Início » Celular » iPhone e games – um ano depois

iPhone e games – um ano depois

Avatar Por

Há algum tempo enumerei os motivos pelos quais, em minha humilde opinião, o iPhone é uma excelente plataforma móvel pra jogosconvergência, portabilidade, miríade de jogos a preços acessíveis, entre outros. E os donos do aparelho (ou do seu irmão mais esbelto, o iPod Touch) que se aventuram na seção de jogos da AppStore parecem concordar comigo no ponto de que, apesar de algumas desvantagens, o aparelho preenche bem a lacuna de console portátil.

Naturalmente, ainda há uma imensa rejeição por parte dos gamers mais hardcore à idéia de considerar um iPhone como um competidor “de verdade” na batalha pela hegemonia da jogatina de bolso. Há os que esboçam análises elaboradas para justificar a antipatia, e há os que rejeitam a premissa logo de cara. Posso estar enganado, mas sempre imaginei que a interseção entre este último grupo e os que cultivam desprezo pela Apple é grande.

Nenhum lado dessa discussão estava necessariamente “certo”, no entanto – eu apenas ecoava a voz dos milhões de gamers que se satisfazem com as capacidades “videogamicas” dos seus iPhones, e do outro lado havia aqueles para os quais a ideia não é atraente. Ninguém está certo ou errado, e ninguém precisa justificar uma opinião – eu gosto, você não gosta (ou vice-versa). Fazer o que, né?  A discussão é meio abstrata. Ou, em termos mais comuns, “não vai a lugar nenhum”.

Bom, a discussão era abstrada. Nesta semana foram divulgados números interessantes sobre a aceitação do iPhone como console portátil, e que nos permitem especular sobre o futuro da plataforma nesse mercado.

Os números acima comparam a renda gasta em games nos Estados Unidos – e convenhamos, quando o assunto é game, o que rola nos EUA define o mercado e se reflete globalmente. Em 2008, 75% de toda grana gasta em games de bolso ia para os cofres da Big N. O PSP ficava num distante segundo lugar, com 20% da fatia. O recém-chegado iPhone (a AppStore foi lançada naquele ano, portanto era sua estreia como “console”) amargava a lanterna com míseros 5%.

De lá para cá, eu e muitos outros gastamos nosso fôlego e dedos pregando a respeito do potencial do iPhone como console portátil, explicando que as desvantagens não pesam mais que as vantagens da plataforma, e que a convergência do aparelho poderá mudar a forma como jogamos portatilmente.

Um ano se passou, e até mesmo os defensores mais otimistas do aparelho se surpreenderam com o efeito que ele teve sobre o cenário gamer. Grandes nomes da indústria como Mark Rein, John Romero e John Carmack saíram em defesa do (e em desenvolvimento de jogos para o) iPhone. No caso do Carmack, chegou até mesmo a falar inequivocamente “o iPhone é melhor que consoles portáteis dedicados”. A Game Developers Conference reconheceu o aparelho este ano e teve eventos com empresas e desenvolvedores da AppStore. Grandes estúdios como Konami, Capcom, Activision, Sega, PopCap e até mesmo a gigante EA, ao contrário de desconsiderar o iPhone, marcaram presença forte no desenvolvimento de ótimos jogos pra plataforma.

E o resultado é o gráfico da direita na imagem acima. O dinheiro gasto em jogos do Nintendo DS caiu em 5%, e de PSP em 9%. Lucros gerados por vendas de joguinhos na AppStore subiram precisamente 14%. Ou seja, o iPhone devorou uma considerável fatia do mercado de ambas competidoras. Em um ano. Com hardware, alguns argumentam, que sequer é apropriado para games, apra começo de conversa.

Só para fins de comparação, o N-Gage (que nasceu desde o começo como um híbrido de celular e videogame) teve míseros 58 jogos lançados, e vendeu 3 milhões de unidades. Em contraste, a AppStore tem 25.400 games, e mais de 42 milhões de iPhones foram vendidos. O mercado gamer atingido pelo celular não tem paralelo.

