Início » Brasil » Como picuinhas políticas estão atrapalhando o desenvolvimento de startups

Como picuinhas políticas estão atrapalhando o desenvolvimento de startups

Por
2 anos e meio atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Quando os membros do SEED, aceleradora de startups sediada em Belo Horizonte, chegaram ao local de trabalho na última segunda-feira (30), tiveram uma baita surpresa. E não foi das boas:

Desculpe, estamos fechados (Foto: Christophe Chavey)

Desculpe, estamos fechados (Foto: Christophe Chavey)

Seria ótimo se fosse apenas uma brincadeira de primeiro de abril antecipada. Não era.

A SEED (Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development) é um programa de aceleração de ideias e está localizado no San Pedro Valley, em Belo Horizonte. Feita para “pessoas com brilho nos olhos, que sonham alto e querem fazer acontecer”, como consta no site oficial, o programa foi criado em 2013 pelo então governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB).

O programa era internacionalmente reconhecido como uma das mais importantes iniciativas de desenvolvimento do empreendedorismo no Brasil, sendo responsável por fomentar as ideias de 73 companhias de 12 países, que juntas faturavam R$ 23 milhões, gerando 145 empregos.

Entre os benefícios do programa estavam 40 mil dólares por equipe, um escritório compartilhado incrível, treinamentos, workshops, rede de empreendedores, parceiros, investidores… soa maravilhoso, não? E realmente era. Era.

seed

O programa começou a ser reavaliado no início de 2015, quando Fernando Pimentel (PT) tomou posse como governador. A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) – para a qual o SEED foi subordinado neste ano – negou que o programa estaria em risco e que a reavaliação fazia parte de um amplo processo feito pelo governo para avaliar as iniciativas e políticas públicas criadas pelo último governo.

Apesar disso, diversos empreendedores foram surpreendidos com um recado no Facebook dado por uma ex-gestora: “Caros empreendedores, venho informar a todos que, infelizmente, a partir de amanhã o escritório compartilhado do SEED estará fechado. Sinto muito por avisá-los em cima da hora, mas ficamos esperando definições que até o presente momento não chegaram.” Segundo nota do governo, um “fechamento temporário”, mas sem garantias de que o programa irá retornar.

Yuri Gitahy, fundador da Aceleradora e ex-membro do conselho que participou da criação do SEED, publicou alguns tweets que dizem muito sobre o descaso pelo qual o programa foi submetido. Ele afirma que se demitiu do cargo de conselho depois de não ser consultado sobre nenhuma recente decisão do programa. Mas que… bem, não havia a quem informar sua decisão:

O Estadão menciona que pode haver uma disputa pelo controle do programa entre Miguel Corrêa (PT), Secretário de Ciências e Tecnologia de Minas Gerais, e Altamir Rôso (PMDB), Secretário de Desenvolvimento. A informação foi negada.

Mas o que importa é: no presente momento, startups estão sem seus escritórios. Imagine chegar ao seu local de trabalho, aonde diariamente você se esforça para que suas ideias e sonhos aconteçam, e ele simplesmente está fechado. Desesperador. No entanto, como menciona Leandro Faria, o San Pedro Valley continua forte e ativo em Belo Horizonte. E melhor: sem depender do suporte do governo.

Capa da página do SEED no Facebook: ''O valor de uma ideia reside na sua utilização.'' (Thomas Edison)

Capa da página do SEED no Facebook: ”O valor de uma ideia reside na sua utilização.” (Thomas Edison)

E que aquele “brilho nos olhos” que a descrição oficial do SEED menciona retorne logo aos olhos de quem o encontrou fechado. Boas ideias são muito mais fortes que o descaso e picuinhas governamentais. Façamos elas acontecerem.

  • Anakin

    Políticos fazendo o que eles sabem fazer de melhor…

  • Parabéns ao PT, conseguiu matar no berço mais uma boa iniciativa… rs

    • Louis

      PT sendo PT. Só que o pior disso não é o PT, mas quem depois de 12 anos de desgoverno vota em gente desse tipo.

  • Junior

    O PT vai acabar com MG!

    • Sandir Leonardo

      O PT vai acabar com o BRASIL.

      • Pedro

        O PT vai acabar com a GALÁXIA!

        • Juan Lourenço

          O PT vai acabar com o UNIVERSO!

          • Pedro

            O PT vai acabar com todos os multiversos possíveis, com o tempo-espaço contínuo, com toda a existência e também a não-existência. O PT vai obliterar completamente tudo que existe, existiu ou existirá, e até mesmo tudo aquilo que nunca existiu ou nunca poderia existir. O PT é o anti-cristo e o cristo ao mesmo tempo, ao contrário e de cabeça pra baixo.

