Início » Negócios » A compra da Motorola pela Lenovo não deu tão certo

A compra da Motorola pela Lenovo não deu tão certo

Antes na terceira posição, Lenovo não está mais entre as cinco que mais vendem smartphones

Paulo Higa Por

A divisão de celulares da Motorola foi adquirida pela Lenovo em 2014 por US$ 2,91 bilhões, preço baixo se comparado aos US$ 12,5 bilhões pagos pelo Google três anos antes. Mas a compra não deu tão certo para os chineses. No relatório financeiro anual da Lenovo, publicado nesta quinta-feira (26), a empresa diz que os esforços de integração “não atenderam às expectativas”.

O Mobile Business Group (MBG), negócio da Lenovo que cuida de smartphones, tablets com Android e smart TVs, teve receita de US$ 1,7 bilhão no primeiro trimestre de 2016. É a divisão que rende menos dinheiro para a empresa, abaixo dos US$ 6,2 bilhões da área de computadores e tablets com Windows e dos US$ 4,6 bilhões do grupo de servidores, software e serviços para empresas.

lenovo-vibe-a7010-fecha

Com relação aos dispositivos móveis, o grande problema da Lenovo está em sua própria casa: as vendas de smartphones e tablets na China despencaram 85%. Além disso, a transição de produtos na América do Norte “não foi bem sucedida”, nas palavras da empresa. Por isso, a companhia reestruturou suas estratégias para o mercado chinês e para o resto do mundo, com dois novos copresidentes.

Os resultados não foram piores porque a Lenovo diz que continua mantendo boas taxas de crescimento em mercados emergentes e suas margens de lucro cresceram na América, com boa influência do Brasil. Isso é particularmente interessante num momento em que empresas como a Xiaomi cortam seus investimentos no país devido às mudanças tributárias, que encareceram os smartphones.

Pelo visto, a estratégia de aumentar as faixas de preço dos smartphones têm dado resultado para a Lenovo no mercado brasileiro — Moto E, G e X vêm subindo de categoria a cada geração, mesmo antes da guinada do dólar e do corte dos benefícios fiscais. No Brasil, os números de mercado indicam que a Motorola é a vice-líder em vendas de smartphones, atrás da Samsung.

Ainda assim, não dá para negar que os resultados mundiais são decepcionantes: com a compra da Motorola, a Lenovo queria manter sua posição de terceira colocada no mercado de smartphones e se tornar uma forte concorrente no top 2, atualmente ocupado por Samsung e Apple. O resultado? Saíram do top 5.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

jose rodrigues

alguns anos depois e .............................parece que deu certo a compra sim, kkkkkkkkk, tem que esperar um pouco meu amigo . kkkkkk

Lucas Duarte
motorola já era pra ter acabado a muito tempo. nunca prestou e pelo jeito nem a ibm conseguiu fazer essa merda melhorar.
Lázaro Maia
O que a google queria da Motorola eram as patentes que ela detinha o restante ela vendeu tudo em partes, patentes como de rede entre outras, patentes de produtos que por exemplo a lenovo comprou a motorola so para ter o direito de usar algumas dessas patentes e entrar no mercado americano que é muito patriota com seus produtos, quem acha que a Google saiu no prejuízo não leu muitas matérias sobre a venda.
GTR TELEFONIA
notebook lenovo só thinkpad ,foi a única coisa boa que a lenovo manteva antes da IBM.O resto CCE.
GTR TELEFONIA
não deu certo porque não dão mais suporte para atualizações moto g3 morreu com android 6 Duvido que moto g4 tenha algum update além do 7
RMaidla
É interessante o que acontece com estes gigantes multinacionais. A Motorola já foi líder absoluto do mercado de telefones celulares até aparecerem Nokia (consumidores individuais) e Blackberry.(mercado corporativo). Com a entrada de iPhone e Samsung, Nokia e Blackberry praticamente desapareceram do mercado. A Motorola já esteve a ponto de ir à falência e ressurgiu várias vezes. Parece que nem o Google conseguiu torná-la lucrativa.
Armando Figueirêdo
Faz sentido seu raciocínio. Acredito que a Google estava interessada mais nas patentes do que na Motorola em si. É claro que a marca tava enfrentando uma crise, mas nas mãos da Alphabet, a Motorola podia sim retomar o caminho dos lucros em LONGO prazo. Acontece que esse não é o objetivo deles em gerenciar uma empresa de smartphones, e sim seguir com o objetivo maior, o Android, que rende bem mais do que uma empresa com sérios problemas financeiros. Continuar com a Motorola seria perda de tempo e dinheiro. E a bomba caiu nas mãos da Lenovo.
Jader Pereira
Ele e muito bom tenho a primeira geracao gosto muito sera que o moto x 2 b e bom tambem!!!!
FLALIDO SEM ESTÁDIO

Sorte na compra? 2 vezes? no mesmo dia? Tenho um G475 desde 2011 funcionando até hoje, quando a lenovo assumiu produtos da IBM logo no início era muito bom, mas hoje é realmente péssimo. Lógico que Note TOP é outro patamar, já os mais básicos são muito ruins. Saí da Motorola logo quando a lenovo assumiu pois não concordei com o novo método da empresa. Quando a Motorola era Google era muito bom de se trabalhar, tanto que a Motorola era Líder com o Moto G. Hoje é ladeira abaixo, tanto que a matéria demostra. O que venho informar que quando a lenovo começou a crescer e expandiu para vários lados, outros de seus produtos começaram a declinar. Velho dilema, quando uma pessoa toca vários instrumentos, nem sempre o som que se escuta de um deles, pode ser agradável. Nota: quando era Motorola/Google tinha vários sorteios de Smarts para os funcionários. Motorola/lenovo faltavam até aparelhos no laboratório para realizar testes e aprendizado da nova turma que iam trabalhar. Fica aqui um detalhe que quase ninguém conhece por de trás de algumas marcas. Valeu Camarada, boa semana

Carlos Marques
Sorte na compra? 2 vezes? no mesmo dia? Tenho um G475 desde 2011 funcionando até hoje, quando a lenovo assumiu produtos da IBM logo no início era muito bom, mas hoje é realmente péssimo. Lógico que Note TOP é outro patamar, já os mais básicos são muito ruins. Saí da Motorola logo quando a lenovo assumiu pois não concordei com o novo método da empresa. Quando a Motorola era Google era muito bom de se trabalhar, tanto que a Motorola era Líder com o Moto G. Hoje é ladeira abaixo, tanto que a matéria demostra. O que venho informar que quando a lenovo começou a crescer e expandiu para vários lados, outros de seus produtos começaram a declinar. Velho dilema, quando uma pessoa toca vários instrumentos, nem sempre o som que se escuta de um deles, pode ser agradável. Nota: quando era Motorola/Google tinha vários sorteios de Smarts para os funcionários. Motorola/lenovo faltavam até aparelhos no laboratório para realizar testes e aprendizado da nova turma que iam trabalhar. Fica aqui um detalhe que quase ninguém conhece por de trás de algumas marcas. Valeu Camarada, boa semana
Felipe
Inclua o Yahoo nessa
111 Pensieri

Acredito que as dificuldades, são apenas para se manter no topo. Ambas continuam se saindo muito bem a nível mundial, mas as vendas fragmentaram muito este ano. Tirando de lado Samsung e Apple, as marcas mais populares em qualquer país europeu, continuam sendo Lenovo, Xiaomi, LG e Asus. E agora Huawei tbm desponta no mercado este ano na Europa. A matéria parece meio tendenciosa dizendo que a compra não deu certo, eu diria que a Motorola não trouxe o retorno esperado para Lenovo. Não é.

Centoundici Pensieri
Acredito que as dificuldades, são apenas para se manter no topo. Ambas continuam se saindo muito bem a nível mundial, mas as vendas fragmentaram muito este ano. Tirando de lado Samsung e Apple, as marcas mais populares em qualquer país europeu, continuam sendo Lenovo, Xiaomi, LG e Asus. E agora Huawei tbm desponta no mercado este ano na Europa. A matéria parece meio tendenciosa dizendo que a compra não deu certo, eu diria que a Motorola não trouxe o retorno esperado para Lenovo. Não é.
111 Pensieri

Carlos, eu tenho um notebook Lenovo, e não o considero ruim desta forma. Estou usando um Ideapad há 3 meses, e acredito que nada está problemático. De qualquer forma, a matéria refere-se ao prejuízo da Lenovo comprando a Motorola da Google, na linha de smartphones. Talvez, você não tenha dado sorte na compra.

Centoundici Pensieri
Carlos, eu tenho um notebook Lenovo, e não o considero ruim desta forma. Estou usando um Ideapad há 3 meses, e acredito que nada está problemático. De qualquer forma, a matéria refere-se ao prejuízo da Lenovo comprando a Motorola da Google, na linha de smartphones. Talvez, você não tenha dado sorte na compra.
Exibir mais comentários