Início » Games » Esta é a pior geração de consoles da história

Esta é a pior geração de consoles da história

PS4, Xbox One e Wii U não empolgam como os antecessores. Muita tecnologia, pouca experiência de jogo?

Por
1 ano e meio atrás

O anúncio te deixa empolgado, mas o efeito tem curta duração. Os minutos seguintes são suficientes para você pensar melhor e, então, ficar desconcertado. Pudera: tudo que é apenas “meio novo” nos faz pensar em remediação, não em evolução. O desconforto fica maior quando você percebe que o problema é generalizado. Sim, estou falando do Xbox One, do PlayStation 4 e até do Wii U.

Novo, mas nem tanto

Na E3 deste ano, a Sony reafirmou o que havia sido confirmado dias antes da feira: uma nova versão do PS4 vem aí, com boas chances de ser lançada até o final do ano. O PS4 Neo, como vem sendo chamado, não foi mostrado no evento, mas sabe-se que o console terá, essencialmente, CPU e GPU mais poderosas. A nova versão será totalmente compatível com o ecossistema do PS4 original, mas possuirá como grande diferencial a capacidade de rodar jogos em resolução 4K.

PS4 Neo

A Microsoft, por sua vez, foi mais longe: na E3, a companhia não anunciou um, mas dois consoles. O primeiro é o Xbox One S (de slim), versão 40% menor na comparação com o Xbox One “normal”. O modelo traz três opções de armazenamento (500 GB, 1 TB e 2 TB) e joystick ligeiramente melhorado. Também há suporte a vídeos em 4K (e não a jogos nessa resolução, veja bem) e HDR (esse sim nos games).

Pelo menos nos Estados Unidos, o Xbox One S será lançado em agosto. Mas a novidade mais chamativa só deve dar as caras no final de 2017: o Project Scorpio, esse sim um console que será bem mais poderoso que o atual Xbox One. O plano aqui é oferecer, além de games em 4K, uma experiência nunca antes alcançada com realidade virtual.

“Estamos criando um monstro. Será o console mais poderoso que já fizemos”. As palavras de Aaron Greenberg, chefe de marketing da divisão do Xbox, mostram como a Microsoft está apostando alto no novo videogame.

O que há de errado nisso?

Essa ideia de lançar versões melhoradas de consoles não é nova. Como exemplo, o PS3 Slim foi lançado cerca de três anos depois do surgimento do PlayStation 3, tendo como diferenciais tamanho compacto (33% menor), mais opções de armazenamento (de 120 GB a 320 GB) e menor consumo de energia. Em 2012 surgiu a versão Super Slim, ainda mais compacta e com mais espaço para dados (HDs de 250 GB e 500 GB). Houve ainda uma variação do modelo com 12 GB de memória Flash.

No lado da Microsoft, vimos o Xbox 360 aparecer em vários “sabores”, tantos que chega a dar confusão. O console foi lançado em 2005, mas nos anos seguintes surgiram versões como 360 Premium, 360 Elite e 360 S (360 Slim), esta última caracterizada pelo tamanho menor e por trazer o Kinect. A última versão, lançada na metade de 2013, é o Xbox 360 E.

Xbox 360 - versões

Em gerações anteriores também houve releituras. Se essa é uma prática comum, por que as novas versões do Xbox One e do PS4 não estão sendo celebradas por todo mundo? Bom, nos consoles mais antigos, as novas versões vieram para explorar ainda mais o sucesso que essas plataformas tiveram. No cenário atual, porém, a impressão que fica é que as novas versões são uma tentativa de salvar a geração que está aí.

A geração que não convence

Não é que os consoles de hoje sejam ruins, longe disso. PS4 e Xbox One são inegavelmente sofisticados, além de contarem com jogos consagrados. Até o Wii U, tido como o console menos vendido da Nintendo (desconsiderando algumas desventuras da empresa, como o Virtual Boy), tem títulos que são garantia de diversão.

Mario triste

Só que, quando você tem um novo videogame, espera ter experiências melhores que as percebidas na geração anterior. Mas estou falando de experiências completas. Não basta ter gráficos impressionantes (quando há) se a jogabilidade não acompanha tamanha evolução ou se a história não tem originalidade.

Pois esse é o grande problema da geração atual. O que mais temos visto ultimamente são remakes, remasterizações, títulos que deixam a impressão de que falta algo (com a permanente esperança de que uma continuação salve alguma coisa) e até downgrade gráfico. Títulos exclusivos? Há, mas para uma geração que surgiu em 2013, deveria haver muito mais a essa altura.

É como se o PS4, o Xbox One e o Wii U (para não ignorar a Nintendo) fossem apenas expansões melhoradas do PS3, do Xbox 360 e do Wii, respectivamente. Esses consoles são bastante avançados, mas parece não haver títulos que realmente conseguem aproveitar tanto potencial — não em quantidade suficiente.

Futuro sombrio

Na primeira olhada, o Xbox One S é apenas uma atualização do Xbox One original. Mas há um porém: o console não tem porta dedicada ao Kinect. Se você quiser usar o acessório, terá que conectá-lo via adaptador USB. Não é por menos: o Kinect caminha rumo ao vale das sombras. Apesar de revolucionário, quase não há jogos que conseguem aproveitar o dispositivo plenamente, com óbvia exceção para títulos de esportes e danças.

Kinect 2.0

A meu ver, esse é um sinal de que a Microsoft ficou focada demais na parte técnica. O efeito é o que já foi dito aqui: parece não haver games capazes de transformar tanto potencial em experiência rica — novamente, pode haver, mas não em número suficiente. Algo semelhante acontece no ecossistema da Sony.

Eis o resultado: temos uma geração de consoles que parece ter grande poder de fogo, mas não consegue acertar o alvo. Admito que falar em “pior geração de consoles da história” talvez seja um exagero alimentado pela minha decepção, mas não dá para refutar os indícios de que algo não está dando certo.

Xbox One S

Xbox One S

Com o perdão da referência, a Nintendo praticamente desistiu de jogar cogumelos verdes para o Wii U, depositando todas as esperanças no futuro Nintendo NX. O PS4 bateu recentemente 40 milhões de unidades vendidas. A Microsoft não divulga os números do Xbox One, mas fala-se em algo próximo de 20 milhões de consoles comercializados. Não são quantidades inexpressivas, mas o PS3 e o Xbox 360 venderam mais. Proporcionalmente ao tempo de mercado, talvez só o PS4 consiga bater o antecessor. Talvez.

Sob esse ponto de vista, é de se entender o lançamento de versões atualizadas do PS4 e do Xbox One. É necessário reagir. O problema é que, por mais que Sony e Microsoft neguem, não dá para escapar do temor de que o resultado final desses esforços seja o encurtamento do tempo de vida da atual geração. Seria um enorme dissabor para quem apostou nessas plataformas.

PS4 e Xbox One

Mas o pior é o medo de que os erros se repitam. PS4 e Xbox One vieram com a promessa de resolução full HD, 60 fps e mais interação com movimentos (Kinect e PlayStation Camera). Neo e Scorpio terão como grandes atrativos resolução 4K e realidade virtual. Como se vê, novamente os holofotes estão sobre os aspectos técnicos. Esses recursos serão bem-vindos, certamente, mas é preciso saber dosar: a atual fase tem mostrado que pouco adianta haver tanta tecnologia se ninguém sabe ao certo o que fazer com ela.

  • Gustavo Souto

    Mais um artigo excelente. É o famoso capitalismo… lança algo novo com uma pequena melhoria… e cobra o dobro do preço.

    • Hinz

      Como se a culpa fosse do capitalismo.

      Amigo, se não fosse capitalismo, nem jogo você teria.

      • Gustavo Souto

        O capitalismo tem seus defeitos champs. Não é um sistema perfeito. Capitalismo visa lucro… gerar um novo produto com poucas melhorias cobrando o dobro do preço é sim fruto do capitalismo aliado. Empresa quer lucro. Simples.

        • Supersonic

          Sim, me lembro quando comprei meu GBA um ano depois lançaram uma versão melhorada com iluminação de fundo e outras melhorias, mas os jogos eram os mesmos então fiquei com o que já tinha mesmo, quanto ao Playstation sempre esperei lançarem a versão slim, o jeito é a gente ser consumidor consinte mesmo, eu só troco de smartphone quando ele estraga ou não atende mais minhas necessidades como não rodar os aplicativos que quero, o meu já esta com 3 anos e por enquanto me atende muito bem.

      • Supersonic

        Teria sim, Tetris.

  • Jonas S. Marques

    Artigo muito sensacionalista, que pena;
    Como assim PS4 e Xone não empolgam. O PS4 já passou das 40 milhões de unidades vendidas, e o Xone, apesar de não ser sólido como seu antecessor não é um console de todo ruim.
    É fácil olhar agora, depois de um fim de geração tão bom quanto foi a última e apontar o dedo. Mas quais eram os grandes jogos do início da geração anterior? Quais foram os jogos do PS3 que impressionaram em seu primeiro e segundo ano?
    Pois é, não teve, nunca tem. É necessário tempo para que os desenvolvedores se adaptem a plataforma, para que os roteiristas adaptem sua forma de escrever jogos aos novos padrões, para que designers e programadores lidem melhor com os ciclos de cada uma delas.
    Quanto a crítica a geração que não convence, novamente, deu-se tempo aos consoles?
    PS4 teve Uncharted 4, teve BloodBorne, DS3, entre outros. Xbox One teve franquias novas como Sunset Overdrive e Ryse, que, tudo bem, não é dos melhores jogos do mundo, mas cumpre bem o seu papel.
    * Antes que me xinguem, eu nem se quer possuo um console, sou jogador de PC. Mas discordo totalmente da visão apresentada pelo texto.

    • Renan Maia Fernandes

      Eu não discordo totalmente do artigo, como também não discordo do seu comentário, acho que existe um “meio termo” nisso tudo. Essa geração está sendo a mais esquisita em termos tecnológicos e de games, ela não é uma evolução grande como foi a do PS2/Xbox para a PS3/X360, ela está mais pra uma atualização da antiga do que para uma nova, isso se mostra mais evidente com a chegada iminente dos “novos” modelos, em questão de games também, ela começou bem melhor que a última em questão de títulos de lançamento, mas não é nada revolucionário, continua como uma atualização, se antes eles faziam na maioria dos jogos 720p/30 mas sempre com a promessa de algo 1080p/60, nessa eles conseguem, mas nada além disso.

    • Ainda temos para o PS4 esse ano The Last Guardian (opa!) e no ano que vem um novo GOW, só para citar as franquias exclusivas (e que me vieram a mente agora). O que houve com essa geração não culpa exclusivamente dos consoles. Na era PS3/X360 havia uma transição de qualidade, as tvs iam do 480p para o HD e no final da geral para o Full HD. Na nossa geração esta transição não está ocorrendo, o 1080p já é consolidado e muito poucas pessoas já tem (ou tem planos de ter) uma TV 4k. Mesmo games em PCs parrudos sofrem para rodar em 4K. Sobre os jogos creio que é preciso dar tempo para as desvolvedoras, até mesmo por causa da geração passada que teve tantos bons jogos nós acabamos ficando com a sensação de que falta algo nessa!

      • Louis

        Se essa geração cumprisse a promessa dos 1080p com 60 fps já era alguma coisa.

      • Rodrigo Alves Passos

        Estão mais é querendo empurrar alguma coisa mal feita, qualquer um que preze sua sanidade sabe que 4K, além de ser uma plataforma cara e que exige muitos recursos de sistema, como você mesmo disse “PC’s parrudos sofrem pra rodar 4K”

      • Antonio

        Acho interessante essa história de gráficos ultra realistas e 4K.
        Estou cansado de ver gente que assina TV a cabo HD e assiste em SD achando que é HD. Eu vou na casa das pessoas e estão vendo a Globo no 18 (no caso da NET) que é em SD porque elas estão acostumadas. Aí eu mudo pro 501 (que é em HD) e falo: olha a diferença! Muito melhor a imagem. No outro dia volto lá e estão no 18 mesmo. Poder do hábito.
        As pessoas falam: Pra mim ta igual!

        Também mostro TVs 4K na loja pras pessoas e elas acham lindas e tudo mais. Mas se tu pega uma TV 4K, liga na TV comum (720 ou 1080) e mostra. Elas continuam achando que está 4K. Nem percebem…

        As pessoas comuns sequer sabem o que é isso e pra elas 720P ou 1080p é a mesma coisa. 1080p e 4k idem Pra quem curte quer sempre a máxima da máxima resolução, mas pra os meros mortais, é tudo a mesma coisa. Num PC jogando com a cara na tela, faz alguma diferença mesmo, mas jogando na pilha, a 2 ou 3m de distância da TV, a última coisa que você percebe é a ultra power resolução que permite ver o pêlo da barba balançando com o vento.

        Deviam focar é na qualidade dos games do ponto de vista da jogabilidade e diversão, isso sim. Cada jogo sem graça que tem por aí…

    • farias

      Dark Souls 3 estava no One, e Sunset Overdrive é ótimo. Além disso temos um dos melhores jogos da geração exclusivo pro One, que é Ori and the Blind Forest.

      • LekyChan

        o One quase não tenho exclusivos, por isso que para mim o PS4 é o unico que vale a pena, seguido talvez, dependendo do gosto do jogador, do Wii U. O próprio Ori que vc mencionou não é exclusivo do One, ele possui versão PC o qual esta disponivel no steam http://store.steampowered.com/app/387290/

        • farias

          Ele é exclusivo das plataformas da Microsoft.

        • Rodrigo Alves Passos

          Todos os jogos da Microsoft a partir desse ano serão lançados para PC e XboX, ou seja: Sim, é um exclusivo.

    • Louis

      Xone teve franquias como Sunset e Ryse que foram verdadeiros fracassos comerciais (sim, eu joguei e acompanhei esses lançamentos para poder afirmar).

      É curioso ver você defender uma geração que a maior inovação é aumentar o poder gráfico para novas promessas, enquanto as antigas nem ao menos foram cumpridas.

    • Saul Goodman

      Nessa geração atual o PS4 não apresentou muitos jogos. Só promessas e adiamentos. Já o XONE apresentou vários jogos desde seu lançamento. Dentre esses dois consoles com certeza o PS4 foi o mais decepcionante. A SONY sempre enrolando seus consumidores e dificilmente apresentando algum jogo dito “exclusivo”.

      Agora, sobre a questão de jogo multiplayer OFFLINE, concordo. Hoje em dia nem vale a pena comprar um segundo controle, pois não vai usar.

  • yuotube capitolo

    tem que ser muito idiota pra achar que estes novos consoles rodaram algum jogo triple A em 4kkkk

    • João Silverado

      Rodarão*
      Ou vc é um viajante do futuro e já viu que não vai funcionar, rs.

  • Junior

    A informação de que a geração anterior vendeu mais proporcionalmente é FALSA. Tanto Xbox one quanto PS4 vendem MAIS agora do que na geração anterior. Partindo desse ponto, toda a matéria está comprometida.

    • Krosna Terrestre

      claro que não. a nova geração não chegou nem no top 10 dos consoles mais vendidos.

      • A nova geração tem 3 anos de vida. PS2, PS, Wii, PS3 e 360 tiveram cerca de dez anos pra fazer esses números.
        O PS4 já vendeu metade do que o PS3 vendeu em dez anos.
        A afirmação do Junior é correta: Proporcionalmente, essa geração vendeu mais do que a geração passada. A própria Sony já veio a público dizer que o PS4 é o console de vendagem mais rápida que ela já teve.

        • Krosna Terrestre

          o ps2 durou 8 anos. se bem que em 6 já estava praticamente morto. mas beleza, mesmo 157/8=19 é superior a 40/3=13. E não duvido nada que esses 40 milhoes estejam inflados.

          • o PS2 foi vendido entre 2000 e 2012. Ele não deixou de ser fabricado e vendido depois do lançamento do PS3.
            E a comparação, tanto do artigo, quanto do comentário do Junior é entre os números da geração atual e da geração passada. O comentário de que o PS4 é o console de vendagem mais rápida é da Sony e não meu.
            Voltando ao PS3xPS4, na sua continha:
            86/8 = 10
            40/3 = 13

          • Krosna Terrestre

            deixar de ser fabricado é diferente de ter multiplos lançamentos AAA para o console. como eu disse se for 8, ja é muito. e mesmo assim vendeu mais que o ps4.

          • Mas o assunto até então era número de vendas.
            E sim, o PS2 tem muito mais vendas que o PS4. É o console de maior sucesso já produzido, ninguém está questionando isso.
            O ponto é: O PS2 e o PS3, venderam 40 milhões de unidades nos 3 primeiros anos? Eu não tenho esse dado, mas a Sony diz que o PS4 é o primeiro a atingir esse patamar.

          • Julia Lima

            Felipe. Se for para comparar proporcionalmente, temos que levar em contas inúmeras variáveis. Por exemplo, hoje em dias existem muitos mais pessoas que 10 anos atrás, VideoGame não é mais coisa de criança, agora adultos também compram para eles, mulheres também. enfim, o mercado é muito maior hoje.

          • tuneman

            e a abertura do mercado Chinês colaborou muito para as boas vendas de PS4 e xbox One.

          • Luis Henrique Torres

            Eu pesquisei aqui, em 2 anos de mercado o PS3 vendeu 16 milhões de unidades, o PS4 vendeu 29 milhões no mesmo período.

          • O PS4 irá fazer 3 anos em novembro tem mais 5 meses de venda para subir os números, e outra dividir a venda total não está correta, pois o ps2 não explodiu de vendas no começo da geração, primeiro ano era só vendido no japão, depois se espalhou pelo mundo e taxa de venda era alta mas não se compara com os de hoje em dia, a Sony já confirmou que nunca venderam tanto em nenhuma outra geração cara, só aceita cara não discuta.

      • Gertrudes, a Lhama

        Até onde sei, o único console que deslanchou rapidamente nas vendas na geração passada foi o Wii, que era barato e com a proposta inovadora. o Xbox 360 e o PS3 demoraram um pouco pra deslanchar(o PS3, se não me engano, só começou a dar lucro depois de 2011…)

      • Mario Porfírio Souza

        Q bosta hein amigo, vc mostra uma tabela onde somente um console na lista ainda é fabricado para comprar com um consolde que está chegando no seu terceiro ano agora. Parabéns cada console ai teve pelo menos 6 anos de venda.

  • Rodrigo Pereira Serêjo

    Normal que essa geração n vingue tanto, a 7º foi a maior de todas, essa nunca iria chegar tão perto, quanto tempo tem essa geração? se chegar a 3 anos já esta de bom tamanha, bora pro PS5

  • blogaomobile

    Não existem mais gerações de consoles, pelo menos por parte da Microsoft, isso acabou:
    Leitura obrigatória.

    http://www.windowsclub.com.br/entenda-como-a-microsoft-acabara-com-as-geracoes-de-consoles-e-a-dor-de-cabeca-nao-sera-sua/

    • Anakin

      e desde quando a MS dita as regras nos consoles? Temos que esperar.

      • João Silverado

        Mas a Sony já se posicionou da mesma forma. Até comentei uma vez que nessa E3 deu pra ver que as empresas conversam nos bastidores sobre tendências, pois é impossível a estrutura dos consoles ser parecidas.

        • Anakin

          Você leu o artigo que o cara mandou? tem que ler amigo, ele deixou um link. Ai você vai entender o que ele está falando.

          • João Silverado

            Estou falando da Microsoft e da Sony. Esse artigo qdo saiu, comecei a ler e parei. O site dele é só sobre as coisas da Microsoft e não dá pra ficar só com uma visão.
            O que eu quis dizer da Sony se posicionar igual, é o fato do PS4 Neo ser 4k mas todos os jogos lançados pra esse rodar no PS4 convencional, igual Xbox normal e Scorpio. Apenas isso.

          • Anakin

            Ah, mas isso é totalmente previsível, certeza que eles trocam figurinhas, achei q vc tava falando da Sony e Valve usarem UWP como no artigo dele, ele fala como se fosse o único modo de não ser massacrado pelo incrível trem do market share chamado Microsoft haha

          • blogaomobile

            No artigo nunca diz que a Sony iria adotar UWP, leia novamente. Acho que você não entendeu.
            Bem, o UWP é um caminho sem volta. Renegar a força da Microsoft nos consoles, a empresa muito mais rica neste mercado, é um grande erro.
            Ah, o site fala sobre Windows, mas não é apenas uma visão. Isso é ridículo.

          • Anakin

            querido, da uma olhada lá nos comentários do seu “artigo”, galera ta dando show de programação para games, coisa que você entende muito pouco, quase nada.

