Início » Negócios » Quatro anos depois, as promessas da fábrica de iPhones no Brasil estão longe de serem cumpridas

Quatro anos depois, as promessas da fábrica de iPhones no Brasil estão longe de serem cumpridas

Emerson Alecrim Por

Cerca de 100 mil empregos e mercado mais competitivo. Era o que se esperava da fabricação de iPhones e iPads no Brasil pela Foxconn. Mas, quatro anos se passaram desde o anúncio da empreitada e, como se vê, pouca coisa mudou.

É fato que a produção local existe há algum tempo: a linha iPhone começou a ser montada em uma fábrica da Foxconn em Jundiaí, interior de São Paulo, no final de 2011. A montagem de iPads começou em maio do ano seguinte. Mesmo assim, os preços para o consumidor final praticamente não sofreram redução.

As vendas permaneceram em crescimento, entretanto. Essa constatação e os benefícios fiscais oriundos da produção nacional fizeram a Foxconn anunciar, em 2012, um investimento inicial de R$ 1 bilhão na construção de um parque industrial em Itu, também no interior de São Paulo.

Essa unidade ficaria responsável pela produção de componentes eletrônicos - se não todos, boa parte deles destinados aos dispositivos da Apple. A produção começaria no início de 2014 e, no decorrer dos anos seguintes, traria tecnologia, empregos e, eventualmente, preços menores para o mercado brasileiro.

Fábrica da Foxconn em Jundiaí (Créditos: Fabiano Accorsi/VEJA)

Fábrica da Foxconn em Jundiaí (Créditos: Fabiano Accorsi/Veja)

Mas já estamos no segundo trimestre de 2015 e o local da fábrica permanece vazio. A Foxconn não explicou os motivos, mas dá para presumir alguns: o declínio da economia brasileira e, principalmente, os baixos índices de produtividade em relação a outros países.

Não há consenso sobre as causas da baixa produtividade brasileira, mas a excessiva burocracia e a falta de investimentos em inovação certamente colaboram para esse cenário tão negativo.

Nesse sentido, na ocasião do anúncio da produção nacional de iPhones, o governo federal chegou a prometer US$ 12 bilhões em investimentos para alavancar o setor tecnológico do país, mas, até agora, não há nenhum sinal do dinheiro.

Falta de mão de obra especializada também costuma ser uma causa, mas esse não parece ser o caso da Foxconn: na unidade de Jundiaí, trabalhadores afirmam que só há postos que exigem pouca qualificação. Consequentemente, as queixas sobre baixos salários e falta de perspectiva de carreira são constantes.

Apesar de tudo, a Foxconn afirma que o plano de levantar um parque industrial em Itu continua, mas com novos prazos. A primeira fase de operação deve ter início no final do ano, fazendo a quantidade de funcionários da companhia no Brasil chegar a 10 mil. Trata-se de um número bem abaixo dos 100 mil empregos prometidos em 2012, mas, considerando as circunstâncias, é alguma coisa.

A Apple não comentou o assunto.

Com informações: Reuters, Apple Insider

Mais sobre: , , ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Victor Hugo
Isso quando essas tais "grandes empresas" já fazem monopólio no seguimento, exemplo LG, Samsung, Panasonic, Sont, etc. Mas se as chinesas entram no meio (Xiaomi, etc) aí a coisa muda.
Victor Hugo
KKKKKKKKK Olá, venho do do futuro falando que a Uber chegou no Brasil.
Victor Hugo
"Quanta" margem de lucro hein?
Victor Hugo
Não é somente dos impostos, mas mais da metade do preço de um PS4 quando foi lançado no Brasil iam pro governo do PT. Desculpa, mas seu argumento foi falho mesmo.
Rodrigo Cerqueira
Tá ficando feio pra vc cara.... Quer dizer oq com esse link? "Desse modo, pode-se construir várias medidas de produtividade, todas utilizando a mesma lógica: resultados medidos em relação à quantidade de recursos gastos." Quantidade produzida x quantidade de insumos utilizadas. Não há menção à custos. Sou economista, sei do que estou falando. Vc só tá passando vergonha aqui. Melhor eu parar. Abraços.
Guest
Livre concorrência é muito bonito no papel.. até as grandes empresas de um seguimento formar um cartel tabelarem preços
José Vieira
Papagaio... rs... Tá ficando feio, rs... http://www.nortegubisian.com.br/component/content/article/10-noticias/256-produtividade
Rodrigo Cerqueira
Não cara. Outra informação errada. Produtividade não tem relação direta com custos. Produtividade é nada mais que a relação quantidade produzida x quantidade de insumo utilizada. Uma empresa menos produtiva pode ter menos custos totais que uma empresa mais produtiva, visto que produtividade n tem relação com custo total. "Não disse que lá se faz cinco e aqui se faz um." Vc disse: "O problema é que enquanto as fábricas alemãs entregam 5 carros, as fábricas de bananânia - com os mesmos equipamentos, entrega 1. Para fazer igual a eles precisamos: ou trabalhar 5 vezes mais, ou ter o triplo de funcionários." Escrever é simples. Vc disse que lá as fábricas entregam 5 vezes mais carros que as daqui. O leitor n tem como adivinhar que vc escreveu uma coisa e queria dizer outra. Mas enfim. Deixa pra lá.
José Vieira
Cara, dei um exemplo, partindo da premissa que o interlocutor soubesse o conceito básico de produtividade que é a relação que nada mais é a relação direta entre o que se produz e os meios e custos utilizados. Não disse que lá se faz cinco e aqui se faz um. O que disse é que com os recursos utilizados para se fazer um carro no Brasil na Alemanha se faz 5 (ou 4, se quiser usar seus cálculos simplórios). Como disse, você não sabe ler... Ler é compreender o texto, não apenas decifrá-lo. Aliás, eu tenho no currículo 3 anos de Caterpillar e 2 anos de Volvo... Com a primeira máquinas pesadas; com a segunda caminhões. Com a CAT manutenção, com a Volvo Supervisão de Técnico Mecânica ... rs...
Rodrigo Cerqueira
Porra man... Saca só: Vc afirmou que a Volks alemã produz 5 carros enquanto que a brasileira produz apenas 1. Conheço a indústria automobilística e sei que não há, em nenhum lugar do mundo, tais desníveis em termos de produtividade entre fábricas de uma mesma empresa. Por isso o espanto quando li estes números ditos por vc. Em nenhum momento disse que brasileiros são mais eficientes que alemães. Não mesmo. Apenas me preocupei com a propagação de tais falácias sobre o setor automobilístico. O Brasil é o 7º maior produtor mundial de automóveis, nenhuma empresa do mundo implantaria uma fábrica em algum país onde a mão-de-obra é cara e 5 vezes menos produtiva (o que seria o caso do Brasil, que vc citou) que outros lugares. Entende o que quero dizer?! A Volkswagen alemã n é nem 5 nem 4 vezes mais produtiva que a brasileira (até que se prove o contrário, com número) e exatamente por isso, essa não é a causa do pq os carros nacionais são caros. Não é uma questão de crença, é apenas preocupação em não propagar falácias. Abraços.
José Vieira
Desisto, estás convencido da própria ignorância... Boa sorte! Em tempo, SÃO OS TEXTOS... Não "o texto". O que disse é uma compreensão do que se tem publicado sobre a relação de produtividade entre banânia e o resto do mundo civilizado. Usei um exemplo, exagerei (ou me enganei sobre se é 4 ou 5 vezes menor a nossa produtividade), contudo, isso não nos torna MAIS produtivos por que outros fazem 4 e não 5 vezes mais - essa comparação diz apenas que eles são MUITO MAIS EFICIENTES, não EXAGERADAMENTE MAIS EFICIENTES. Mas, fique com suas crenças...
Rodrigo Cerqueira
O texto tá cheio de "s" aí, realmente acho que vc precisa aprender a ler melhor. E claro que n corroborei com o que vc disse. Deixe de maniqueísmo barato. O texto diz que alemães são 4 vezes mais produtivos que brasileiros. Vc diz que a Volks alemã produz 5 vezes mais carros que a filial brasileira. Ainda acha justo fazer esse tipo de comparação?! O texto provavelmente deve se referir a uma média, o que significa que devem haver setores onde essa relação é maior e setores onde essa relação é maior. O caso da Volks pode estar inserido em qualquer um dos casos, podendo, inclusive, ter a produtividade no Brasil maior que na Alemanha. Quando for afirmar coisas deste tipo tenha mais cuidado, externalizar e propagar falácias na internet pode ser extramente danoso. Fica a dica.
Tiago Ronieri Pertile
Nossa os empresários brasileiros são mais gananciosos que os americanos e mexicanos então. Amigo, estuda economia. O empresários só montaram seu negocio pensando no lucro. Agora, vamos supor que você tem algo que apenas você fabrica no Brasil, e o governo proíbe seus concorrentes de importarem. Você não vai ter nenhum incentivo de ser mais eficiente e cobrar um preço menor? Logo vai cobrar o preço que você quiser. Resumo, unica coisa que faz os preços baixarem é a livre concorrência.
José Vieira
Onde fica o "s" do seu teclado, "fi"? rs... Ok, você percebeu que corroborou tudo que eu disse? Não, né... Ok. rs
Rodolpho Freire
Você leu o que eu escrevi??? Não estou dizendo que o governo não tem culpa, que seja 80% de impostos para veículos importados, o que acontece é que as concessionarias colocam mais 80% de lucro, e isso em todo setor. Por exemplo um carro custando 10.000 reais sendo importado, com os 80% do governo fica 18.000 reais e com os lucros fica 32.400. O que acontece é que ao ver 32.400.. todo mundo grita.."É culpa do governo" mas ninguém vê o lucro abusivo que o empresario está aplicando, e o pior de tudo é que apesar de reclamar, todo mundo vai comprar, e vai ser um sucesso de vendas. O governo está errado? SIM, mas os empresarios também.. e mais errado ainda os brasileiros que não sabem fazer boicote em preços abusivos.
Rodrigo Cerqueira
Já li, pelo visto é vc que n sabe ler. Ou melhor, interpretar. Vc claramente diz: "A Wolkavagen (aprende a escrever Volkswagen primeiro champz...) alemã, trabalha 38 horas por semana, a filial brasileira 40. O problema é que enquanto as fábricas alemãs entregam 5 carros, as fábricas de bananânia - com os mesmos equipamentos, entrega 1. Para fazer igual a eles precisamos: ou trabalhar 5 vezes mais, ou ter o triplo de funcionários." Enquanto que apenas UMA das notícias diz: "Mas horas de trabalho e resultado em termos de produção são coisas diferentes. Veja o exemplo da Alemanha. Entre os mais produtivos trabalhadores da Europa, os alemães enfrentam jornadas de, em média , 38 horas de trabalho semanal — ante 44 horas dos brasileiros — e desfrutam de 40 dias úteis de férias por ano, o que os coloca entre os recordistas europeus em folgas. Mesmo com uma jornada menor, o trabalhador alemão é quatro vezes mais produtivo do que o brasileiro. “A questão está na qualidade do trabalho, e não na quantidade”, diz o economista Samuel Pessôa, da consultoria Reliance." Ou seja, além de inserir em contexto totalmente errado (afinal o texto n fala nem de Volkswagen (aprendeu a escrever?) ou de indústrias automobilísticas, apenas de forma geral. (O que n podemos em hipótese nenhuma extrapolar esta análise para setores em específico, nem muito menos empresas). Vc ainda erra informações, visto que o texto cita 38x44 horas, e não 38x40 horas (ok, deixo passar esse tipo de erro, denota apenas falta de atenção e incapacidade de leitura, vc n tem culpa). Ainda erra conta. Fala que na Volks alemã se produz 5 carros, enquanto que no Brasil apenas 1, quanto o texto que nem fale em carro, nem em Volks cita 4 vezes mais produtividade. Ou seja, 4x1=4 e não 5. Acho que vc precisa ler mais. Abraços.
José Vieira
Então leia cada um dos artigos. Caso contrário, sinto muito. Não quero convencê-lo de nada. Mas aconselho a aprender a ler.
Rodrigo Cerqueira
Procurei as palavras "carro" e "Volkswagen" e n encontrei em nenhuma das fontes. Que a produtividade do trabalhador brasileiro é considerada baixa eu já sei (e tem uma série de fatores por trás que n cabem aqui). Queria era a fonte destes dados que vc citou.
Tiago Ronieri Pertile
80% de imposto para veículos importados.. E a culpa não é do governo.. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKkKKKKKKKKKKK
José Vieira
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/01/1579952-por-que-a-produtividade-do-trabalhador-brasileiro-e-tao-baixa.shtml http://www.businessreviewbrasil.com.br/magazines/14433?utm_source=Magazine+is+Live+Feb+2014&utm_campaign=3c0d45e471-Mag_Live_Feb_20142_12_2014&utm_medium=email&utm_term=0_076f254585-3c0d45e471-83848325 http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1025/noticias/agora-vem-a-parte-mais-dificil http://www.mecanica.com.br/Multimidia/Releases/PRODUTIVIDADE-ALEMA-E-NECESSIDADES-DA-INDUSTRIA-BRASILEIRA-SAO-ANALISADAS-EM-ALMOCO-EXECUTIVO-DURANTE-FEIRA-DA-MECANICA-/ http://diplomatizzando.blogspot.com.br/2014/04/a-baixissima-produtividade-do.html
Rodrigo Cerqueira
Fontes?
Gabriel Arruda
Não custa perguntar, todas teorias políticas tem algum princípio interessante mas as pessoas são muito bitoladas para analisar isso: ou é tudo escroto ou está tudo certo.
Theo Queiroz
Não sei o que é ser pró improdutividade. O que seria essa ideologia? Significa que ele não gosta de trabalhar e quer só viver de benefícios...
YagoG.
Cara, desculpa, mas não dá pra acreditar nesse papo. É lucro exorbitante e ponto.
José Vieira
Será? A Wolkavagen alemã, trabalha 38 horas por semana, a filial brasileira 40. O problema é que enquanto as fábricas alemãs entregam 5 carros, as fábricas de bananânia - com os mesmos equipamentos, entrega 1. Para fazer igual a eles precisamos: ou trabalhar 5 vezes mais, ou ter o triplo de funcionários. Entendeu porque as carroças brasileiras são tão caras?
YagoG.
Ele chegou aqui querendo escravizar o povo brasileiro e maltratar psicologicamente como faz lá na China. É inconsciente você defender algo tão ruim. Brasileiro trabalha mais que outros e não ganha nem metade em comparação a outros países; principalmente quando se leva em conta os impostos.
Leandro Nascimento
Governo de malditos! As empresas até que tentam, mas o governo insiste em fazer de tudo pro Brasil não conseguir crescer e ficar pior do que está. É lamentável, é quase impossível ter orgulho de ser brasileiro.
José Vieira
Nisso eles estão cobertos de razão, o brasileiro realmente produz muito pouco (por preguiça ou por inaptidão) e tem direitos demais... Mas não é a FoxConn quem decide se vai ou não produzir iphones, é APPLE. E para quê produzir localmente a um custo mais alto e vender pelo mesmo preço (ou a menor) algo que posso importar e vender a peso de ouro? Qual a lógica disso? A Apple só vale bilhões porque não rasga dinheiro, "fio"! rs...
felipecn
Leia meu último parágrafo. O Moto X custa US$399, desbloqueado direto da Motorola, e o 5c custa US$450, também desbloqueado e na Apple Store. Ambos chegam aqui por R$1499. Não comparo o que você recebe pelo preço: certamente o Moto X tem custo benefício bem melhor. Mas o problema é o posicionamento da Apple, que funciona onde tem subsídio forte no preço dos aparelhos, mas fica bem ruim onde não há. Não é sacanagem especificamente com o Brasil. Outro motivo para comparar os dois é que eles custam exatamente o teto para receber isenção da Lei do Bem, que cobre telefones 4G de até R$1500. O 5s ou o 6 não são fabricados aqui (parece que o 5s está começando) e mesmo que fossem, não recebem isenção fiscal por serem mais caros.
YagoG.
Os diretores da foxconn gostariam de escravizar igual na china, mas não conseguiram, restou criar essa história de que brasileiro é pouco produtivo.
YagoG.
Meu amigo, a foxconn é chinesa, algumas notícias na época que se instalou aqui no Brasil diziam que o seu diretor afirmava no sentido "brasileiro é preguiçoso, tem direito demais".
Rodolpho Freire
O governo tem responsabilidade, o que eu quis dizer é que não é só culpa do governo, os empresários também aproveitam com altas margem de lucro, pois sabem que as pessoas vão comprar, isso porque brasileiro não sabe fazer boicote. Lançam PS4 custando R$ 4.000,00 e tem gente postando que foi primeiro da fila... Olha o vídeo que postei acima.
Rodolpho Freire