Jogatina também no iPad.

A conclusão que cheguei é que foi-se o argumento chavão de que “o mercado de iPhones, DSs e PSPs é distinto, não há comparação”. O mercado está mostrando nitidamente que a diferença não é tão grande quanto se imaginava, e que um dono de iPhone que tenha outro console portátil acaba comprando mais games na AppStore do que na loja local.

Aquele papinho lugar-comum de que “o iPhone NUNCA desafiará o estabelecimento convencional do console portátil, não tem botão, mimimi” agora está com as mãos atrás das costas, assobiando e olhando para o teto, fingindo que nunca falou nada.

E com o lançamento iminente do iPad, não podemos deixar de imaginar que talvez o domínio da Apple no mercado de games portáteis – algo em que ela entrou meio como quem não quer nada –  está apenas começando. Não digam que eu não avisei…

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@seyadeodin
Pensava em comprar um nintendo ds ou um psp mas qdo vi sobre os jogos do ipod touch/iphone decidi comprar um ipod touch pra mim
Plastico
Eu creio que o maior mérito da Apple foi o de levar os games para todo mundo, eu tenho um iPod Touch e um PSP, este segundo foi meu amor intenso por meses, relembrar diversos títulos antigos foi lindo, mas hoje ele está lá encostado e meu iPod está sempre comigo. Quantos, assim como aconteceu comigo, também não se renderam aos Gadgets da Apple? Fica fácil perceber que quem está ganhando esta briga é a Apple que vem ganhando terreno. A única forma de tentar reverter este quadro é tanto a Sony quanto a Nintendo liberarem formas de emulação nativa e trazer títulos consagrados devolta a ativa para chamar a atenção do público que está migrando para o iPhone/iPod
bertim
Acredito que o Iphone esteja sim comendo o mercado de portáteis. O izzy é o próprio exemplo disso, trocou as duas plataformas pelo iphone. Eu tenho um ps3 e jogo com o iphone em casa mesmo podendo jogar com o console da sony.
Gley Riviery
Eu sou um ex-jogador de PSP que me vendi ao iPhone. Onde está seu deus agora? :)
Rael B. Riolino
O iPhone / iPod Touch com certeza é uma excelente plataforma para jogos... Eu particularmente, tratando-se de CELULAR, estou focado em um Android no meu próximo update, mas eu estou pensando realmente em comprar um iPod Touch este ano SÓ PARA RODAR JOGOS. Há um bom tempo eu venho acompanhando jogos EXCLUSIVOS que saem para plataforma, que além de serém excelentes (jogabilidade + bons gráficos), tem um preço que gira em torno de 4 / 5 dólares... A verdade é que o iPhone / iPod Touch não foram feitos para ter o recurso Gaming como primeiro plano, mas ambos com certeza ficam lado-a-lado com portáteis como PSP e DS, tratando-se de repertório e processamento gráfico! Vide Street Fighter IV que saiu para iPhone... =P Com certeza a única coisa que iPhone perde para plataformas específicas para jogos, é o fato te não possuir controladores físicos... e alguns jogos é preciso manter ao menos 2 dedos sobre a tela para poder jogar... De qualquer forma, durante os ultimos 2 anos eu andei acompanhando uma grande evolução de jogos para iPhone, e acabei sendo conquistado pela plataforma, e este ano com certeza eu pego um iPod Touch, se não acabar sedendo e comprar logo um iPhone 3GS! =P PS.: Parte desta culpa é sua, sr. izzy =P
@icouto
O que vejo no iPhone é o que aconteceeu com o Playstation 1, milhares de jogos porém poucos de qualidade. Mas mesmo que os jogos sejam de qualidade equivalente, a principal diferença é que o iPhone fez com o celular o que o Wii fez nos consoles caseiros, trouxe uma nova audiência para o mundo dos jogos. Pessoas que até tinham joguinhos em seus celulares, mas que só no iPhone descubriram o prazer de jogar. Portanto o aumento do valor investido em jogos para iPhone não representa que o PSP ou o DS estejam perdendo jogadores para o iPhone.