          • Callazzans

            Os políticos vão acabar com o Brasil, PT, PMDB, PSDB, PSB, DEM, não importa a sigla.

          • Sandir Leonardo

            Concordo!

        • Gabs

          O PT vai acabar com o MOTO G!!!

    • Ney Prestes

      O PT é o FIM! Parabéns para MG que elegeu Pimentel e Dilma.

      • F. S.

        Se preferiram o PT, é sinal de que tava muito bom com o PSDB (cof cof).

        • Post único

          Pimentel ganhou com uma vantagem minúscula e do jeito que o desgoverno dele está sendo, não será reeleito nem com pacto.

          Ah, e ele só ganhou pq o candidato do PSDB era um who qualquer que ninguém conhecia direito, ainda assim quase venceu.

    • Petrus Augusto

      Leu a notícia? Ou, assim como o povão estúpido, atrela tudo a um (legítimo) culpado e esquecer do resto (que é tão danoso quanto)!?

      • Soares Silva

        Sim! Funcionava planamente no anos passado (PSDB) e nesse ano pelo atual governador ( PT ) foi fechado. Alias o atual governador ( PT ) impos até o fim da escola integral, que era uma das conquistas de MG. http://transparenciapolitica.org/fernando-pimentel-poe-fim-ao-escola-em-tempo-integral-em-minas-gerais/

        • Petrus Augusto

          o gov. do PT é uma desgraça mesmo… sem dúvida, mas, não foi bem isso que comentei..

          E sim, que, pelo que afirma no texto, o próprio é culpa de dois partidos, esquecer de um (que é ruim como um todo, a historia tá ai para provar) e ataca o outro (que consegue ser pior, isso que é uma façanha), não me parece muito coerente.

          O Estadão menciona que pode haver uma disputa pelo controle do programa entre Miguel Corrêa (PT), Secretário de Ciências e Tecnologia de Minas Gerais, e Altamir Rôso (PMDB), Secretário de Desenvolvimento. A informação foi negada.

          Claro que eles vão negar, já visse algum politico nesse pais assumir as merdas que fazem enquanto podem negar? (exemplos?: Lula, Dilma, Collor, Alckimin, E. Campos, Paulo C,… quer mais ou tá bom?)

        • Petrus Augusto

          E sobre o ‘escola integral’
          Que apostar que, depois de um tempinho, vai aparecer um programa igualzinho mas com outro nome?

          E claro, que ele vai dizer que é melhor, etc, etc…
          Esse é o modus-operandi da politica nojenta que temos no Brasil.

  • Leandro Ruel

    já se sabe porque o país não vai pra frente né…

  • Guilherme C.

    Na nota diz: “O Governo do Estado de Minas Gerais reafirma que o SEED (Desenvolvimento do Ecossistema de Empreendedorismo e Startups, em português) não corre qualquer risco de ser descontinuado” e “Trata-se, no entanto, de situação temporária”.
    O que parece é que o que falta é apenas a aprovação do orçamento pela assembleia legislativa, pra que a mudança de endereço ocorra. Mas temos que esperar pra ver.

    De qualquer forma, tá na hora da iniciativa privada andar com as próprias pernas e parar de depender de incentivos de governos. Tecnologia dá muito dinheiro (o setor cresce apesar da crise e o MG não é diferente) e não existe motivo pros próprios empresários do setor não investirem. Ficar querendo que o Estado faça alguma é querer que o setor morra, principalmente no Brasil onde é comum esse tipo de coisa (PT faz isso em MG, PSDB já fez isso com programa do PT no PR e por aí vai).

    • Qaiq Alves

      “Não corre risco de ser descontinuado” exonerando toda a equipe gestora do programa, que por sinal era extremamente competente, avisando um dia antes para os empreendedores irem buscar suas coisas e etc? Para, né?!

      “De qualquer forma”, caso você não tenha percebido o programa é justamente para empresas que ainda não andam com as próprias pernas e tal programa gera empregos, renda, atrai investimentos para o estado, e principalmente pra BH, e tem sim retorno positivo (ano passado foi gasto R$9.5 milhões, menos do que um só deputado gasta, com R$23 milhões de retorno, milhares de estudantes beneficiados – vide Beved, uma das startups) e centenas de outros pontos. Esse argumento de “PT faz aqui o que PSDB faz acolá” é tão ignorante como a visão do atual governo. Um erro não justifica o outro. É picuinha, visão pequena e egoísta!

