Início » Negócios » Nokia adquire Alcatel-Lucent por US$ 16,6 bilhões

Nokia adquire Alcatel-Lucent por US$ 16,6 bilhões

Por
4 anos e meio atrás

A Nokia confirmou nesta quarta-feira (15) a aquisição da rival francesa Alcatel-Lucent pelo equivalente a US$ 16,6 bilhões. Ambas as partes já definiram os detalhes, restando apenas a aprovação de órgãos reguladores para o negócio ser concluído.

Nokia

Não havendo obstáculos, a aprovação da compra deve ser feita no primeiro semestre de 2016. Quando isso acontecer, a Nokia se tornará uma gigante com mais de 110 mil funcionários (50 mil vindos da Alcatel-Lucent) e valor de mercado perto dos US$ 40 bilhões.

O valor negociado é mais que o dobro do que a Microsoft pagou pela divisão de dispositivos móveis da Nokia. Mas há uma boa razão para a companhia finlandesa apostar tão alto na fusão: depois de amargar uma longa crise no mercado de smartphones e, na sequência, fechar negócio com a Microsoft, a Nokia quer se reinventar.

Sendo mais preciso, a companhia quer tornar o seu nome ainda mais forte no setor de equipamentos e sistemas para telecomunicações. Para um objetivo tão ambicioso, a aquisição da Alcatel-Lucent soa como uma decisão sábia: além do leque de clientes desta, a Nokia absorve tecnologia e patentes (a Alcatel-Lucent tem mais de 33 mil delas; a Nokia, 11 mil).

Até a renomada Bell Labs entrou no meio. A companhia, que é o berço de várias tecnologias revolucionárias (comutadores telefônicos, o laser e a linguagem C, por exemplo), responde pela divisão de pesquisa da Alcatel-Lucent desde a fundação desta em 2006, quando houve fusão entre a francesa Alcatel e a norte-americana Lucent Technologies.

Alcatel-Lucent

O otimismo dos executivos de ambos os lados em relação ao negócio é grande, mas o mercado tem uma postura mais cautelosa. Uma fusão de tamanho porte tem riscos consideráveis por conta da dificuldade de unir culturas corporativas tão diferentes – esse processo pode levar anos.

Também há os desafios inerentes ao próprio mercado. A incorporação da Alcatel-Lucent fará com que a Nokia aumente a rivalidade com a sueca Ericsson, mas são as chinesas Huawei e ZTE que preocupam. Ambas apareceram com preços bastante agressivos no segmento e, com isso, conquistaram fatias generosas do mercado.

Por outro lado, a constante necessidade de novas tecnologias de telecomunicações alimenta as expectativas de boas oportunidades. É o caso da próxima geração de redes de dados móveis: a Nokia é uma das companhias que estão desenvolvendo tecnologias que podem substituir o 4G.

Com informações: WSJ.com, Re/code

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários.