Início » Brasil » Estas são as empresas de tecnologia que mais devem dinheiro ao governo federal

Estas são as empresas de tecnologia que mais devem dinheiro ao governo federal

Paulo Higa Por
4 anos atrás

O governo está tomando uma série de medidas para equilibrar as contas públicas. Uma das sugeridas pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, é fortalecer a cobrança da dívida ativa da união, que atualmente soma 1,5 trilhão de reais — a maioria é formada por impostos, contribuições e taxas que as empresas ainda não pagaram ao país. Mas como cobrar essas dívidas?

O primeiro passo já foi dado. O Ministério da Fazenda divulgou uma lista dos 500 maiores devedores do país, que juntos devem 392 bilhões de reais. Os três maiores são a Vale (R$ 41,9 bilhões), a Carital Brasil, antiga Parmalat (R$ 24,9 bilhões) e a Petrobras (R$ 15,6 bilhões). No setor de tecnologia, os maiores devedores estão ligados ao mercado de telecomunicações.

Joaquim Levy, ministro da Fazenda (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Joaquim Levy, ministro da Fazenda (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Em 72º lugar, a Huawei possui R$ 920,3 milhões em dívidas, sendo que a maior parte (R$ 913,2 milhões) está suspensa por decisão judicial; a chinesa é uma das principais fornecedoras de infraestrutura para as operadoras de telefonia móvel. A Embratel aparece em 99º lugar, com R$ 715,5 milhões em dívidas, dos quais R$ 290 milhões foram suspensos.

A lista ainda inclui empresas como Telemar (115º lugar, R$ 662 milhões), Oi (137º lugar, R$ 575,4 milhões), IGB Eletrônica, dona da Gradiente (187º lugar, R$ 462,8 milhões) e Alcatel-Lucent, outra grande fornecedora de infraestrutura de telecomunicações (479º lugar, R$ 222 milhões). As quatro já parcelaram a totalidade das dívidas. A Xerox aparece em 408º, com dívida de R$ 254,7 milhões.

Você pode conferir o documento completo, divulgado pela CartaCapital, no site do Ministério da Fazenda. Há algumas empresas que geram certa sensação de nostalgia, como Vasp (6º lugar, R$ 6,2 bilhões), Varig (8º lugar, R$ 4,7 bilhões) e Mesbla (104º lugar, R$ 689 milhões). Parece que não veremos alguns bilhões de reais tão cedo.

Mais sobre: , ,