Início » Demais assuntos » A promessa de Mark Zuckerberg: doar 99% de sua fortuna em prol de um mundo melhor

A promessa de Mark Zuckerberg: doar 99% de sua fortuna em prol de um mundo melhor

Em carta aberta à filha recém-nascida, Mark Zuckerberg e a esposa Priscilla Chan prometem investir em projetos que podem trazer mais qualidade de vida às próximas gerações

Emerson Alecrim Por

Mark Zuckerberg. Empreendedor, marido e, agora, um orgulhoso pai. Ao lado da esposa Priscilla Chan, o fundador do Facebook anunciou ao mundo na tarde de ontem (1) o nascimento de Max, a sua primeira filha. Mas esse anúncio foi feito de uma maneira deveras surpreendente: em carta direcionada à recém-nascida, Zuckerberg revelou que doará 99% de sua fortuna conquistada por meio do Facebook para causas sociais. O objetivo? Dar à Max e às gerações futuras "um mundo melhor do que temos hoje".

Não é pouco dinheiro que sairá daí. O montante virá das ações do Facebook que Zuckerberg possui. Atualmente, esses papéis valem pouco mais de US$ 45 bilhões! Por ser uma quantia tão elevada, esse valor não será repassado a projetos sociais de uma vez só. Na realidade, a doação será feita de modo gradual, com Zuckerberg e sua esposa dosando os repasses ao longo de vários anos.

Mark, Priscilla e Max

Um processo gradual

Pelo menos na fase inicial, as doações serão feitas a cada quatro meses a partir da venda de ações de modo que os montantes repassados, quando somados, não superem a quantia de US$ 1 bilhão por ano. Todo o controle será realizado pela recém-criada organização Chan Zuckerberg Initiative.

A organização se concentrará em duas frentes: avanço do potencial humano e promoção da igualdade. A primeira direcionará recursos para iniciativas de combate a doenças, proteção do meio ambiente e acesso à informação, por exemplo. A segunda frente se destinará a iniciativas como combate à pobreza, acesso a cuidados básicos de saúde, capacitação e inclusão social.

"Nós faremos o possível para que isso aconteça, não só porque te amamos, mas também porque temos uma responsabilidade moral diante de todas as crianças da próxima geração", explica Zuckerberg na carta à filha.

Prioridades

Chan Zuckerberg InitiativeAspectos relacionados à educação e promoção de oportunidades serão importantes para a missão de Zuckerberg e sua esposa, mas a carta indica que áreas da saúde receberão atenção especial. Pudera: Chan é pediatra em um hospital estatal de San Francisco e fundadora da The Primary School, projeto social que promove programas integrados de saúde e educação para crianças e seus familiares. Com toda essa bagagem, Chan tem uma noção bem nítida do que pode ser feito nesse segmento.

Não por menos, Zuckerberg destaca na carta que, hoje, a maioria das pessoas morre por uma destas cinco causas: doenças cardíacas, câncer, acidente vascular cerebral (derrame cerebral), doenças neurodegenerativas e doenças infecciosas.

Não podemos ignorar os numerosos avanços promovidos pela ciência nos últimos anos para combater esses e outros problemas de saúde, mas é inegável que ainda há muito trabalho a ser feito, não só em relação a tratamentos, mas também sobre prevenção.

O casal espera contribuir justamente para isso: "durante curtos períodos de cinco ou dez anos, pode parecer que não estaremos fazendo diferença. Mas, no longo prazo, as sementes plantadas agora vão crescer e, um dia, você [Max] ou seus filhos irão ter o que agora apenas podemos imaginar: um mundo que não sofre de doenças".

A inspiração

É impossível não associar a Chan Zuckerberg Initiative à Bill & Melinda Gates Foundation, organização criada por Bill Gates e esposa em 2000 que, desde então, vem financiando principalmente pesquisas e projetos que visam combater doenças e a pobreza. Não por menos, a própria Melinda Gates parabenizou o casal pela chegada de Max e, claro, pela criação da instituição. Em resposta, Mark Zuckerberg reconheceu que Bill e Melinda Gates são uma grande inspiração.

Bill Gates desenvolveu, desde cedo, um perfil empresarial muito ousado e agressivo. Graças a isso, a Microsoft se tornou uma das maiores empresas do mundo. Mas tamanho feito foi seguido de efeitos colaterais: o empresário teve que lidar, por exemplo, com investigações antitrustes que o fizeram ter um forte ar de "malevolência".

Bill e Melinda Gates

Existe a crença de que, entre outras razões, Gates criou a Bill & Melinda Gates Foundation para desconstruir essa imagem negativa. Alguns, mais desconfiados, acreditam que, com a organização, Bill Gates está botando em prática uma complexa manobra financeira para se desvencilhar de impostos altos. Com efeito, muita gente crê que Mark Zuckerberg não é tão bonzinho assim e está, na realidade, seguindo pelo mesmo caminho.

Mas sejamos razoáveis. Sendo essas teorias verdadeiras ou não, fato é que a Bill & Melinda Gates Foundation vem fazendo trabalhos muitos relevantes no combate a doenças como malária e tuberculose, e em programas de planejamento familiar e nutrição em países pobres, por exemplo. Esses esforços não podem simplesmente ser ignorados.

Dará certo?

A empolgação presente na carta somadas às promessas feitas ali nos fazem ter a sensação de que Zuckerberg e Chan querem resolver todos os problemas sociais do mundo. É óbvio que não é assim: US$ 45 bilhões é muito dinheiro, mas é insuficiente para uma escala global. O próprio Mark Zuckerberg reconhece que todo o empenho será apenas uma pequena contribuição.

Assim como a Bill & Melinda Gates Foundation, a Chan Zuckerberg Initiative deverá apoiar um conjunto bem delimitado de projetos. Exatamente quais, só com a passagem do tempo para sabermos.

O fato é que, com as promessas feitas, Mark Zuckerberg e Priscilla Chan chamam para si uma responsabilidade muito grande. Primeiro porque, ao publicar a carta abertamente, o casal assume um compromisso público, portanto, eles sabem que serão cobrados. Segundo porque, bom, um dia Max terá idade suficiente para ler, compreender o documento e, eventualmente, questioná-lo — creio que os pais não irão querer que o nome da filha fique associado a promessas vazias.

Mark Zuckerberg e Priscilla Chan

Note que Zuckerberg e Chan poderiam unicamente ter prometido uma vida de "princesa" à filha. Porém, com a carta, eles sugerem disposição para mostrar à menina que a vida não é um mar de rosas, mesmo que ela esteja em uma situação privilegiada.

Se é assim, talvez a maior missão da Chan Zuckerberg Initiative e de tantas outras organizações (assim como de pais, educadores e afins) seja a de mostrar para as gerações seguintes que as virtudes que as cercam são fruto de trabalhos extensos e colaborativos, que precisam ser continuados por eles.

Desse modo, eu espero que haja mesmo legitimidade nessa movimentação toda e que a organização criada por Zuckerberg e Chan possa trazer resultados significativos para as causas apoiadas.

As próximas etapas já estão definidas: o casal procura especialistas que possam ajudá-los na complicada decisão de definir como e quais áreas receberão as contribuições da organização.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Edianrtes Regis
Mark Zuckerberg Boa noite... Meu nome é Edinartes Regis.. sou do Brasil... não sei falar inglês, desculpe mas por isso estou usando o tradutor para me comunicar... ganho dinheiro com os computadore de comprei, mas as dívidas aumentaram, pois 4 computadores quebraram, vendi outros para poder pagar as dívidas, mas se acumularam. já estão em torno de aproximadamente $ 6.000,00. caso possa contribuir com algum valor, pode ser qualquer, acho que um pouco de cada um já ajuda bastante. obrigado pela atenção. caso queira ajudar, agência:1030 - conta: 00005604-7 - tipo: 013 - poupança. caixa econômica agradeço pela atenção... um beijo. um abraço.
Leticia Oliveira
Caridade falada e vaidade , tomara mesmo
bitcoin base
eu doaria meu caraio kkkkkkkk
Bruno Barros Azevedo
Boa http://www.insulfilmerio.com.br/
Matheus Gonçalves
Verdade. Kelly Slater. Kelly McDonald
Ariéli
outro nome que também confunde é Kelly, nos EUA pode ser tanto masculino quanto feminino...
Guilherme M.
Claro que existe alternativa. A alternativa é a gestão financeira da empresa trabalhar com todos os outros profissionais da fundação. A parte dos negócios está ignorando as ciências sociais. Pra ter uma ideia de como que faz a gestão financeira não está nem aí pra ideologia da fundação, não está nem aí pro sentido de existência de uma fundação filantrópica, existe uma lista das 500 empresas mais éticas no mundo e existe uma lista das menos éticas. Eles estão investindo exatamente nas menos éticas, enquanto existe as outras, que são também lucrativas. Ou seja, não precisaria sacrificar uns pra salvar outros, ou até sacrificar o planeta inteiro, já que a fundação investe em petrolíferas e até na Monsanto, bastaria trabalhar em conjunto com os profissionais da parte social e até com outras organizações, que há anos clamam para que a fundação pare de patrocinar atrocidade contra a humanidade em certas regiões. É só agir racionalmente dentro da ideologia da fundação. Fundação filantrópica não empresa privada de investimentos. Toda e qualquer ação é pensada para a finalidade da filantropia.
Anayran Pinheiro
Espero que não se restrinja a apenas aparentar ser uma boa pessoa ao resto do mundo, mas que ele foque em ser um pai exemplar para a Maxima.
Bruno Cavalcanti
Entendo seu ponto de vista. E concordo com ele. Porém não vejo alternativa. Não vejo empresas éticas rentáveis para bancar a filantropia que ele almeja. Se ele investir na Apple, vão dizer que a maçã financia a escravidão do mundo, e que os suicídios na Foxconn vão na contra mão da proposta do Gates de melhorar a vida das pessoas. Isso é um problema do capitalismo e não do Bill Gates. A opção que eu vejo pra ele resolver este problema é encerrar a fundação. Mas na minha opinião, com todos os percalços éticos inerentes as suas ponderações, para o planeta ainda é melhor termos a fundação do que não a termos. O saldo, no meu ponto de vista leigo, é positivo.
Matheus Gonçalves
Nos EUA pode ser homem ou mulher. Tipo Taylor.
Guilherme M.
São 1,4 bilhão diferentes. Um dado é do primeiro escândalo, o outro é do novo, onde 1,4 bilhão estão sendo investidos em 30 empresas que estão entre as 200 que estão em uma lista suja. Não tem muita importância discutir isso a exatidão dos dados (na Exxon, por exemplo, já teve desinvestimento). O que importa é o sentido dos questionamentos. Entenda que uma fundação é um fundo monetário, onde é destinado dinheiro pra uma causa. A maior parte do dinheiro da fundação vem das fortunas pessoais de Gates e outros bilionários, sus amigos. Esse dinheiro está vinculado juridicamente a uma causa. O orçamento vindo do fluxo de capital ganho com investimentos é basicamente destinado pra novos. Por isso da informação do LA Times, onde 95% desse dinheiro vai pra novos investimentos. Isso é bom? É, pois faz a fundação ter mais dinheiro pra investimentos futuros. Isso ninguém está questionando. O questionamento é ético e diz respeito aos investimentos em empresas envolvidas com ações que contrariam a ideologia da própria fundação. É contraditório e tenebroso. Em uma década a fundação não mudou sua forma de agir, apenas muda o ciclo de investimentos pra outras empresas com os mesmo problemas éticos. Por exemplo, a fundação Gates investe nas mesmas empresas que estão causando horrores no delta do Níger na extração de petróleo, onde há investimentos humanitários. Acaba que a fundação ajuda em um lado e acaba promovendo crimes ambientais e violações de direitos humanos por outro lado. Uma fundação filantrópica cujo objetivo é o desenvolvimento humano não pode de maneira alguma investir em algo oposto ao que prega e foi constituída. É até financeiramente irracional, já que o dinheiro pro desenvolvimento humano acaba perdido pela própria promoção de empresas que a instituição patrocina. Pq não investir em empresas que não tem questionamentos éticos? Há mais de 10 anos críticos fazem essa pergunta e a Bill & Melinda Gates Foundation diz que será resolvido, mas o problema volta a aparecer.
