Início » Mobile » Nerd safadinho vai preso por espionar cocotinhas com a webcam

Nerd safadinho vai preso por espionar cocotinhas com a webcam

Por
11 anos atrás

Quando Marisel Garcia começou a ter problemas com seu laptop, enquanto visitava seus amigos na cidade de Gainesville (Florida), ela não imaginava a dor de cabeça que um simples problema técnico poderia causar.

Seus amigos lhe indicaram um cara normal chamado Craig Matthew Feigin, de 23 anos, que estudava na Universidade da Florida, e era muito conhecido por suas habilidades com computadores ser nerd.

Algumas semanas mais tarde, com o aparelho já em mãos, Maricel começou a perceber que a bateria do notebook já não era mais a mesma. Ela notou também, que uma certa luzinha se acendia todas as vezes que ela se aproximava do aparelho. Algo não cheirava bem.

Seu amigo logo constatou o inesperado: seu notebook estava com spywares.

Diferente de simples keyloggers, os softwares não eram para capturar dados pessoais (de um certo modo). Craig estava interessado em ver mais do que uma senha de internet banking.

Os softwares Log Me In e Web Cam Spy Hacker, tiravam fotos com a webcam do notebook sempre que alguém se aproximava dele, e depois essas fotos eram enviadas para o servidor de Craig.

Faz a cagada e assina a obra. Esperto ele, não?

Nesse meio tempo, cerca de 20 mil fotos foram capturadas pela webcam de Marisel. Obviamente, ela aparecia nua em muitas destas fotos. Não só ela, como algumas de suas amigas.

No final das contas o rapaz passou uma noite na cadeia, e foi obrigado a pagar uma multa de 20 mil dólares. Para completar, ele confessou que instalou os mesmos softwares no computador de outras mulheres, e ainda corre o risco de ser preso por mais de uma noite por isso.

Craig Matthew Feigin

Craig Matthew Feigin

Agora me diz, o que leva um cara a fazer uma coisa dessas? Se ele fizesse aquele estereótipo de nerd americano, que é maltratado na escola, e depois cresce e vira vilão de histórias de super herói, ainda daria para entender. Mas pela foto ele até que parece um cara normal.

Eu disse ‘parece’.

Moral da história, ele aprendeu que apesar de suas habilidades superiores em relação aos réles mortais mundo afora, espiar o buraco da fechadura é mais prático, e menos embaraçoso. Já ela, aprendeu que a tal luzinha que se acende quando alguém chega perto do notebook, indica que a webcam está ligada.

E uma coisa continua sem fazer sentido. Por que o sujeito iria configurar o software para tirar uma foto sempre que alguém chega perto do notebook? Quando a mulher fosse fazer alguma coisa obscena, não iria ser grudada no computador, right?

Ok nerds, ignorem a última pergunta.

via: Ars Technica

Mais sobre: , ,