          • blogaomobile

            Você que não entende nada.
            Galera dando “show”. Nem precisar ser gênio, basta acompanhar as conferência para desenvolvedores da Microsoft.
            O plano UWP, uma única loja, um sistema para tudo é algo que não é segredo e amplamente difundido pela empresa.
            Não é portabilidade como alguns acham, é um único jogo para tudo. Tudo é Windows 10. Se você não entendeu isso, vai ser difícil entender o medo que grandes editoras tem do monopólio da Microsoft, o movimento das Steam Machines, o PS4 Neo (Sony afirmou que também o objetivo de não levarem jogadores para o PC), o Windows 10 gratuito, a Ascenção do Windows 10 na Steam, etc.
            Quem acha que a Microsoft não pode ganhar destaque nos consoles ou retomar as rédeas do Windows tá muito engando e não está a perceber nada do que está acontecendo.

  • Willian Lhorente

    Acredito que a culpa disso sejam os gamers modernos, pois estamos cada vez mais exigentes, ficando difícil e caro criar novas experiências. A Nintendo sempre foi a pioneira em trazer inovações para o mundo dos games, com o WiiU não deu muito certo, espero que na próxima eles acertem.

  • Lukas

    Sei que falar que PC é melhor é chover no molhado. Mas alguém aí ainda tem dúvidas de que comprar consoles com jogo exclusivo e data de validade é ganância de empresas e burrice de quem compra e financia a palhaçada? Sei que ficarei sem alguns títulos pro PC gamer, mas pelo menos troco peças, não o troço todo; tenho liberdade pra escolher até que controle usar. Se todo usuário visse as coisas dessa forma, a concorrência estaria focada só no mercado de PCs e estaríamos apenas discutindo qual a melhor placa de vídeo pra geração nova de games. Preparem-se que os novos consoles vem aí pra acabar com a festa dos que compraram os mais recentes. Sem falar da tendência em tornar títulos exclusivos cada vez mais exclusivos.

  • João Silverado

    Com certeza o redator queria algum jogo que não existe ou não saiu ainda. Tenho o Xone desde o lançamento. Escolhi ele pela série Forza e por Killer Instinct. Antes ia de PS por Driver (não gosto de GTA embora sejam parecidos), Resident Evil, Tekken e Megaman, são os jogos q mais curtia, mas como vi que isso já não era mais exclusividade de Playstation, mudei.
    Não jogo mto como antes pq depois de adulto as coisas mudam, mas os jogos q tenho jogado estão bons, melhores que versões antigas, e a jogatina online empolga mto em vários títulos. Acho que vcs deram uma de Tecmundo nessa análise.
    Sobre o Xbox One S, não tem a porta do Kinect (vai que não coube na versão Slim e volta a ter no Project Scorpio? Isso vcs ainda não sabem pra julgar que acabou) mas se consegue o adaptador de graça com o suporte do Xbox mediante a identificação de propriedade dos aparelhos.

    • Krosna Terrestre

      Não é mais questão de “se”, os consoles “inferiores” serão prejudicados, só não ver quem não quer, o que tem de ser feito é tentar minimizar essas perdas, embora eu ache que algumas produtoras por ai vão ferrar de vez jogos para as versões vanilla dos consoles.

      A situação dos consolistas cegos pode ser representada pela image abaixo:

      • João Silverado

        Como falei algumas semanas atrás pra um outro carinha. A princípio (digamos 2 anos) os jogos sairão pra todas as versões de consoles, alguns que vão rodar no máximo possível em TVs 4k com o console mais poderoso e vão rodar normal nos consoles normais. Só depois disso é que vai começar a sair jogos que só funcionam na versão mais poderosa. Certeza que as donas das plataformas não vai deixar as produtoras ferrar pq isso ferra o ecossistema e os clientes, principalmente os mais antigos.
        Qdo esse prazo vencer, vão apresentar novos consoles, talvez os ditos modulares, pois assim como smartphone, os consoles vão caminhar pra isso tbm. Vai ser parecido como são os PCs. Basta ver a tecnologia como uma coisa só, e as declarações anteriores dos chefões tbm. Isso poucos querem ver.

    • Hüsken

      E desde quando Resident Evil era exclusivo do PS?

      • João Silverado

        Tive q ler pra saber do q se tratava q nem lembrava mais. RE no começo saía exclusivo temporário pra PS. Pra vc ter uma ideia, o RE3 Nemesis era pra ser apenas RE Nemesis, e o Code Verônica seria o RE3. Mas como a Sony queria um RE3 que fosse exclusivo do PS1, e tinha que ser o RE3, ñ um Spin off, a Capcom trocou os nomes dos REs pq o Nemesis já estava pronto e o RE3 (Que ficou sendo o Code Verônica) não estava.

        • Hüsken

          Cara, muito legal saber disso. Não sabia mesmo. Obrigado pela informação!

          • João Silverado

            Corrigi umas letras e palavras que comi no comentário anterior, mas é isso.

  • João Silverado

    Sobre a E3, obviamente estou esperando pelo Forza Horizon 3 (gostei mto do FH2 e jogo online até hj), do Horizon Zero Dawn (não tenho PS4 mas curto a temática de robôs), o Sea of Thieves parece mto divertido, embora tenha que jogar em várias pessoas e até hj não joguei assim em modo coop, mas Rare é Rare. E não conhecia e achei mto interessante o jogo We Happy Few.
    Não sou apegado em gráficos tanto que até hj gosto de jogos do SNes e comprei e zerei sábado o Mighty N9, mesmo apesar das críticas infundadas sobre jogo fácil, ser ruim e blablabla da molekada que vê youtubers e acha que fechou os jogos.
    Ao meu ver, consoles sempre estão em paridade com a mídia atual, o que antigamente eram TVs e a versão de tubo comum evoluiu para a plana mas em termos gráficos não era tão diferente. Agora com realidade virtual e telas em 4k, a evolução já se mostra mais rápida e os consoles tem que acompanhar sem prejudicar os que conseguiram o console antes. Não acho que seja geração ruim nem nada disso, mesmo pq as vendas e pessoas que se mantém online jogando estão mto bem. Se assim não fosse, os lançamentos de novos jogos e conteúdos para jogos existentes estariam estagnados. GTA V é um exemplo que deu tão certo em vendas que a produtora se deu ao luxo de lançar todas as DLCs seguintes (creio que ainda continua assim) gratuitamente.
    Enfim, deu pra perceber que o descontentamento com a geração atual é pessoal e não baseada em dados concretos.

