Início » Negócios » Xiaomi desiste de lançar smartphones no Brasil

Xiaomi desiste de lançar smartphones no Brasil

Quadro de funcionários da Xiaomi será reduzido na operação brasileira

Por
1 ano atrás
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

A Xiaomi vai reduzir seu quadro de funcionários no Brasil e desistir de lançamentos de smartphones no curto prazo. As informações foram reveladas nesta quarta-feira (25) pelo vice-presidente Hugo Barra, em entrevista ao AndroidPIT. O assunto volta ao noticiário semanas após a empresa negar a informação de que estaria pensando em sair do mercado brasileiro.

Hugo Barra culpa as constantes mudanças nas regras de fabricação e tributação de vendas online para a desistência de lançamentos. Em 2015, para equilibrar as contas públicas, o governo revogou a Lei do Bem, que concedia incentivos fiscais para aparelhos produzidos no Brasil. Além disso, alterações nas regras do ICMS, que visavam equilibrar a distribuição do imposto entre estados, prejudicaram seriamente as lojas online.

xiaomi-mi5-2

As mudanças resultaram na decisão da Xiaomi de suspender a produção de smartphones no Brasil. Essa informação corrobora a reportagem do Manual do Usuário, que havia dito que a fábrica da Foxconn em Jundiaí (SP) deixou de montar os aparelhos da Xiaomi. Segundo Barra, a produção poderá ser retomada caso se torne mais vantajosa que a importação.

O cancelamento dos lançamentos de smartphones da Xiaomi no “curto prazo” é um balde de água fria para os que esperavam a chegada dos aparelhos mais recentes da fabricante chinesa, como o topo de linha Mi 5. A empresa não diz por quanto tempo planeja ficar sem trazer novos produtos, mas afirma ter “confiança na estabilização do mercado”.

Segundo o executivo, funcionários responsáveis pelo marketing e mídias sociais da Xiaomi no Brasil serão transferidos para a sede em Pequim. Com a mudança, eles passarão a cuidar remotamente das atividades do mercado brasileiro e dos planos da companhia na América do Norte. A operação nacional continuará abrigando as áreas de e-commerce, suporte, assistência técnica, logística, finanças e gerência geral.

Atualização às 20h35. Além de enxugar as operações brasileiras, a Xiaomi está saindo de seu escritório em São Paulo. O Manual do Usuário descobriu que a sala de 330 m² da empresa, localizada no bairro da Vila Olímpia, está disponível para aluguel por R$ 21 mil ao mês. A fabricante chinesa informa que pensa na “possibilidade de mudar de local até o fim do ano para ir para outro bairro”.

Mais sobre:
  • Carlos Henrique Cabral

    Ponto para o Ghedin.

    • jairo

      Manual do usuário win, parabéns também para a Emily

  • dgo

    AH NÃO

  • Jeffersom

    NÃÃÃO

  • Eita país que só me dá orgulho.

    • Daniel Belini

      Espero que com a saída da Dilmanta as coisas melhorem um pouco.

      • Alef

        Melhor sentar, viu querido?

        • Daniel Belini

          Custa sonhar um pouco com um país melhor?

          • Ney Wendell C.F.

            A realidade bate a sua porta, as coisas só irão piorar, acorda.

      • Vitor Hugo

        Mano, você só pode ser muito burro ou ter faltado várias aulas de geografia.

        • Daniel Belini

          Que tem de ver as aulas de geometria com a situação econômica do país?

          • Vitor Hugo

            geometria?

          • Daniel Belini

            Geografia?

          • Vitor Hugo

            Exatamente. A questão é simples: o que encarece os produtos de verdade é o frete e qualquer um pode perceber que o problema das coisas serem mais caras no Brasil não é culpa de 1 governo. É de toda infraestrutura precária no Brasil, o que também não é culpa de 1 governo. Você não pode julgar os governos Washington Luís, Vargas, Dutra e JK por investirem demais em rodovias e pouco em ferrovias/hidrovias, se analisar o contexto histórico.

            Pra uma carga sair da China e chegar nos limites marítimos do Brasil ( mais de 11 mil km de distância percorrida), tem-se um custo de aproximadamente U$1.700. Desse limite até o porto (75 km +-) o custo é o mesmo. U$1.700 por 75 km. Um navio parado esperando para atracar num porto (que no Brasil é muito comum, porque os portos daqui são gargalos) custa em média U$25.000 por dia.

            Sobre o governo Dilma: O governo dela construiu 25% (cerca de 10 mil km) de toda malha ferroviária atual, mas ainda falta muita coisa. É necessário um projeto de país para que essa terra aqui dê certo. Senão vai tudo continuar como está: sai governo e entra governo e tudo continua na mesma merda.

