Início » Segurança » Suicídio, extorsões, desemprego: as consequências do vazamento de dados do Ashley Madison

Suicídio, extorsões, desemprego: as consequências do vazamento de dados do Ashley Madison

Informações de 37 milhões de usuários do site para infiéis Ashley Madison foram distribuídas na web

Por
2 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora
ashley-madison-home

“A vida é curta. Curta um caso.” é o slogan do site de traições.

Após a exposição dos dados dos mais de 37 milhões de usuários do site para “infiéis” Ashley Madison, a empresa por trás do site, Avid Life Media (ALM), está sendo processada por vários usuários; alguns, inclusive, estão preocupados com seus filhos, empregos e já averãoá relatos de suicídio por causa das informações reveladas.

Há pouco mais de um mês, foi revelado que um grupo de hackers que se autodenomina Impact Team havia conseguido invadir a base de dados dos usuários do site. O motivo, segundo eles, era em protesto à não exclusão total dos dados dos usuários que solicitavam a remoção dos seus dados ― esse serviço era pago, e ainda era cobrada uma taxa de US$ 19.

Como levantado pelo site britânico The Register, a empresa realmente não apagava todas as informações do solicitante, contrariando a nota da ALM emitida no dia 20 de julho. Segundo o site, a localização, data de nascimento, peso e altura eram mantidos mesmo após o pagamento da taxa. É curioso observar que dados como cidade, estado, país, latitude e longitude permaneciam armazenados e podiam ser usados para estimar a localização do usuário, mesmo após a remoção do código postal.

Naturalmente, a exposição dos dados que a empresa afirmava que havia apagado levou múltiplos usuários a moverem uma ação contra a ALM, com sede no Canadá. Segundo a NBC News, desde segunda, já há cinco processos no colo da empresa, sendo que quatro foram preenchidos nos Estados Unidos e alegam quebra de contrato, negligência e violação de uma série de leis que garantem a privacidade.

Outdoor do site: "Trazendo casamentos de volta à vida". (Foto: Daily Billboard Blod)

Outdoor do site: “Trazendo casamentos de volta à vida”. (Foto: Daily Billboard Blod)

Todos esses quatro processos foram movidos por pessoas que decidiram não revelar seu nome verdadeiro e visam indenização de até US$ 5 milhões. A quinta ação, um pouco diferente, foi movida na semana passada em um tribunal canadense por um homem chamado Eliot Shore e exige indenização de US$ 573 milhões.

O processo de Shore foi classificado como uma ação coletiva, na qual uma das partes representa um grupo de pessoas. Shore ainda justificou que ele fez o cadastro no site logo depois que sua mulher morreu de câncer de mama e afirmou que nunca se encontrou com alguém do site nem traiu sua esposa.

Os usuários que estão processando a ALM ainda alegam que a empresa “poderia ter se prevenido” e não o fizeram, ainda que tinham conhecimento (ou pelo menos deveriam) de que os dados de quem estava cadastrado eram “particularmente sensíveis”. Uma das medidas preventivas seria “criptografar as informações atreladas aos usuários, […] assim qualquer dado roubado e obtido apareceria em formato encriptado”, diz o texto da ação.

Impacto sobre os usuários

Superintendente Bryce Evans na coletiva da polícia em Toronto

Superintendente Bryce Evans na coletiva da polícia em Toronto

Com os dados das milhões de pessoas registradas no Ashley Madison disponíveis para consulta, é “natural” que muitos usuários tenham suas vidas pessoais perturbadas, seja dentro da família, seja no trabalho. Não foi à toa que a polícia canadense vinculou dois casos de suicídio ao vazamento de dados do site.

Em uma coletiva realizada realizada segunda-feira (24), Bryce Evans, superintendente da polícia de Toronto, reconheceu que o ataque ocasionou um dos maiores vazamentos de dados do mundo e tem característica ímpar porque “expõe dados pessoais de milhões de pessoas, incluindo seus dados do cartão de crédito”.

Bryce ainda classificou o ato como criminoso e sustentou que haverá impactos a longo prazo de cunho social e econômico. “Nesta manhã, recebemos dois casos não confirmados de suicídio associados ao vazamento dos perfis dos consumidores do site Ashley Madison”, acrescentou.

Muitos dos usuários, inclusive, temem impactos em sua vida profissional. Um homem identificado apenas como Michael, em entrevista à Agence France-Presse (AFP), confessou o medo de perder o emprego.