  • Felipe Mesquita Ramos

    Eu discordo desse post com uma pergunta básica: O que realmente mudou desde o começo dos consoles até agora? Salvar o jogo na memória do aparelho e o estilo dos controles só, porque de resto a experiência é a mesma: uma caixa com hardware fixo que roda jogos em uma tela separada e vc usa algum tipo de controle para interagir com o jogo e, diferente do que vc diz, é o motivo de ter feito sucesso. As vendas do começo da ultima geração foram gigantescas e continuam grandes (maior que qq geração anterior proporcional ao tempo) e não para de aumentar. Eu tive todas as gerações do playstation e continuo maravilhado com cada geração que passa pela capacidade de eu ter uma experiência cada vez melhor e poder jogar jogos mais robustos e complexos a cada ano. Essas são as mudanças que acontecem e que eu e muita gente se importa, ninguém quer ver uma mudança drástica da experiência que ama, e se isso acontecer no futuro eu pego meu controle de ps4 e coloco em um pc novo.

  • Ricardo – Vaz Lobo

    Alecrim mexeu no vespeiro usando uma onça…

  • Heitor89

    Comparativamente aos jogos da geração passada a atual geração está sendo uma BOSTA, SIM! Falta de criatividade e originalidade nunca antes vistas na indústria dos games.

  • Vanderlei Gomes Fotografia

    Que bom que peguei a era de ouro do SNES e Megadriver , e parei de gastar dinheiro com isso no PS1:_}

  • Roberto

    Pulei a geração passada e remasterizações e novas versões não me incomodam, pelo contrário, estou jogando jogos incríveis que não tive a oportunidade no passado. Ainda asim não concordo que seja a pior geração, pode ser a que menos inovou, mas é cedo para classifica-la dessa forma.

  • Mario Porfírio Souza

    Esse artigo com certeza foi escrito por um PC Gamer

    • Tenimar

      A verdade doi, né consolista.

      • Mario Porfírio Souza

        Fala com minha mão pczista.

        • Tenimar

          kkkk

  • Julia Lima

    “Esta é a pior geração de consoles da história” Não tem título melhor pra definir o mercado atual.
    Console virou brinquedo pra aquele seu priminho de 13 anos jogar gta e se sentir adulto.
    Uma geração de jogos genéricos, sem carisma, que só tem visual. Remasters. Jogos caros e distribuidoras que não respeitam seus consumidores lançando jogos que claramente ainda não estão prontos, apenas pela ganância. Fatiamento do jogos em DLC’s. Só trouxa mesmo para comprar console hoje em dia, isso é, se não compram com o dinheiro do papai.

    • Gertrudes, a Lhama

      Por isso que nessas horas é bom saber comprar. Eu tinha um Wii U até um mês atrás, joguei o que consegui nele, me diverti pra caramba, mas com a saída da Nintendo e o dólar alto o console ficou insustentável. Vendi ele e os jogos que tinha, e comprei um PS4, já tendo em mente que jogos eu quero pra ele. E até agora, só joguei jogos bons 🙂

      Tem muita porcaria por aí, que nem tinha na época do Atari 2600. Só que hoje em dia temos ferramentas pra pesquisar sobre os jogos antes de comprar, algo que não existia na época, e acabou causando o crash na indústria.

      • Tenimar

        Se for pra gastar uma grana e ainda ter que ficar escolhendo jogo a dedo. Melhor jogar no PC.

  • Thiago Rodrigo

    Parabéns pelo artigo

  • Trovalds

    A verdade nua e crua é: a era de ficar sentado na frente de uma TV ou tela pra jogar está acabando. Daí os fabricantes estão jogando suas fichas todas em tentar manter o consumidor na frente da tela ao invés de constatar o óbvio: hoje o negócio é a mobilidade. Basta ver que as desenvolvedoras que surgiram pra explorar os celulares/tablets estão crescendo a números expressivos enquanto grandes players que insistem no modelo “fixo” estão definhando.

    Não é a indústria em si que está morrendo, ela apenas está sofrendo uma metamorfose. Só que como sempre os executivos continuam insistindo em modelos que não funcionam mais.

    Exemplos visíveis estão aí: a indústria de música está se rendendo ao modelo digital, apesar da grande resistência. Comprar música não é mais opção, basta assinar um Spotify da vida e ter o que quiser por um valor fixo. Idem ao vídeo. Netflix e cia à nossa porta.

    E mais um prego no caixão: as desenvolvedoras tem cada vez mais que investir pra poder trazer algo à altura da experiência que os fabricantes de consoles querem mostrar ao público. E o problema é que pode não haver o retorno esperado. E nisso fica aquela incógnita: abrir o caixa ou não?

    Uma empresa que foi meio na contra-mão disso foi a Blizzard. Inicialmente com Hearthstone, que foi um projeto descompromissado de uma equipe pequena que se tornou um grande filão. Daí veio Heroes of the Storm. E não tão ambicioso, mas que teve um pouco mais de investimento, Overwatch. Projetos relativamente simples, sem grandes pretensões mas certeiros. Claro, a Blizzard foi no certo: Hearthstone é jogável tanto em plataformas móveis como no computador e Overwatch computadores e consoles.

    Seria a hora do mercado aceitar a metamorfose e mudar o foco?

    • Antonio

      Concordo. Acho até que quando os grandes players (Sony, Microsoft e Nintendo) perceberem que estão indo pra cova, vão abrir geral para os móveis. Basta pensar na Nintendo que todo mundo critica pelo suposto fracasso de vendas do Wii U. Se ela lança 1 título de peso como Mario ou Zelda para mobile, com certeza atingirá Top10 em poucos dias (pra não falar em 1 dia).
      Mas em parte isso me incomoda um pouco. Tenho um iPad, um PS4 e um Wii U e posso falar: jogo 10x mais no Wii U do que em qualquer outra plataforma. No PS4 os jogos são lindos, mas não são divertidos em nada. Só sangue, violência, terror, sequências incríveis… adjetivos dignos de um bom filme pra ver do sofá comendo pipoca, não jogando. No WIi U eu jogo horas sem parar dando risada do início ao fim. Me sinto criança. E jogo com amigos todos na mesma sala.
      Já no iPad, estou cansado dos freemium. Parece que tem uns 2 ou 3 jogos e o resto é tudo cópia que só quer tiras suas moedas. Ou é alguém correndo e desviando de obstáculos, ou são combinações de pedras, ou uma fazendinha (que pode ser uma fazenda mesmo ou uma super base militar… é tudo a mesma coisa).

      Infelizmente o mercado de games está passando por uma metamorfose na minha opinião para pior.

      • james sutherland

        sinceramente não vejo nada demais em termos graficos essa gen atual não se parece uma nova gen diferente das outras que tinham salto grafico e inovação .

  • Tenimar

    Considerando que está no texto mais o fato de que o mercado mais aquecido é o dos First Person Shooters, seguido pelos RPG’s. Faz muito mais sentido jogar no PC. Quem compra console hoje em dia é masoquista ou não dar valor ao dinheiro que ganha. (ou seria o dinheiro dos pais ?)

    • Jonas S. Marques

      Conta básica:
      Computador pra jogos = Pelo menos um I5 de quinta geração, placa de vídeo GTX 970 ou superior, 8 GB de RAM, SSD, HD 7200 RPM, gabinete ventilado, fonte 600 W pra cima, refrigeração, teclado, mouse e controle. Só nisso vai o que, 5000 reais?
      Quem joga em console tem lá sua razão, e´um caixa que vem pronta, é conectada a televisão e, veja só, roda jogos.

      • Muriel

        e com W10 o XOne logo vai ter suporte a mouse e teclado também, ou seja, os consoles não estão mortos

      • Tenimar

        primeira que como saiu um artigo esses dias, quem tem console já tem pc em casa, precisando apenas de um upgrade, segundo que não precisa comprar peças topo de linha, terceiro que o preços 10 jogos AAA de console comprados no lançamento já monta um pc gamer modesto. Quarto, a economia com os jogos de pc vai ser muito maior. quinto, não tem que pagar para jogar onilne.

      • Krosna Terrestre

        PS4 = 4K no lançamento mais jogos a 250 reais. Quer falar de preço mesmo ? kkkkkk

      • Guilherme Dias

        Eu montei um PC com i3, uma GTX 750, 8GB de RAM, saiu uns 2700 e roda qualquer coisa no nível de qualidade do PS4. Ainda é mais caro que um console, mas visto que tu hoje em dia PRECISA ter um computador de qualquer jeito, e que a Steam tem infinitos descontos toda hora, tu ainda economiza a longo prazo.

    • Eu comprei um one e alguns jogos junto. Depois disso eu nao comprei mais nada, nao consigo nem dar conta dos jogos dados pela live.

  • Antonio

    Na minha opinião, quando o CEO da Nintendo polemizou dizendo que a indústria dos Games não devia aprender com Hollywood, ele tinha total razão.
    Comprei um PS4 feliz da vida. Gastei um bom dinheiro em jogos de nome (GTA, Uncharted, Assassins Creed, Need for Speed, etc etc etc…). O que senti é que eu era alguém que interagia dentro de um filme.
    Quando jogava, por vezes pessoas me perguntaram que filme eu estava a ver, pois o controle ficava de lado e tudo acontecia sozinho. O resultado: com raras excessões, cada jogo que eu comprava eu jogava 10-20% apenas e enjoava. Jogava por 15 min no máximo cada vez.

    Fiz um esforço e comprei um Wii U usado. Outro mundo! Quando sento pra jogar é 1h no mínimo. Quando estou com amigos então, são 3h pelo menos jogando, rindo muito, se divertindo, etc. O Wii U foi um console que me fez sentir criança de novo. Jogo dando risada de tudo, perco vidas e tento 10x passar da mesma fase até conseguir. Sem contar que consigo jogar até com pessoas que nunca jogaram videogame na vida! E elas se divertem igual criança que ganhou uma bicicleta. PS4 e Xbox One quase não têm jogos para multiplayer local. Só online, cada um da sua casa isolado do seu quarto. Não tem interação nenhuma! Wii U te coloca pra jogar em até 8 pessoas na mesma sala e vira uma grande bagunça. Reforça as amizades e faz sentir criança de novo!

    Concordo em parte com o autor, afinal a geração anterior parece que teve mais novidades. Essa parece que apenas lança tudo de novo com gráficos melhores. Mas o erro não está em fazer um remake, e sim em não aprimorar a jogabilidade e focar na diversão. Os consoles de hoje (PS4 e Xbox One) só se importam com gráficos e hardware e esquecem que jogar é se divertir. Jogos violentos, ultra realistas, assustadores… atributos bons para um filme com pipoca e sofá, não para jogos.

    Recomendo pra qualquer um: quer se divertir de verdade? Quer se sentir criança? Compre um videogame da Nintendo e seja feliz. Mesmo que seja um Wii com gráficos ultrapassados, ou um 3DS (baita videogame por sinal).

    Citando o falecido Satoru Iwata, CEO da Nintendo: “Para jogadores mais novos, os clássicos são novidades. Para jogadores experientes, eles resgatam memórias boas e fazem nos sentir bem”

    • Supersonic

      Pura verdade, os vídeo-games atuais perderam essa essencia dos videogames antigos da diversão fácil e socialização que o Wii-u mantém, meu primo traz o Wii-u dele aqui para casa é diversão garantida, normalmente viramos a noite, pode vir a namorada do primo que nunca jogou e em 5 minutos ela já esta te matando no jogo.
      O filme “Pixels” mostra isso só que ele compara os vídeo games com os fliperamas, nos anos 80 tu podia estar jogando em um fliperama e aparecer alguém para jogar com você do lado e no final do dia já tinha uma amizade nova, no filme o Adam Sandler fala para um moleque jogando ps4 “vocês hoje jogam dentro de um quarto sozinhos, antigamente nos jogávamos em um fliperama, lá pelo menos havia socialização com outras pessoas”,

      • Ismael de jesus

        saudade dessa epoca dos fliperamas, lembro que sempre estavam lotados, as locadoras tbm chegava la e era até dificil achar um game livre pra jogar.
        esse mercado perdeu pras lan houses mas acho que se voltassem hj daria certo pq nem todos podem jogar um ps4 ou xbox.
        minha unica preocupação é que o nivel de roubos em locadoras de games e locais com fliperama seria gigantesco hj em dia, na epoca não existia nada disso mas hj acredito que a galera ia esta la jogando e sem duvida chegaria algum ladrão pra acabar com a festa kkkk

        • Supersonic

          Na minha cidade tem uma locadora que aluga jogos de xbox e ps4 e o negócio tem crescido nos últimos tempos, por causa da dificuldade maior de desbloqueio dos atuais consoles é mais recentemente por causa do dólar, um jogo que custava 150reais hoje está na casa dos 250 reais e se tu ver tem muito jogo que dá para zerar em 1 ou 2 finais de semana.

      • Ian Prado

        Quando eu comprei o ps4 ele veio com dois controles, até hoje eu não sei pra que serve um deles. Eu tenho um irmão e é com grande desapontamento ver que até os jogos de corrida investiram no multiplayer online e deixaram o multi local de lado. Ele serve mais pra ficar de reserva caso acabe a bateria do primeiro.

        • Leandro Teles

          Cara de todos os games dessa nova geração multiplayer são só online ? ser for eu acho meio sem graça o bom mesmo é joga com um amigo de lado ou irmão, aqui perto da minha casa a molecada vivia jogando call of duty modo zumbi. 4 players no ps3 é xbox 360 era a maio diversão para eles estavam interagindo uns com os outros. hoje em dias as pessoas estão muito dependentes da tecnologia é da internet, daqui a algum tempo pode piorar. isso me lembra o que Mark Zuckerberg disse, quê a meta dele é conectar o mundo ao seu facebook, voltando ao assunto hoje em dia acabou a diversão agora virou um batalha gráfica tudo se resume á ‘hardware e graphics’, “não vai demorar muito para os consoles virarem um pc da vida. sinceramente eu tenho vontade de compra um console dessa nova geração mais fico bom o pé atrás, eu acho que vou comprar um ps3 mesmo, falta vários jogos que não detonei nele, remasterizados é pra “encher linguiça” alguns que presta para ser franco eu sou mais a retrocompatibilidade da Microsoft. só que á SONY é os estúdios de jogos adora arrancar grana das pessoas, mais compra quem quer!