          • Daniel Belini

            E que eu disse?
            Espero que com a saída da Dilmanta as coisas melhorem.
            Seja investindo mais na infraestrutura de transporte ou oferecendo melhores condições para as empresas de fora se instalarem aqui.

          • Vai melhorar mesmo, muito… Com Alexandre Frota sendo recebido para dar conselhos ao ministro da educação, o banco de réus do STF transferido pros ministérios e sem politicas internacionais.

          • Ney Wendell C.F.

            Da até pena do Daniel Belini em acreditar que o país vai melhorar agora, se atualiza ai nos áudios vazados essa semana querido.

          • Daniel Belini

            Ninguém nesse governo é santo mas são menos ruins que os que estavam antes.

          • Ney Wendell C.F.

            Sério que você pensa assim depois dos áudios vazados? O Brasil merece passar por tudo isso enquanto tiver gente pensando assim.

          • Vitor Hugo

            Mas não é fácil assim, amigo. Ela investiu pra caralho em infraestrutura, mas mesmo assim não fez mágica. E nem todo dinheiro pode ser gasto nisso. Não podemos esperar que 1 governo só melhore isso, entendeu? É disso que eu tô falando.

          • Supersonic

            Além disso tem impostos e burocracia.

          • Daniel

            O problema é e sempre foi o governo. Nós já chegamos a ter a maior malhar ferroviária do mundo, mas o governo não resistiu ao lobby das montadores, escolhendo investir em transporte automobilísticos para longas distâncias, qualquer com o mínimo de conhecimento em geografia sabe que ferrovias são melhores, tantos é que os EUA detêm uma das maiores malhas ferroviárias do mundo mesmo tendo as maiores fabricantes automotivos, sendo assim não tem essa de contexto histórico, só burrice mesmo.

          • Vitor Hugo

            Sim, o problema é o governo, mas não UM governo, entendeu? Lógico que é o governo, já que é ele quem faz os investimentos.

            E é claro que tem a ver com o contexto histórico. O lobby das montadoras só foi tão forte por conta do contexto histórico. O Brasil se abriu para a industrialização com o capital estrangeiro, trazido pelas montadoras. Se o país não demonstrasse o interesse e a força na hora de criar rodovias, elas simplesmente não viriam (e elas foram escolhidas pq para funcionarem necessitam de muitas outras indústrias, que vieram “no pacote”).

            E quando o Brasil teve a maior malha ferroviária do mundo?

          • Daniel

            Eu vejo tudo como farinha do mesmo saco. Esse é o problema: governo achar que tem que fazer invesimento (diga-se roubar dos outros em impostos) e proibir que indivíduos façam isso. Eu mesmo já vi pessoas que quiseram asfaltar as ruas das próprias casas, mas as prefeituras proibiam dizendo que era dever do estado, hoje continua só a lama.
            Não tem essa de contexto histórico, pois se trata apenas de populismo. O lobby das montadoras poderia tranquilamente ser substituido pelo lobby das ferrovias, ou você acha que locomotivas ( das quais também requer tecnologia e também traria outras indústrias), ferrovias e transporte barato não iria trazer desenvolvimento?
            O problema é, conforme o próprio governo admitiu, ter escolhido rodovias por serem mais simples de se contruir a curto prazo, só pra você ter uma idea em 6 meses você construia a mesma quantidade de estradas que demoraria 3 anos caso fossem ferrovias, então era impossível crescer 50 anos em 5 usando estradas de ferro. Só que, com objetivo de fazer propaganda, escolheram as rodovias, isto é, escolherem o investimento imediato ao invéz de investimento de longo prazo. Hoje nosso transporte é 40% mais caro que a média mundial e absudamente mais caro que o transporte americano. O governo estraga ainda mais o investimento ferroviário subsidiando o diesel e taxando a gasolina, assim todos nós somos forçados a pagar pelo transporte caro e com diesel artificialmente barato não compença investir em transportes mais eficiente. Por isso eu digo que a culpa é do governo.
            O Brasil chegou a ter uma das maiores malha ferroviárias do mundo na era cafeeira. Contudo, após a mudança na bitola dos trêns, boa parte foi unitilizada. Depois de o governo não dar mais atenção ela começou a definhar voltando a crescer somente nesse século, só que ainda representa metado do ideial para o Brasil.
            Uma locomotiva, para distâncias maiores que 600km, consegue ser de 5 a 7 vezes mais barata que caminhões. Existem trens com múltiplas locomotivas acopladas que carregam 40 mil toneladas, ao passo que um caminhão carrega 26 toneladas. Também tem a questão do arrasto mecânico, etc. Por isso locomotivas são ideais para transporte terrestre a longas distâncias.
            http://www.autoracing.com.br/forum/index.php?showtopic=48444

          • Vitor Hugo

            Cara, eu sei que ferrovias são melhores pra longas distâncias e seriam muitos mais interessantes para um país como o Brasil, só tô falando que, como qualquer coisa que você pesquise no passado, você tem que contextualizar e relativizar.
            Como você mesmo disse, traria (e trouxe) respostas muito mais rápidas a construção das rodovias e o investimento no setor automotivo. É isso, só.
            E do jeito como a política funciona no Brasil, só assim pra você se manter no poder: agradando quem realmente controla o poder.

      • Novais

        kkkkk cheguei aqui e li seu comentário de um ano atrás, as coisas só pioraram! a esperança que você tinha, hoje é comprovado ter sido completamente delirante…

        • Daniel Belini

          Ah cara, as coisas estavam melhorando com o Temeroso no comando, mas depois que o Joesley Safadão soltou a bomba, caiu a casa pra TODOS nós, menos pra ele.

  • Rennan Martini

    Brasileiro merece ter Moto G por 1.500 sim! Merece ter carro 1.0 turbo de 50 mil sim. Tchau, querida!

    • Ué, segundo o presidente em exercício Temer, o Brasil não está mais em crise.

      Inclusive ele impediu que seus ministros falassem disso, pois era pra evitar o pessimismo.

      • Rafa Capoci

        Ué, eu achei que depois do pete sair o Brasil ia virar pais de primeiro mundo. O que aconteceu será?

      • Rafa Capoci

        Agora o dinheiro não se chama mais Dilmas, se chama golpinhos. “Paguei tantos golpinhos nessa brusinha”

      • ochateador

        Deve ter pedido para os ministros ficarem quietos pois sempre que um abria a boca ele tinha de vir a publico falar outra coisa, em tempo de crise como a atual essa discordância de informação é ruim.

      • Bruno Santos

        Cade a reportagem em que ele afirma que o Brasil não esta mais em crise? É uma sentença tao absurda que n sei se é desinformação ou verdade. Fiquei curioso.

        • Em seu primeiro discurso, aquele que a Globo transmitiu durante a sessão da tarde. Foi lá que ele disse que o país não estava em crise e que devíamos deixar o pessimismo de lado e trabalhar.

          Tanto é que isso virou meio que uma piada no Twitter e outros grandes portais.

          Anyway, procure pelos vídeos no YouTube, fontes não há de lhe faltar.

    • marcos

      Não fale me crise. Trabalhe

      • Rafael Henrique Arruda

        Claro que ele quer q trabalhe, trabalhe para sustentar governo vagabundo e corrupto.

      • RABUGENTO SFQNS

        Trabalhe e esqueça as férias e o horário do almoço…

        • Ney Wendell C.F.

          o 13º, FGTS…

    • Jonas S. Marques

      Com todo respeito a você e a Xiaomi (Em quem tinha muitas esperanças), a falha dela no Brasil não se deve, em momento algum a nada especial que o governo tenha feito.
      O problema aqui é que ela trouxe um único produto esperando ganhar todo o mercado. E isso não se faz em lugar nenhum.
      Ou por acaso o carro 1.0 turbo de 50000 reais é o único modelo da marca disponível no Brasil?
      Honestamente, que vá em paz, Xiaomi. E se for pra voltar, que volte direito, tratando o consumidor com respeito. Por que frustra você saber que o único aparelho deles aqui é um de entrada que mal e mal serve hoje em dia.

      • Breno Ribeiro

        1.0 turbo sim.
        Por sinal, a Ford irá lançar o novo Fiesta Ecoboost, com o 1.0 turbo. Por 70 mil reais.
        Merecemos.

    • Moto G4 plus ? Octacore com 2 GB de memória com mais tecnologia que o Moto X segunda geração que custava os mesmos 1500 no lançamento.

    • marcus lahoz

      50 mil…. Esta atrasado o fiesta 1.0 vem a 70k.

    • Tiago Ronieri Pertile
  • Samsung e Lenovo (ou Motorola) curtiram isso.

  • Douglas

    Tem a economia do atual momento, a Lei de ICMS felizmente foi revogada pelo STF em fevereiro.

  • Já vai tarde.

    Queria entupir o mercado local com o que encalhava na Ásia e ainda reclama do seu próprio fracasso.

    • Mike Divine

      Não fala besteira.

      • Ué, cadê os tops de linha? Cadê os smartwatchs? Cadê as pulseiras?

        Só vi dois telefones, sendo que um deles é horrível por conta de ter apenas 1Gb de RAM.

        #TchauQuerida

        • abraaocaldas

          O mais foda que eu comprei o meu note3 pro por importação e saiu R$1500, o aparelho é ótimo, com certeza eles conseguiriam vender muito mais barato do que eu paguei, iriam faturar bastante.

          • Pois é, enquanto os asiáticos desfrutam dos melhores aparelhos a banânia tem que se contentar com dois modelos lixos. Isso sem contar aquela fracassada estratégia de vendas via web.

            É depois esse povo ainda tem coragem de dizer que a marca não decolou no país. Também pudera né?

          • Supersonic

            Como foi a importação? Enfrentou problemas de alfândega, pagou taxa? Demorou? O sistema é bom? Pergunto pois penso em importar um mi5.

          • abraaocaldas

            O sistema é muito bom mesmo, pena que a câmera é uma droga, vai ter que pagar o imposto não se preocupe o Brasil é eficiente nisso.

          • Supersonic

            Outra coisa que me deixa com pé atrás é a manutenção, se eu deixar cair no chão e a tela quebrar fico com medo de ficar sem conserto mas adorei o mi5 pelo menos nas especificações.

          • abraaocaldas

            Olha, basicamente, qualquer celular se você deixar cair no chão, o conserto vai te custa pelo menos 70% do valor do aparelho.

          • Supersonic

            Sim mas pelo menos consigo peça e com certa agilidade, meu medo é ficar meses sem tela ou mesmo ficar sem.

          • ɪɢѳʀ ʂуҡɛʀѕ

            é so ter cuidado com o celular ué..

          • Walter Hugo Nishida Xavier da

            Um colega importou o Redmi 3 Note de 3GB e ficou tudo perto de R$ 1mil, ele foi taxado em algo em torno de R$ 120 para retirar o aparelho (tinha pago uns R$ 840 na DX).
            Demorou aproximadamente 40 dias da data da compra até ele receber o aviso dos Correios.

      • Supersonic

        Cara só tem fontes bons e a bateria power bank o resto é eletrônico defasado.

  • Yago G.

    Só aperta mais esse mercado que já não tem muita opção =[

    • FABIO NEVES

      Yago, vai dormir! Ou ouvir Scriba Cafe

  • Oliver Schultes

    Todos que caíram em cima do Manual do Usuário: CHUPEM!!!!

    • Marcus Fenix

      Pois é! Eu sou entusiasta da Xiaomi, mas aquela matéria foi muito bem escrita e com muitos argumentos. Não querendo, mas acreditei neles!!!

    • Dario Coutinho

      Vejo muito repórter praticando assessoria de imprensa onde deveria haver reportagens. O Ghedin foi lá e fez o furo e a imprensa “xuparoladefabricante” em vez de apurar e repercutir o furo, fez “assessoria” defendendo a Xiaomi e até inventando lançamentos.

  • FABIO NEVES

    Como sempre a mesma falácia, colocando a culpa do FRACASSO no GOVERNO.
    Assumir que fizeram uma péssima estratégia, logística, marketing e divulgação que é bom, nada.

    Fracassaram com a tal história dos usuários MI que divulgariam a marca sem a necessidade de um processo profissional de divulgação.

    Que governo, que nada!
    A maioria esmagadora dos usuários comuns mal sabe quem é Xiaomi aqui no Brasil.
    E eles acharam que esses mesmos usuários comprariam um produto on line sem ao menos conhecê-lo?

    Vai dar outra desculpa lá na China!!
    Empurraram para gente estoques encalhados de pulseiras e baterias que não atendiam a burocracia aduaneira. Sem falar de telefones mid ends saindo de linha.

    Se era para vir desse jeito, que nem viessem.

    • Felipe André

      Falou tudo man! Não adianta querer colocar a culpa no governo…

      • Victor Faria

        A Xiaomi errou, mas os rumos do nosso país também complicaram ela. Obs.: tenho o Redmi 2 Pro e estou muito satisfeito. Espero que a Xiaomi não saia em definitivo do Brasil e volte logo a investir por aqui, pois é uma pena.

    • Lucas Leroy

      Até quem vai comprar na net vai antes na loja mexer no celular e enganar os vendedor fazendo os coitado acreditar que vão vender o aparelho KKKKKKKKKKK

    • Marcos Silva

      Parabéns pelo comentário sensato.

    • Dario Coutinho

      Falácia mesmo. Quando o Manual do Usuário deu o furo, vi um monte de fanboy dando rage.. E agora?

    • Supersonic

      A culpa é dos dois, do governo é deles mesmo.

    • Keaton

      Empurrar estoque encalhado é coisa que várias empresas vem fazendo, diga-se de passagem. Não só a Xiaomi. =x

      Claro que a falta de marketing efetivo, produtos encalhados e etc contribuiram, mas o maior problema foi o pessoal ter vindo pra cá sem ter a noção da folia que é o desgoverno brasileiro (independentemente de quem esteja no governo)… hora a lei surge, meses depois lei cai, alguém consegue recolocar com liminar, derrubam de novo… surge imposto novo, diz que não vai e de repente está lá, meses depois é suspenso e colocam de novo. Sério, deviam estudar bem a lei antes de ficar colocando e tirando a mesma. A maldita arte de foder o povo brasileiro.

    • Walter Hugo Nishida Xavier da

      Matou a pau.
      As condições de mercado podem ser ruins, mas são ruins PARA TODOS.
      Tá igual neguinho que perde no videogame e põe a culpa na jogo.

    • Danillo Guimarães

      Cara concordo em parte com você. Pois acho que foi um misto de estratégia um pouco arriscada com a desacelerada da economia, principalmente com esses pontos que impactaram direto os smarts intermédiários (fim da Lei do Bem) e os e-commerces (mudanças nas regras de ICMS).

      Acredito que eles pensaram que chegando aos poucos, seria questão de tempo para que a marca se tornasse um pouco mais conhecida, e gradativamente trariam outros produtos que pudessem chegar com um excelente custo-benefício. Só que eles não tiveram esse tempo para trabalhar essa estratégia não muito comum num mercado como esse em que se gasta muito com publicidade. E muitos fãs da marca gostariam mesmo era de ver produtos mais interessantes aqui como um Mi4 por exemplo. Acredito que se eles tivessem chegado aqui com o Redmi 2 e outro mais top como o próprio Mi4 ou até mesmo alguma variante como o Mi4i (versão mais barata), o seu início aqui teria dado mais certo. Pq os MiFãs iriam abraçar a causa com mais entusiasmo. Como só veio um smart bem intermediário, muitos acabaram comprando mais para ter a primeira experiência com a marca, como foi o meu caso. Gostei do que vi, um bom custo benefício. Aparelho bacanapor um preço bem em conta. Porém assim como eu, sei que milhares de pessoas queriam mais que um smart como o Redmi 2. E isso de início já frustrou muitos fãs, que aguardaram, aguardaram e nada de chegar novos smarts.

      E sem a força e entusiasmo dos MiFãs, a estratégia de depender deles para uma boa divulgação de seus produtos acababou indo por água abaixo.

      E o que colaborou para a Xiaomi recuar e demorar e até hoje não ter trazido novos produtos foram as mudanças que ocorreram em nossa economia. Mudanças que impactaram diretamente na pequena margem de lucro que a empresa possui, pois conta com a proposta de ganhar na escala.

      E juntando esses dois fatores, foi questão de tempo para isso acontecesse.

      Sei que muitos vão dizer, e já disseram em alguns comentários aqui, que a crise chega para todos. E eu concordo. Porém, para uma empresa nova e com uma proposta de mercado diferenciada como é a da Xiaomi, que tem uma baixa margem de lucro e baixo investimento em divulgação, essas mudanças somado a uma estratégia meio confusa em alguns pontos (minha opinião) acabou pesando bastante.

      Fico triste. Pois gosto da proposta da empresa. De entregar bons produtos com um preço muito bom, tornando-se um excelente custo-benefício.

      Torço para que a empresa consiga se reestruturar e sobreviver (aqui no Brasil) a essa crise e possa dar a volta por cima. Para isso, só com uma melhora da economia, e com a empresa trazendo um bom portfólio de produtos como a linha Redmi 3 e Note, Mi4S, MiPad’s, as MiBands.

      Eu mesmo acabei comprando um Mi4 importado. Estou aguardando chegar. Não porque sou um fanboy maluco, mas pq paguei 550 por um celular mto bom e que mesmo sendo taxado na faixa de uns 200 (claro que torço pra que seja menos rsrs) ainda ficará num excelente custo benefício (750 no total) se comparado as opções que temos aqui no nosso país, fato!

      Mas essa é minha humilde opinião sobre este tema. 🙂

      • Sérgio Germano

        Bom dia Sr. Danillo Guimarães, excelente cometário, bastante abrangente no meu modo de ver. Sou usurário de celulares desde o tempo do PT 500 e não vi nada igual a proposta da Xiaomi, apresentada através do Red Mi 2 Pro. Acabei contatando a Xiaomi Brasil e me disseram sobre garantias e assistência técnica para itens importados que não poderiam dar suporte para os mesmos. como pensa em lidar com este tema (garantia e assistência ) e sobre a importação o fornecedor é confiável seguro ?

