abrir um outro blog de tecnologia, o outro "tec" (não quero citar o endereço, mas acho que vcs sabem de quem estou falando) pensei ter aberto o Tecnoblog. Eles mudaram o layout e ficou muito parecido com o de vocês. Prevejo processo por quebra de patentes em 3,2,1.... rsrsrsrs

karllos
Ai galera do Tecnoblog não sei se alguém ai percebeu, mas hoje de manhã quando fui abrir um outro blog de tecnologia, o outro "tec" (não quero citar o endereço, mas acho que vcs sabem de quem estou falando) pensei ter aberto o Tecnoblog. Eles mudaram o layout e ficou muito parecido com o de vocês. Prevejo processo por quebra de patentes em 3,2,1.... rsrsrsrs
Desenvolvedor Waldes Alves
Galera do Tecnoblog, sou da área de tecnologia e digo com certeza que eu tenho orgulho e vontade de ler e compartilhar os post e podcast de vocês. Muito bom o nível da discussão que vcs colocam nos assuntos, pois percebo que estão sempre bem informados. Blog de tecnologia que não fica apenas copiado posts de outros blogs de fora. PARABÉNS toda a equipe.
Guest
os professores que ouviram o mobilon falando sobre revolução industrial choraram