Início » Antivírus e Segurança » Sony se rende a hackers e cancela estreia de filme; EUA devem acusar a Coreia do Norte

Sony se rende a hackers e cancela estreia de filme; EUA devem acusar a Coreia do Norte

Avatar Por

REUTERS/KEVORK DJANSEZIAN/FILES

Depois de três semanas de pesadelos, a Sony cancelou o lançamento do filme The Interview, previsto para o Natal. Assim, o grupo hacker que assaltou o sistema da Sony Pictures e vazou filmes inéditos, roteiros e emails de executivos teve a sua exigência atendida.

Fator decisivo para isso foi os “Guardiões da Paz” terem anunciado que repetiriam o “11 de setembro” se a comédia, que satiriza o ditador norte-coreano, fosse exibida nos cinemas norte-americanos no próximo Natal. Diante disso, as maiores redes de cinema dos Estados Unidos decidiram que não exibirão o filme. No Brasil, de acordo com a Sony, o lançamento de A Entrevista está suspenso "até segunda ordem", conforme informou o G1.

EUA acreditam que a Coreia do Norte é a principal responsável

A CNN noticiou que a Casa Branca concluiu que a Coreia do Norte é a principal responsável pelos ataques. Ainda não está claro como os Estados Unidos comprovam que o regime de Kim Jong-un comandou os ataques. A rede de computadores da Coreia do Norte tem sido notoriamente difícil de se infiltrar. Mas, segundo o The New York Times, a NSA está trabalhando duro há quatro anos para penetrar os computadores norte-coreanos para instalar um sistema de radar que acompanharia o desenvolvimento de malwares transmitidos a partir do país.

Para justificar que Obama aponte o dedo e acuse Kim Jong-un, temos uma trilha investigativa que considero convincente. Os invasores usaram ferramentas comerciais para limpar o rastro fora dos computadores da Sony. Eles também adotaram ferramentas e técnicas que foram usadas em pelo menos dois ataques anteriormente. Um deles foi há dois anos na Arábia Saudita e o outro na Coreia do Sul em 2013.

Os ataques à Sony, aparentemente, foram disparados de vários lugares do mundo, como um centro de convenções em Cingapura e uma universidade na Tailândia. Entretanto, um desses servidores, localizado na Bolívia, já havia sido identificado nos ataques à Coreia do Sul há dois anos.

bandeira-da-coreia-do-norte

Especialistas empenhados no caso indicam que o malware que infectou a Sony possui semelhanças notáveis com características encontradas em ataques a bancos e empresas de radiodifusão da Coreia do Sul.

Os “Guardiões da Paz” também copiaram uma ferramenta de limpeza de um ataque há dois anos contra a Saudi Aramco, companhia petrolífera estatal saudita, quando hackers invadiram 30 mil computadores e exibiram a imagem de uma bandeira americana queimando.

Especialistas em segurança nunca conseguiram rastrear esses hackers, embora as autoridades dos Estados Unidos acreditassem que os ataques emanavam do Irã. Os pesquisadores da Sony estão estudando a hipótese dos invasores terem ajuda no interior da empresa, pois encontraram resquícios de que no código malicioso estão embutidos uma lista dos servidores e credenciais de acesso que permitiriam que o vírus se espalhasse pela rede.

Os pontos se ligam estabelecendo as conexões entre os ataques quando visualizamos o mapa de relações políticas entre os países envolvidos. O Irã e a Coreia do Norte possuem regimes ditatoriais que se relacionam muito bem. Por outro lado, os Estados Unidos, a Arábia Saudita e a Coreia do Sul são grandes aliados — principalmente porque os EUA apoiaram a Coreia do Sul durante a Guerra Fria e documentos divulgados pelo WikiLeaks revelaram em 2010 que o rei da Arábia Saudita pediu às lideranças americanas que atacassem o Irã para acabar com o programa nuclear do país. Soma-se a isso o fato da Bolívia estar se aproximando do regime iraniano — o que motivou os grampos da NSA no governo brasileiro, por exemplo.

Até o momento, o misterioso grupo de hackers está vencendo a queda de braço contra um dos maiores estúdios de Hollywood e a multinacional japonesa que não é nada menos que o quinto maior conglomerado de mídia do planeta. Resta saber se os “Guardiões da Paz” cumprirão a palavra empenhada e sossegarão com o cancelamento do filme mesmo depois de terem anunciado que estão em posse de muitos arquivos polêmicos.

Sendo ou não comprovada a participação da Coreia do Norte, é preciso repudiar o baixo nível da estratégia de censura através de chantagem baseada em terrorismo. O lema de “privacidade para o povo, transparência para os poderosos”, que deveria ser adotado por quem se autodenomina "guardião da paz", não combina com a divulgação de emails pessoais sobre celebridades que rendem milhões de cliques para sites de fofocas.

Mais sobre: ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Kessler
Minha gramática está correta. Infinitivo não precisa necessariamente ser flexionado neste caso.
Roger Walker
Quanta gente culta discutindo com tanto entusiasmo sobre coisas importantes. Mas um dia todo mundo morre e fim.
Samu
Só acho que essa foi uma péssima ideia fazer um filme matando alguém que está vivo. E tudo isso, com motivos políticos suficientes na trama para dar uma ideia de realidade. Foram brincar com a Coreia, agora aguentem as consequências. Duvido se a Sony acharia engraçado um filme com a morte do Obama causada por terroristas. Parece real né? Mas é engraçado?
Samu
kkkkkk!
Emmanuel Carvalho
Vou ignorar a sua concordância verbal errada e reiterar o que eu disse: uma nação com 25 milhões de pessoas, não um grupo terrorista.
Kessler
A alternativa é ceder a qualquer ameaça e deixar os terroristas mandar em tudo.
Caio Yaakov Meier
Esses arquivos ja estão Deep Web.
Antony
Quero ver vir com esse papinho de "não negocio com terroristas" quando tiver uma arma apontada pra cabeça de um familiar, amigo, etc. Vai fazer tudo que eles pedirem e vai perceber que tem coisas mais importantes que orgulho.
Antony
Como que não tem aliados? Numa possível WWIII, o inimigo do meu inimigo é meu amigo, logo todos descontentes com os EUA se juntariam em um bloco único
Felipe Liʍa
E seria revelado no dia 1 de abril
Felipe Lima
E seria revelado no dia 1 de abril
Marcio Melo
Bom, quem planta invadir... acaba sendo invadido... pode se fazer mas nada... depois que vazou que os USA invadiu vários países do mundo... quem não teve vontade de invadi-los... e a atacar uma empresa de grande porte faz parte de chamar atenção, porém, ao encontrar material diversificado, ai as coisas mudam conforme decisões politicas. O que rola na rede esta ao alcance de qualquer um que tenha conhecimento, assim como a luz do sol esta para todos...
Keaton
Se eu fosse a Sony, "vazava" o filme por torrent. Deixava uns dias, e depois caçava o demonio do torrent. Só pelo lulz.
Lucio717
Eles não tem aliados, mas tem armas nucleares... Só que tem uma coisa especial: a falta de noção, o moleque ditador lá é maluco, totalmente maluco, pra fazer cagada é um piscar de olhos kkkk


Igual um idiota com uma caixa de fosforos num deposito de dinamite
Eduardo Lima
Não acredito que fariam um novo 11 de setembro mas se ha o risco de se perder uma vida por um filme não vale a pena
Lucas Dias
Parece até piada, os EUA acusar alguém de espionagem!
NSA, CIA etc não fazem mais nada da vida a não ser isso, Este tipo de coisa só me faz ver uma coisa: Os EUA querem uma guerra com a CN e isso não é mistério para ninguém!
Emmanuel Carvalho
Quem "arregou" foram as empresas interessadas na exibição do filme. São civis que, provavelmente, conheceram pessoas que morreram em atentados terroristas. São ameaças tangíveis e plausíveis. Sim, acho certo "arregarem".
Mateus Vicente
Agora fez certo... escreveu o que achava e não apenas tentou ser um "TROLL" se graça.

Quanto ao seu comentário: quer dizer que o certo é arregar e não lançar um filme por medo dos ataques? Tu sinceramente não acha que abre uma brecha pra outros terroristas falarem "Faremos um novo “11 de setembro" para conseguirem o que querem?


Enfim... :)
Emmanuel Carvalho
Vamos seguir sua lógica, Mateus.
O filme vai ao ar / Acontecem ataques terroristas (e estamos falando de uma nação, não de um grupo terrorista com milhares, mas com MILHÕES de membros.) / EUA revidam numa nova "Guerra ao Terror", como aconteceu na caçada a Saddam Hussein e Bin Laden. / Centenas de mortos, economia afetada e EUA saem "vitoriosos", defendendo a supremacia de seu povo.



Resumo: todos saem perdendo. A vida real é bem diferente dos filmes da Marvel onde é legal assistir pessoas morrendo.


Continuo com meu #facepalm. =)
Mateus Vicente
Interpreta todo o contexto e assunto antes de comentar algo...
Emmanuel Carvalho
"Não faz sentido cancelar a estréia de um filme por medo de ameaças terroristas."



#facepalm
Eric Cerqueira de Oliveira
Se eu fosse a sony vazava o filme na internet mesmo assim, o filme ta com tanto burburinho que vai fazer um puta sucesso.
Eric Cerqueira de Oliveira
Seria genial se no final tudo fosse uma jogada de marketing. haha
Alisson Santos
Sou contra esse negócio de "se render a hackers" porque isso vai abrir muitos precedentes. É igual a negociar com terroristas. Eles perceberão que têm o poder.
Alisson Silva
Sou contra esse negócio de "se render a hackers" porque isso vai abrir muitos precedentes. É igual a negociar com terroristas. Eles perceberão que têm o poder.
Cristiano Cruz
Guerra nuclear mundial? não... longe disso a Coreia não tem aliados, predispostos a sofrer sanções econômicas em escala global :P, da uma olhada na crise da Russia, nem a China que é o principal aliado daria o braço a torcer.
Raul Nascimento
não mord.... BOOOOOOOOOM (bomba nuclear :D)
Thiago
Playstation Network feelings... Mas é o que disseram... Se esses hackers utilizassem o modus operandi para tentar invadir qualquer outra empresa, o fariam com sucesso... As empresas ainda vêem tecnologia como despesa e tentam ao máximo economizar nessa área
prerdo
SIM! QUE MERDA. Não podem "deixar os Coreanos em paz"?
Kessler
Qualquer empresa não; a Sony, que já se provou incompetente em manter seus dados seguros diversas vezes.
Thiago
Invadir não... enviar espiões disfarçados para fazer uma limpa silenciosa no regime, aí sim!
Thiago
Claro! Qualquer grupo de idiotas consegue tranquilamente invadir qualquer empresa, roubar seus dados e limpar seus rastros!


