Início » Celular » Os melhores apps para se virar no transporte público

Os melhores apps para se virar no transporte público

Usa ônibus, trem e metrô para se locomover? Sua viagem pode ficar melhor com esses três apps

Paulo Higa Por
TB Responde

O transporte público é certamente a forma mais econômica de se locomover pela cidade. Mesmo para quem dirige, muitas vezes usar o metrô ou trem pode ser uma alternativa para chegar mais rápido ao destino, aproveitando os trilhos para fugir dos congestionamentos nas ruas e avenidas.

Mas nem sempre é tranquilo pegar um ônibus, metrô ou trem para algum lugar que você nunca foi antes, ou mesmo tentar entender como funciona o sistema de transporte público de uma cidade que você está visitando pela primeira vez. Felizmente, alguns aplicativos gratuitos fornecem informações detalhadas sobre os coletivos e as melhores rotas para você chegar sem sofrimentos. Vamos a eles!

Para que tudo isso se já inventaram o Google Maps?

Sim, o Google Maps suporta rotas por transporte público há um tempão e provavelmente já está instalado no seu smartphone, mas você pode obter uma experiência melhor se usar aplicativos dedicados para isso. Entre as funções adicionais estão a possibilidade de encontrar as paradas mais próximas, descobrir o horário de chegada do próximo ônibus e acompanhar o trajeto em tempo real.

Além disso, justamente pelo fato do transporte público ser a principal função do Moovit, Citymapper ou Trafi, eles costumam ser mais atualizados e se preocupam em oferecer os melhores trajetos e funcionalidades possíveis. Todas são startups e estão constantemente se aprimorando com base nos feedbacks dos usuários.

Moovit

moovit-icone

O Moovit é o aplicativo mais conhecido do gênero e tem a grande vantagem de funcionar em mais de 1.200 cidades, sendo cerca de 100 brasileiras. Ele não se restringe aos grandes centros, como São Paulo ou Rio de Janeiro: o pessoal de Blumenau (SC), São Carlos (SP), Maringá (PR) e Juiz de Fora (MG), por exemplo, também pode usar os principais recursos.

Uma atualização recente do Moovit tornou a interface mais simples. No painel Estações, o aplicativo mostra os pontos de ônibus mais próximos; tocando neles, é possível descobrir quais linhas passam por ali e em quanto tempo o próximo ônibus chegará, com base nas informações divulgadas pelas autoridades de transporte público da sua cidade. A tela Linhas exibe a situação das linhas, útil para descobrir se há alguma lentidão no metrô ou mudança temporária na rota do ônibus.

moovit

Um recurso bacana do Moovit é a função de pedir táxis, feita em parceria com o Easy Taxi. Eu não dirijo, e costumo usar táxis como complemento ao metrô ou trem para chegar a locais onde o trilho não chega — desço na estação mais próxima e dali chamo um táxi até o destino. Assim, gasto menos, chego mais rápido e não me preocupo com o ponto de ônibus que devo descer (que às vezes não é tão perto do local desejado).

Meu problema com o Moovit é que, pela minha experiência, as rotas sugeridas em São Paulo priorizam muito o ônibus, que é mais imprevisível em relação ao metrô e bem mais demorado nos horários de pico (embora nem tanto nos corredores). Em vez de apresentar um trajeto de metrô até o destino e usar o ônibus como complemento, o Moovit constantemente sugere andar apenas algumas estações e fazer o grosso do caminho pelo asfalto, o que nem sempre é eficiente.

O Moovit é gratuito e está disponível para AndroidiOS e Windows Phone.

Citymapper

citymapper-icone

O Citymapper é atualmente minha opção preferida de aplicativo de transporte público. Talvez o único grande defeito seja o fato de que o Citymapper suporta pouquíssimas cidades: são apenas 31, sendo que a única brasileira é São Paulo. Então, a não ser que você esteja de passagem pela terra da garoa ou seja paulistano, provavelmente ele não será muito útil.

A única cidade brasileira disponível no Citymapper é bem servida. Ao pesquisar uma linha de ônibus, você pode ver exatamente em quais locais os veículos estão. Assim, é possível se planejar melhor e evitar ficar muito tempo esperando no ponto. É o Olho Vivo da SPTrans, só que dentro do aplicativo.

citymapper

Há outras informações que facilitam sua vida: ao pegar um trajeto de metrô, o Citymapper é capaz de sugerir a melhor seção do trem para você embarcar (frente, meio ou atrás). Isso possibilita que, ao chegar na estação de destino ou baldeação, você desembarque bem em frente à escada correta. Ele também mostra, na tela “Cidade”, a situação das linhas de metrô e trem.

