Nossa extensão alerta sobre ofertas falsas
e aplica cupons de desconto

Início » Segurança » Tecnocast 024 – Quem tem um, não tem nenhum

Tecnocast 024 – Quem tem um, não tem nenhum

Por
2 anos atrás
A nova extensão do Tecnoblog está pronta.Baixe Agora!

No mundo da informática fala-se do backup que “quem tem um, não tem nenhum”. Essa expressão vem da época da cópia local, onde, se acontecesse qualquer coisa com o HD de segurança, tudo estaria perdido. Mas essa história é um pouco diferente hoje em dia, com diversos serviços de armazenamento da nuvem.

24_backup_700X438

Nesse episódio vamos contar as nossas experiências com o gerenciamento de nossos arquivos e também entrar um pouco na questão da privacidade. Que riscos você corre em guardar todos os seus arquivos nos servidores de uma empresa? Dá o play e vem com a gente!

Participantes

Caixa Postal

Mande a sua mensagem para tecnocast@tecnoblog.net

Tecnogrupo

Clique aqui e participe do tópico do episódio 024 do Tecnocast.

Assine o Tecnocast

Edição e Sonorização

O Tecnocast é editado por Rádiofobia Podcast e Multimídia.

Arte da Capa

Arte da capa por Paulo Moraes.

  • pinportal

    No mundo da informática fala-se*

    Conserta aí, @mobilon

    Em relação ao podcast, vou ouvir daqui a pouco. O tema é bem interessante.

  • Luiz Augusto

    Opa, saiu mais cedo. Valeu equipe do Tecnoblog <3

  • Eu sou uma bagunça com meus arquivos. Tenho um HD externo, mas não consigo me organizar. Nem usando serviços na nuvem. sopkpaoks
    Inclusive, os arquivos que tem menos importância, ficam no Mega. ksopakpoas

  • Higa, qual é o seu no-break que tem tela?

    • É um Back-UPS Pro 1000, da APC. Comprei faz um tempinho, já saiu de linha.

      • Higa acabei não pegando os “mini” pc’s que vocês falaram que se conectam ao roteador para downloads de torrents, você poderia escrever aqui, ficaria grato.

        • Matheus Souza

          Raspberry pi

  • Louis

    Essa arte de capa ficou muito bonita. Acho que foi uma das melhores feitas até hoje.

  • ELIAS

    Sobre esse tema backup como eu tinha somado Drive,Dropbox,OneDrive tenho no máximo 250 GB contando promoções eu encontrei uma solução/gambiarra de conectar um HD de 1 Tera no PC e direcionei as pastas que sincronizam pra esse HD e faço o backup nas nuvens normalmente e meus arquivos ficam salvos tbm no HD. Parabéns pelos Podcasts.

  • Parabéns pelo podcast mas vcs esqueceram do melhor programa para se fazer o backup de documentos que se chama Evernote. Vocês deveriam conhecer.

  • Leonardo

    Eu uso do backup nativo do Windows. No windows 8.1, o Histórico de Arquivos vai sincronização automática quando você pluga o HD externo na porta USB. Ele pede igual à Apple….

  • Minha solução ideal (que eu ainda não coloquei em prática por falta de recursos) seria um Time Machine rodando via wi-fi (o WD My Cloud, acho que o Higa comentou, parece uma boa opção. Eu não sabia que ele era compatível com TM) + um serviço na nuvem próprio para backup como o CrashPlan. Acho que a combinação desses dois já dá uma boa tranquilidade para a maior parte dos casos.

  • Lucas F. Zurwellen

    Ótimo programa me fez repensar um pouco como eu ando fzd os backups pois arquivos em geral eu tenho em 2 lugares físicos e aqueles que mais uso tb na nuvem mas acabo de vez em qdo fzd cópia deles para o físico, já preciso arrumar essa sincronia.

    Uso o Google Drive pra arquivos pessoais e o Dropbox para compartilhamentos pq é mais fácil.

    Porém meu grande problema é que não to com backup, to mas fica desatualizado e somente em físico, de minhas fotos e músicas.

    Essa semana vou resolver esse problema, pensando em uma form a melhor de dividir as coisas. Tenho uns 3 ou 4 HDs e cada um maior que o outro pela necessidade de espaço mas confesso que a maioria das coisas são filmes e séries… sou mto viciado.

    Falando em emails antigos e P2P ou P2M, em meados de 2003 eu tive uma conta de email, em um site americano de algum assunto nada haver com tecnologia, tipo site de carro, que oferecia 1 TB de espaço com anexos de 600mb… mas lógico que com aquela ótima conexão discada eu usava é nunca a conta rs.

    Valeu as dicas e um abraço.

  • Wilson Junior

    Gosto muito do Tecnocast, já ouvi todos os episódios e estão de parabéns. Sou fã do Mobilon e Paulohiga. Pois bem, uso o Linux e no início encontrei algumas dificuldades para sincronizar arquivos na nuvem com o PC. A solução que encontrei foi utilizar o Copy que é compatível com todos os Sistemas Operacionais. No momento, estou usando-o tanto no Pc quanto no Android, pois facilita e muito o acesso a esses arquivos de qualquer dispositivo sem a necessidade de cabos, USB, Pendrive, e afins. Também uso o GoogleDrive para acessar alguns arquivos mais específicos em modo-offline. Como uso mais o Notebook para estudos e pesquisas da faculdade, não tenho me preocupado com esses tantos Gigas e Gigas armazenado nos Hds. Portanto, consigo fazer o backup na nuvem sem dor de cabeça ao menos por enquanto. Então é isso, um abraço e muito sucesso ao Tecnoblog.

  • Hoje em dia eu uso todos os tipos de nuvem: assino 1TB do One Drive, e as versões free do Dropbox (com vários bônus) e o Google Drive. Mas não copio tudo em todos eles. Os arquivos estão duplicados na minha máquina pessoal e no desktop do trabalho. Assim estarei seguro. Não é? NÃO É?

    Enfim, continuem com o ótimo trabalho, já que você são a minha atualização preferida da tecnologia.

    []’s

  • Miachel Peters

    Comentar que o aumento da probabilidade de falha quando utilizados 2 discos em stripping é uma “impressão psicológica” foi trigger para tela azul do podcast. Please, CTRL-S me!!

  • Miachel Peters

    Caraca, voces são nerds cabaços – Usem o odrive e consolidem todas as cloud boxes em um único local. Dessa forma voce terá gigas e gigas sem custo.

  • Alpha Delta Victor

    Eu gerencio meus arquivos de uma maneira que acredito ser comum para muita gente. Todos os meus arquivos estão em três lugares simultaneamente. No meu laptop, no meu HDD externo e no OneDrive for Business ambos possuem 1 TB, todavia, passo longe de completar essa capacidade. São exceções (não estão nesses três lugares): filmes, séries e conteúdo adulto porque são entretenimento que não há motivo para salvar, normalmente, vejo e excluo, eles ficam apenas no laptop. Únicos arquivos de entretenimento que salvo no HDD externo e nuvem são as músicas que baixo. Ah, e tenho contas em outros serviço de armazenamento, os uso para arquivos que não posso perder de maneira alguma, por exemplo, e outras aplicações.

  • SPO

    Eu era leitor assíduo deste blog, mas de uns tempos para cá parece que largaram mão dele. Coincidiu com a saída da Giovana, mas acho que não foi só isso. Parece que ele passou a ser um segundo negócio de todos. Infelizmente. As notícias agora são todas copiadas e atrasadas. Quando chegam aqui, eu já li em dois ou três outros blogs, e quando somem dos outros por serem encobertas por outras notícias, elas ainda permanecem aqui. Será que algum dia vai voltar a ser o que já foi?

  • Wesley Salmi

    Ouvindo hoje o episódio 24 e percebi que todos são usuários assíduos do OS 10 (outro nível, né?!) e de fato boa parte girou sobre o assunto do bendito “Backup”!

    Pelo visto todos utilizam o Time Machine como ferramenta principal de backup e citaram que é uma grande dificuldade fazer o mesmo no Windows, já que devem copiar os arquivos “manualmente” para um HD externo ou NAS.

    Porém, para a surpresa de vocês o Windows já implementa dês da versão 8, uma cópia do Time Machine chamado “Histórico de Arquivos” e eu a uso diariamente.

    Ele tem uma funcionalidade muito parecida ao Time Machine…
    Informo as pastas que quero copiar ou excluir e a frequência que desejo manter a versão e o Windows faz toda a “mágica”!

    No meu caso, utilizo um NAS em casa para manter o histórico, ou seja, a cada período configurado uma cópia dos arquivos alterados são copiados para a unidade de forma organizada.

    Algo interessante que achei, foi que durante uma substituição de equipamento consegui “apontar” para o mesmo histórico, facilitando até mesmo a migração entre os micros, já que apenas mandei retornar os arquivos e todos do ultimo backup e de manhã tudo estava lá, da forma que eu tinha antes e o versionamento continuou como se nada tivesse mudado. E isso eu achei muuito legal por parte do Windows!

    Agora com o Windows 10 percebi que ele ficou mais “exposto”, para que os usuários possam encontra-lo mais facilmente e não perder esse recurso fantástico.

    Um detalhe… Levo meu notebook para o trabalho diariamente e lá é onde boa parte dos meus arquivos são alterados. Para minha surpresa ele mantem uma versão “off” do histórico e assim que encontra minha unidade em casa, descarrega todas as alterações!
    E agora com o Windows 10 ele me cobra com notificações na tela caso fique muito tempo longe de casa e ele não tem conseguido sincronizar com a unidade!

    Bom, espero ter ajudado a vários usuários que tem a necessidade de realizar backup e hoje “sofrem” para manter o mesmo sem saber que têm uma ferramenta excelente no Windows que pode resolver isso.