    • Alex Silveira

      Ponto para os otários fanboys que preferem paga 3000 num samsung ou num apple.
      Sobre o marketing, se vc lesse um pouquinho saberia que uma das estratégias deles é investir pouco em marketing, para revender o celular com um custo menor.

    • KaDu Ramos

      Caramba,que paulada rs,pior que não vc não deixa de ter razão mas para quem tentou crescer aqui de forma tímida o mercado e as condições impostas pelo país não ajudam ,uma pena,concorrencia sempre é bom para o usuário.

    • Anderson Afonso Silva

      A mesma coisa aconteceu com a htc, prometeram isenções de impostos e incentivos, e depois que montaram a fabrica , o governo mudou as regras, a htc levou toda a fabrica de volta pra china sem produzir um smartphone sequer…

  • marcos

    Achei o título sensacionalista

    • FABIO NEVES

      Não, não é.

    • Jonas S. Marques

      A empresa diz que vai só continuar importando smartphones pra cá. Sabe o que isso significa?
      NÃO TEM MAIS SMARTPHONE NOVO

      • marcos

        Mas a Xiaomi disse que por enquanto não teremos lançamentos

      • Marco Pacheco

        E quando a xiomi trouxe modelo novo? Só trouxe modelos fora de linha na China!

  • Jonas S. Marques

    A Xiaomi veio querendo dominar todo um mercado com um único produto que se quer é matador em relação aos concorrentes.
    O RedMi 2 é um bom aparelho, mas não há nada nele que se destaque dos de mesmo preço, e não havia também em 2015, quando eles chegaram.
    Se querem culpar alguém, culpem seu marketing que gerou algum relatório focando em grupos de usuários de smartphones de entrada quando todos queriam medium e highend, que culpem o péssimo início das vendas no Brasil com falhas constantes e reclamações de usuários por todos os cantos, que culpem a própria estratégia da empresa de não respeitar o consumidor.
    Se os dados de 10000 Red Mi 2 forem reais eu ainda acho muito.
    Honestamente, se voltarem também, que voltem de verdade, e não com um aparelho que se quer é vendido mais lá fora.

  • Vsoco

    Da minha parte, espero que a Asus não tenha ideias de desistir. Tenho um Redmi 2, e é um smartphone que eu indicaria para qualquer amigo que quisesse custo-benefício num aparelho mais simples; mas me parece que a Asus soube entender muito melhor o que agrada a uma parcela significativa dos brasileiros.

  • Ramon Gonzalez

    Microsoft (ok, mais por suas burradas), Xiaomi, qual será a proxima? Ta complicado… “”todo mundo”” abandonando o Brasil

  • Anderson Freitas

    Hugo Barra mora tanto tempo la fora que não sabe porra nenhuma o que o Brasileiro quer e como.

    Foi cagada atrás de cagada da Xiaomi aqui, aquele lance de lotes de vendas, ridiculo.

    Comprei um Redmi2 com 1GB e 1 mes depois anunciaram o Pro com 2GB. Imaginem quão feliz fiquei.

    Esse com 1GB é lento absurdo.

    Hoje estou com o iPhone 6S, já que não tinha o top deles a venda aqui. Viu como perdem negocio? Simples né,,,

    • Lazaro Zarê

      Pois é, aconteceu o mesmo comigo..
      Mas como não tinha mais grana pra trocar de cel instalei o CM 13
      Ta rodando mil vezes melhor que a porcaria da MIUI..

      • Anderson Freitas

        Cara, Miui é melhor que qualquer outro Android.

        Problema é hardware fraco. Ja rodei o Miui no meu Nexus 4 e ficou perfeito e rapido.

  • Meninão Bobo

    Não tem crise… culpa do Temer, todos temem ele…

  • O Governo como sempre ferrando com a vida dos brasileiros, ferrando a maquina publica e obrigando empresas a se virar como pode.

    • h1ghland3r

      Pra mim culpar o governo é ingenuidade. A Xiaomi já começou errada e continuou com uma prática de marketing não compatível e oferecendo produtos velhos. Tomou no cu com motivo.

  • Alisson Silva

    Empresas chinesas costumam ter mais dificuldade de se estabelecerem no Brasil. Montadoras de carros já abandonaram o nosso mercado, a Baidu queimou o próprio filme com as instalações compulsórias e não conseguiu decolar, até o buscador que lançaram com a própria marca (br. baidu .com) voltou a ser Hao123. O problema é que essas empresas querem trazer para o Brasil as práticas comerciais que utilizam na China, o que nem sempre dá certo, o termo “made in China” ainda não é bem visto por aqui.