Sim é apenas culpa dos impostos... acreditem nisso... https://www.youtube.com/watch?v=qdL8KEpg17M
Tiago Ronieri Pertile
E não é o proprio governo que fecha a economia (protencionismo). Mais livre mercado, menos estado.
Vader
quanta utopia! não nos confunda com a China. e outra coisa: corrija em seu discurso pseudopolítico alguns fatos: *a Foxxcon não é americana, e sim taiwanesa (de Taiwan, caso se faça necessária a explicação); *a Foxxcon não comercializa produtos, ela apenas os monta; *a tecnologia que a Apple vende no Brasil não é ultrapassada - trata-se da mesma que é comercializada ao redor do mundo. essa história de que um brasileiro que monta iPhones nunca viu um finalizado é conto da Carocha - não se aplica à nossa realidade. o texto não trata da libertação do trabalhador pela derrubada do modelo econômico atual. trata de um grave problema envolvendo o cenário industrial e político no que tange a introdução e popularização das novas tecnologias no Brasil, além de seu burocrático processo de produção e distribuição.
Ramon Pereira
"baixa produtividade brasileira" me lembro quando estudei um pouco do assunto em uma disciplina na universidade e a produtividade brasileira não era tão ruim se comparada com a média mundial. claro que não dá pra comparar com países asiáticos onde a galera vive pra trabalhar.
Ramon Pereira
alguns modelos mais antigos de iPhones eram produzidos no brasil já no final de 2012. sei porque vi vários 4/4S com "indústria brasileira" na traseira do telefone por essa época.
Gabriel Arruda
Sim, os exemplos estão corretos apesar de a Apple não vender tecnologia ultrapassada e não sei bem o que você quer dizer com DRM já que ela só usa isso nos aplicativos da iTunes Store até onde eu sei. Não sei o que é ser pró improdutividade. O que seria essa ideologia?
Louis
Pelo que sei os iPhone não são fabricados no Brasil, apenas os iPads. E ele falou a verdade sobre o preços dos iPads serem mais baratos aqui do que nos USA. Tanto que já vi iPads Air por R$ 1.000,00 em promoções do Submarino (só não comprei porque não vale o investimento comparado a concorrência).
Louis
Pode falar o que quiser, mas querer fingir que o governo não tem responsabilidade pela alta burocracia e carga tributária é querer tapar o sol com a peneira.
Louis
Fácil para você defender a vagabundagem e ser contra o trabalho. Esquerdismo tem dessas e prefere o subdesenvolvimento e miséria, a trabalho e desenvolvimento. Entretanto, para você o governo "esquerdista" e altamente PTralha pode e deve dar subsídios. Ótima coerência. Por sinal, acredito que sua contribuição está sendo menosprezada no Brasil em virtude de tanto esforço e trabalho. Você deveria ir para Venezuela, Cuba ou China mostrar o seu devido valor ao ócio.
Thiago Bomfim
cara, eu sou pró improdutividade e militante anarquista. a foxconn, exemplo do texto, se não me engano, tem sua sede na china. os exemplos dos funcionários, são verdadeiros, diga-se de passagem.
F. S.
Tu tá realmente comparando um Moto X de ultima geração com um 5C, que é uma revisão de um aparelho de 2012? Porque não citou o iPhone 5S em seu preço de lançamento (o dolar não tinha aumentado ainda) ou o 6? O 4S foi o primeiro iPhone montado no Brasil e foi justamente ele que começou com o aumento dos preços.
Supersonic
Não querendo ser protetor das montadoras, mas seu exemplo foi falho pois o carro exportado para o Mercosul é desonerado de impostos, inclusive da matéria prima utilizada na produção do automóvel.
Gabriel Arruda
Ideologia de boteco de ambos os lados né? Com bônus de usar a ditadura militar como um ad hitlerium. A nossa carga tributária não é tão alta, mas é muito complexa, cumulativa, mal distribuída e afeta muito a base da pirâmide com altos impostos sobre produtos. A tributação brasileira mais que alta é uma grande porcaria, mas se qualquer discussão sobre isso for taxada de "liberalismo para ferrar com os pobres" fica complicado: http://super.abril.com.br/cotidiano/quanto-custa-pais-759943.shtml A produtividade é um problema que tem muito pouco a ver com "estilo de vida" brasileiro, é um absurdo ignorar esse problema brasileiro que é reflexo da falta de educação de verdade e investimentos do empresariado em novas tecnologias. Falar que é para a gente trabalhar igual China é tão ridículo quanto mandar ir para Cuba quem critica capitalismo, isso é uma questão importantíssima tanto para trabalhadores quanto para os empresários: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/05/140519_produtividade_porque_ru