  • Wesley Salmi

    Ouvindo hoje o episódio 24 e percebi que todos são usuários assíduos do OS 10 (outro nível, né?!) e de fato boa parte girou sobre o assunto do bendito “Backup”!

    Pelo visto todos utilizam o Time Machine como ferramenta principal de backup e citaram que é uma grande dificuldade fazer o mesmo no Windows, já que devem copiar os arquivos “manualmente” para um HD externo ou NAS.

    Porém, para a surpresa de vocês o Windows já implementa dês da versão 8, uma cópia do Time Machine chamado “Histórico de Arquivos” e eu a uso diariamente.

    Ele tem uma funcionalidade muito parecida ao Time Machine…

    Informo as pastas que quero copiar ou excluir e a frequência que desejo manter a versão e o Windows faz toda a “mágica”!

    No meu caso, utilizo um NAS em casa para manter o histórico, ou seja, a cada período configurado uma cópia dos arquivos alterados são copiados para a unidade de forma organizada.

    Algo interessante que achei, foi que durante uma substituição de equipamento consegui “apontar” para o mesmo histórico, facilitando até mesmo a migração entre os micros, já que apenas mandei retornar os arquivos e todos do ultimo backup e de manhã tudo estava lá, da forma que eu tinha antes e o versionamento continuou como se nada tivesse mudado. E isso eu achei muuito legal por parte do Windows!

    Agora com o Windows 10 percebi que ele ficou mais “exposto”, para que os usuários possam encontra-lo mais facilmente e não perder esse recurso fantástico.

    Um detalhe… Levo meu notebook para o trabalho diariamente e lá é onde boa parte dos meus arquivos são alterados. Para minha surpresa ele mantem uma versão “off” do histórico e assim que encontra minha unidade em casa, descarrega todas as alterações!

    E agora com o Windows 10 ele me cobra com notificações na tela caso fique muito tempo longe de casa e ele não tem conseguido sincronizar com a unidade!

    Bom, espero ter ajudado a vários usuários que tem a necessidade de realizar backup e hoje “sofrem” para manter o mesmo sem saber que têm uma ferramenta excelente no Windows que pode resolver isso.

    Seguem algumas imagens: https://uploads.disquscdn.com/images/7b3010665b01d658eec2e48531cf52505b22f3ed5e796c1c2f12bf1e97f85659.jpg https://uploads.disquscdn.com/images/dd9cf1abadcd90b6fec4c004fcc77dbd91a525916de682156b7c403fa1161722.jpg https://uploads.disquscdn.com/images/3d027af9a50b216443947f525372a40e60de8d5ebbc4bc8b68d2c3be42a163ed.jpg

  • ThiagoDMG

    Olá galera do Tecnocast, como vão?

    Gostaria de comentar a minha experiência com backups no google drive. Ano passado durante a etapa de trabalho conclusão de curso de Rádio e TV, comecei a usar o serviço com mais frequência para essa finalidade de backup. No meu curso, temos uma monogafia (artigo individual) e um TCC (projeto audiovidual em grupo).

    Para a monografia eu simplesmente criei uma pasta no GoogleDrive e ia manualmente fazendo o upload das versões do arquivo em Word. Então toda vez que eu abria o arquivo (por exemplo “MONOGRAFIA_X”, eu duplicava e renomeava como “MONOGRAFIA_X+1” e jogava a versão antiga e a nova no googledrive. Qualquer problema, eu tinha cada versão separada em arquivos. Terminei com quase 40 versões. Desde a primeira vez que sentei para escrever, até a última.

    Para o TCC, utlizei o googledrive para gerenciar os diversos arquivos entre todos os integrantes do grupo. E realmente gerenciar pessoas é o grande problema a ser resolvido! Uma colega de grupo pretendia duplicar um arquivo (para usar como modelo para um novo) mas simplesmente esqueceu e modificou o arquivo original. Pior, só percebi meses depois. Daí bateu o desespero! Me perguntei “como pode não existir uma forma de recuperar versões antigas?!” 😛

    Foi meio assim na marra que descobri que o google drive possui SIM um sistema de recuperação de versões de arquivo. Porém essa função não fica muito explicita para alguém que não está em um momento de desespero!

    Para acessar a função, vc deve entrar dentro do arquivo (dentro das pastas não aparece a opção) e acessar a guia ARQUIVO > VER HISTORICO DE REVISOES. Ou utilizar o atalho command+option+shift+G

    Segue um print de exemplo:

    É isso aí, espero ter colaborado com a discussão.

    No mais, parabéns pelo excelente trabalho!

    abrassss

  • Pedro

    Achei muito interessante esse cast e ontem mesmo estive na casa do meus pais resolvendo um belo problema no PC deles por que meu pai instalou sabe se lá o quê e veio um monte de coisas que vieram de brinde e ele ficou louco e perdendo os arquivos.
    Comecei a pesquisar algumas soluções de backups para eles, trabalham em home office e não podem mais correr esse risco.
    Gostaria que vocês colocassem os links dos serviços que comentam no cast. ajuda bastante.