      Ações como essa é que fazem com que o setor morra, cara.

      • Guilherme C.

        Vc entendeu errado o que eu disse.

        Sim, isso tudo é um problema. Não falei o contrário. Falei que eles afirmaram uma coisa, que nada vai acabar, mas é preciso esperar pra ver e não acreditar somente em palavras. Portanto, é esperar pra ver.

        Depois, associações, federações, não server somente pra grandes empresas. Esse tipo de reunião do setor serve justamente pra beneficiar o setor como um todo, ajudar inclusive os iniciantes, principalmente com crédito facilitado (até na agricultura se faz cooperativa de crédito). Se faz isso em todo mundo justamente pra não depender do Estado e dos humores da política.

        Depois, ainda, jamais usei esse argumento de um “o outro também fez”. Falei disso justamente pq esclarecer como a política nacional caminha. Só isso já é motivo suficiente pra empresas amadurecerem e tentarem andar com as próprias pernas e não ficar dependentes de políticas governamentais e partidárias. O setor é um dos que mais lucram no país, ou seja, tem recursos financeiros, tem recursos logísticos e gente capacitada pra criar condições pra independência do Estado.

      • Audrey Gouveia

        Comparar o gasto de um deputado é o suprassumo da ignorância. Não confunda executivo com legislativo. Esperneie, fique revoltado, mas falar bobagem não dá. Outra coisa, ninguém está desvalorizando a equipe do Escritório de Prioridades Estratégicas. Era uma boa equipe, mas uma cara equipe, de nível de iniciativa privada. O estado está quebrado, cidadão, não dá para fazer graça com o dinheiro do povo, quando Educação e Saúde, prioridades absolutas, ficam com seu orçamento comprometido. É legal que continue, mas não é prioridade. Infelizmente.

        • Audrey Gouveia

          Quer dizer, era prioridade estratégica para o antigo governador, que conseguiu o que queria, virou senador e foi embora e deixou a barca aí.

    • Cristiano Costa

      Orçamento já foi aprovado pela ALMG. Isso não é desculpa mais para nada.

      • Pedro

        Foi aprovado mas ainda não foi publicado. Existe uma diferença importante aí. Isso não exime nossos representantes, porém: o orçamento deveria ter sido aprovado até 31/12/2014.

        • Cristiano Costa

          Já passou pelo comissão de redação e foi enviado ao Governador para sanção. Já tá na mão do executivo.

          De qualquer forma, o ponto é que orçamento não é desculpa para o que aconteceu. Mesmo que o projeto seja reiniciado futuramente, o que está acontecendo é no mínimo uma tremenda falta de respeito.

          • Pedro

            Estar na mão do Governador não quer dizer que está vigente. Vigência: a partir da data de sua publicação.

            Não se gasta nada fora do essencial, sem orçamento. Na sua falta, é utilizada mensalmente uma fração de 1/18 do orçamento passado (1/12 da receita corrente líquida), o que geralmente é suficiente apenas para manutenção da estrutura e pagamento dos servidores concursados – inclusive, não é o caso da SEED (e não quero dizer nada além do que disse, acredito em quem falou aí em cima que eram pessoas muito competentes).

            Não é falta de respeito, é responsabilidade com os recursos públicos. Concordo que é uma iniciativa que tem de ser mantida, mas a realidade atual do Estado de Minas Gerais é deficitária, por vários motivos. O principal? Supervalorização das receitas de ICMS, pelo governo passado. Acharam que iriam arrecadar mais do que arrecadaram. Isso sim é falta de respeito, pois na boa técnica orçamentária – pública ou privada – recomenda-se sempre a maior cautela possível na previsão de receitas.

          • Pedro

            Falta de respeito também é a cara de pau dos nossos deputados estaduais que saíram de férias no fim de 2014 sem aprovar o orçamento pra 2015. Nem é só falta de respeito conosco, cidadãos… é falta de respeito com a Constituição Estadual de Minas Gerais, que veda o encerramento da sessão legislativa sem que seja aprovado o orçamento do próximo ano (art. 53, § 2º).

          • Cristiano Costa

            Nesse ponto concordamos. Tecnicamente, acho que a Sessão Legislativa não foi encerrada. Mas os deputados deveriam ter encontrado um entendimento antes.

          • Cristiano Costa

            Eu acho que foi falta de respeito no sentido de realizar a troca sem transição, fechando o SEED do dia pra noite e exonerando os atuais gestores sem nenhuma conversa ou aviso para as startUps.

            O estado está sendo governado por duodécimos desde Janeiro. Então, pergunto, por que o corte ocorreu só agora? (aliás, um dia depois da aprovação do novo orçamento na ALMG). Se fosse realmente responsabilidade com recursos públicos, o SEED deveria ter sido fechado logo após a posse do Governador.

          • Pedro

            Concordo que a situação foi tratada sem o menor profissionalismo e com prejuízo às startups. Quanto à possibilidade de encerrar em janeiro, não dá pra analisar sem ter mais fatos à nossa disposição, como: o imóvel era do poder público ou era alugado? os empregados eram vinculados à SEDE ou eram de livre nomeação? As respostas a estas perguntas poderiam ajudar a esclarecer as razões para se ter fechado em abril, e não em janeiro, o SEED.

            Sem querer tirar a importância da iniciativa, o Governador tomou posse e sua equipe encontrou um cenário onde havia problemas muito mais sérios do que a continuação ou não do Seed. Eu sei que um faturamento de 23 milhões parece alto, especialmente para empresas que estão começando, mas só o déficit orçamentário em Minas é de 6 ou 7 bilhões, pra exemplificar. Acredito que o Seed simplesmente ficou em segundo plano e agora que o resto está “em ordem”, resolveram rever.

            Além disso ainda tem a questão da disputa política para assumir a diretoria. Esse problema é sistêmico e ocorre em todos os órgãos, especialmente quando há mudança de partido no poder. Foi um dos entraves também na aprovação do orçamento, pois cada partido e cada deputado se julgavam no direito de exigir cargos em secretarias para seus partidários, em troca de exercer o dever legal a eles incumbidos…

            Pra não render mais do que já rendeu: o problema é maior do que parece, e o governador não é o capeta (e nem santo, também).

            Ps.: Nem votei nele, por sinal.

          • Paulo Fernando

            Votou sim, cara. Quando, depois de argumentar, tem que “demonstrar” a “isenção” afirmando que não votou na pessoa, como se isso fosse motivo de interdição do debate, é porque não é isento.

          • Pedro

            Ó, é mesmo. Votei. Obrigado por me lembrar, esqueci que fomos juntos e você me acompanhou até a urna.

            Eu só fiz a observação pq nesse país onde quem discorda é “petralha”, acaba sendo importante deixar claro pros mais simples (como você) que “não demonizar o PT” não é sinônimo de “amar o PT”.

            Votei no Fidélis. PSOL. Abraço.

          • Paulo Fernando

            Que bom saber que você, indiretamente, se intitula “petralha”. Sinal que vestiu a carapuça. Quanto a votar no PSOL, fazer o quê? O voto (ainda) é livre no Brasil. Abraço final.

          • Pedro

            Isso, pega sua placa de “Volta Ditadura” e vai lá encher o saco de outro. Abraço, pra encerrar na cordialidade.

          • Downgrading

            PSOL do ministro-câncer da ciência e tecnologia e seus avanços: mudança do código florestal para uma lei extremamente predatória, expulsão do Brasil do consórcio ISS, vexame do Brasil no caso do VLT, cancelamento do programa espacial com a Ucrânia com um prejuízo de 1 bilhão de dólares, cancelamento da licitação da estação antártica.
            O PSOL é o parasita do verme.

          • Post único

            PSOL, a linha auxiliar do PT? Bela escolha, anta.

        • Downgrading

          Caro Pedro, eleitor do PSOL, vamos às conquistas do seu principal político, o ministro-câncer da ciência e tecnologia Aldo Rabelo: mudança
          do código florestal para uma lei extremamente predatória, expulsão do
          Brasil do consórcio ISS, vexame do Brasil no caso do VLT, cancelamento
          do programa espacial com a Ucrânia com um prejuízo de 1 bilhão de
          dólares, cancelamento da licitação da estação antártica, proibição de uso de termos estrangeiros em documentos oficiais, projeto de proibição de uso de tecnologias inovadoras em órgãos públicos.
          O PSOL é o parasita do verme.

  • Ruan

    O governo do estado também acabou com o programa de Escola Integral em 1200 escolas sob a mesma desculpa de “reavaliação”. Que reavaliação é essa que não pode ser feita em conjunto com a manutenção dos programas??

  • Roberto

    Isso chega a ser VERGONHOSO na tal “pátria educadora” QUE VERGONHA!

  • Di Almeida

    Também está acabando com o ensino de tempo integral no estado. O PT está destruindo anos de trabalho do governo de Minas. Isso só mostra que a história de “Pátria Educadora” não passa de mais uma balela desse partido.

  • Marcos FP Nascimento
  • Marcos FP Nascimento
  • Marcos FP Nascimento