Início » Aplicativos e Software » Os melhores apps para ler notícias no celular e tablet

Os melhores apps para ler notícias no celular e tablet

Jean Prado Por
4 anos atrás

Faz tempo que não é mais necessário comprar um jornal na banca ou abrir seus sites favoritos no computador para acompanhar as notícias. Segundo o Digital News Report realizado pelo Reuters Institute em parceria com a Universidade de Oxford, 69% dos brasileiros usam dispositivos móveis para acompanhar notícias, sendo que 23% consideram o smartphone como meio principal para ficar bem informado.

Não faltam opções nas lojas de aplicativos, mas quais funcionam bem? Flipboard, Play Banca, Feedly, Press, Reeder, Nextgen Reader... Vários aplicativos com apenas um propósito: ler as principais notícias do dia e acompanhar seus sites favoritos. Qual deles é o melhor para você? Escrevi minhas impressões abaixo.

Flipboard

flipboard-android-1

Não tem como falar de aplicativos para acompanhar notícias sem mencionar o Flipboard. Ele é um dos mais completos, certamente o mais popular e não é para menos: ele é um dos melhores. Na revista personalizada, você pode escolher os sites que deseja acompanhar e conectar suas contas de redes sociais.

No Flipboard também é possível acompanhar as notícias por tópicos, adicionando interesse em assuntos gerais como notícias, política, tecnologia, esportes, economia e em destaques, como o desastre em Mariana e os atentados em Paris. As notícias sobre esses destaques serão adicionadas ao feed, permitindo que o usuário siga o tópico para se manter sempre informado.

flipboard-android-2

Quando você termina a configuração do Flipboard, é só aproveitar a experiência de leitura. A animação mais característica do aplicativo é o flip da página, seja para descer no feed, seja para continuar a leitura do artigo. É um recurso interessante para saber se o artigo é muito longo e se você vai conseguir terminá-lo rapidamente.

Um problema dessa visualização é que nem todo site está adaptado a ela, então o layout acaba ficando um pouco inconsistente. Alguns sites carregam o artigo perfeitamente (dá para perceber que é nativo), outros mostram a visualização com scroll (normalmente quando o artigo vem de um feed RSS) e uma minoria chega até a puxar a versão web (!).

O Flipboard também é um aplicativo bem social: com certeza você deve ter uma conta em algum lugar para ver o feed do serviço. Além do Twitter e Facebook, há integração com o Instagram, 500px, SoundCloud, YouTube e até jornais como o Financial Times e o New York Times. Como não poderia faltar, o app também suporta Instapaper, Pocket e Readability para ler os textos mais tarde ― veja qual é o melhor aqui.

flipboard-android-3

Algumas opções nas configurações são interessantes para quem quer maior personalização durante a leitura e sincronização. Você pode alterar tamanho do texto, o país que exibe o guia de conteúdo internacional, configurar notificações push e até ativar uma opção para reduzir o consumo de dados quando você está em uma conexão móvel. Muito interessante.

Logo no começo, é compreensível achar que há muita informação (principalmente quando entra a integração social), o que pode atrapalhar a leitura, mas com o tempo dá para se acostumar. O serviço está disponível para tudo o que você pode imaginar: Android, iOS, Windows e também na web.

Play Banca

Apesar do Flipboard ser a sua "revista digital", o Play Banca é o aplicativo que lida melhor com o conteúdo de jornais e revistas. Ele faz justamente o que o nome sugere: vira uma banca de conteúdo, com a biblioteca dividida em três seções: notícias, que reúne os sites que você adicionou que suportam o Play Banca (o Tecnoblog está incluso!); revistas, que são revistas físicas mesmo, podendo fazer a assinatura e pagar com crédito do Google Play; e tópicos, como Destaques, Tecnologia, Corporativo e mais.

play-banca-android-1

Ao selecionar todo o conteúdo que você se interessa e seguir alguns sites, sua banca está pronta. A seção principal é a de destaques, que funciona mais ou menos como um feed de notícias; a diferença é que os itens se alternam entre os mais recentes e os mais lidos. O mesmo acontece quando você seleciona algum tópico de sua escolha, que vira uma aba na página inicial.

É muito fácil para os sites se adaptaram ao Play Banca, mas ainda assim não espere poder colocar qualquer um na sua biblioteca: como o Play Banca não suporta diretamente RSS, fica a cargo do site se adaptar para o aplicativo. No caso do Tecnoblog, além de acompanhar as notícias principais, também é possível acessar o feed do Tecnocast e de nossos vídeos no YouTube.