Antony
Como disse anteriormente, 1.4 bi é o que foi investido nessas empresas (texto da fonte que você postou abaixo, The Guardian) "The charity run by Bill and Melinda Gates, who say the threat of climate change is so serious that immediate action is needed, held at least $1.4bn (£1bn) of investments in the world’s biggest fossil fuel companies, according to a Guardian analysis of the charity’s most recent tax filing in 2013." Quanto ao investimento, trecho de um artigo recente do Seattle Times, noticiando que a fundação cortou investimentos em empresas de combustível fóssil, e justificando o investimento anterior: "The money primarily is invested to maximize returns, which have funded more than $34 billion in grants to fight poverty and disease in the poorest corners of the world." É preciso entender que a filantropia é realizada com o lucro desses investimentos. E também é preciso compreender que apesar do alto lucro que essas empresas dão, o instituto está se desligando das mesmas. E sim, vejo problemas éticos aí, que felizmente estão sendo resolvidos.
Guilherme M.
Os links com as reportagem originais estão todos lá. Não tem má fé alguma, tem é muito boa fé por questionar ações de uma fundação filantrópica que atua fortemente no mercado financeiro, ajudando os investimento de empresas com sérios questionamentos éticos. Alguns links: The Guardian: http://www.theguardian.com/environment/2015/mar/19/gates-foundation-has-14bn-in-fossil-fuels-investments-guardian-analysis LA Times: http://www.latimes.com/news/la-na-gatesx07jan07-story.html The Guardian (sobre a parceria com Monsanto e Cargill): http://www.theguardian.com/global-development/poverty-matters/2010/sep/29/gates-foundation-gm-monsanto Seattle Times: http://www.seattletimes.com/seattle-news/environment/gates-foundation-cuts-fossil-fuel-investments-but-why/
Guilherme M.
1,4 bilhões são os investimentos filantrópicos, que são feitos pra cumprir a função social da fundação. Se não for feito os gestores cometem crime de desvio de finalidade. 95% do orçamento é reinvestido no mercado financeiro, em empresas com ações na bolsa, como por exemplo nessas citadas que tem sérios questionamentos éticos. Vc não vê problemas éticos com esses investimentos?
Antony
Não contestei sua ideia, apenas quis realmente saber a fonte. Tem muitas reportagens sobre o assunto e acho importante se ater aos fatos, já bastam as teorias da conspiração baseadas em uma tradução e mal feita e má fé do blogueiro nos links do comentário inicial.
Guilherme M.
Seria então coincidência que após publicização, com consequente pressão de organizações não governamentais e sociedade organizada, os gestores tenham tomado a decisão de mudar a forma de investimento, alegando justamente o que esses que questionavam a fundação alegavam? Aliás, aconteceram vendas de ações e foram substituídas por outras, de empresas com os mesmos questionamentos éticos.
Antony
Do Los Angeles Times: "Like most philanthropies, the Gates Foundation gives away at least 5% of its worth every year, to avoid paying most taxes. In 2005, it granted nearly $1.4 billion. It awards grants mainly in support of global health initiatives, for efforts to improve public education in the United States, and for social welfare programs in the Pacific Northwest. It invests the other 95% of its worth. This endowment is managed by Bill Gates Investments, which handles Gates' personal fortune." Em nenhum momento fala que os 95% dos investimentos são nesse tipo de empresa. Apenas é citado nas outras fontes que foram investidos 1.4 bi nas empresas citadas. Já foram doados mais de 35 bilhões desde o início da fundação, pra você ter uma ideia (é a instituição filantrópica que mais doou em todo mundo).
Supersonic
Max é nome de homem, não?
Antony
Onde você leu que foi por pressão pública? Nos dois artigos que li (The Guardian e CBS News, que inclusive cita que nessa mesma manobra foram vendidas as ações da Coca-Cola e do McDonalds) diz que o Asset Trust, que é quem gerencia os investimentos da fundação, tomou a decisão baseado nas diretrizes em que ela foi fundada.
G. C.
Ali tem fontes que vão desde Los Angeles Times, The Guardian, Seattle Times até os próprios documentos oficias da fundação de Bill Gates, que inclusive confirmou que por pressão da opinião pública vendeu as ações da Exxon, mas acabou usando o dinheiro pra comprar ações da Vale e outras empresa de mineração.
Juan Lourenço
Links muito confiáveis heim amigo?
Lucas Santos
agora ele só fica no inferno pela metade da eternidade :v
Guilherme M.
Espero que Zuckerberg seja mais coerente que Bill Gates e sua fundação. Gates ajuda muitas pesquisas científicas contra doenças, dá apoio em países pobres, mas investe 95% da receita de sua fundação em empresas químicas (que fazem napalm e agente laranja, por exemplo), petroleiras, mineradoras, farmacêuticas que dificultam o acesso de medicamentos à regiões pobres e mais dezenas de empresas poluidoras e que violam direitos trabalhistas e direitos humanos. - http://goo.gl/hiiKTZ - http://goo.gl/RNnLrD