Início » Negócios » Microsoft reestrutura divisão de smartphones e demitirá até 1,8 mil funcionários

Microsoft reestrutura divisão de smartphones e demitirá até 1,8 mil funcionários

Por
3 anos atrás

A Microsoft anunciou nesta quarta-feira (25) a demissão de até 1.850 funcionários como parte da reestruturação do negócio de dispositivos móveis. A notícia chega uma semana após a empresa vender a divisão de celulares básicos e liberar a marca Nokia para utilização por uma companhia finlandesa, que planeja lançar smartphones e tablets com Android.

microsoft-logo

A maioria dos funcionários demitidos trabalha na Microsoft Mobile Oy, com escritório na Finlândia, responsável por desenvolver os smartphones Lumia; até 1.350 devem ser mandados embora. A mudança também vai impactar outros 500 empregos em todo o mundo. Segundo o comunicado, a intenção é concluir a reestruturação até julho de 2017.

Em nota, o CEO Satya Nadella diz que a Microsoft planeja “focar os esforços em smartphones onde a empresa apresenta diferenciação”, como companhias e usuários que valorizam segurança, gerenciamento e o recurso Continuum, do Windows 10 Mobile. O chefe da divisão de Windows e dispositivos, Terry Myerson, enviou carta aos funcionários informando que as estratégias da Microsoft com relação aos aplicativos universais, smartphones Windows e serviços continuam inalteradas.

Na semana passada, com o anúncio da venda da divisão de celulares básicos e a transferência de 4.500 funcionários, a Microsoft declarou que continuaria dando suporte aos Lumias existentes, sem fazer menção a novos aparelhos, o que criou especulações de que o Lumia 650 seria o último Lumia da Microsoft. A esperança do Windows 10 Mobile ficará por conta do suposto Surface Phone, que deverá ser lançado apenas em 2017.

O negócio de celulares e smartphones da Nokia foi comprado pela Microsoft em setembro de 2013 pelo equivalente a R$ 17 bilhões. Desde então, a companhia passou por reestruturações com o objetivo de reduzir os gastos. A maior delas aconteceu em julho de 2014, quando 18 mil funcionários da Microsoft, sendo 12,5 mil vindos da antiga Nokia, foram demitidos.

Mais sobre: