Início » Aplicativos e Software » CyanogenMod terá um navegador próprio chamado Gello

CyanogenMod terá um navegador próprio chamado Gello

Por
4 anos atrás

Há algum tempo que a Cyanogen vem tentando fazer o CyanogenMod ser mais do que uma simples ROM alternativa para aparelhos Android. Para tanto, a empresa aposta, entre outras medidas, na criação de ferramentas próprias. A mais nova foi revelada nesta semana por Joey Rizzoli, membro da Cyanogen: um navegador chamado Gello.

Cyanogen - Gello

Rizzoli deu poucos detalhes sobre o projeto, mas em dois curtos vídeos revelou que o browser terá como base o Chromium. Pois é, vem aí mais um navegador com visual e comportamento que lembram o Chrome.

Ou nem tanto. Os diferencias estarão nas caraterísticas. Os vídeos mostram que o Gello terá uma função que armazena páginas para leitura offline, modo noturno que inverte cores e realiza outras mudanças para facilitar a navegação em ambientes com pouca luz, bloqueador de publicidade, vários controles de segurança e gerenciador de downloads com variadas funcionalidades.

Esses são, de fato, diferenciais? No ponto de vista de muita gente, talvez não o suficiente para justificar uma troca de navegador, mas Rizzoli ressaltou que o Gello terá outros recursos, sem revelar quais.

Outro ponto destacado é que o Gello será totalmente open source, logo, a comunidade poderá acrescentar recursos para tornar o navegador mais interessante.

Mas também há as más notícias. Rizzoli explicou que o Gello não será compatível com dispositivos que possuem hardware modesto — com pouco espaço para armazenamento interno de dados, por exemplo.

Também não está claro quando o navegador será disponibilizado. Mas como os vídeos sugerem que o projeto já está bem desenvolvido, há boas chances de o Gello aparecer junto com a versão final do CyanogenMod 12.1, que terá como base o Android 5.1.1.

A iniciativa condiz com o plano da Cyanogen de se tornar tão independente quanto possível do Google (a despeito da grande intimidade desta com o Chromium). No entanto, Rizzoli fez questão de frisar: os usuários continuarão tendo a opção de utilizar o Chrome ou qualquer outro aplicativo criado pelo Google.

Com informações: Neowin