Início » Brasil » Você já pode usar eletrônicos em todo o voo nas companhias aéreas brasileiras

Você já pode usar eletrônicos em todo o voo nas companhias aéreas brasileiras

Por
2 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Azul liberou na sexta-feira (13) a utilização de eletrônicos em todas as fases de voo. Isso significa que os comissários de bordo de todas as grandes companhias aéreas brasileiras não se importarão mais quando você estiver mexendo no smartphone ou tablet, desde que em modo avião, atendendo às autorizações da Agência Nacional de Aviação (Anac) emitidas desde julho de 2015.

A Gol foi a primeira companhia a obter autorização da Anac para permitir eletrônicos durante todo o voo. Até então, os passageiros eram obrigados a desligar os aparelhos quando o avião estivesse decolando ou aterrissando. Os dispositivos só podiam ser utilizados quando a aeronave atingisse 10 mil pés (3.048 metros).

aviao

A TAM, agora LATAM, passou a liberar dispositivos eletrônicos em procedimentos de pouso e decolagem em janeiro. Inicialmente, a regra valia apenas para os voos domésticos, mas a novidade também se aplica aos voos internacionais desde março. Nesse mês, os passageiros da Avianca Brasil também foram autorizados a manter seus aparelhos ligados.

Na Azul, de acordo com o Valor Econômico, será possível utilizar smartphones, tablets, e-readers, notebooks e laptops em modo avião, em todas as fases do voo. Quando a aeronave estiver no taxiamento, será permitido fazer ligações telefônicas. Por enquanto, a novidade vale para os jatos Embraer 190 e 195 da empresa. Nos Airbus A330 e ATR 72-600, a liberação deve acontecer ainda este ano.

As companhias aéreas brasileiras estão seguindo uma tendência iniciada pela Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos. A agência norte-americana decidiu remover a restrição de uso de eletrônicos em outubro de 2013, após receber “respostas de um grupo de especialistas que incluía representantes das companhias aéreas, fabricantes de aviação, passageiros, pilotos, comissários de bordo e a indústria de tecnologia móvel”.

Agora você não precisa mais ficar com peso na consciência por ter mantido o smartphone ligado no voo durante todos esses anos. Pode confessar, vai.