Ao pesquisar um trajeto, você pode apertar o botão “Vá”, e o Citymapper se encarregará de monitorar sua localização em segundo plano. Quando o momento de desembarcar estiver próximo, o aplicativo emitirá um aviso sonoro. Isso é legal porque você pode ir da origem até o destino sem precisar ficar se preocupando em checar o aplicativo ou avisar em que linha embarcou.

Ele também possui integração com o Uber para sugerir rotas mistas: você pode pegar um transporte particular até a estação de trem mais próxima e, de lá, ir até o destino desejado. O próprio aplicativo mostra a tarifa estimada do percurso em diferentes modalidades (uberX, UberBlack e UberBAG) e o tempo que o carro demorará para chegar.

O Citymapper é gratuito e está disponível para AndroidiOS e web.

Trafi

trafi-icone

O Trafi funciona nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. De origem lituana, ele tem como diferencial a utilização de algoritmos avançados, técnicas de aprendizagem de máquina e crowd-sourcing para fornecer os melhores trajetos possíveis — aliás, o Trafi se autodefine como o “aplicativo de transporte público mais preciso do mundo”.

Pela minha experiência, as rotas sugeridas pelo Trafi são confiáveis, e há opções para todos os momentos: ao pesquisar um trajeto, o aplicativo já retorna rapidamente a rota recomendada, a rota com menos trocas de linhas, a rota que exige menos caminhada e a rota “primeiro”, para chegar mais rápido ao destino. Além disso, há uma seção dedicada para bicicletas, que mostra as estações de aluguel mais próximas e quantas magrelas há disponível em cada uma.

trafi

Ele possui uma interface bastante agradável e traz boas funcionalidades, exibindo a localização dos ônibus da sua linha e os alertas de usuários quanto a ônibus atrasados ou lotados (você também pode alertar as outras pessoas, inclusive postando uma foto). Também é possível baixar a tabela de horários dos ônibus para acesso offline e, em breve, haverá um recurso para traçar rotas sem depender da rede móvel da sua operadora.

Desde que publiquei a primeira versão deste texto, o Trafi evoluiu bastante no Brasil. A busca de endereços, que falhava algumas vezes (locais como “Av. Paulista, 900” não retornavam resultados), está mais esperta. Só falta considerar a integração com o Bilhete Único da cidade de São Paulo: alguns trajetos com custo estimado de R$ 11,40, na verdade, saem por R$ 3,80 com as integrações.

Especialmente para quem transita com frequência pelo eixo Rio-São Paulo, o Trafi é uma forte opção a se considerar. Ele é gratuito e está disponível para AndroidiOS e web.

Publicado originalmente em 13 de novembro de 2015. Atualizado em 14 de outubro de 2016 com recursos e números atualizados dos aplicativos.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Mariana Togni
Existe algum app que possibilite multiples Paradas (que nem o Google faz) so que com transporte publica?
Isabela

Ao invés de usar o táxi para atrapalhar o corredor de ônibus, tem que tomar vergonha na cara sim e usar o ônibus para chegar do metrô ao destino.

Keaton
Como disse anteriormente, sempre vejo esse tipo de coisa quando estou no onibus (não posso dirigir por causa da vista). Já não assisto televisão tem uns cinco anos. (Me refiro aos canais abertos e fechados, ainda uso a TV para Netflix.) Não é sempre no mesmo local, são diversos pontos no trajeto do onibus. Sempre que estou olhando pela janela do onibus, e não lendo livro ou revisando a matéria, acabo pegando um ou outro assalto.Já virou uma coisa tão rotineira que já não me espanta mais. Sobre os idiotas a supostos 190km/h, sempre tem um zé ruela correndo. Como acho que eu disse, mudaram o sentido duma rua aqui perto para mão unica e a noite transformaram em pista de racha... e ficou assim por meses... até que o pessoal se encheu e chamou a policia. E até que agora está bem mais tranquilo. Só por curiosidade, já reportou isso à policia? Sobre o idiota bebado, que usou o carro como arma, para arrancar o braço do individuo, lembro desse caso mas não conhecia o desfecho. A justiça fez besteira, só para variar.
Fabio Montarroios
Viu com os próprios olhos q essa terra há de comer ou viu pelos filtros televisivos dos noticiários policialescos? Se foi pela segunga opção, é melhor vc procurar um abrigo depois de se abastecer com comida o bastante para até o fim dos seus dias, afinal, o mundo está perdido e o derramamento de sangue não vai parar enqto não liberarem o porte de arma, não existir pena de morte e, pra coroar, não elegerem o Bolsonaro. Mas se vc viu seis ou sete vezes esse tipo de coisa, na mesma região, é sinal de q um determinado grupo ou grupelho se formou para praticar crimes e sua recorrência me parece natural, apesar da burrice do ato de assaltar no mesmo lugar com certa frequência. Agora se vc viu isso em locais, dias e horários distintos em vastos território, eu diria q vc precisa de um amuleto mágico, reza braba e talvez mais pensamento positivo, pq é muito azar, cara. Toda sorte de crimes, evidentemente, acontecem, mas a probabilidade de sermos alvo de um deles é bem menor; pelo menos tenha essa impressão circulando bastante pela cidade e, inclusive, em lugares q muita gente jamais faria o q eu faço (passar de bicicleta relativamente bem equipado debaixo de uma ponte bem sinistra à noite aos olhares de cracudos e pessoas q se encaixam no esteriótipo cunhado com muito cuidado pelos mesmos programas policialescos q citei acima), por exemplo). Daqui do meu apartamento, ouço, toda noite fritadas de pneu e aceleradas... Há uma estrada por aqui na qual dá pra ouvir, todo fim de semana, as motocicletas passando, provavelmente a mais de 190 Km/h, indo de um lugar a outro apenas com a finalidade de correr pelas estradas. Tb tenho notícias de gente q vítima de latrocínio e assaltos, mas o risco em q as pessoas se envolvem em seus automóveis (e são milhões circulando pela cidade) é maior do q o de assaltos. As pessoas tb têm a tendência de dizer q é preciso correr, queimar farol etc pq a insegurança é grande demais. Ora pois, e não é até mais perigoso ficar correndo por aí e queimando farol? Esses dias mesmo a justiça aliviou geral pra um cara q atropelou um ciclistas - aquele q perdeu o braço, saca? O motorista, q estava bêbado e correndo, arrancou o braço do ciclista com o impacto e depois jogou o braço do cara num córrego. Simplesmente algo terrível e algo q vc provavelmente veria apenas num filme trash apresentado pelo zé do caixão. Nem por esse horror deixei de andar de bicicleta. Só q se acompanhar o noticiário policialesco, em doses diárias, com certeza vou ter medo de uma criancinha de cinco anos brincando no gira-gira.
Fábio de Jesus
Tô usando o Trafi faz pouco mais de um mês aqui em São Paulo e posso dizer que a precisão dele quanto aos horários dos ônibus chega a ser surpreendente, fica muito mais fácil planejar quando sair pra não ficar horas esperando o ônibus passar, já usei o Moovit e o Citymapper, mas o trafi bate os dois na precisão
Keaton
Uma vez em doze anos.... eu vi esse tipo de coisa seis ou sete vezes nesses dois ultimos meses. Mas claro, isso não acontece. Não tenho muitas noticias de carros a 190km/h atropelando pessoal na calçada. Só um de um cretino bebum chamado Carli Filho, (ex-)verador, mas ainda assim não foi na calçada. (Esse caso aconteceu em 2009 e AINDA não foi julgado... 7 anos.... tá quase caducando o processo... =_=) Agora, se tu resolver tirar o "190km/h", ai tu encontra aos montes... motoristas barbeiros/bebados é a coisa que mais tem. Tem tanto quanto ladrão e assassino por ai. (Hora e meia tem um idiota desgostoso da vida que resolve atropelar postes e deixar a rua sem luz...) Agora... de ser assaltado (e morto) por causa de celulares (e outros objetos valor)... isso sim acontece bastante. Eu vejo isso quase toda semana. Ah sim, ambos podem resultar em morte, mas há uma pequena diferença entre os dois casos: - Num, a pessoa usa arma (branca ou de fogo), intencionalmente com objetivo de subtrair um pertence que lhe renderá uma ou duas pedras. - Noutro, a pessoa usa o carro como arma, geralmente sem a intenção de matar. (há uma diferença entre intenção de matar e assumir o risco de. - apesar de que ambos deveriam ser tratados com a mesma severidade pela lei) Sim, sempre existem riscos, até mesmo ficando em casa, mas tu quer aumentar os riscos que tu corre apenas porque a possibilidade é pequena... ai, meu fio, o que tá na reta não é o meu mesmo.