    • Alexandre Silva

      Na parte dos carros oq ocorreu foi um lobby das empresas ja instaladas aqui para aumentarem os impostos e dificultarem as importações de carros chineses ( mais baratos e mais completos), as que se instalaram aqui tiveram que se adequar ao mercado: Seguir os preços das outras se juntando ao lobby da industria.

      • Douwe

        O que aconteceu no caso dos carros foi uma mistura de baixa qualidade, amadorismo das operações e desrespeito com os clientes mesmo. Não se iluda, carro completo não significa ser carro de qualidade, e os chineses que vieram até hoje estão muito distantes da confiabilidade até dos piores nacionais. Fora que o pacote básico que os chinas traziam como diferencial (ar, direção assistida, trio elétrico, airbag duplo, ABS e som) já está na imensa maioria dos carros oferecidos aqui, salvo raras exceções, como modelos com versões de entrada peladas que hoje só vendem para frotistas, já que o consumidor “comum” não admite mais um veículo sem um “pacote dignidade” mínimo, então o argumento de vendas dos chinos foi pro espaço. Os chineses venderam “bem” de início, especialmente Chery e JAC, mas pergunte aos que tiveram carros chineses se voltariam a comprar um e a resposta da maioria vai ser um NÃO bem redondo, já que muitos enfrentaram os problemas dos carros destas marcas, tanto relacionados com a qualidade quanto com o pós-venda, sem falar na desvalorização muito maior, dificuldade de revenda e no fato de que o número de concessionárias de todas as marcas chinesas no país despencou, deixando muita gente sem ter onde trocar um parafuso.

  • G. Croft

    Assessoria de imprensa no Facebook falou que desmentiram esse boato assim que souberam. E agora? Verdade ou estão só falando pra não causar pânico?

    • Ramon Gonzalez

      caramba nao é possivel, esses caras precisam melhorar a comunicação deles (ou pegar o X9 q ta soltando tudo)

      • vanessa

        Kkkkkkk

    • Marcus Fenix

      Já é a segunda, primeiro foi o site Manuel do Usuário, agora AndroidPit. E outra, vários brasileiros questionam o Hugo Barra no Facebook porque a Xiaomi do Brasil não lança nada e ele ignora ou seja, ele está sem argumento!!!

  • RABUGENTO SFQNS

    De verdade?
    Acho mesmo que o Hugo Barra deu foi um golpe na Xiaomi e em nós que acreditamos no seu marketing.
    A empresa deixou tudo nas mãos dele e aconteceu o que aconteceu… 🙁

    Outra empresa, a Fujitsu, quando se iniciou a venda de celulares no Brasil, trouxe excelentes aparelhos. Não vingou por culpa da Motorola que, na época, conseguiu abafar o mercado.

  • Douwe

    Já vai tarde.

  • Jerry Moreira

    OK, para falta de estratégia e, principalmente entendimento desse marcado brasileiro, que é uma bagunça em termos de legislação que muda a toda hora.
    Agora não vi comentários aqui, dizendo ou RECLAMANDO, da revogação da LEI DO BEM (será que é porque foi em 2015 ? no governo Dilma e não podem assim culpar as medidas do novo governo ???). E principalmente a bagunça que é o ICMS, que para mim deveria ser um percentual único, acabando com a tal substituição tributária, que só serve pra criar bagunça e trocas de valores, etc… Bom a administração fiscal é uma bagunça nesse país, provavelmente para ajudar nos desvios e tudo mais.. Mas isso NINGUÉM QUESTIONA… Talvez por querer proteger o PT e outros corruptos, ou por pura ignorância do assunto mesmo. Então informem-se e tomem posição em defesa do desenvolvimento do País, ao invés de incentivar o retorno as origens de mais uma fábrica, empregos, opções de produtos, etc…

  • Claudio Archer

    Ao que parece, e na minha opinião a Xiaomi levou prejuízo com a sua instalação aqui… agora saber se realmente isso é por conta da economia atual do País, quanto a impostos e etc…, ou se realmente foi uma estratégia mal sucedida deles, ficará a vaga resposta…, o lance é que independente de se poder importar os produtos ou não, se torna um complicante pra muitos ter aparelhos da Xiaomi, pois nem todos como eu e alguns, sabe reparar um aparelho ou o software quando ocorrer um dano, sem ter assistencia, alem de, quem passou a gostar da marca, fica decepcionado de em seu Pais não contar com a série de produtos da Marca.

