Início » Mobile » Tudo o que você precisa saber sobre o Snapdragon 810

Tudo o que você precisa saber sobre o Snapdragon 810

Por
2 anos e meio atrás

Direto de San Diego, EUA — A Qualcomm anunciou os detalhes do Snapdragon 810, novo processador ARM de 64 bits que equipará pelo menos 60 smartphones e tablets de alto desempenho a serem lançados em 2015. Com oito núcleos de processamento e GPU mais rápida, o foco do novo chip para dispositivos móveis está no consumo (e produção!) de conteúdo em resolução 4K.

lg-g-flex-2-lateral

Mas o que ele tem de novo?

O primeiro smartphone com Snapdragon 810 foi anunciado em janeiro, durante a CES: é o G Flex 2, segunda geração do aparelho de tela curva da LG. Ele traz o MSM8994, uma CPU octa-core que funciona no esquema big.LITTLE: são quatro núcleos Cortex-A53 de 1,5 GHz de baixo consumo de energia e outros quatro Cortex-A57 de 2,0 GHz de alto desempenho, que são ligados apenas quando necessário.

O big.LITTLE, pelo visto, é algo que veio para ficar, pelo menos nos processadores ARM mais potentes. Depois da MediaTek e da Samsung, a Qualcomm era uma das poucas grandes empresas que ainda não apostava nesse formato. No caso do Snapdragon 810, todos os oito núcleos podem ficar ativos ao mesmo tempo, então estamos falando de uma CPU verdadeiramente octa-core, diferente dos primeiros chips que vimos com essa tecnologia.

Certo, e a temperatura?

Mas o fato do processador ter oito núcleos ligados ao mesmo tempo não vai impactar na temperatura? E aqueles supostos relatos de superaquecimento do Snapdragon 810, que teriam até atrasado lançamentos de smartphones? Bom, a Qualcomm demonstrou em gráficos que, nas mesmas condições de uso, o novo chip chega a ser até um pouco mais frio que o Snapdragon 800.

Para não incomodar o usuário, o objetivo é não deixar que a temperatura da superfície do smartphone ultrapasse os 45ºC quando você estiver fazendo algo que demande muito processamento — rodando algum jogo pesado ou filmando em 4K, por exemplo. Caso a temperatura fique mais alta que isso, o processador diminui sua frequência para tentar um esfriamento forçado, o que não é ideal porque, claro, prejudica o desempenho.

Com o Snapdragon 800, ao executar Asphalt 8 a 30 fps, a temperatura da superfície do aparelho chegava perto dos perigosos 45ºC após 20 minutos de jogo. Já com o Snapdragon 810, no mesmo período, o smartphone chega a 40ºC. Mesmo depois desse tempo, a temperatura se mantém relativamente estável. A diferença é ainda maior ao filmar em 4K, então você não deverá ter problemas de superaquecimento enquanto estiver gravando um vídeo.

snapdragon-810-temperatura-1snapdragon-810-temperatura-2

Pixels, muitos pixels

Durante as demonstrações, os executivos da Qualcomm não se cansaram de citar o termo 4K. O Snapdragon 810 traz uma série de mudanças que possibilitam a adoção dessa resolução numa escala maior.

Por exemplo, o Snapdragon 810 consegue decodificar vídeos em H.265 (HEVC) por hardware. Esse formato de compressão é essencial para a popularização do 4K, já que oferece a mesma qualidade de imagem do atual H.264 usando 35,4% menos bytes. Nossas conexões ainda têm problemas até mesmo para fazer streaming de vídeos em 1080p, então qualquer economia de banda é importante.

O modem do Snapdragon 810 atinge velocidades de download de até 450 Mb/s no LTE-A (Cat 9), o que é bem mais que o suficiente para assistir vídeos em 4K por streaming enquanto você estiver na rua. Em relação ao modem LTE-A Cat 4 (até 150 Mb/s), o ganho é de 3x no download e 2x no upload, mas talvez o ponto mais importante seja a redução no consumo de energia: 40%.

mu-mimo-d-link

Ainda falando de conexões, o Wi-Fi também recebeu upgrade: agora, ele se conecta a redes 802.11ad, que operam em 60 GHz e alcançam até 5 Gb/s. O Snapdragon 810 suporta MU-MIMO, que está chegando com a nova geração de roteadores, como esse D-Link DIR-895L, ao lado.

Na prática, funciona assim: hoje, se você tiver um roteador 802.11ac de 1,3 Gb/s e compartilhar o Wi-Fi entre três dispositivos, eles receberão algo perto de 300 Mb/s simultaneamente, no máximo. Com MU-MIMO, cada um poderá alcançar velocidades de download próximas aos 1,3 Gb/s.

O processador gráfico também foi atualizado para suportar resoluções maiores. A GPU Adreno 430 promete desempenho 30% maior que a geração anterior e uma redução de 20% no consumo de energia. Isso significa que ela será capaz de rodar jogos pesados em telas 4K de dispositivos móveis — até agora, nenhuma fabricante lançou um tablet com resolução de tela tão alta em larga escala, mas isso não deve demorar a acontecer.

O desempenho na prática

snapdragon-810-logo

Como os smartphones e tablets com Snapdragon 810 ainda não estão sendo vendidos no mercado, testei o desempenho do processador em um tablet de referência da Qualcomm — é um trambolhinho com tela de 10 polegadas, resolução de 3840×2140 pixels (!), Android 5.0.2, 4 GB de RAM e CPU MSM8994 (a bateria do tablet é minúscula; você não iria querer um desses para usar no dia a dia). Os resultados foram satisfatórios, dentro do esperado.

No Geekbench 3, que mede o desempenho bruto do processador, o Snapdragon 810 chegou a 1314 pontos no teste single-core e 4891 no multi-core. Em relação ao Snapdragon 805, o aumento de desempenho com os oito núcleos ativados foi de impressionantes 70%. No entanto, quando comparado com o Apple A8X (iPad Air 2), que é apenas um triple-core de 1,5 GHz, sinto um pouco de decepção.

De qualquer forma, não é como se a Qualcomm precisasse competir diretamente com a Apple no mercado de processadores para dispositivos móveis — cada fabricante foca em plataformas diferentes, afinal. E, em relação ao Snapdragon 805, o ganho foi bastante considerável.

Já com relação ao processamento gráfico, não há o que reclamar da Adreno 430. Mesmo em um tablet com resolução de 3840×2160 pixels, os números ficaram no mesmo nível de aparelhos topo de linha com resolução de 2560×1440 pixels ou 1920×1080 pixels. O Snapdragon 810 está preparado para enfrentar a nova leva de jogos, aplicativos e dispositivos 4K.

Nos benchmarks sintéticos conhecidos do Android, o Snapdragon 810 também foi muito bem, com enorme destaque para o Quadrant.

Quando chega?

Até agora, dois smartphones foram anunciados com Snapdragon 810: LG G Flex 2 e Xiaomi Mi Note Pro. O primeiro não tem previsão de lançamento no Brasil; o segundo é de uma fabricante que ainda não vende aparelhos no país — o primeiro smartphone da Xiaomi no mercado brasileiro deverá ser o Redmi Note 4G, que já foi homologado pela Anatel.

Outras fabricantes revelaram oficialmente que vão lançar dispositivos com o novo chip. A Motorola afirma que o chip “ampliará ainda mais os limites“ de seus produtos; a Sony declara que lançará novos Xperia com Snapdragon 810 até o final do ano; e a Microsoft também confirmou que terá novos Lumias com o processador todo-poderoso da Qualcomm.

Paulo Higa viajou para San Diego a convite da Qualcomm.

  • Felipe Ferreira

    Adreno? Que decepção, um Tegra seria o ideal, já que estamos falando de alto desempenho. Mas foi interessante aquele A8X conseguir chegar bem perto com metade do processamento bruto, é a Apple mandando abraços.

    • Improvável a Qualcomm colocar alguma coisa da Nvidia nos Snapdragon.

      • Lídison Santos

        Até porque ela tem até uma arquitetura decente com a Adreno, derivada da antiga ATI.

        • Toga

          Sabe por que a AMD não entrou para competir nesse ramo mobile?
          Porque quando vendeu a Adreno para a Qualcomm assinaram um contato PROIBINDO a AMD de entrar naquele mercado e competir com ela.
          AMD passou por uma fase muito ruim de péssimos gerentes e sofre até hoje.

          • Lídison Santos

            É Toga? Não sabia desta cláusula restritiva. Acho que foi uma fase negra. Em fim, acho que agora finalmente está pegando o ritmo.

      • Sendo bem sincero eu ainda acho que a Imagination Technologies com as suas PowerVR se sai melhor que as GPUs adreno. Os chips da Intel e os da Apple conseguem um desempenho muito próximo com muito menos.

        • Lídison Santos

          Sim. Admiro muito as PowerVR. Mais que as Adreno, Malli, Broadcom, etc. O problema é que geralmente quando colocam uma em plataforma Android, é defasada. Um exemplo é a PowerVR do Atom que equipa o Zenfone 5/6, suporta somente openGL 2.0. a mesma coisa do meu saudoso Razr i. Uma CPu potente, mas com uma GPu relativamente fraca e arcaica PowerVR SGX 540. É a mesmíssima placa do Galaxy Nexus, de um ano antes. O Aparelho voava, mas para certos jogos uma negação, por causa da placa gargalo. Embora tenho que dar os parabéns para a Qcom, pois está se esforçando com a Adreno. quem não se lembra da fraquíssima 200, que ficou se arrastando em vários Smartfones da vida?! Já a Apple procura colocar a mais nova e mais potente vigente PowerVR em seus aparelhos.

  • Alex Oliveira

    “Paulo Higa viajou para San Diego a convite da Qualcomm.”

    A Qualcomm nunca me convidou 🙁

    • Nem eu!

      #Chateado

    • EU sempre quis saber se esse “convite” inclui as despesas da viagem, como por exemplo a passagem aérea.

      • Lídison Santos

        Eu também, por que só um papel de convite não seria nada atraente. kkkk

  • Toga

    Sempre me pareceu uma decepção esse SoC.
    Qualcomm está a mais de 3 anos reciclando a mesma arquitetura, desdenhou do 64bits, viu que iria se lascar e veio com essa solução provisória de pegar o genérico da ARM, requentar a Adreno e sabe-se lá quando virá com uma nova arquitetura. Agora vai perdendo terreno. Cada vez mais se usa Mediatek nos aparelhos de baixo custo, chineses estão fazendo seus próprios SoCs, Samsung parece que vai voltar a se aventurar com SoC próprio…

    A53 não é grandes coisas e consome o dobro de energia do A7, não é um “bom” LITTLE, e o A57 é uma CPU de alto desempenho ultrapassada também não sendo um “bom” big.

    Claro, IMHO, mas que não estou impressionado não estou nem um pouco.
    E Viva Pikmin!

    • Lídison Santos

      Compartilho da mesma teoria. Por mais que o 64 bits não seja tão vantajoso agora, poderia e pode ser muito bem esperado. Mas foi só a maçã fazer o marketing que tudo muda de história. Não teve tempo nem de refinar a arquitetura. Quando sair um krait da vida, aí sim pode-se dizer que veio pra competir.

    • Seymour

      Pois é, eu fiquei ainda mais impressionado com a MediaTek na CES desse ano.

      https://www.youtube.com/watch?v=rQGOxiJm4C8

      E ainda estou esperando essa belezinha.

      https://www.youtube.com/watch?v=-j0gCXjHuKQ

    • Ailton Pires Guimarães

      A qualcom ta se achando , por isso a falta de concorrência é ruim,tomara que a mediatek deslanche e bata de Frente com eles ,se vcs analisarem a linha LG recente .
      L20,L30,L40,L50 todos usam o chip mediatek.
      Basta agora a mediatek ser mais maleável com a liberação de drivers para seus chips.