Cara... já há anos estão atrás desse grupo e não conseguem derrubá-lo... os caras não estão pra brincadeira (virtual)... Se chegariam às vias de fato na vida real, aí é outra história.


Ps.: Eu também não concordo com a posição da Sony... Mas eles devem ter boas razões (emails comprometedores que lhes foi jogado na cara) para cancelar a estréia...
Lucio717
Sim, só você. As implicações disso seriam só uma guerra nuclear mundial, só isso
Lucio717
Que comece a terceira guerra mundial
Mateus Vicente
"Este ano James franco e Seth Rogen tentarão assasinar Kim Jong-Un". Começa com isso o trailer. Não é só uma crítica cara, é bem mais agressivo do que isso.
Lucas Herrera
Isso é muito conveniente pra Coréia do Norte, sempre foi isso que ela quis.
Lucas Herrera
Mas se as redes de cinema não iam querer transmitir o filme, o que a Sony ia fazer?
Tiago Holsi
Pelo que vi nos trailers, o filme é uma crítica a maneira que os norteamericanos pensam da Coreia do Norte do que a uma crítica à própria Coreia do Norte.
Maom
Sony burra... Não aprendeu nada com os filmes. Tem que deixar claro que a "Sony não negocia com terroristas!".
Cristiano Cruz
só eu quero que os EUA invadam a melhor korea? https://www.youtube.com/watch?v=ufhKWfPSQOw
Kessler
Com certeza, mas foi a Sony que desistiu do filme. Não deveriam, agora qualquer grupo de idiotas que não gosta de um filme já sabe o que fazer.
Mateus Vicente
Ao envolver uma entidade terrorista, o governo entrou a tempos na jogada e até mesmo deu as coordenadas para a SONY seguir. Eles já devem estar acompanhando a situação a tempos... Você não pode dar o que um terrorista quer ou vão aparecer outros 50 adotando atitudes extremas para conseguir o que querem. Taí o motivo de, também, não negociar com terroristas.


Mudando de um pouco do foco... que idéia bosta né, fazer um filme com esse tema é jogar merda* no ventilador.
Jefferson Daniel
Quer dizer que finalmente os EUA tem um motivo para atacar a Coréia do Norte? que conveniente.
Paulo Carinhena
Eles tinham que arregar mesmo. Depois da lambada nas costas que tomaram (de novo) pela segurança.. se acha que eles tem auto-estima para bater de frente com alguém? rs
Kessler
É verdade. Mas acho difícil que estivesse nos planos de qualquer estúdio lançar mais filmes sobre a Coreia do Norte.
Luiz
Pode até ser. Uma galera vai assistir, baixando via torrent quando vazar. Mas a Sony não terá lucro algum, uma vez que cancelou o lançamento no cinema. Levar prejuízo é mais do que motivo suficiente para eles desistirem de fazer filmes do tipo, justamente o que os caras querem.
Luiz Ricardo Silveira
Pode até ser. Uma galera vai assistir, baixando via torrent quando vazar. Mas a Sony não terá lucro algum, uma vez que cancelou o lançamento no cinema. Levar prejuízo é mais do que motivo suficiente para eles desistirem de fazer filmes do tipo, justamente o que os caras querem.
Ígor Moreira
Pode-se dizer que isso é uma recuada estratégica, porque pode ter certeza, quando o EUA descobrir quem foi ele vai mandar umas bombas lá. hahahahahahha
Kessler
Não foi o governo dos EUA que cancelou o filme, foi uma empresa privada. Eu também gostaria que exibissem esse filme em todos os cinemas, só para esfregar na cara desses palhaços, mas se os cinemas não querem, não há muito o que fazer.
Kessler
O conceito de Streisand effect ainda não chegou na Coreia do Norte? Agora, de um jeito ou outro, todo mundo vai assistir esse filme, que provavelmente teria uma bilheteria pífia.
Mateus Vicente
Não faz sentido cancelar a estréia de um filme por medo de ameaças terroristas. Quer dizer que é só ameaçar que abrem as pernas? Acho que eles fizeram errado... é obrigação dos EUA proteger seu povo contra isso e arregar não é a solução.
Daniel Lucena
Cão que ladra....
Kessler
Os cinemas estavam com medo de exibir os filmes. A Sony não tinha muito o que fazer.
Mateus Vicente
Arregaram... isto mostra fraqueza e medo.
Alex Oliveira
Maior falácia da história o argumento desses caras.