Início » Empreendedorismo » 5 dicas que eu daria a empreendedores iniciantes

5 dicas que eu daria a empreendedores iniciantes

Por
4 anos atrás

Fundei o Tecnoblog em 2005, quando tinha apenas 19 anos. Na época o meu objetivo era aprender mais sobre servidores, programação e tecnologia, mas logo percebi que o site possuía um potencial para negócios que era proporcional à audiência que eu conseguia atrair.

De lá para cá levei muitos tombos e entendi na prática o significado da expressão “amadurecer em público”. Mas com muito esforço e ajuda da minha equipe, consegui superar as dificuldades e sustentar um crescimento consistente do TB durante esses quase 10 anos de existência.

Perpetual motion with LED bulb and simple light bulbs

Hoje, se eu pudesse dar cinco dicas para pessoas que estão começando a empreender, seriam estas:

1. Persiga a vulnerabilidade

O ser humano possui um instinto natural de se proteger. Sempre que nos sentimos inseguros, vamos ao encontro de lugares, pessoas ou situações que nos confortam. Se você observa essa característica com mais intensidade em você, talvez não sirva para ser empreendedor. Isso porque a incerteza faz parte da rotina de todo empreendedor.

As minhas melhores ideias vieram em momentos de grande instabilidade e exposição. E a melhor forma de lidar com essa insegurança foi abraçando-a. A vulnerabilidade te tira da zona de conforto, e sabemos que nada de inovador acontece quando você acha que tudo está indo bem.

2. Lance primeiro, fique bom depois

Empresas grandes não tem esse luxo. Quando lançam um novo produto ou serviço, precisam se certificar de que eles oferecem um nível de qualidade que seja compatível com a marca já estabelecida. Mas isso não se aplica ao empreendedor iniciante, pois esse não tem a mesma visibilidade. Nessa fase é mais importante ser observador e extremamente ágil. Coloque a sua ideia em prática e melhore diariamente.

Se você esperar até que tudo esteja no lugar, sempre irá encontrar algo que precisa ser melhorado e assim a ideia nunca sairá do papel. E é legal que você seja capaz de identificar pontos que podem ser melhorados, apenas não deixe que isso trave o desenvolvimento da empresa. Defina os pontos que considera cruciais para implementar antes do lançamento e deixe para fazer os refinamentos depois.

3. Se nunca errar, nunca fará nada

Começar um negócio pode ser algo realmente intimidador para um garoto de 19 anos. Eu tinha muito medo de errar e me sentia pequeno quando tinha reuniões com empresas como MercadoLivre, Intel, Microsoft, Nokia e outras gigantes que acreditaram no TB no começo. Ainda assim, nessa mesma época o Tecnoblog foi um dos maiores parceiros do MercadoLivre no mundo (se não o maior), chegando a faturar 78 mil reais em um único mês apenas com o programa.

A verdade é que todo mundo comete erros e o importante aqui é a forma como você lida com esses erros. Em um mercado novo (como os blogs eram na época aqui no Brasil) todos ainda estavam experimentando o formato e tentando descobrir as melhores formas de trabalhar.

Se você vai começar um negócio em um mercado mais maduro, comece estudando os seus competidores. Mas se vai criar algo em uma área relativamente nova, não se prenda tanto a isso. Empreendedores de sucesso erram dezenas de vezes antes de acertarem. Se você não acredita, é só pesquisar a história deles e verá que são pessoas normais, porém persistentes.

4. Pessoas tímidas podem ser grandes empreendedores

Algumas pessoas pensam que, para cuidar bem de um negócio, você precisa falar mais do que a boca, ser cheio de energia e super extrovertido. De fato, o bom humor abre portas e a boa comunicação é essencial até para os tímidos. Mas os introspectivos possuem características de líder que não encontramos nos extrovertidos.

No livro Quiet, a autora Susan Cain explica que uma das vantagens dos líderes introspectivos é que eles tendem a dar mais espaço para que os funcionários desenvolvam as suas ideias e encontrem as suas próprias soluções para os problemas, enquanto que os extrovertidos podem drenar as energias do ambiente de trabalho, sendo centralizadores e convocando reuniões excessivas para todo e qualquer problema.

Os introspectivos são pessoas mais cerebrais. Pode até parecer que são quietos demais, mas a verdade é que vivem em um mundo rico dentro de suas mentes. Essa reflexividade lhes dá uma vantagem grande na hora de encontrar soluções para problemas complexos.

Se não acredita, é só lembrar que o atual homem mais rico do mundo é justamente um introspectivo: Bill Gates.

5. Busque especialização, não importa onde.

Tem muita gente que se baseia demais em diplomas e certificados antes de se arriscar. Esses reconhecimentos formais podem até ter um efeito psicológico, mas não são garantia de sucesso. Da mesma forma, não estudar nada ou não conhecer bem a sua área de atuação também são grandes erros e um dos principais motivos pelos quais novas empresas fecham antes mesmo de conseguirem recuperar o investimento inicial.

O achismo é, na verdade, a arrogância disfarçada de intuição. Não é porque uma faculdade não lhe garante o futuro que você não precisa estudar. Por mais saudável que esteja o caixa de uma empresa, ela estará sempre a um acontecimento de seguir o caminho da falência. Ainda mais no mundo da tecnologia.

Não seja negligente! Estabeleça metas anuais de leitura de livros, encontre fontes de notícias confiáveis, assista documentários, ouça podcasts, e faça de tudo para se manter em um estado constante de aprendizagem. Ah, não deixe de ampliar também a sua carga cultural! Isso fomenta a criatividade, que se usada em conjunto com o conhecimento técnico, pode dar origem a negócios realmente inovadores.