Início » Legislação » Homem que acessou fotos íntimas de celebridades no iCloud e Gmail é condenado

Homem que acessou fotos íntimas de celebridades no iCloud e Gmail é condenado

Acesso indevido às fotos nuas de celebridades no caso The Fappening ocorreu utilizando a técnica de phishing

Jean Prado Por
4 anos atrás

Lembra do enorme vazamento de fotos íntimas de celebridades que aconteceu há dois anos? Após uma longa investigação do FBI, que ainda não terminou, um homem admitiu que acessou contas no iCloud e Gmail utilizando a técnica de phishing, na qual ele se passou pela Apple ou pelo Google para enganar os usuários e conseguir entrar nas contas sem autorização.

Jeniffer Lawrence, atriz que teve fotos íntimas vazadas no escândalo.

Jeniffer Lawrence, atriz que teve fotos íntimas vazadas no escândalo.

O hacker Ryan Collins, de 36 anos, violou a Lei de Fraude e Abuso de Computadores (CFAA, na sigla em inglês), acessando informações pessoais sem autorização dos proprietários. Segundo o Departamento de Justiça americano (DoJ), 50 contas do iCloud foram acessadas, além de 72 do Gmail.

Na época, acreditou-se que o vazamento estava ligado a uma brecha no iCloud, o que logo depois foi descartado pela Apple. Ainda assim, o escândalo, chamado de Celebgate ou The Fappening, prejudicou personalidades como a atriz Jeniffer Lawrence, que ameaçou processar os responsáveis, e a atriz Mary Elizabeth Winstead, que confirmou a veracidade das fotos.

Collins foi processado em Los Angeles, um dos centros da indústria de entretenimento, mas ele será condenado em Pensilvânia, seu estado natal. Os promotores recomendaram uma sentença de 18 meses, que poderá ser estendida pelo juiz para até cinco anos de prisão. A fiança é de US$ 250 mil.

icloud

Na confissão, e segundo apurado pela investigação, Collins enviava e-mails para suas vítimas fingindo ser a Apple ou o Google e pedia que elas enviassem seu nome de usuário e senha. Apesar do vazamento só ter sido feito no finalzinho de agosto de 2014, o hacker tentava acesso desde novembro de 2012.

Após quase dois anos tentando acessar mais de 120 contas, Collins colheu informações pessoais das celebridades, como fotos íntimas e vídeos, segundo a confissão. Em alguns casos, ele usou um programa para baixar todo o conteúdo armazenado nos backups do iCloud das vítimas.

"As pessoas armazenam importantes informações privadas em suas contas online e em seus dispositivos digitais", disse a promotora Eileen M. Decker. "Acesso não autorizado a esse tipo de informação privada é crime", completou.

Gmail

David Bowdich, diretor assistente do escritório do FBI em LA, disse que, além de violar a privacidade dos usuários, Collins causou estresse emocional nas vítimas, que eram principalmente mulheres. Ele ainda afirmou que até hoje todo tipo de gente sofre as consequências de crimes como esse, e aconselhou usuários a fortalecer suas senhas e não enviar informações pessoais por e-mail.

Há algum tempo, a própria Apple criou uma página de suporte para ajudar os usuários a identificar e-mails de phishing e se proteger de ataques. "Nunca envie dados de cartão de crédito, senhas de contas ou informações pessoais detalhadas por e-mail, a menos que tenha confirmado que o destinatário é quem afirma ser", diz a página.

Apesar de Collins ter admitido acessar as contas das vítimas e baixado informações, não há evidências de que ele compartilhou as imagens e vídeos que obteve. O escândalo começou com posts de usuários anônimos no 4chan. As investigações continuam — e mais pessoas podem ser presas nesse processo.

Com informações: 9to5Mac, BBC.

Mais sobre: