Início » Negócios » Xiaomi desiste de lançar smartphones no Brasil

Xiaomi desiste de lançar smartphones no Brasil

Quadro de funcionários da Xiaomi será reduzido na operação brasileira

Por
2 anos atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Xiaomi vai reduzir seu quadro de funcionários no Brasil e desistir de lançamentos de smartphones no curto prazo. As informações foram reveladas nesta quarta-feira (25) pelo vice-presidente Hugo Barra, em entrevista ao AndroidPIT. O assunto volta ao noticiário semanas após a empresa negar a informação de que estaria pensando em sair do mercado brasileiro.

Hugo Barra culpa as constantes mudanças nas regras de fabricação e tributação de vendas online para a desistência de lançamentos. Em 2015, para equilibrar as contas públicas, o governo revogou a Lei do Bem, que concedia incentivos fiscais para aparelhos produzidos no Brasil. Além disso, alterações nas regras do ICMS, que visavam equilibrar a distribuição do imposto entre estados, prejudicaram seriamente as lojas online.

xiaomi-mi5-2

As mudanças resultaram na decisão da Xiaomi de suspender a produção de smartphones no Brasil. Essa informação corrobora a reportagem do Manual do Usuário, que havia dito que a fábrica da Foxconn em Jundiaí (SP) deixou de montar os aparelhos da Xiaomi. Segundo Barra, a produção poderá ser retomada caso se torne mais vantajosa que a importação.

O cancelamento dos lançamentos de smartphones da Xiaomi no “curto prazo” é um balde de água fria para os que esperavam a chegada dos aparelhos mais recentes da fabricante chinesa, como o topo de linha Mi 5. A empresa não diz por quanto tempo planeja ficar sem trazer novos produtos, mas afirma ter “confiança na estabilização do mercado”.

Segundo o executivo, funcionários responsáveis pelo marketing e mídias sociais da Xiaomi no Brasil serão transferidos para a sede em Pequim. Com a mudança, eles passarão a cuidar remotamente das atividades do mercado brasileiro e dos planos da companhia na América do Norte. A operação nacional continuará abrigando as áreas de e-commerce, suporte, assistência técnica, logística, finanças e gerência geral.

Atualização às 20h35. Além de enxugar as operações brasileiras, a Xiaomi está saindo de seu escritório em São Paulo. O Manual do Usuário descobriu que a sala de 330 m² da empresa, localizada no bairro da Vila Olímpia, está disponível para aluguel por R$ 21 mil ao mês. A fabricante chinesa informa que pensa na “possibilidade de mudar de local até o fim do ano para ir para outro bairro”.

Mais sobre: