De todas as decisões tomadas pela Microsoft na administração de Satya Nadella, talvez esta figure entre as mais surpreendentes: nesta quarta-feira (12), a companhia anunciou a transformação do framework .NET em um projeto de código-fonte aberto. Bom, pelo menos em parte.

A iniciativa diz respeito a todo código .NET utilizado no lado do servidor. Bibliotecas e demais componentes relacionados ao lado do cliente continuam do jeito que estão (ou seja, fechados).

Microsoft .NET

De certa forma, o movimento é uma continuação do .NET Foundation. Apresentado em abril, o projeto compreende uma espécie de repositório de trabalhos de código-fonte aberto baseados na plataforma.

Com o anúncio de hoje, desenvolvedores terão muito mais facilidade para desenvolver projetos em .NET e disponibilizá-los para sistemas como Linux e OS X, além do próprio Windows, é claro. Consequentemente, o engajamento com a plataforma deve aumentar (ao menos é isso o que a Microsoft espera).

A disponibilização do .NET como projeto de código aberto não acontecerá da noite para o dia. A iniciativa levará meses para ser concluída, na verdade. Para tanto, a Microsoft está contando com o apoio de participantes do projeto Mono e de outras comunidades de desenvolvedores.

O material resultante deste trabalho está sendo disponibilizado na página do projeto no GitHub. Estes códigos têm licença MIT (prioritariamente) ou Apache.

Visual Studio

Junto ao anúncio relacionado à plataforma .NET, a Microsoft chamou atenção para a liberação gratuita do Visual Studio Community 2013. A ferramenta foi criada e disponibilizada como tal para que pequenas empresas, desenvolvedores independentes e estudantes possam criar projetos sem custos elevados.

De acordo com a companhia, vários dos recursos presentes nas variações pagas da IDE estão disponíveis no Visual Studio Community 2013, inclusive bibliotecas para o desenvolvimento de serviços nas nuvens e aplicativos móveis.

Visual Studio Community 2013

Visual Studio Community 2013

Não termina aí: a Microsoft também anunciou um “Preview” do Visual Studio 2015. Entre as funcionalidades da versão estão um emulador do Android, ferramentas para projetos multiplataforma feitos em C++ e o Visual Studio Tools for Apache Cordova.

Com informações: VentureBeat, GigaOM

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

nana wei

Very good article..
togel sgp

nana wei

Amazing news
togel online

tiago pereira

net core. vai ser igual java. diferenca q a VM do .NET vira embutida na aplicacao

tiago pereira
net core. vai ser igual java. diferenca q a VM do .NET vira embutida na aplicacao
Lucas Dillmann
karllos, produtividade que uma IDE oferece é diretamente proporcional a sua afinidade com ela. Não acredito que este seja um fator que deva ser levado como item diferencial. Há pessoas que usam editores que apenas têm indentação e produzem mais em menos tempo do que outras pessoas adeptas de IDEs mais robustas.
Lucas Dillmann
Rudge, não será necessariamente um emulador. Android tem imagens x86 resultantes da parceria da Intel com o Google, logo, não seria nada muito diferente do que a Microsoft já faz em relação ao Windows Phone e Hyper-V: máquina virtualizada rodando código "nativo" ao seu processador (conforme comentário do Vitor acima).
Yuri da Silva
Você quis dizer www.wikipedia.org Ei, você usou HTML?
Guest
Qual ? Defini e agora ?
Guest
la la
Guest
oq quer ?
Guest
Sera que esse Big funciona ?
Guest
blabl bla
Guest
diferente do resto ?Diferente do tresto v
Guest
dude
Guest
www.wikipedia.com
Exibir mais comentários