Particularmente, eu gosto de consumir conteúdo no Play Banca. Diferente do Flipboard, os posts realmente parecem fazer parte do aplicativo. Infelizmente, não dá para marcar o artigo para ler depois nem alterar o tamanho ou a cor da fonte; as únicas opções são compartilhar e favoritar o artigo. Se você gostar muito do site, também dá para fixá-lo na tela inicial.

play-banca-android-2

O núcleo de revistas do Play Banca funciona muito bem. Em integração com o Google Play, é possível assinar e comprar revistas e jornais de verdade, como O Globo, Vogue, Veja, Galileu, Época, CartaCapital, Superinteressante e várias outras por preços mensais em torno de R$ 7,90, com avaliação gratuita de 30 dias inclusa. Uma unidade da revista pode sair por R$ 3,60.

Também é possível assinar grandes jornais que usam o sistema de paywall poroso. Neste modelo, alguns artigos (normalmente dez para visitantes) são disponibilizados mensalmente e, caso você ultrapasse isso, deve assinar o jornal. Ao clicar em um post do jornal O Globo, por exemplo, fui avisado de que tenho dez artigos gratuitos restantes e para acessar mais preciso pagar R$ 5 por mês, com avaliação gratuita de 14 dias.

Considerando que o Google Play agora aceita recarga pré-paga feita em estabelecimentos como padarias e bancas de jornais, é interessante que esse acervo de conteúdo impresso seja disponibilizado no Play Banca. O aplicativo funciona muito bem no Android e também pode ser baixado no iOS. A "versão web" serve apenas para gerenciar seus sites.

Press

Você deve ter estranhado que o Feedly, serviço mais popular para acompanhar notícias desde que o Google Reader morreu, não está na lista. O principal motivo é que eu não gosto muito da interface dos aplicativos nativos do Feedly ― ela é um pouco confusa e, como eles oferecem uma versão premium, um pouco limitada.

Mesmo assim, uso o Feedly para agregar mais feeds em conjunto com aplicativos como o Press para ter uma boa experiência de leitura e sincronização consistente sem precisar depender dos apps oficiais.

press-android-1

Por que usar o Press ou Feedly se o Flipboard e o Play Banca já entregam uma ótima plataforma? Basicamente, só se você for apressado e quiser receber as notícias na hora em que elas saem, sem perder um item sequer. Como a sincronização é por RSS, não há seleção de artigos importantes ou notícias em destaque: o que é publicado nos sites que você assina é mostrado no Press.

Como acontece no Feedly, é possível separar os seus feeds por categorias (o que facilita quando você quiser ler apenas sobre Android, por exemplo). Ao visualizar a notícia, é possível marcá-la como favorito, abri-la no navegador, copiar a URL ou alterar a fonte e o tamanho, o que vem bem a calhar se você preferir fontes serifadas ou quiser configurar o tamanho da letra.

press-android-2

Em um âmbito menos intuitivo ao usuário comum, o Press permite algumas configurações mais avançadas. É possível, por exemplo, ativar uma notificação para quando o app sincronizar os dados, alterar a ordenação dos artigos ou navegar por eles com o botão de volume, além de várias outras customizações.

Um dos problemas do Press é que a última atualização dele foi em janeiro de 2014 (!). Isso significa que ele não tem visual adaptado ao Material Design ou qualquer outra modificação recente, uma vez que o desenvolvedor praticamente esqueceu do app. Eu juro que tentei encontrar uma alternativa viável no Google Play, mas acabei voltando para o Press porque ele ainda é o melhor para Android.

Além do Feedly, o Press tem sincronização com o Feedbin, Feed Wrangler e Fever, caso você use algum desses serviços. O aplicativo está disponível apenas no Google Play por R$ 7,62. Não há versão para outras plataformas, mas há a possibilidade de sincronizar pelo Feedly usando o Reeder (OS X) ou o Nextgen Reader, dois aplicativos que vou detalhar mais a frente.

Reeder

Por Paulo Higa.

Se o Press é uma recomendação certa no Android, o Reeder é uma recomendação certa no iOS (e OS X). Recentemente atualizado, ele possui uma interface para leitura agradável e personalizável: você pode escolher o tamanho das letras, espaçamento entre linhas, cor de fundo e tipo de fonte. A navegação suporta uma série de gestos, que permitem favoritar um artigo, visualizar prévias com o 3D Touch do iPhone 6s ou acessar o texto na web rapidamente.

reeder-ios

É possível usar o Feedly como plataforma para sincronizar seus feeds, mas você também pode optar por outros serviços, como Fever, Feedbin, The Old Reader ou Newsblur (e até usar vários deles simultaneamente). Como o Reeder também é um leitor de RSS, dá para cadastrar os endereços dos seus feeds preferidos diretamente no aplicativo, sem depender de plataformas de terceiros.

Na versão 3.0 para iOS, o Reeder ganhou suporte ao Instapaper, o que é uma boa notícia para quem o utiliza para salvar artigos para leitura posterior, como é o meu caso. O suporte não é muito completo (não é possível destacar trechos dos artigos ou enviá-los sob demanda para o Kindle, por exemplo), mas você pode acessar todos os seus textos, inclusive quando estiver sem conexão. Também há suporte ao Readability, mas não ao Pocket, infelizmente.

O Reeder está disponível na App Store por US$ 4,99 e na Mac App Store por US$ 9,99.

Twitter (Moments)

Eu sei que pode parecer estranho recomendar o Twitter para acompanhar notícias, mas me dê uma chance. Ou melhor, dê uma chance ao Moments, nova seção do Twitter que reúne conteúdos em destaque na rede social. Parece besteira, mas o resultado final é interessante, uma vez que os Moments são curados por uma equipe de jornalistas do Twitter no Brasil.

twitter-moments-1

Para escolher os assuntos do momento, o Twitter fez uma pesquisa para descobrir os perfis dos usuários brasileiros. Assim, a seção é dividida em Hoje, Notícias, Esportes, Entretenimento e Diversão com os principais assuntos de cada área. Os chamados Moments são organizados por cronologia, exceto na seção Hoje que é por destaque.

O Moments dá acesso a vários “conteúdos” compostos de um título, descrição e os tweets relacionados. No smartphone, é possível deslizar para o lado e ver vários Moments seguidos ou clicar duas vezes para curtir o tweet. Há uma barra de progresso na parte inferior da tela para indicar quantos tweets faltam para o Moment acabar.

Nos últimos dias, eu me vi usando bastante a ferramenta, principalmente logo depois de acordar ou quando estou no transporte público. Basta clicar no ícone de raio no aplicativo do Twitter e ver o que há de novo. É justo notar que as notícias têm tweets muito bem curados e informativos, te colocando a par das várias facetas de um assunto.

twitter-moments-2

Devo confessar que muitas vezes eu abri a timeline do Twitter e não entendi sobre o que todo mundo estava comentando, então abri o Moments e sempre achei o assunto relacionado. Veículos parceiros do Twitter também produzem conteúdo próprio para o Moments, como BuzzFeed, Fantástico, G1 e Veja.

Vale lembrar que o Moments é legal como um complemento, mas imagino que não substitua outros aplicativos para acompanhar notícias pelo pouco aprofundamento. Os detalhes mais importantes estão lá, mas não há um texto completo para você ler sobre o assunto, por exemplo.

Para utilizar o recurso, você deverá ter o aplicativo oficial do Twitter instalado no Android ou iOS. A rede social já confirmou que a funcionalidade não terá uma API para ser incorporada a aplicativos de terceiros.

Nextgen Reader

Como a maioria dos aplicativos acima não funciona para Windows ou Windows Phone, resolvi colocar essa recomendação para quem depende das plataformas da Microsoft. Já usei o Nextgen Reader quando tinha contato com Windows e algumas semanas quando estava com um Windows Phone, e ele não deixou nada a desejar.

O Nextgen Reader funciona de forma semelhante ao Press, uma vez que você pode conectá-lo ao Feedly para gerenciar seus feeds. No Windows para PCs, ele é organizado como o Reeder no OS X, incluindo a separação de categorias na barra lateral, os itens a serem lidos em outra seção e a notícia na coluna mais larga.

nextgen-reader

É possível customizar o método de visualização da notícia, como alterar entre o modo de resumo, artigo completo e a página da web. Se você não gostar da cor azul padrão do Nextgen Reader, é só escolher dentre as outras sete tonalidades. Se você usar um tablet, laptop ou híbrido com Windows que usa tela touch, também poderá usar o Nextgen Reader.

No Windows Phone, o aplicativo tem suporte aos blocos dinâmicos que ficam na tela inicial da plataforma. Também há a possibilidade de sincronizar os itens offline, com direito ao cache das imagens. O Feedly não permite busca dos artigos na versão web, mas o Nextgen Reader faz isso sem problemas no Windows Phone.

Para baixar o aplicativo, você precisa estar rodando a versão 8.0 ou superior da plataforma. Ele pode ser encontrado na Windows Phone Store ou na Windows Store por R$ 2,50, com direito a um período de testes.