  • Douglas

    Essa é ótima.. não divulgam os produtos, lançam só dois low ends meia-boca deixando quem queria um Redmi Note 2 ou um Mi 4 vendo navios e agora vem culpar o governo? Que papelão hein Hugo Barra!

  • Muitos aqui me parece um tanto nacionalistas até, defendendo o país em detrimento da xiaomi, já que ela responsabilizou o país pelo seu caso. Mas está errado. Não é exatamente esse tipo de nacionalismo que é bom. A xiaomi tem razão sim, em vários pontos. Como você empresário reagiria se as leis simplesmente fossem instáveis e você tivesse de ficar refazendo contas de impostos, logísticas e outras coisas todo dia? Mudanças de ministros de mês em mês, lei substituindo outra a adoidado. Além, claro do já abusivo imposto que eles também pagam. E a burocracia? Onerosa. Sem sentido.
    Pelo que dá a entender, vão continuar vendendo importados, pois os nacionais já ficaram desvantajosos. Deveriam parar. Aqui, já dá pra saber bem como deve ser para a empresa grande vingar: seguir o que faz a odebretch, andrade gutierrez, oas, vivo, tim, oi, quais mais? Nomeie as maiores nos setores mais “importantes”. Financeiro então, nem se fala… Juroque só cresce, vendem e privatizam a preço de banana, paga dois dias de juros com tais vendas…
    literalmente dois dias de JUROS somente. Ou seja, é tudo uma grande encenação que nunca teve nada a ver com pessoas normais e sérias. Brasil não é sério. Outros países não são perfeitos, mas o nosso dá um espetáculo de corrupção, incompetência e indiferença com o povo. Vai lula, vai dilma, vai temer, quem será o próximo que VÃO escolher pra gente votar nessa “democracia”?

    Brasil é eternamente culpado por não ter posto enéas enquanto podia.
    E será eternamente culpado enquanto colocar engomadinhos ou populistas, na esperança empresarial ou coloquial de recuperação.
    Estamos de volta nos anos 90 do fernando henrique, após treze anos de piora social e cultural graças a doutrinação marxista que ocorreu com os investimentos que o PT fez em “educação” e “cultura”.
    O brasilestá pior socialmente e culturalmente já que a luta de classe foi difundida nos ensinos médio, superior, e mídias.
    Você é homem? É branco? É Hétero? É rico? É magro? Come carne?
    Você é culpado no esquerdismo. Você é uma pessoa eternamente má, que ou deve ser destruída ou pra se redimir deve dar tudo que você tem e se escravizar até morrer para pagar a sua “dívida histórica”…

    O projeto do Eduardo bolsonaro apra criminalizar o comunismo, tal qual o nazismo já é, deve ser apoiada, já que ambas coisas são DIRETAMENTE atentados contra a democracia.

    Pensem bem. Tudo de ruim está ligado. A cleptocracia brasileira, os projetos comunistas, os empresários e banqueiros endinheirados comprando a competitividade…

    Enfim… Brasil é vergonhoso.

    • Realmente, o Brasil tá pior por causa da difusão da luta de classes, não porque o homem, hetero, cis, branco e rico domina a politica e trata direitos básicos como privilégio, e seu privilégio como direito. Let’s make Brazil great again, 1964 já Cof cof!

  • Willian

    Tomara que parem a produção para sempre. Essas porcarias não vão fazer falta.nem marcas históricas como samsung estão agradando imagina esse lixo de marca nova

    • Manoel

      NÓFA, QUE REVOLTADAHHH!!!!

  • Vinicius Afonso

    E por que na estratégia de venda não incluíram os killerflags, os
    smartphones de ponta!. Diz um grande amigo. Quem não tem competência que
    não se estabeleça!
    Sonhando com a vinda da One Plus para esse país fodi.., ops, Brasil.

  • Ja era mais uma que sai do brasil!!

  • junior

    Uma pena. Tenho um smartphone da XIAOMI. É muito bom!

  • Luiz Pustiglione

    Tem que ser imbecil pra comentar?!? Parece q sim… Fiquem aí com seus celulares de 3 mil dá Samsung que explodem…To cagando, andando e mexendo no meu 3s q custou um terço do preço de aparelhos “semelhantes”

  • Anderson Afonso Silva

    O governo realmente muda as regras, a mesma coisa aconteceu com a htc, prometeram isenções de impostos e incentivos, e depois que montaram a fabrica , o governo mudou as regras, a htc levou toda a fabrica de volta pra china sem produzir um smartphone sequer…