Início » Mobile » Este vidro da LG tem um sensor de impressões digitais embutido

Este vidro da LG tem um sensor de impressões digitais embutido

Área de 0,3 mm embaixo do vidro de proteção do smartphone abriga o módulo, fabricado pela LG Innotek

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Um dos aspectos que seguram o avanço de um sensor de impressões digitais nos smartphones é a necessidade de um botão físico. A Samsung adota a medida de segurança desde o Galaxy S5, mas outras fabricantes Android que utilizam botões virtuais não dão sinais de aderir à tecnologia. Com este vidro fabricado pela LG, a história pode mudar.

Apresentado pela LG Innotek, divisão da LG que fabrica componentes, o vidro tem um módulo de impressões digitais embutido, sem precisar de um botão para fazer o reconhecimento biométrico.

lg-sensor-1

Para desenvolver a tecnologia, eles fizeram um “corte” embaixo do vidro de proteção do smartphone, incluindo o módulo num espaço de apenas 0,3 milímetro. O sensor não fica exposto e não precisa de uma proteção extra para riscos (a Apple protege o botão do iPhone com cristal de safira), ou até contra líquidos, no caso do smartphone ser à prova d’água. Para encaixar o sensor, a LG desenvolveu um adesivo especial de apenas 0,25 milímetro de espessura que o fixasse ao vidro, tanto para absorver impactos quanto para ele não se soltar.

Um ponto positivo é que o sensor está espalhado por toda a superfície do dispositivo. Ou seja, qualquer lugar da tela do smartphone pode ser utilizado como leitor de impressões digitais, o que abre margem para a implantação de outros padrões de reconhecimento.

Na falta de alternativas para posicionar um botão com o sensor de impressões digitais, fabricantes chegam a colocar um espaço até na parte de trás do dispositivo, como a Lenovo fez com o Vibe A7010. Não dá para incluir um botão físico na parte da frente porque muitas prezam um design com poucas bordas laterais, além de usar os botões virtuais do Android.

Essa nova forma de encaixar o módulo não deve comprometer a precisão da autenticação, segundo a LG. A fabricante disse que a taxa de falsos positivos é de apenas 0,002%. Essa taxa corresponde à probabilidade de que o sensor aceite outra digital que não a do usuário.

lg-sensor-2

Segundo a fabricante, a demanda por tecnologias de reconhecimento de digitais poderá aumentar significativamente por conta do mercado de pagamentos móveis, assuntos que já discutimos no Tecnocast 037. Por isso, smartphones e outros dispositivos que precisam de tecnologias ultrasseguras para mexer com dinheiro devem ter uma autenticação rápida, mas sem comprometer a segurança. Os sensores de impressões digitais se encaixam nesses quesitos.

E como fica a resistência? Esse ponto é importante, pois há um dispositivo acoplado à tela do celular, e não é de hoje que usuários derrubam o seu dispositivo e quebram o vidro. A LG disse que o vidro aguentou o impacto de uma barra de aço de 130 gramas, solta a uma distância de 20 centímetros da tela.

Apesar de toda a preparação da empresa, não foi informado se a LG implantará a tecnologia em outros smartphones. Segundo o The Verge, um porta-voz da empresa disse ao jornal Korea Times que a LG está conversando com outras fabricantes para comercializar o módulo “ao longo deste ano”.

Mais sobre: , ,
  • Gustavo Michels

    Ótimo, falta agora os celulares serem tudo assim o/

    • Espero que não demore a implementar, pois não tem motivo para não aderirem, pq nem mexe na estética do produto.

      • Keaton

        mas e os royalties/valor das peças?

      • Artur Domingues

        Mexe com o bolso das empresas, então, imagino que vá demorar

  • Filippe Lovatti

    Se funcionar com película de vidro ótimo!
    Se não não serve pra nada.

    • André Silva

      Este é um ponto interessante, bem lembrado. Tem outro também: o custo de reposição nos casos de derrubar e trincar a tela.

      • Muriel

        Simples, não derrube e trinque a tela.

        • Simples, não compre um smartphone.

    • Alan Patrik

      Verdade, já quebrei umas três películas de vidro e a tela continua intacta, logo prefiro um botão físico se a tela não suportar película.

  • Louis

    Sempre pensei isso, até que enfim alguma empresa tornou realidade.

    Espero que isso seja um caminha para o fim eterno dessas bordas absurdamente desproporcionais nas principais linhas de smartphones da atualidade.

    • As bordas em nada tem haver com o sensor. O S7 mesmo com o sensor abaixo da tela tem bordas bem compactas, enquanto o Z3 sem sensor algum tem bordas gigantes.

  • Alexandre XStationBR

    Só um detalhe, películas de vidro não permitirá o uso de desbloqueio por biometria, a não ser que a película cubra apenas a area de cima e não a area onde se coloca o dedo pra desbloquear.

    • Gustavo73

      O desbloqueio ppde ser feito em qualquer lugar da tela.

      • Alexandre XStationBR

        Mas a película de vidro irá impedir isso. A não ser que a película de vidro tenha um espaço que não cubra a tela na parte que sirva para usar como sensor Biométrico.
        E o mesmo que pegar um plástico do mais fino que for e cobrir o leitor Biométrico do Galaxy S7 ou iPhone 6, o mesmo não funcionará.

        • Gustavo73

          A questão é, o sensor é a tela inteira. Logo não dará para usar um película de qualquer material que for.

          • Alexandre XStationBR

            Se a película de qualquer material que for, deixar um pequeno espaço para impressão digital, tornaria isso possível sim.

  • Colocar o sensor não é uma questão de falta de espaço na frente, assim como colocar os botões atrás não é uma questão de falta de espaço nas laterias. É simplesmente uma approach diferente que leva em conta que o seu dedo já está ali a maior parte do tempo.