marcos
Exatamente o que eu ia comentar! É o mesmo caso da montadoras de automóveis que ficam cheias de benefícios e pulando de estado em estado atrás de mais
felipecn
Não é exatamente assim. Até o ultimo reajuste, semana passada, era mais barato comprar iPads aqui no Brasil que importar - tanto que raramente se via iPads "importabandeados" por aí mais. Pouco antes da Apple aumentar os preços vi a tabela de um "importador independente" em que o iPad Air 2 saia por mais que o preço da Apple. Agora a diferença parece mais parar cobrir a oscilação do câmbio, já que boa parte dos componentes ainda é importada. (e essa é uma das reclamações) A mesma coisa acontece no iPhone 5c: Ele está por R$1499 e não tem sofrido reajustes justamente por estar dentro da faixa de preço com incentivo fiscal (até R$1.5k para aparelhos com 4G). O problema da Apple está na precificação dela mesmo fora daqui: O iPhone 5c custa o mesmo que um Moto X, nos Estados Unidos ou aqui, ainda que sejam aparelhos beeeem diferentes. O que acontece aqui é um reflexo disso (amplificado pelos impostos de importação, já que os iPhones mais caros saem do teto de isenção fiscal e não compensa produzí-los aqui)
Thiago Bomfim
todo texto é ideológico e se localiza num lugar político. este se localiza num senso comum gigantesco, num liberalismo de buteco, semelhante àquele dos atos que pedem intervenção militar. achar que todos os problemas se referem à nossa carga tributária e ao nosso estilo de vida, denota uma expectativa de brasileiros que trabalhem mais com cortes de impostos trabalhistas que aumentem as margens de lucros das empresas. a Foxconn é a radicalização do modelo capitalista moderno: uma empresa norteamericana que cobra preços exorbitantes de aparelhos com tecnologia ultrapassada movida a DRM se localiza num país emergente, onde os direitos trabalhistas sao mínimos. um governo verdadeiramente ditatorial, que censura qualquer resmungo contra si, é conivente e executor dessa política. o resultado aparece em notícias: funcionários que se suicidam, ou que nunca viram um iPhone montado em seu estágio final, ou que são perseguidos depois de um protótipo desapárecer. eu prefiro a nossa malandragem e vagabundagem. a vida é uma só pra trabalhar demais. se querem altos índices de produtividade, contratem os pobres americanos, que são numerosos. não são os americanos os reis do pragmatismo e do trabalho bem executado?
jairo
Na hora dos governo estadual e federal cobrarem a conta.
F. S.
"Mesmo assim, os preços para o consumidor final praticamente não sofreram redução." Piada né? Não sofreram nenhuma redução, sofreram aumento no mesmo ano. Pura maximização de lucros. por parte da venerada maçã.
Sergio Fagundes
O detalhe é que aqui no Brasil só brasileiro pode escravizar estagiário de curso superior em serviços abaixo da qualificação.
Edmilson_Junior
Adicione ai a cultura de trabalhar apenas o mínimo o possível para manter o emprego pois qualquer coisa acima disso seria enriquecer o patrão e temos uma boa explicação.
Raul Amoretti de Souza
É mais fácil trazer de fora, não ta faltando competitividade pelo preço! Para que produzir no pais? Não quero volta de embargos ou barreiras, mas diante de promessas algo deve ser feito, caso o governo tenha colocado dinheiro!
Trovalds
CIDADÕES foi proposital...
Rodolpho Freire
http://www.garotasgeeks.com/wp-content/uploads/2014/11/ibagens.jpg Desse cartaz com "cidadões" kkkkkk
José Vieira
Não há consenso sobre os motivos da baixada produtividade? PQP, temos engenheiros que não sabem ler e professores de língua portuguesa que vão às ruas protestar por melhores salários empunhando uma faixa com os dizeres "Professores também são CIDADÕES". Esse é o problema... Educação!, os filhotes de Paulo Freire transformaram o ensino em uma usina de militantes semialfabetizados. Só isso!
Rodolpho Freire
Viva o lucro Bra$il, onde os consumidores pensam que a culpa é "somente" dos impostos e empresários faturam no "vai que cola" cobrar 3x mais... Um grande exemplo disso é as montadoras nacionais, onde um Carro feito no Bra$il e exportado para fora (com o frete incluso) é mais barato que o mesmo vendido no Brasil.