Início » Computador » Skylake: o que você precisa saber sobre os processadores Intel Core de 6ª geração

Skylake: o que você precisa saber sobre os processadores Intel Core de 6ª geração

Anunciados nesta quarta-feira (5), o chips Core i5-6600K e Core i7-6700K são os primeiros da nova arquitetura

Por
2 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Core i7 - Skylake

É oficial: a era Skylake acaba de começar. Nesta quarta-feira (5), na Gamescom 2015, a Intel anunciou os dois primeiros modelos da sexta geração de processadores Core: os chips Core i5-6600K e Core i7-6700K. A espera teve alguma coisa de rumor e expectativa, mas não foi em vão. Tudo indica que os chips Skylake não vão decepcionar.

Novo socket e memórias DDR4

Assim como as unidades Broadwell (a geração atual), os chips Skylake são baseados em tecnologia de fabricação de 14 nanômetros (a próxima geração também terá essa litografia — explicamos tudo aqui). Mas, nos demais aspectos, muita coisa muda.

Para começar, os chips Skylake utilizam um padrão de conexão ligeiramente diferente, o socket LGA 1151. Isso significa que você não poderá instalar os novos processadores em placas-mãe com LGA 1150, por exemplo. A recíproca é verdadeira: processadores Core das gerações anteriores não são compatíveis com o novo socket.

Chip Skylake

Outra mudança notável é o foco que os novos processadores dão para as memórias DDR4. A Skylake é uma arquitetura de transição, digamos assim, então ainda haverá compatibilidade com módulos DDR3 (DDR3L, especificamente). Mas, provavelmente, teremos muito mais placas-mãe com DDR4. Memórias DDR3 deverão estar mais presentes em laptops, pelo menos inicialmente.

Quer dizer então que a Intel vai nos forçar a comprar novas memórias se tivermos que fazer um upgrade? Se você quiser extrair o máximo potencial dos novos chips, sim, mas eu não vejo isso de modo negativo. A transição faz sentido. Memórias DDR4 consomem menos energia (por padrão, trabalham com 1,2 V), têm taxas de transferência mais altas e são mais densas, ou seja, dá para contar com mais gigabytes no mesmo módulo.

É verdade que as memórias DDR4 são mais caras, mas os preços devem baixar à medida que a fabricação dos módulos aumentar.

Overclock

Na nova geração, a Intel não quer dificultar (muito) a vida dos amantes de overclock. Os processadores Skylake (pelo menos os modelos mais poderosos) virão com multiplicador liberado e completo acesso ao BCLK (clock base). Também há mais liberdade para overclock de memória.

Skylake - overclock

Tem mais: com os chips Haswell, a Intel passou a adotar o FIVR (Fully Integrated Voltage Regulator). Isso significa que o regulador de voltagem deixou de estar presente na placa-mãe para ser integrado ao processador. Teoricamente, essa abordagem permite controle mais preciso da alimentação elétrica e reduz os custos de fabricação da placa-mãe. Só que a geração Skylake deixou de incorporar o FIVR.

Para muita gente, essa é uma ótima notícia. Apesar das aparentes vantagens, muitos heavy users acreditam que o FIVR atrapalha o overclock por fazer o processador gerar mais calor e dificultar a mudança de determinados parâmetros.

Não é do feitio da Intel dar enfoque ao overclock dessa maneira. Provavelmente, a mudança de comportamento é uma estratégia para a companhia se aproximar ainda mais do público gamer. Mas há um detalhe importante: inicialmente, o real aproveitamento do overclock só será possível com o também novo chipset Intel Z170.

Chipset Intel Z170

Obviamente, o componente não foi pensado só para dar acesso a parâmetros de overclock. O chipset também se destaca por trazer Thunderbolt 3.0, PCI Express 3.0 (até 20 pistas), RAID baseado em dispositivos com conectores M.2, SATA de 6 Gb/s, até 14 portas USB 2.0 e máximo de dez conexões USB 3.0. Pode haver suporte a USB 3.1, mas isso dependerá de controladores instalados na placa-mãe pelo fabricante.

GPU

Pelo jeito, a Intel já entende como regra a integração de GPUs aos seus processadores. Na nova geração não é diferente. Os chips Core i5-6600K e Core i7-6700K, por exemplo, virão com a igualmente nova GPU Intel Graphics HD 530.

Ambos os processadores são de alto desempenho e devem atender especialmente aos gamers de plantão, público que, invariavelmente, equipa suas máquinas com placas de vídeo poderosas. Assim, é pouco provável que os jogadores se interessem pela GPU integrada. Provavelmente, o recurso servirá como “quebra-galho”.