  • “O modem do Snapdragon 810 atinge velocidades de download de até 450 Mb/s no LTE-A (Cat 9), o que é bem mais que o suficiente para assistir vídeos em 4K por streaming enquanto você estiver na rua.”

    Pausa para rir um pouco (espero que entendam a ironia).

    • Na Coreia do Sul é possível. ¯_(ツ)_/¯

      • Ah sim, mas, a ironia é faze-lo aqui, um dia no Brasil! rs

        • Lídison Santos

          Acho que nem a velha conexão CSD, aqui no Brasil, consegue chegar no pico kkk.

          • Alguém que só fala a verdade

            Juro que até hoje não consegui entender essa TARA de vocês por altas velocidades na rede 4G. O que adianta ter uma velocidade brutal se a quantidade de dados trafegados é limitada pela operadora e, quando é extrapolada, a conexão é interrompida ou a velocidade é reduzida ao ponto de tornar impraticável a navegação?

          • Lídison Santos

            É todo um conjunto da obra. Não se tem velocidade e nem franquia decentes, por preços competitivos.

          • Eu preferiria muito mais tem uma franquia de 20GB por um preço decente e uma velocidade razoavél no 3G do que ter uma hiper velocidade no 4G com uma franquia minúscula (menos que 4 GB) por um preço exorbitante, que é o que ocorre no nosso país atualmente.

          • Ailton Pires Guimarães

            Concordo plenamente temos a pior internet do mundo e mais cara.

        • Rodrigo

          Há boatos que em Setembro de 2063 seja possível.

      • Luiz Eduardo de Assis

        no pre-pago a empresa Claro me dá 15mb de dados moveis uso diario por 0,99 centavos, quantos seg de video 4k eu posso ver na rua? quantos pacotes adicionais iguais a este eu tenho que contratar para conseguir ve um filme e quantos reais isso vai me custar?

    • Ailton Pires Guimarães

      Putz, é pra dar risada mesmo,o Brasil pobre não tem nem 3g direito ,4g com uma pobreza.
      Kkkkkkkk

      • Luiz Eduardo de Assis

        verdade, quando a 4g chegou ao brasil nem comemorei, eles nem liberavam o desemprenho maximo do 3g para celulares pre-pagos para que não sobrecarregassem a conexão

  • Alberto Prado

    Trocaria todos esse números bombados por mais refinamento da arquitetura para um consumo menor de energia. Imagina, um aparelho igual ao Moto X de primeira geração, com uma tela HD ou talvez FullHD, com uma Wifi AC que consuma bem pouco energia, modem idem, drivers que aproveitem melhor o potencial do proc., algum refinamento no OS… A bateria poderia chegar a 2 dias sem que ele precise ser um Moto Maxx da vida. Sonho meu…

  • Lucas Moretto

    Na minha opinião, a comparação do Snapdragon 805 vs 810 não foi justa, uma vez que o tablet está rodando o android 5.0.2 e o moto maxx ainda roda o 4.4.4. Acredito que se todos os testes fossem feitos com o nexus 6 como aconteceu no 3D MARK ICE STORM UNLIMITED, os resultados não seriam iguais, claro, mais a diferença poderia ser menor…

  • Sam86

    Lumia 940 *.* Vem pra mim seu lindo!

  • Melk

    Quanto custa o 810 ?

  • 16_bits

    quando foi comparado o processador da apple com o snapdragon, vcs tiraram o processador e colocaram ele em um android né? kkkkkkk claro q n, o IOS é muito mais leve por isso o apple foi tao bem, se o snapdragon fosse colocado no IOS passaria de 10.000 no geek facilmente