        • Leandro Teles
        • Marco Antonio de Oliveira Sant

          Por isso q quando meus 2 controles de PS3 quebraram eu só comprei 1 em vez de 2: ngm mais joga multiplayer local…

        • Ricardo Costa

          isso é o problema multiplayer online é pra quem joga sozinho local player é versus vc é retardado e coisa do passado não tem mais socialização como antigamente

      • Daniel Oliveira

        Cara, a questão não é essa. A atual geração investiu bem mais em interação social. Vale lembrar do botão “Share” do PS4, que dá pra enviar na hora capturas do seu jogo pro Face ou Twitter. A questão é que a atual geração não está sabendo aproveitar todo o potencial técnico de seus consoles, como ocorria nas gerações passadas. Vc escreveu um comentário de um assunto num artigo de outro. Em que momento o artigo fala sobre interação social?

        • Supersonic

          Meu comentário foi uma resposta a outro comentário.

    • Louis

      É um exagero sem tamanho você dizer que um Xone ou PS4 não interação, visto que a Nintendo não permite sequer chats no MK8 ou Splatoon.

      Entretanto, concordo contigo sobre o resto da análise e o foco gráfico, sem se importar com a jogabilidade.

      • Lesphirou Fronkborsten

        Nossa cara, vamos melhorar a interpretação de texto aí? Ele falou de multiplayer local, não online. E sinceramente a Nintendo fez bem em tirar o chat desses dois jogos que você citou. Me diga aí um multiplayer online com chat que não tenha uma comunidade com pirralho nojento e mal educado? (Não só pirralho, tem muito marmanjo também)

      • Antonio

        Acho que tu interpretou mal o que escrevi.
        Jogos locais multiplayer. E, que tu joga com seus amigos na sua casa, na mesma sala, lado a lado, comendo petiscos, rindo e se divertindo. Multiplayer online pra mim é algo que isola a pessoa num outro universo e a torna uma ilha. Tu se tranca no quarto e fica lá sozinho, achando que está em grupo.
        Com Wii U todo mundo se diverte junto. E na boa, qual a função de um chat num jogo de fps? Da tempo de digitar algo? E com áudio? Entrei num jogo uma vez no ps4 é um monte de retardado falando merda no microfone sem parar, fazendo ruído, desativei na hora.

        Eu nunca vi um dono de Wii U arrependido na vida. Nem de Wii, nem de 3Ds. Já de Xbox e ps4 são muitos! Quem fala mal de Wii U nunca teve um na vida.

        Acho que a Nintendo errou sim e não colocar um hardware mais potente. Não porque precise, mAs porque essa geração atual só compara hardware na hora de comprar um console. Se tivesse um hardware igual ps4 talvez muita gente compraria e acabaria se apaixonando pelos jogos simples da Nintendo.
        É igual PC Gamer, não dá nem pra conversar. Tu explica que comprando um console tu vai jogar sempre os lançamentos, que não precisa ficar gastando dinheiro em upgrade, que você joga em várias pessoas no mesmo ambiente, que os jogos da Nintendo são mais divertidos… Aí a pessoa abre a internet, abre um vídeo do jogo rodando no console e outro rodando no PC com 4K e não sei o que é fala: olha a difereeeeençaaaa!
        Ou então pior. Compara o hardware do console, a placa de vídeo e processador com o PC dela.

        Legal. Gráficos lindos pra tu assistir comendo pipoca. Tem gente que não sabe a diferença entre jogar um jogo divertido e se isolar num quarto escuro e ficar com deficiência de vitamina D!

        • Victor Teixeira Nunes

          Existe uma grande qualidade em pc gamer que é poder jogar qualquer jogo antigo no pc, eu desisti do meu ps4 e vendi pra montar uma maquina exclusivamente gamer, saiu caro, mas hoje fica na sala, com 4 controles via Bluetooth conectados e recebo amigos e jogamos títulos que jogávamos juntos como mariocart de SNES e 64. E sozinho jogo os jogos que gosto como DarkSouls 3, The Wither e FarCry Primal. Tirando a capacidade gráfica do pc, não vejo diferença na jogabilidade.
          Sobre experiencia online acredito que tenha suas vantagens, pra quem joga bastante sozinho, jogo de lutas por exemplo perdem a graça rápido, e online você tem uma disputa real, mas concordo que os jogos perderam o foco da experiencia multiplayer offline.

          • Antonio

            Eu queria um console Android tipo box, só pra rodar emuladores. Pesquisei alguns na net (tipo o Ouia) mas parece que nenhum vale a pena (esse Ouia mesmo parece que foi comprado por outra empresa).
            Mas a idéia é ótima. Jogar emuladores seria incrível na TV.
            O único problema é não poder rodar os do Wii U mesmo, que são muito legais. Mas parece que o projeto de emulação do Wii U ta bem avançado até. Não dou mais 1 ano.

            Abs

          • Firmino .

            Pesquisa por Hercules Games no fb.
            Ele faz isso.
            Snes com mais de 1000 jogos utilizando controle de ps4, por exemplo

        • Samuel Dragmire

          Amigo, vc mostra não conhecer muito bem as outras 2 plataformas e até mesmo o PC. Vamos lá.

          Da para realizar o mesmo multiplayer local no PS4 e Xone em alguns jogos…Street Fighter V, Just Dance, Rocket League, TowerFall, Fifa, Call of Dutty, Child of Light, Divinity, Guacamelee, Dead Nation, Lego Batman, Lego Marvel, Metal Slug, NBA 2K, Plants vs Zombies Garden Warfare, Helldrivers, Magicka, Just Dance e etc.

          Sobre o chat por voz é sério isso? Já jogou Destiny, FFXIV, BF4,The Division em RAID usando o chat por voz tanto para comandar o seu time como para conversar, brincar se descontrair? Vc desconsidera que multiplayer online também tem vantagens! Reunir amigos que estão longe ou que não moram no mesmo local a QUALQUER momento! Fora que o chat por voz do PS4 e Xbox One permitem que vc crie um grupo e converse com seus amigos independente do jogo que eles estejam jogando (funciona mesmo que estejam realizando qualquer atividade no console).

          E eu já vi donos de WiiU arrependidos e não foi um só não…inclusive eu tive um e não gostei do console e seus longos períodos sem lançamentos. Era até engraçado o quanto tempo o console passava sem anúncios relevantes!Antes de Splatoon o console ficou 5 meses sem nenhum lançamento minimamente relevante!

