Início » Antivírus e Segurança » Samsung e Samsonite trabalham em mala que avisa quando é retirada do avião

Samsung e Samsonite trabalham em mala que avisa quando é retirada do avião

Por
4 anos atrás

O voo foi complicado. Houve atraso, forte turbulência e arremetida, mas nada disso te preocupou. Só que, na hora de retirar a bagagem, quanta tensão! Você só relaxa quando finalmente a vê na esteira. Não seria ótimo se houvesse uma forma de rastrear a movimentação da mala que nos poupasse de toda essa ansiedade? Pois saiba que a Samsung está trabalhando nisso.

A companhia uniu forças com a fabricante de malas Samsonite para desenvolver uma tecnologia que permite ao viajante saber, por exemplo, quando a bagagem foi retirada do avião, se ela já está na esteira do aeroporto e até mesmo se houve algum tipo de violação.

O posicionamento da bagagem é detectado via GPS e o usuário pode acompanhar toda a movimentação no smartphone. A tecnologia também pode ser usada antes do embarque e após a retirada do volume da esteira: se o viajante se afastar demais da mala, um alerta é disparado na hora.

Esteira - aeroporto

Essa ideia não é exatamente nova. A Airbus, por exemplo, apresentou em 2013 uma tecnologia chamada Bag2Go que usa GPS e RFID para também permitir ao usuário acompanhar a situação da sua bagagem. Mas Samsung e Samsonite querem mais do que informar a localização da mala.

Também faz parte do plano facilitar o despacho da bagagem. Após fazer check-in, o usuário poderia simplesmente colocar a mala em uma esteira específica da companhia aérea, sem pegar filas ou precisar de atendimento de um funcionário. Na sequência, o sistema da empresa se comunicaria com o chip da mala para identificar o dono e o voo de destino. Companhias como Emirates, Lufthansa e KLM já estão ajudando no desenvolvimento da ideia.

Há outra proposta, bem mais inusitada: fazer a bagagem seguir automaticamente o dono pelo aeroporto. Além de evitar que a pessoa carregue peso, a tecnologia ajudaria a evitar esquecimento da bagagem.

Mas essa função deve demorar para sair do papel (se é que um dia sairá): a tecnologia já está disponível, o problema é que o motor para locomover a mala pode ocupar até um terço do espaço total disponível e tem cerca de 20 quilos, proibitivo para quem vive se esforçando para não pagar por excesso de peso na bagagem.

Com informações: Daily Mail

Mais sobre: , ,