“Meu medo é que isso danifique todas as áreas da minha vida. Eu tenho um bom emprego, mas muitos dos meus colegas de trabalho são religiosos. Eu posso ser demitido. O que eu fiz foi errado e me arrependo profundamente, mas me fazer perder o emprego e colocar meu filho em risco de pobreza é dificilmente uma punição adequada”, contou.

ashley-madison-extorsao

E-mail pedindo dinheiro em troca de não revelar informações de usuário

A imagem acima, veiculada pelo Business Insider, mostra um dos pedidos de extorsão que alguns dos usuários receberam. Com os dados facilmente acessíveis na internet, usuários maliciosos como o do e-mail acima podem chegar ao perfil do Facebook de algumas pessoas e assim achar seus familiares e amigos, que podem ser bombardeados com a surpresa de seu amigo ou parente ter cadastro em um site de traição.

Alguns pedem dinheiro, mas outras agências de inteligência também podem usar as informações divulgadas para explorar dados sensíveis dos usuários. Ainda há casos de mais de 10 mil contas legítimas registradas com e-mails de oficiais do governo.

Segundo o Dadaviz, mesmo site que elegeu São Paulo como a cidade com o maior número de contas no site, os Estados Unidos estão em primeiro lugar no número de agentes do governo cadastrados no Ashley Madison (e o Pentágono disse estar investigando). Nessa lista, inclusive, o Brasil fica em segundo.

18 milhões de usuários do site eram homens casados

18 milhões de usuários do site eram homens casados

Apesar da maioria dos usuários do Ashley Madison ser homens casados que procuram pular a cerca, qualquer um que tinha acesso a muitas informações sobre alguém poderia perversamente cadastrar essa pessoa no site. Muitos dos usuários que contataram a Status Labs, empresa de gerenciamento de imagem, alegaram roubo de identidade, apesar de outros terem admitido adultério e estarem profundamente arrependidos.

Segundo Courtney Fitzpatrick, diretora da Status Labs, as 50 pessoas que entraram em contato com ela são todas do sexo masculino que se encontram nas situações variadas citadas acima. Ainda há casos de “infiéis evidentes que estão com medo de serem descobertos por suas esposas”, segundo ela.

Esses são apenas alguns cenários em que os milhões de usuários do Ashley Madison vão se deparar durante os próximos meses e até anos. Nenhum membro da Impact Team foi descoberto até agora. A Avid Live Media oferece US$ 375 mil para qualquer informação que os levem a achar o culpado pela invasão.

  • Ashley Madison:

  • Jonas S. Marques

    Fato é que os hackers também foram bem irresponsáveis ao simplesmente jogar esses dados abertamente na Web. Muita gente teve e terá a vida destruída por conta disso. Até que ponto vale uma guerra por privacidade?

  • Raphael Ribeiro Silva

    Engraçado como a palavra “profundamente arrependido” aparece agora por varias vezes. De qualquer forma, quem teve relação com esse site, está em maus lençóis.

    ______ “prometo amar, respeitar, até que Ashley Madison nos separe”! 😂

  • Não desejo a morte de ninguém, mas correndo o risco de soar muito politicamente correto, é muito bem feito que tanto a empresa Ashley Madison quanto os usuários desse site estejam em maus lençois com esse vazamento de informações. Na hora de fazer a parceira(o) de trouxa e pular a cerca tava tudo lindo né? Agora lidem com as consequências. Como diz o ditado: arranjaram sarna para se coçar.

    • Rafael Romão da Silva

      Só faltou cravar a espada da justiça no peito dos infiéis. Francamente.

      • brunocabral

        O cara traiu pq quis… Vamo parar com esse coitadismo. Errado é errado e ponto final.

      • Francamente o que? Tu és a favor de traição? Eu acho isso uma atitude de total desrespeito com o outro. Quem trai, trai porque quer, ninguém obriga.

        • Lucas Corrêa

          Tu percebeu que tem solteiros no meio também?

          • Percebi sim, mas o que os solteiros tem a temer em uma situação como essa? Não devem explicações a ninguém. Se você é solteiro e descobrem que você utiliza o Tinder ou outro site/aplicativo qualquer, que consequência isso tem?

          • Lucas Corrêa

            Ter sua vida exposta, complicações em possíveis relacionamentos atuais. Imagina uma mulher descobrir que o nome de seu namorado está no meio de um vazamento de um site desses? Muitas podem não acreditar que foi antes do relacionamento. Imagina uma pessoa que fez o cadastro mas não chegou a trair, talvez por não conseguir, ou por mera curiosidade mesmo, lógico que esses casos não são a maioria, mas não devem ser esquecidos.

