Início » Cultura » Taylor Swift retira todas as músicas do Spotify

Taylor Swift retira todas as músicas do Spotify

Serviço paga menos de US$ 0,01 por execução. Pouco, né?

Avatar Por
Ela sambou na cara da comunidade Spotify

Ela sambou na cara da comunidade Spotify

A cantora Taylor Swift vive uma fase intensa de sua carreira com o lançamento do álbum 1989, que já é visto como um dos mais aguardados do ano. Certamente vai vender que nem água! E a ideia é justamente essa: entregar as músicas diretamente ao consumidor final, como nos velhos tempos. Por isso, a equipe da artista decidiu que não iria lançar 1989 no Spotify e similares. Não bastasse isso, Taylor também removeu todas as músicas do serviço de streaming.

É, Taylor… Agora o Spotify pode lhe responder com um sonoro “I knew you were trouble”.

A treta é antiga. Ainda em 2012, a cantora proibiu que o álbum Red continuasse no serviço. Em julho deste ano, ela fez um apelo para que os artistas não se subestimassem em aceitar os valores pagos pelo Spotify pelas músicas. O serviço paga entre US$ 0,006 e US$ 0,0084 por execução de música.

O Spotify se manifestou em nota dizendo que ama Taylor e que os usuários a amam ainda mais – diz que 16 milhões deles já ouviram músicas da cantora nos últimos 30 dias. Ainda pediu que ela mude de ideia e se junte ao grupo que está “construindo uma nova economia de música que funciona para todos”. Porém não está funcionando para uma das artistas mais celebradas da atualidade, pelo que se percebe.

Enquanto isso, o álbum continua disponível para compra na iTunes da Apple. Cada faixa custa 1,29 dólar. O pacote inteiro sai por 12,99 dólares.

1989 continua no iTunes

1989 continua no iTunes

Por que é importante saber como Taylor Swift e Spotify vão se acertar? Basicamente, porque cada vez mais gente migra para os serviços de ouvir música pagando uma mensalidade. Ficar sem os grandes lançamentos se tornará um problema no futuro. É bem provável que o álbum 1989 bata a marca de 1,3 milhão de cópias vendidas, um recorde para o setor, ultrapassando o Oops! I did it again de Britney Spears, em 2000. Quer dizer: um marco da indústria que fica de fora do serviço que é um marco da tecnologia.

Há quem diga que só uma gravadora poderosa e uma artista que move multidões poderiam tomar a decisão de retirar todas as canções de um app. Enquanto isso, o jeito que tem é ouvir a Shake it off no YouTube mesmo.

Ao menos a equipe de mídias sociais do Spotify tem uma boa resposta quando é perguntada sobre o sumiço das músicas de Taylor, como você pode ver no reply abaixo. Resta saber qual é a dificuldade em ampliar o acervo do Bob Dylan – um pedido de longa data deste que vos escreve.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eudo Araujo Jr.
Só acho que agora vai ter um monte de gente pirateando o disco. Não foi uma boa decisão.
Gabriel Brito
Isso é pressão da Apple, tenho certeza. Começou com o "BEYONCÉ" e agora toma outras proporções. Enquanto isso, no Deezer: "Esse artista ou seus representantes solicitaram que parte ou toda a discografia fosse excluída dos serviços de streaming. Estamos fazendo o nosso melhor para disponibilizar o conteúdo novamente o quanto antes."
Shariban
Beleza. Então deixa o pessoal baixar. Você manja mesmo de mercado em Taylor. Seu dinheiro está bem gasto com seus adms.
Thiago Amelotti Portela
O aplicativo é ineficiente, não consegue lidar bem com quedas de sinal momentâneas, e como só ouço por Stream (se for pra deixar as músicas no celular, e gastar o pouco espaço disponível, prefiro os mp3 das bandas q citei, e outras) pagar o preminum, pra mim, não é vantagem, pois só ouço as minhas plays mesmo (não acho eficiente o modelo de sugestões deles tbm)
Magnosama
nossa, mesmo com todas essas ausências, pago 15 reais/mês (50 centavos/dia) rindo e agradecendo, por todas as outras 30 milhões de músicas que o serviço me disponibiliza, acho totalmente excelente.
Thiago Amelotti Portela
E os discos da fase mais "obscura" do Black sabbath, ou King Crimson, Beatles, e vários artistas renomados do mundo instrumental (Allan Holdsworth, Mahavishnu orquestra, Weather report...) isso, fora alguns comportamentos do app, q me fazem não querer pagar pelo serviço, fico no free mesmo
Black Cat

A Gaga anda tão flopada que pra ela compensa muito usar o Spotify rs.

Senju Hashirama
A Gaga anda tão flopada que pra ela compensa muito usar o Spotify rs.
obitow
Pior que todas essas três usam a mesma estratégia: vendem antes e colocam pra streaming depois. Claro que não são tão babacas que nem a Taylor, de tirar todos os álbuns do Spotify, mas ainda assim... Gostaria que tudo estivesse em streaming no 1o dia. Lady Gaga, ensina pra elas como faz, pfavor hahaha (as vezes foi por isso que ARTPOP flopou)
Edmilson_Junior
No ano 2000 a pirataria não era tão simples. Resumidamente Spotify + pirata para quem curte. Eu continuo não ouvindo e o mundo segue.
Keaton
Eu não conhecia essa cantora e eu jurava que Taylor soava como nome masculino... =P
danielnbl

Mas o problema é que ela só não lançou o novo album como tirou todos.

Pode ser que tenham tirado tb pq como as pessoas vão ouvir muito falar dela por causa desse anuncio talvez procure os antigos e compre tb

danielneves
Mas o problema é que ela só não lançou o novo album como tirou todos. Pode ser que tenham tirado tb pq como as pessoas vão ouvir muito falar dela por causa desse anuncio talvez procure os antigos e compre tb
Flavio Viana
Acho que a promoção influenciou a decisão dela e/ou da gravadora. Os cds dela costumavam ser liberados para streaming no mês seguinte ao lançamento. Vamos ver como vai ser dessa vez...
danielnbl

Na verdade isso é o que era pensado inicialmente, afinal faz sentido.

Mas pelo que li a Taylor é uma artista que tem poder forte de decisão em

Exibir mais comentários