A ideia de apostar em conteúdo feito em casa (ou quase) deu tão certo para a Netflix que mais e mais produções próprias devem vir por aí. Quem assegura é ninguém menos que Reed Hastings, co-fundador e CEO da companhia (e também o cara que deu uma assinatura vitalícia da Netflix para o Silvio Santos).

Cena de House of Cards, série original do Netflix transmitida em 4K

Em entrevista ao New York Times, o executivo explicou que as produções próprias lançadas em 2015, juntas, devem superar 320 horas de conteúdo, quase três vezes mais que no ano passado.

Há várias razões para números tão grandes, começando por aquilo que todo mundo já percebeu: a maior parte das produções originais tem grande popularidade. House of Cards é o exemplo mais emblemático. Demolidor, o exemplo mais recente: lançada há três semanas, a série está fazendo tanto sucesso que já teve a sua segunda temporada confirmada (sai em 2016).

Mas Hastings entende que a Netflix pode ter mais autonomia para cuidar de todas as etapas de produção. O objetivo é diminuir a dependência de parcerias e, consequentemente, alcançar exclusividade.

House of Cards consegue mostrar um dos lados desvantajosos das parcerias: a produção da série é feita pela Media Rights Capital, que tem certa autonomia para licenciá-la para outras empresas. A terceira temporada do seriado, por exemplo, está disponível no canal alemão de TV Sky Deutschland.

Demolidor

Com parcerias ou não, as produções próprias também ajudam a Netflix a não depender tanto de estúdios de cinema e produtoras de TV. Sabe quando você procura um filme e descobre que o título saiu do catálogo da Netflix? É “culpa” do acordo de licenciamento.

Já as produções próprias podem ficar indefinidamente no acervo e, ainda por cima, ter lançamento simultâneo em todos os mercados em que a Netflix atua.

Reed Hastings vê benefícios até para a concorrência: “eu prevejo a HBO fazendo o melhor trabalho criativo de suas vidas nos próximos dez anos, pois eles estão em pé de guerra”, frisou.

Reed Hastings

Reed Hastings

“Eu prevejo a HBO fazendo o melhor trabalho criativo de suas vidas nos próximos dez anos, pois eles estão em pé de guerra”

O maior número de produções também tem como foco atender, tanto quanto possível, a todos os tipos de gostos. Hastings usou a si próprio para exemplificar: ele acha Demolidor muito violento, mas admitiu ser fã de Unbreakable Kimmy Schmidt.

Essa ênfase toda em conteúdo original gera expectativas em nós, usuários, mas representa um grande desafio para a Netflix. Produzir filmes e séries custa muito dinheiro, logo, há um certo receio em relação à estratégia, especialmente por parte de investidores.

Mas a própria concepção da Netflix já foi uma ousadia, portanto, Hastings tem lá seus motivos para arriscar saltos maiores.

Entre as séries orignais que devem chegar à Netflix nos próximos meses estão A.K.A. Jessica Jones (assim como Demolidor, feita em parceria com a Marvel) e Flaked (produzida pelos criadores de Arrested Development).

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gabriel R.

Pode apostar mesmo Netflix, vocês estão mandando super bem!

---
www.elaele.com.br

Gabriel Reynard
Pode apostar mesmo Netflix, vocês estão mandando super bem! --- www.elaele.com.br
Rodrigo Fante

Netflix anda incomodando outras produtoras, que acabam cobrando mais caro para liberar o conteúdo delas para netflix que acaba inviabilizando o negócio e/ou obrigando a netflix aguardar a produtora abaixar o valor para ser comercialmente viável, o que normalmente demora.

rodrigofante
Netflix anda incomodando outras produtoras, que acabam cobrando mais caro para liberar o conteúdo delas para netflix que acaba inviabilizando o negócio e/ou obrigando a netflix aguardar a produtora abaixar o valor para ser comercialmente viável, o que normalmente demora.
kadu

Me baseei exatamente na alegação de ser uma série "original Netflix", imaginei que fosse uma co-produção com a AMC e mais algum estúdio.

Kadu Gaspar
Me baseei exatamente na alegação de ser uma série "original Netflix", imaginei que fosse uma co-produção com a AMC e mais algum estúdio.
robsonc
Nada contra o que você falou, mas o Netflix não tem nenhum dedo na produção de Better Call Saul, apesar de ela adorar anunciá-la como "série original Netflix" seja lá o que isso signifique nesse caso (acho que o Netflix anda confundindo o conceito de exclusivo e original).
Ademar Abiko Jr.
Torço para que eles encontrem o equilíbrio entre se garantirem e não afastarem os outros produtores.
kadu

Exatamente. As produtoras (ou distribuidoras, sei lá) normalmente querem ganhar dinheiro com os lançamentos de todas as outras formas possíveis antes de disponibilizar para streaming, e eu não as culpo por isto, é uma estratégia que faz sentido.

Kadu Gaspar
Exatamente. As produtoras (ou distribuidoras, sei lá) normalmente querem ganhar dinheiro com os lançamentos de todas as outras formas possíveis antes de disponibilizar para streaming, e eu não as culpo por isto, é uma estratégia que faz sentido.
Thiago Pereira
Acho isso muito bom. Nunca vi nada produzido por eles que fosse ruim. Vinte reais muito bem gastos!
ochateador
Explicação do motivo de um filme/série não aparecer rapidamente no netflix "' Sabe quando você procura um filme e descobre que o título saiu do catálogo da Netflix? É “culpa” do acordo de licenciamento. '"
kadu

Essa estratégia de apostar em produções próprias é genial, o Netflix fica cada vez menos dependente dos grandes estúdios e suas imposições, ao mesmo tempo em que atrai novos assinantes interessados em suas produções (normalmente de ótima qualidade). Além disto, tira do Netflix o rótulo de mero canal de conteúdo, e o eleva ao status de produtor.

Hoje o que mais tenho assistido no Netflix são três produções próprias: House of Cards, Better Call Saul e Unbreakable Kimmy Schmidt. E Orange Is The New Black está na fila. Fora isto, alguns bons filmes esporadicamente, mas só essas produções próprias já valem o valor da assinatura.

Estou satisfeito com o catálogo. Acho que tem muitos filmes bons lá, não assino procurando lançamentos, mas um bom catálogo para diversão. Quando quero algum lançamento recorro ao aluguel no Google Play.

Fico feliz em ter mais um grande player de qualidade na produção de séries e filmes.

Kadu Gaspar
Essa estratégia de apostar em produções próprias é genial, o Netflix fica cada vez menos dependente dos grandes estúdios e suas imposições, ao mesmo tempo em que atrai novos assinantes interessados em suas produções (normalmente de ótima qualidade). Além disto, tira do Netflix o rótulo de mero canal de conteúdo, e o eleva ao status de produtor. Hoje o que mais tenho assistido no Netflix são três produções próprias: House of Cards, Better Call Saul e Unbreakable Kimmy Schmidt. E Orange Is The New Black está na fila. Fora isto, alguns bons filmes esporadicamente, mas só essas produções próprias já valem o valor da assinatura. Estou satisfeito com o catálogo. Acho que tem muitos filmes bons lá, não assino procurando lançamentos, mas um bom catálogo para diversão. Quando quero algum lançamento recorro ao aluguel no Google Play. Fico feliz em ter mais um grande player de qualidade na produção de séries e filmes.
@Sckillfer

O que mais incomoda na Netflix é a falta de conteúdo recente... Ter que esperar todo mundo esquecer do filme pra ele aparecer na Netflix é complicado.

Exibir mais comentários