          • DoisLitros

            dados de cartão, local… enfim, informações que possam ser usadas por outra pessoa.

          • Dados de cartão de crédito, local e outras informações desse tipo poderiam ter sido roubados de qualquer outro site e certamente não foi o roubo desse tipo de dados que está causando problemas maiores e até suicídios.

        • G. C.

          Ainda não entendi sua fascinação com a intimidade alheia. Bora cuidar da própria vida?

          • Olha cara, eu estou dando a minha opinião sobre o caso em uma sessão de comentários, que é feita justamente pra isso, enquanto ao mesmo tempo estou cuidando da minha vida. Eu não tenho fascinação alguma pela vida alheia, só estou expondo que acho errado participar de sites desse tipo quando se é casado e que as pessoas tem que estar cientes de que vazamentos de informações na internet são mais comuns do que parecem.

          • G. C.

            Você está dando sua opinião e eu estou respondendo. Não faz sentido algum vc querer interferir na vida das pessoas e na intimidade delas. Se alguém quiser trair, o problema é dela e seu(sua) parceiro(a). São eles que fizeram promessas de fidelidade. É por isso que traição deixou de ser crime, pois não faz sentido qualquer um se meter no relacionamento.

            Eu e você não temos nada a ver com o relacionamento deles e não tem motivo pra torcer contra elas ou fazer julgamento moral. Temos é que ser contra o furto de informações privadas e intimas. Isso sim é um crime dos mais terríveis. Também temos que criticar a empresa por lucrar milhões e não investir o suficiente em segurança da informação.

          • Eu não estou interferindo em nada, eu estou dando a minha opinião baseada no meu julgamento moral que considera trair algo errado. Não acho que a atitude de roubar dados seja louvável, mas devido ao contexto não sinto pena alguma da maioria dos envolvidos (homens casados). É a má fé dos hackers contra a má fé dos usuários do site para com seus parceiras. E é claro que temos que criticar a empresa, primeiramente por ela existir(!) e segundo por não investir dinheiro suficiente na segurança dos dados dos usuários.

          • G. C.

            Só faltam os forcados e as tochas pra começar o policiamento da vida alheia.

            Enquanto o crime e a invasão são ignorados, a privacidade e intimidade das pessoas, que deveriam ser irrelevantes aqui, está sendo colocado como fator determinante na questão. Trair, gostar de fazer sexo anal, gostar de masoquismo, gostar de fazer sexo em grupo, comer fezes, beber urina, nada disso é relevante para o caso, ninguém precisa saber disso e é por isso que se chama intimidade. Sua moral é sua, não minha, não dos que estão cadastrados no site. Se alguém magoou o sentimento de alguém, trata-se da vida privada dessas pessoas e não da sua. Você que cuide de sua vida.

            A crítica deve ser dirigida aos criminosos que estão expondo dados sensíveis, privados e íntimos e não dizer “é muito bem feito”, como vc disse. Não é bem feito para ninguém ser vítima crime. Colocar a culpa na vítima é uma aberração índole da pessoa.

          • Michael Samuelle

            Quem pediu a sua opinião? guarde ela pra você

        • Michel Vieira Pinto

          Quem é casado tem mais que se fuder mesmo, mas quem é solteiro tem que meter pau neles.

      • Michael Samuelle

        Todo corno fica revoltado kkk

    • robertha fechativa

      nem todos eram casados, vai julgar todos pela maioria? tsc

    • Hail! Lorde da moral e da justiça!

    • Ulysses De Castro Silva

      Concordo contigo em gênero, grau.

    • João Silverado

      Pois é, mas os que gostam de botar chifre mas não gostam de receber vão reclamar da sua opinião. Não tenha dúvidas.

    • Lucas Corrêa

      O problema é muito maior que ter a traição descoberta, é ter sua vida íntima exposta para o mundo, isso não traz problemas só para os infiéis, todo o seu núcleo familiar pode sofrer as consequências.

    • G. C.

      Você merece uma insignia de Policial da Vida Alheia.

    • Gaius Baltar

      Pensei que só o Gizmodo tinha sido invadido pelos comentaristas do G1, mas parece que o Tecnoblog também sucumbiu…

      • Eu gostaria que você não tirasse esse tipo de conclusão da minha pessoa me comparando com os (em sua maioria) ignorantes que comentam absurdos em grandes portais de notícias. Eu só quis deixar claro que sou contra esse tipo de site e a conduta que ele promove e que sim, acho que quem trai merece levar um susto desses pra pensar 2 vezes antes de fazer isso novamente.

        • Gaius Baltar

          Na notícia está claro que muitas pessoas inscritas no site sequer são casadas, mas terão seus dados pessoais e financeiros expostos de maneira totalmente indevida. Não será um susto, e sim um prejuízo financeiro e emocional enormes. E há que separar o que são crenças pessoais (achar traição errado) do que são crimes (roubo de dados).

          • Gaius, crenças pessoais são diretamente ligadas a opiniões (que eu estou expondo aqui). Dados pessoais e informações financeiras poderiam ter sido roubadas de inúmeros outros sites e em todos os casos seriam crimes. A questão aqui é que não sinto pena da maioria dos envolvidos por considerar que, se eles não tivessem agido de má fé com suas parceiras não estariam passando por isso agora. É do ser humano querer que a “justiça” seja feita, mesmo que esse senso de justiça não seja o mesmo pra todo mundo.

          • Gaius Baltar

            Ok, mas há pessoas solteiras inscritas no site e estas também foram afetadas pelo vazamento.

    • Michael Samuelle

      Todo corno fica revoltado né

  • Maxnoob

    O pessoal só sabe enxergar o fator traição sem saber que muitos que usavam o site eram pessoas homossexuais que não podiam expôr sua orientação por motivos extremos até mesmo por colocar a propria vida em risco.
    Infelizmente ainda existem paises que condenam a morte o homosexuais, sem falar no preconceito dos próprios familiares.
    Quer queira ou não, ainda vai ter gente morrendo, ou sendo torturada justamente por causa desse vazamento e eu nao vejo nada disso como um “bem feito”.

    • artheux

      Eu não ligava pro fato pois não havia visto por esse lado. É verdade.

    • Suely Almeida

      Segundo o gráfico da matéria, os homossexuais cadastrados são minoria. A grande maioria é de hétero procurando sexo oposto.

      • Maxnoob

        E que diferença isso faz? Aquelas pessoas vão sofrer as consequências da intolerância da mesma maneira.

  • Anderson D

    Esses que se matam devem ser os pregadores da moral e bons costumes ai a máscara cai e sem pra onde fugir o cara se mata. É ué

  • Vinícius Ramon Fontanela

    Corrige aí, por favor: haverá impactos, não “haverão”.

    • DoisLitros

      Rapaz, pergunta honesta: o verbo não está concordando com oS impactoS? nesse caso por que não seria no plural?

      • Vinícius Ramon Fontanela

        Porque o verbo haver, com sentido de existir, não varia. O verbo concorda com o sujeito, certo? E “os impactos” é objeto do verbo haver, não pode, portanto, contrair concordância. Construções como essa têm sujeito inexistente, por isso o verbo não flexiona.
        😀

  • Lucas Corrêa

    As pessoas não entendem que mesmo a pessoa sendo uma FDP por trair sua esposa, ou seu marido, isso se trata de uma relação íntima entre eles, e somente eles. Se essa exposição se restringisse aos envolvidos na relação tudo bem, o problema é que vai muito além disso. Fora que como a gráfico mostra, há solteiros no meio também, que tiveram seus dados revelados, e podem acabar tendo problemas em seus possíveis relacionamentos atuais. Isso não se trata mas de fulano trai e merece ser descoberto, é muito maior que isso.

  • Daniel Eugenio

    Traição é errado e ponto. Mal caráter quem faz, se não fosse errado não fariam escondidos. Portando, BEM FEITO!

  • Ricardo – Vaz Lobo

    De boa, esse caso é uma amostra grátis do que poderia ser feito contra um banco transnacional, instalações militares ou usina nucleares. É bom o povo de TI ficar mais esperto.

  • Leonardo Stringary

    Bom,devido a tudo que tenho visto desse site ontem resolvi fazer uma conta pra ver como é,sou solteiro por isso não vi problemas,mas o tanto de mulher casada que veio me mandar msg é incrível,fora as fotos que elas mandam. Só um relato mesmo =)

  • Antonio Francisco de Souza

    Ficou a lição para quem lida com dados sensíveis.
    Tem muita empresa com milhões de cadastros, não como o caso acima, mas que são passíveis de acabar com a vida de muitos se vazarem.
    Então, é melhor ser sempre paranoico quanto a segurança.
    Assim, estarás seguro? Bom, estará mais seguro, pelo menos.

  • Rubens Garcia

    Quem trai nao tem carater suficiente para ter uma relação saudavel e honesta, que se foda com essa revelação desses dados, fodam-se….

  • Acabei de se inscrever no site 🙂