Início » Antivírus e Segurança » Por que a falha no software do Boeing 787 não é motivo de preocupação

Por que a falha no software do Boeing 787 não é motivo de preocupação

Por
4 anos atrás

boeing-787

Talvez você tenha lido em algum lugar, durante o último final de semana, que o Boeing 787 Dreamliner tem um problema sério no software. As notícias, algumas bem alarmantes, dizem que um bug gravíssimo pode fazer o sistema elétrico da aeronave parar de funcionar. Com isso, o piloto perderia o controle do avião e poderia causar um acidente catastrófico.

Ainda bem que você não precisa se preocupar.

A falha está localizada no software que controla as unidades de energia da aeronave e foi descoberta nos próprios laboratórios da Boeing. O problema ocorre especificamente quando o avião fica ligado continuamente por 248 dias, ou pouco mais de oito meses.

boeing-787-3

Em termos técnicos, 248 dias representam algo perto de 231 centésimos de segundo, o que causa o estouro (overflow) de uma variável inteira de 32 bits no código do software do Boeing 787 — um problema até comum enfrentado por programadores. Ou seja, pelo visto, nenhum desenvolvedor da Boeing considerou a hipótese de uma aeronave ficar ligada durante oito meses.

E qual a possibilidade do problema se manifestar na vida real e causar um acidente? Lito Sousa, técnico com 28 anos de experiência em aviação comercial, é taxativo no Aviões e Músicas: “Quais são as chances de um Boeing 787 ficar ligado por uma semana? Quase zero. Quais as chances de ficar ligado por 8 meses? Zero.”

Pronto, pode dormir tranquilo.