A Xiaomi anunciou nesta terça-feira (24) três novos produtos na China: o Redmi Note 3, um smartphone com tela de 5,5 polegadas que não custa os olhos da cara; a segunda geração do tablet Mi Pad, com opção de Windows 10 como sistema operacional; e o Mi r r Purifier 2, com nome bem sugestivo, que permite purificar o ambiente em 10 minutos e se integra com o seu smartphone.

Redmi Note 3

redmi-note-3

O Redmi Note 3 oferece hardware premium a um preço não muito alto. Os componentes são bons: ele possui tela IPS LCD de 5,5 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels, processador octa-core MediaTek Helio X10, 2 GB ou 3 GB de RAM, 16 GB ou 32 GB de armazenamento e bateria de 4.000 mAh. As câmeras são de 13 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal).

A carcaça do Redmi Note 3 é feita de alumínio e está disponível em três cores (cinza, prata e dourado). Na traseira, logo abaixo da lente da câmera, há um leitor de impressões digitais que promete desbloquear o aparelho em apenas 0,3 segundo. Este é o primeiro smartphone da Xiaomi com sensor biométrico — ele será importante para o Mi Wallet, que permite fazer pagamentos móveis na China, por exemplo.

redmi-note-3-2

O preço é interessante: na China, o Redmi Note 3 será vendido por 899 yuans (R$ 542) para o modelo com 2 GB de RAM, enquanto a versão com 3 GB de RAM sai por 1.099 yuans (R$ 663). Para fins de comparação, o Redmi 2, que foi lançado por R$ 499 no Brasil, custa 599 yuans na China (R$ 361).

Mi Pad 2

Com tela de 7,9 polegadas e resolução de 2048×1536 pixels, os mesmos números do iPad mini, o Mi Pad 2 ficou mais leve e fino que a geração anterior do tablet da Xiaomi. Ele tem 6,95 mm de espessura, pesa 322 gramas e possui corpo de metal, assim como o Redmi Note 3.

mi-pad-2

Por dentro, a Xiaomi colocou um processador quad-core Intel Atom x5-Z8500 de 2,2 GHz, 2 GB de RAM e bateria de 6.010 mAh (que pode ser recarregada pela porta USB-C). Há opções com 16 GB ou 64 GB de armazenamento interno, além de câmeras de 8 megapixels (traseira) e 5 megapixels (frontal). O fato do chip ser Intel permite que você compre o Mi Pad 2 com MIUI 7 ou Windows 10.

Os preços também são agressivos, dentro do que esperamos da Xiaomi: o Mi Pad 2 custa 999 yuans (R$ 603) no modelo de 16 GB e 1.299 yuans (R$ 784) no de 64 GB. O Windows 10 só está disponível na versão com mais armazenamento.

Mi Air Purifier 2

Parece estranho, mas a Xiaomi tem uma série de produtos tecnológicos que fogem dos smartphones e tablets. Você pode comprar um diciclo da Xiaomi, uma balança, uma câmera de ação… E um purificador de ar também. Não tenho certeza, mas acho que o fato da Xiaomi ser uma empresa chinesa deve ter influenciado um pouquinho nesse lançamento.

mi-air-purifier-2

O Mi Air Purifier 2 é um purificador de ar que pode ser controlado pelo smartphone. Ele é capaz de eliminar 100% de poeira, pólen e outras grandes partículas, além de 99,7% de partículas com 2,5 micrômetros ou menos.

A taxa de entrega de ar limpo (CADR), que mede a eficiência desses equipamentos, é de até 388 m3/hora. O que isso significa? Que você pode limpar um ambiente de 23 metros quadrados em apenas 10 minutos. Há alguns sensores: durante a noite, ele se torna mais silencioso, e o equipamento ajusta a intensidade automaticamente de acordo com a qualidade atual do ar.

Custa 699 yuans (R$ 422), se você ficou interessado — mas ele só estará disponível na China, a partir desta sexta-feira (27).

Com informações: VentureBeat.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Allyson
Cara Linha Redmi = hardware entrada + lento (isso é relativo) + valor baixo Linha NOTE = Hardware médio-top + fluidez + custo-benefício Linha Mi = Hardware top + preço um pouco mais salgado não dá pra reclamar do Redmi 2 Pro que é um aparelho de entrada custando 499 na situação que o país está isso é um milagre ta acontecendo, o mais engraçado é que o concorrente dele Moto G3 custa quase o dobro e ninguém reclama de valor nem nada, mesmo perdendo em alguns aspectos.
Moises Vieira
sera que da pra usar corel e photoshop nele? hehe
Master Chief
kkkkk Temos um vencedor!!! kkkkk
Daltro Campanher de Souza
Aparelhos Xiaomi já vêm com bootloader desbloqueado, recovery destravado por padrão, e ferramenta no próprio sistema para flashar outra ROM. Não hão aparelhos de outras marcas mais fáceis de modificar. O root também é disponibilizado pela própria Xiaomi, algo que até hoje só vi a Asus fazer a fim de deixar os Zenfone-x86 mais "dev-like"...
Daltro Campanher de Souza
Isso, no caso dos Xiaomi, já é possível. Eles vêm todos desbloqueados e de fácil modificação '-'
Mauricio Fernandes Penteado
Tá duro dos caras entenderem que você está falando do valor do dólar e não do custo de fabricação do produto!!!! Se me permite vou comparar para ver se entendem.... PRODUTO A que custa hoje R$ 100,00 equivale a aproximadamente U$ 30,00 para o fabricante estrangeiro. A 5 anos os mesmos U$ 30,00 de fabricação valeriam para nós R$ 40,00 (com o dólar a R$ 1,20 na época)!!!!!!!! Eu te entendi!!!!!!! kkkkk
Edson Fell
Me diga outro Power Bank de 10 mil mAh por menos R$100? Comparando com preços praticado em produtos semelhantes a Xiaomi é muito melhor e não é só aqui no Brasil, é no mundo todo. O preço está muito bom e não da pra negar isso. Nego tem a mania de ver coisa ruim onde está bom.
Master Chief
calma lá, não tô falando deles e sim da conversão, o preço dele atual faz nós gastarmos 4 vezes o equivalente (pois o dólar tá ~4 reais e é convertido com base no dólar) se o dólar tivesse como 3/5 anos atrás, ele estaria mais barato entende? Só a empresa perde, pois menos pessoas vão estar interessadas sem contar que o nosso "poder de compra" diminuiu muito comparado a antes. (falei de uma forma geral) = /
Master Chief
ok, mas se entendeu o que eu quis dizer, se estivéssemos há uns 3/5 anos atrás, seria muito mais barato.
Anakin
pra isso existem os apps
Vitor Mikaelson
ahhh sim
Supersonic
Acho que não é esse o foco do produto e sim pessoas que tem problemas respiratórios.
F. S.
Infelizmente o único tablet de 8 polegadas com 4 GB de RAM ainda é o HP Pro Tablet 608 G1, que nem sequer tem previsão de se chegar ao Brasil e se chegar vai ser caro (fora que podem trazer só o modelo de 2 GB). A Asus poderia fazer um ótimo tablet Windows esticando o Zenfone 2.
F. S.
Sim, eu sei ele só vem no modelo de 64, mas isso não muda meu comentário. Não é atoa que todos os tablets com o Windows tem slot SD (até o Surface, que não tem versão com menos de 64 GB).
F. S.
Depende do uso, eu quero um tablet pra substituir meu desktop (nada perto de um high end, mas ainda assim tem mais RAM).
Exibir mais comentários