Agora é oficial: companhias aéreas que atuam no Brasil poderão permitir, respeitando alguns critérios, o uso de dispositivos eletrônicos pelos passageiros durante todo o voo. A liberação foi publicada hoje (30) no Diário Oficial da União pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Pelas normas em vigor atualmente, as companhias aéreas proíbem o uso de smartphones, tablets, câmeras e outros eletrônicos durante os procedimentos de pouso e decolagem, mesmo com o chamado “modo avião” ativado, quando é o caso.

Com a liberação, equipamentos portáteis podem ser usados em qualquer fase dos voos, com a condição de que o “modo avião” (que impede a emissão de sinais pelo dispositivo, como você deve saber) permaneça o tempo todo ativado. Este procedimento vale inclusive para o momento em que a aeronave, depois de aterrissar, realiza taxiamento até o portão de desembarque.

Não se trata de um “liberou geral”, no entanto. As companhias aéreas que quiserem oferecer esta comodidade aos passageiros terão que pedir autorização à Anac. Esta, por sua vez, concederá permissão se todas as exigências de segurança forem cumpridas.

Tablet - voo

Em especial, as companhias aéreas precisam assegurar que o uso de eletrônicos pelos passageiros em todas as fases do voo não causará interferência nos sistemas de comunicação e navegação das aeronaves.

Não adianta, consequentemente, entrar em um avião a partir de hoje já esperando contar com a liberação. As autorizações virão aos poucos e dependem do interesse das próprias companhias.

De qualquer modo, a flexibilidade da Anac em relação ao assunto já era esperada. A liberação de uso de equipamentos portáteis durante todo o voo é uma tendência mundial.

Por meio da Federal Aviation Administration (FAA), os Estados Unidos passaram a dar autorizações semelhantes em 2013, por exemplo. A Europa começou a fazer o mesmo no mês passado.

Na América do Sul, a LATAM, grupo que controla as companhias TAM e LAN, anunciou no último dia 15 que passaria a liberar o uso de eletrônicos em todos os seus voos realizados na região, mas de maneira progressiva, justamente pela necessidade de autorização dos órgãos regulatórios de cada país.

Por meio de nota, a Gol sinalizou que pretende seguir pelo mesmo caminho, aos menos em relação aos voos operados no Brasil: a companhia está entre aquelas que já pediram autorização à Anac.

A expectativa é a de que as primeiras liberações sejam concedidas até o final do ano.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucio717
Sempre usei eletrônicos em todo o vôo, existe algo chamado "modo avião", ligue-o e seja feliz kkkk mas comemoro essa decisão, finalmente um avanço sobre as crendices populares
Pedro Augusto
Sempre suspeitei disso. Não faz sentido não poder usar celular num avião de bilhões de dólares. Isso pra mim sempre foi desculpa pra cobrar caro por ligações oferecidas pela empresa.
João Silverado
O verdadeiro motivo é o fato dos sinais de rádio atrapalhar a comunicação dos aviões. O q até faz sentido. Agora celular explodir posto não faz sentido nenhum, e sim descargas eletrostáticas provocadas por qquer coisa, não apenas celular.
Theus
Sempre usei porque minhas convicções eram claras quanto a um celular derrubar um avião. Mesma regra para postos de gasolina. ¯_(?)_/¯