Fabio Montarroios
Cara, já estouraram o vidro do meu carro e, um tempo depois, roubaram meu carro num lugar totalmente insuspeito, ou seja, pode acontecer em qualquer lugar e ficar atento em todos os lugares vai privá-lo de viver e curtir a vida. Não fico 100% vacilando, mas, cara, é preciso relaxar. Meu pai fala: não usa o celular no metrô sentado perto da porta, pq um cara vai passar ali e pegar antes da porta fechar etc etc etc. Faço isso há uns, sei lá, 5 anos ou mais e nunca aconteceu. E, claro, já vi um cara tentar levar um celular de uma moça no metrô, mas eu vi isso UMA VEZ e eu uso o metrô todo dia há uns 12 anos. Porra... UMA EM 12 ANOS e nem foi comigo. Foi justamente o q eu disse: há coisas muito piores q acontecem em número mais expressivos e não mobilizam as pessoas como esse lance de ser assaltado-roubado-furtado. As pessoas morrem no trânsito, por exemplo, como moscas e eu não vejo essa campanha: "cara, qdo vc tá na via, tem q respeitar a velocidade, senão vc pode morrer etc etc etc"; agora conselho pra não ser assaltado é REGRA geral em vários lugares e aqui não seria diferente. Pô, cara: qual a chance é maior de dar merda: vc passeando com seu celular todo pimpão num calçadão ou vc a 190 Km/h tirando racha na avenida!? Esse medo reforça os esteriótipos e faz com que zonas das cidades sejam classificadas como perigosas. Assaltos, roubos e furtos são eventos excepcionais tratados como se fossem eventos certeiros e de fluxo incessante. Há algo de muito desproporcional nisso.
Keaton
Então... o brasil deve ser um dos paises mais seguros do mundo, pois não morrem, de forma violenta, nem 1% das pessoas por ano. [Reductio ad absurdum] Por enquanto você é a excessão, não a regra. Não espere você sair do grupo de excessão para começar a tomar cuidado. Não é a porcentagem que importa e sim o fato que tem uma puta chance de tu ser assaltado e morto por causa de miseros 300-500 reais. (aumenta exponencialmente se o aparelho for mais caro, tipo 3000, também já teve noticia de o cara morrer por culpa de um celular de 80 reais, daqueles "descartaveis"...) É aquela coisa, "acontece com os outros, não comigo" (até acontecer comigo)...
Fabio Montarroios
Fui muitas vezes ao Rio (e vou novamente esse mês). Tb estive em BH, Porto Alegre... Não tive problemas. Acredito q há muito sensacionalismo em cima disso. Quantas pessoas transitam por uma cidade como Rio ou Curitiba todos os dias? Milhõess... Qual a porcentagem dessas pessoas são assaltadas? 50%, 40%, 10%, 1%? Creio q nem 0,1% seja assaltada tamanha a grandeza dos números (que precisam ser confirmados, claro, pq estou chutando). É a política do medo q é bem eficaz e q faz a maioria achar q estamos em meio a uma calamidade. Há coisas muito mais graves acontecendo, em altíssima proporção, e isso causa bem menos alarde. Manja aquela estatística que diz q há uma mulher sofrendo algum tipo de violência a cada 7 minutos no Brasil!? Então... Vc vê o mesmo tratamento a essa questão? Não. Exceto no dia das mulheres. Por isso é tão corrente esse medo de ser assaltado propagado por aí. Obviamente quem passou por isso pode não pensar assim, mas não creio q as coisas estejam terríveis como pintam. PS: Vale a dica do vice-presidente sobre o quando vc escreveu: "Verba volant, scripta manent" .
Keaton
*ainda não teve, corrige isso. Mas vem pra Curitiba ou Rio pra tu ver. Ps.: esse comentário é de meio ano atras.
Fabio Montarroios
Sempre usei e nunca tive problema algum. Em ônibus e metrô...
Nildo Oliveira
Tráfico me ajudou a saber uma rota para chegar ao meo novo emprego
Caio Alexandre
Ele [Citymapper] traz uma interface mais organizada que a do Moovit Só que... não. Citymapper tem uma das interface mais feias e confusas que eu já usei na vida.
Keaton
Pois é. Mas o risco de acontecer algo idiota é sempre maior. :P btw... esse artigo foi postado a alguns meses, não? (A menos que eu tenha respondido isso com uma maquina do tempo.)
Keaton
Ok, agora vem pra Curitiba.
Exibir mais comentários