Início » Aplicativos e Software » Google Play começa a aceitar cartão de crédito nacional

Google Play começa a aceitar cartão de crédito nacional

No futuro, empresa também aceitará cartões de débito para comprar apps no Brasil

Por
5 anos atrás

google-play

Não tem cartão de crédito internacional? Você não precisará mais dele para fazer compras de aplicativos, filmes, músicas e livros no Google Play. A empresa de Mountain View anunciou nesta terça-feira (4) que começou a aceitar cartões de crédito nacionais Visa e MasterCard como parte de um processo para alavancar a loja no país, que já é o segundo em número de downloads, atrás dos Estados Unidos.

Segundo a Folha de S.Paulo, o Google também pretende aceitar outros métodos de pagamento no futuro — depois do cartão de crédito nacional, a loja deve passar a suportar cartões de débito. É um golpe direto na Amazon Appstore, que tinha como uma de suas principais vantagens o fato de aceitar cartões de crédito nacionais, evitando a cobrança do IOF de 6,38%.

O diretor financeiro do Google na América Latina, Edmundo Balthazar, diz ao jornal que a empresa também planeja reforçar a oferta de conteúdo local. Há inclusive uma equipe dedicada a aumentar a participação de músicos e autores brasileiros no Google Play.

Preço em reais, cobrança em dólares: isso será coisa do passado

Preço em reais, cobrança em dólares: isso será coisa do passado

Antes da mudança, o Google Play mostrava preços em reais em suas páginas, mas apenas para fins de referência, já que a cobrança era feita em moeda estrangeira. A opção de pagamento com cartão nacional chegará a todas as contas “nas próximas semanas”, segundo o Google. Os termos de uso do Google Wallet foram atualizados e são aplicáveis para quem abriu uma nova conta a partir de 27 de outubro.

A mudança não será automática para os usuários atuais. Ao Tecnoblog, o Google afirma: “Os clientes que optarem pela nova modalidade de pagamento farão um processo simples de migração, no qual terão de aceitar os novos termos de serviço da Play, informar dados cadastrais e registrar os dados do cartão que será usado nos pagamentos locais”. Quem optar por não fazer a migração continuará sendo cobrado em dólares.

Mais sobre: ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.