Início » Computador » As 10 maiores fabricantes de notebooks no Brasil

As 10 maiores fabricantes de notebooks no Brasil

Por
4 anos atrás

As consultorias de mercado publicam periodicamente relatórios de vendas de determinados segmentos da indústria, mas os dados completos quase sempre ficam restritos às fabricantes, especialmente no Brasil, por questões contratuais — é por isso que a IDC, por exemplo, divulga a porcentagem de vendas de Androids no país, mas nunca de iOS e Windows Phone.

Isso também acontece com o mercado de notebooks. Nós sabemos que a Lenovo é a maior fabricante de PCs do mundo. Mas e no Brasil? Segundo a consultoria ITData, a empresa que mais vendeu portáteis no último trimestre de 2014, no mercado brasileiro, foi a Positivo, com mais de 300 mil máquinas, quase um quinto do total de notebooks comercializados no período.

asus-notebook-vendas-brasil

A Asus realizou um evento para a imprensa no último domingo (19) com o objetivo de apresentar sua nova linha de notebooks com Windows 10 e acabou divulgando os dados — por sinal, bem interessantes. Esta é a lista das maiores fabricantes de notebooks no Brasil, de acordo com o número de vendas entre outubro e dezembro de 2014:

  1. Positivo: 304.240 unidades (18,7%)
  2. Dell: 281.680 unidades (17,3%)
  3. Lenovo: 238.229 unidades (14,7%)
  4. Acer: 233.025 unidades (14,3%)
  5. Samsung: 170.718 unidades (10,5%)
  6. Asus: 155.750 unidades (9,6%)
  7. HP: 153.650 unidades (9,5%)
  8. Semp Toshiba: 32.448 unidades (2,0%)
  9. LG: 10.175 unidades (0,6%)
  10. Apple: 8.980 unidades (0,6%)

Juntas, as fabricantes menores venderam 35.219 notebooks, o equivalente a 2,2% do mercado. Nesses 90 dias, foram comercializados 1,6 milhão de computadores, segundo a consultoria.

No mundo, segundo a IDC, estas foram as cinco maiores fabricantes de PCs (incluindo desktops e notebooks) no quarto trimestre de 2014:

  1. Lenovo: 16,049 milhões de unidades (19,9%)
  2. HP: 15,88 milhões de unidades (19,7%)
  3. Dell: 10,879 milhões de unidades (13,5%)
  4. Acer: 6,22 milhões de unidades (7,7%)
  5. Apple: 5,75 milhões de unidades (7,1%)
    O resto: 25,994 milhões de unidades (32,2%)

O mercado brasileiro

A Dell foi uma das empresas que mais cresceu, devido a uma mudança de estratégia: a fabricante investiu em notebooks intermediários com preços mais agressivos e fortaleceu a presença no varejo. Do terceiro para o quarto trimestre, a fatia das vendas no varejo pulou de 40% para 66%, enquanto as vendas diretas ao público (na loja online da marca, por exemplo) diminuíram de 45% para 25% dentro da Dell.

Em relação ao mesmo período de 2013, as vendas da líder Positivo aumentaram 11%. A fabricante brasileira conseguiu elevar sua fatia de mercado por causa do espaço deixado pela Lenovo (que também é dona da CCE) no segmento de notebooks de baixíssimo custo.

Também é curioso ver o posicionamento de cada empresa. A Dell é claramente uma fabricante focada em segmentos mais altos: em dezembro de 2014, o preço médio dos notebooks vendidos pela empresa foi de R$ 2.057, bem acima das concorrentes — a segunda é a HP, com média de R$ 1.670. Na outra ponta da tabela estão Positivo e CCE, com valores médios abaixo dos mil reais.

Este é o gráfico dos preços médios dos notebooks entre novembro de 2013 e dezembro de 2014 (a Apple não está no gráfico, provavelmente para não quebrá-lo):

asus-precos-notebooks

As previsões para o crescimento de PCs são bastante negativas; as estimativas dão conta de que os desktops terão queda de 21% em 2015, enquanto os notebooks venderão 16% menos em relação ao ano passado. Mas, segundo Jorge Moncau, gerente de produto da Asus, ainda há bastante espaço no mercado de PCs — a penetração de computadores no Brasil é de apenas 49,5%, contra 86% dos celulares e 97% das TVs.

Paulo Higa viajou no Splendour of the Seas a convite da Asus.

Mais sobre: ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.