A Intel Graphics HD 530 suporta DirectX 12, resolução 4K e até três transmissões de vídeo ao mesmo tempo, por exemplo. Fraca, portanto, a GPU não é. Mas jogos mais pesados certamente exigirão chips gráficos mais parrudos.

Core i5-6600K e Core i7-6700K

Core i5-6600K e Core i7-6700K

Nas demais especificações, o Core i5-6600K conta com quatro núcleos, clock de 3,5 GHz (3,9 GHz em Turbo Boost), cache L3 de 6 MB e TDP de 91 watts. Não há suporte a HyperThreading, porém.

Já o Core i7-6700K é um chip quad-core com frequência de 4 GHz (4,2 GHz em Turbo Boost), cache L3 de 8 MB e, novamente, TDP de 91 watts. O HyperThreading está presente nesse modelo.

Ambas as novidades chegam ao mercado até o final do trimestre nos Estados Unidos. O Core i5-6600K terá preço sugerido de US$ 243; o Core i7-6700K, de US$ 350. Para nós, no Brasil, a conversão deve ser cara, você sabe como é.

Core i5-6600K e Core i7-6700K

Mas essa é só a largada. Ao longo dos próximos meses, a Intel deve anunciar mais processadores Skylake, inclusive mais baratos. Podemos esperar mais novidades (incluindo outros detalhes da nova geração) na próxima edição do Intel Developer Forum, marcada para o próximo dia 18.

Valerá a pena migrar? Esse é o tipo de pergunta que merece um “depende”. Se você tem um computador mais antigo (com processador Sandy Bridge ou Ivy Bridge, por exemplo), é uma ideia a se considerar. Se não, talvez seja melhor esperar um pouco mais. Pelo o que já apontam alguns benchmarks, o ganho de performance das unidades Skylake não deve superar 10% na comparação com as gerações anteriores — os chips Broadwell e Haswell.

Com informações: ExtremeTech, AnandTech, Ars Techica 

Atualizado às 23:00

  • Alisson Silva

    Por um pino de diferença será necessário trocar de placa-mãe também, caso queira fazer o upgrade. A Intel deveria ter colocado ao menos uns 10 pinos só pra o pessoal não se sentir trollado.

    • Mario Junior

      Fora que a perfomance por parte da CPU permaneceu praticamente estagnada, desde o SandyBridge.

      • Fabinho Moreira

        Hummm ……

    • Rafael Luik

      Não é um pino de diferença, você por acaso sabe pra que cada pino serve?
      Tem várias evidências da mudança de responsabilidade de alguns pinos por causa do FIVR, etc. Além disso o Skylake não é compatível com pentes DDR3 como foi citado, mas sim CHIPS DDR3 em formato DDR3L (que possui encaixe igual a DDR4) ou seja incompatível com placas-mãe com encaixe de pentes DDR3 comuns.
      A troca de placa-mãe é inevitável.

    • Rafael Luik

      Não é só um pino de diferença, a função de cada pino muda. Chuto que o FIVR por exemplo que agora foi pra placa-mãe deve informar dados de voltagem ao processador por meio deles, gerando incompatibilidade.

      (Por que meu comentário anterior foi removido? Não precisa recuperá-lo porque continha informações erradas que verifiquei agora mas queria saber o motivo…)

    • Corta o pino!

  • Bruno

    Credo, cadê as novidades neste chipset? Não tem nem USB 3.1 integrado, a Intel já deveria ter matado o USB 2.0 e deixado o 3.0 e 3.1 mas nem isso fizeram, não tem nenhuma novidade relevante ai, ainda bem que não vou montar um PC novo agora pois isso ai não é fácil de engolir, melhor esperar pra ver a AMD, até lá meu Haswell vai dar conta do que vier.

    • Louis

      Pelo que li a situação não é tão sumos assim em relação ao USB 3.1. A Apple utilizou no novo Macbook, mas, de lá para cá esse padrão já dobrou a velocidade de transferência e com isso já está “ultrapassado”. E pelo que as notícias dizem, a probabilIdade do desempenho do novo padrão USB aumentar é ainda maior. Logo, é uma faca de dois gumes investir nisso agora. Pois, quem começar a utilizar ficará para trás logo no início. É não será uma mudança relacionada ao software, logo é algo que tem um impacto físico.

      • Bruno

        A velocidade das conexões USB sempre dobra a cada nova versão, nada de novo até ai, mas com o USB Tipo C batendo na porta não da para ficar esperando novas versões, mesmo este tipo de USB não necessitando exatamente do USB 3.1, acho que se há uma tecnologia nova disponível não há porque continuar fazendo produto novo misturado com coisa velha, USB 2.0 ja deu o que tinha que dar.

        • Louis

          Respeito sua opinião, mas discordo. =)

  • ochateador

    Se matasse as portas USB 2.0 e deixasse apenas as 3.0/3.1 …..

  • ander

    kkk me sinto feliz com meu atom ‘-‘

  • Trovalds

    Nah, nada de novo a não ser… o socket e o suporte às memórias DDR4. De resto, mais do mesmo. Na próxima geração não vamos ter nada de muito surpreendente também, então quem sabe daqui umas 2 ou 3 gerações eu faça um upgrade de máquina. Isso pra quem ficou sem fazer upgrade por 6 gerações seguidas é “bolinho”, aliás.

    • Rodrigo Santos

      Diz isso porque não pode fazer UP agora neh amigo k

  • Marcel Albuquerque

    Eu vi um review do Techspot e eles falam que o desempenho do i7 6700k é decepcionante.

  • abraaocaldas

    Tem certeza sobre os valores, porque na tabela tá falando que é o “Recommended Customer Price”, que eu chuto que seja o preço sugerido ao consumidor e não de lotes.

    • Emerson Alecrim

      E é mesmo. A tabela de referência que eu acessei fala em “thousand-unit trays”, mas no site da Intel o release bate com a tabela. Já fiz a alteração. Valeu o toque!

  • Keaton

    Faz nem uma semana que comprei um notebook com o i5 de quinta geração e vocês me fazem isso? .______________.
    Poxa, sacanagem, nem chegou o note e já tá ultrapassado. xD

  • stealthsuit

    Com o preço do dolar nesse momento, nem rola fazer um upgrade de laptop pra Skylake. Tenho um Sandy Bridge, acho que vou fazer pra versão HQ do Haswell.

  • Wendel Schelhan

    Sem gargalos com meu 2500k por aqui.

    • Paulo Gonçalo

      Digo o mesmo. Engraçado que com esse mesmo período de tempo, lá no começo dos anos 2000, os processadores deram um salto gigante em relação a desempenho.

      • Wendel Schelhan

        Acredito que seja pela decaída que a AMD deu nos últimos tempos. Sem concorrência, a Intel se resume a requentar processadores.

    • Rodrigo Santos

      Roda Watch Dogs no ultra amigo 😉

  • Lorraine Bettencourt

    Já conhecem o http://www.yeeba.me? Descobri ele recentemente, tenho um perfil lá, me adicionem é uma rede social para compartilhar seu conhecimento com outros, apostilas e posts, tomei a iniciativa de divulgar pq acho que o projeto merece. =D http://yeeba.me/u/user/1598

  • Guilherme Vezaro

    A performance não teve grandes mudanças… to feliz com meu i7 broadwell.

  • Rodrigo Santos

    Eu não sei quanto a vocês mais eu vou migra para essa nova tecnologia, até no começo de 2016 a intel vai lança processadores mais poderosos da skylake.

  • Diego

    Continuo com meu Haswell i7 3.8 de quarta geração em NB de 24GB Ram, com SSD’s e GeForce GTX.

  • carlinhosduh

    ta fogo, alguém pode me ajudar, as placas da geração anterior são todas high end quad channel , 3 way sli etc, já nessa geração saíram placas mais acessíveis dual Chanel, ainda não tem placas quad Chanel para skylake, enfim comprei uma maximus hero viii, mas ainda não chegou , pedi para segurarem, meus medos são, comprar um i7 6700k por 2100 reais , e em janeiro sair um skylake, muito mais potente por pouca diferença e eu me fo…d..? segundo, tem muita diferença dessas placas high end, para as outras de entrada, exceto 3 way sli, em quad Chanel? não é por causa de 300 a mais que irei deixar de pagar e pegar a minha quad Chanel etc e ficarei na geração anterior a skylake mesmo.

  • carlinhosduh

    ´pensando em um futuro próximo, directx12, z170 vs x99, será que esse novo socket 1151 realmente batera nos poderosos 2011v3 six core em directx 12?

  • Neudys Henrique

    Ainda posso usar memorias dd3 com o core i5 6600 ?

  • Daniel Henrique

    So posso usar memoria DRR3L 1,35 volts e ddr4 nesse processador ?