Janeiro é o mês da CES. A edição 2015 começou nesta segunda-feira (5) trazendo entre os seus primeiros anúncios o Nvidia Tegra X1. Com CPU octa-core de 64 bits e GPU de 256 núcleos, a novidade consegue ter até o dobro da performance do Tegra K1 e é, de acordo com a fabricante, o primeiro chip para dispositivos móveis com poder de processamento superior a 1 teraflop (um trilhão de operações de ponto flutuante por segundo).

Tegra X1

Para poupar energia, o Tegra X1 possui quatro núcleos Cortex-A53 com 512 KB de cache L2 e quatro Cortex-A57 com 2 MB de cache. Os primeiros cuidam das tarefas menos exigentes. Os demais, do processamento pesado. Se necessário, os oito núcleos podem trabalhar ao mesmo tempo.

O processo de fabricação de 20 nanômetros também ajuda a reduzir o consumo de energia. Na prática, o Tegra X1 consegue trabalhar com apenas 10 watts de potência. A Nvidia o comparou com o supercomputador ASCI Red, tido como o mais rápido do mundo em 2000: a máquina ultrapassou a barreira dos teraflops exigindo 500.000 watts e ocupando um espaço de quase 150 metros quadrados – o Tegra X1 tem o tamanho de uma unha.

Tegra X1

Na parte gráfica, o novo chip da Nvidia se destaca pela adoção da arquitetura Maxwell, a mesma que configura a poderosa GPU GTX 980, por exemplo. Combinando esta característica com os 256 núcleos CUDA (64 a mais que no Tegra K1), o X1 consegue se aproximar ainda mais do potencial gráfico disponível em PCs.

Durante a apresentação feita na CES, o chip rodou a demo de Elemental (baseada no Unreal Engine 4) de maneira excepcional – ainda que não perfeita – para um componente tão compacto.

Não é nenhuma surpresa, portanto, que o Tegra X1 possa lidar com vídeos em resolução 4K e 60 quadros por segundo a partir dos padrões H.264, H.265 e VP9. Há também compatibilidade com DirectX 12, OpenGL 4.5 e OpenGL ES 3.1.

Drive CX e Drive PX

A Nvidia não preparou o Tegra X1 para equipar apenas dispositivos móveis. Com a plataforma Drive CX, o chip pode controlar mais de uma tela dentro de um carro (a princípio, três por módulo). Assim, é possível ter um painel avançado para o motorista e telas para entretenimento (jogos, vídeos, acesso à internet, entre outros) dos passageiros, por exemplo.

Tegra X1 - Drive CX

O Drive PX tem uma proposta ainda mais ousada. Usando dois chips X1, a plataforma controla até 12 câmeras de alta resolução para ser uma espécie de “copiloto”. Com as imagens, um sistema baseado em redes neurais analisa o que acontece ao redor para ajudar o motorista a desviar de obstáculos, estacionar o veículo, ficar dentro da velocidade máxima da via, ajustar automaticamente os faróis e assim por diante.

Tegra X1 - Drive PX

Tegra X1 - Drive PX

Apesar de já serem funcionais, o Drive CX e o Drive PX dependem do interesse de montadoras. Na CES, a Nvidia destacou apenas a Audi como parceira no projeto, mas nenhuma das partes revelou quando a tecnologia estará no mercado.

Quanto ao segmento móvel, a expectativa é a de que os primeiros dispositivos baseados no Tegra X1 sejam lançados até o final do primeiro semestre.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Douglas Teles
Não deva usar o L3 porque o da Apple é dual core e consome menos ou mais devido a isso, e o NVidia é um octa que se viesse a utilizar um L3 sairia da boa arquitetura de consumo que ela projetou.
Lucas
Mais potente que a GPU do meu PC...shauhsuahsuahsyhaa
Felipe Teodoro
"Drive CX e Drive PX" Elon Musk curtiu isso, a tesla motors ja usa os chips da nvidia para o sistema do Model S, especialmente aquele aquele painel do carro.
Antonio Fonseca
OK, mas produtos com ele ainda não existem. Melhor aguardar até chegar ao mercado para tecer comentários e aplicar benchmarks.
Panino, o Moço

A CPU Denver parece ser uma gambiarra da Nvidia, então ao invés de arriscar no novo processo de litografia decidiram deixar para depois e melhorar e usar o projeto mais conhecido da ARM com o big.LITTLE. Até que foi uma boa escolha, pelo que andei lendo a Nvidia só pegou o projeto básico, mas o restante, a implementação em si, é própria dele e parece haver grande melhorias no consumo de energia.
Eu só fico pensando é, quando é que alguém além da Apple vai usar Cache Nível 3? Sério, a CPU 64bits da Apple é tão rápida em grande parte devido a isso, o chip tem 4MB de L3! Queria ver como seria a competição nessa área com outros processadores usando essa memória.

E pelo visto a Nvidia vai brigar sozinha no setor automobilístico. Cadê a AMD para investir em mercados?! A nova arquitetura do Jim Keller pode ser o tiro final da AMD.

Toga
A CPU Denver parece ser uma gambiarra da Nvidia, então ao invés de arriscar no novo processo de litografia decidiram deixar para depois e melhorar e usar o projeto mais conhecido da ARM com o big.LITTLE. Até que foi uma boa escolha, pelo que andei lendo a Nvidia só pegou o projeto básico, mas o restante, a implementação em si, é própria dele e parece haver grande melhorias no consumo de energia. Eu só fico pensando é, quando é que alguém além da Apple vai usar Cache Nível 3? Sério, a CPU 64bits da Apple é tão rápida em grande parte devido a isso, o chip tem 4MB de L3! Queria ver como seria a competição nessa área com outros processadores usando essa memória. E pelo visto a Nvidia vai brigar sozinha no setor automobilístico. Cadê a AMD para investir em mercados?! A nova arquitetura do Jim Keller pode ser o tiro final da AMD.
Welington Souza
Muito legal!