          Sobre PC gamer, um PC com uma mera GTX 750TI+Core i3 consegue rodar tudo em qualidade equivalente a Xbox One e PS4. Essa configuração não é tão cara e a diferença no preço dos jogos acaba compensando FACILMENTE a diferença. Jogo de WiiU chega a 300 reais, olha Bayonetta 2 e outros, já no PC, olhe com seus próprios olhos:

          http://store.steampowered.com/

          Promoções como essa acontecem umas 5x ao ano, fora que o preço normal de 95% dos lançamentos na Steam é menos da metade de um lançamento do WiiU. Sobre PC Gamer ter mania de exaltar potência, isso é verdade, mais não é por isso que a plataforma não é relevante! PC tem retrocompatibilidade infinita, mods (e possível até instalar traduções feita por fãs ao jogos tranquilamente), emuladores e pode ser usado para DIVERSAS coisas (inclusive já roda a maioria dos jogos do Wii com update gráficos e na performance…e o emulador do WiiU já está rodando Super Mario 3 World e MK 8 quase a 100%, logo, logo emulará quase que perfeitamente, assim como o Dolphin faz com o Wii). Fora isso PC ainda tem os jogos multiplataformas que são a maioria dos games da geração. E novamente, diversão é subjetivo! Tenho certeza absoluta que NÃO me divertiria mais jogando MK8/SM3D World/Donkey Kong que jogando The Witcher 3, Metal Gear 5/Batman AK e vários outros games…o meu perfil game gosta mais desses games e logicamente se diverte mais com eles.

          Agora que mania é essa de dizer que PC, Xbox One e PS4 tem jogo só de assistir? Juro que não me lembro disso quando joguei The Witcher 3, Batman Arkam Knight, Fifa, OverWatch, Metal Gear 5, Street Fighter V, Fallout 4, Mad Max, Dark Souls 3, Doom 4, Wolfenstein, Shadow of Mordor e etc…

          • Antonio

            Com relação ao PC, já tive alguns, gostava de montar minha própria máquina e tudo mais. O que comento é que, você monta um PC super completo e vira um vício.
            Geralmente PC Gamer quer sempre rodar tudo no máximo e é meio tarado por hardware. Ai passa 1 ano ou 2 (as vezes nem isso, 6 meses), já tem uma placa nova, a memória precisa aumentar, etc. Tem gente que paga 15k em um PC pra jogar (acho absurdo, mas sei lá).
            Tem situações que cansei de passar: vai na loja, compra uma placa de vídeo nova, espeta, coloca driver, configura e começa a jogar e se divertir. Passou 6 meses saiu um jogo novo que não roda nem com reza brava ou então fica com 20fps. Aí tu vai la, tem q trocar a placa de vídeo. Pra trocar precisa mudar a placa mãe por conta do barramento, aí trocou a placa mãe a memória não serve mais. Aí aumenta tudo a fonte precisa subir e assim vai. Ai esquenta o processador ou o HD, tem que por um cooler mais potente… ai não cabe no gabinete…
            É um inferno! Se eu tenho um console, sei que vou rodar o jogo no dia seguinte do lançamento. Não preciso ver a última definição perfeita da ponta dupla do cabelo do personagem que cresce dentro do jogo em 4k. Ainda mais se vou jogar a 2 ou 3m da TV.

            Agora a vantagem do PC com certeza é a que falou. A flexibilidade. Da pra rodar emuladores, instalar patches, os jogos são bem mais baratos e tudo mais. Enfim… cada jogador tem seu estilo. Só recomendo que quem quiser investir num console e quiser jogar, não olhe apenas o hardware do console, mas sim os títulos, a diversão, se você curte o estilo, etc.

    • Rodrigo

      Tenho essa mesma percepção. Tenho Wii U e Xbox One, quando jogo Wii U gasto no mínimo 2 horas. O próprio console tem app nativo que contabiliza os jogos e a duração ou quanto vc jogou. Não é o progresso do jogo mas sim realmente quanto você joga determinado título. Tenho também o 3DS que cumpre com maestria a função de jogo portatil com o diferencial do 3D (apesar que nao uso muito e até passo mal em alguns jogos).
      Sobre o artigo eu acho que retrata muito bem a atual geração e um dos poucos artigos que leio que não é de todo tendencioso ou parcial. (Quando favorece a Sony ou MS).

    • J Alves Cordeiro

      Concordo com o seu ponto de vista, Antônio. Frente a tantos “istas” com comentários ainda mais “istas” o seu me soa diverso e esclarecedor. Jogo é para ser jogado e não para ser assistido com uma interação restrita ao necessário. Pra quê ostentar VR se ninguém aguenta o acessório por muito tempo nos olhos? E 4k numa geração que mal chegou e já querem mudar quando qualquer um se diverte com jogos ainda incríveis a 320*240 linhas até num celular (emulados, claro)? E 60fps ou mais torna jogador mais habilidoso ou jogo ruim em AAA? Tenho mais de um console e PC mas concluo que o Wii U (que não tenho e sobre o qual jamais ouvi proprietários insatisfeitos, mas sim o negativismo dos “istas”) me daria maior satisfação. Parabéns pelo comentário.

      • Samuel Dragmire

        Vc assistiu a E3? God of War, Horizon Zero Dawn, Days Gone, Spiderman, Detroid…gastaram muito pouco tempo falando de VR…

        • Marco Antonio de Oliveira Sant

          todos jogos q só deus sabe quando vão sair… e não esquece o Death Stranding em 2020….

      • Ismael Pini Gonzales

        O problema do PS4 e XOne para mim é que foram consoles que se venderam como uma “revolução gráfica”, mas nem isso conseguiram entregar…
        Prometer Full HD em uma geração que deveria vir já com suporte a 4k é decadência, porém o que eles fizeram foi prometer Full HD e entregar HD. E agora estão prometendo o 4k que talvez fique só no Full HD!
        O Wii U foi o console mais inovador da geração, vamos combinar que o salto gráfico do Wii para o Wii U é gigantesco! O principal problema é que o “tablet” (que seria o grande diferencial) acabou sendo negligenciado pela própria Nintendo.

        • Andre

          Console poderoso custando menos de 400 dólares é algo impossível,quem viu a E3 quando a sony anunciou o ps3 sabe do que eu estou falando,não adianta lançar um console poderoso custando 600/1000 dólares se o pessoal irá ficar chorando ou reclamando pra comprar,ps4 e xboxone cumpriram muito bem o seu papel pelo preço cobrado.

    • FrankCastiglione

      Boa, Antonio! Concordo, em grande parte com o que você falou. Jogos com excesso de cutscenes são complicados mesmo. Acho que a cutscene deve ser pontual, literalmente. Cito o exemplo do jogo Lost Planet da geração passada. Se não me falha a memória, ele tinha poucas ou nenhuma cutscene durante a fase. Mas, quando você concluía uma missão (fase) aparecia uma cutscene para auxiliar na narrativa, era aquele momento em que você respirava e relaxava um pouco daquela ação mais frenética. Mas daí, era só apertar o botão depois de uma tela de briefing e você voltava para a jogatina na próxima fase!

    • Carlos Gustavo Silva Dos Santo

      Excelente!!! seu texto esta de parabéns e só falou a verdade.

    • No lançamento do GTA V teve até um tópico sobre como esse GTA não parecia ser um GTA (não era um tópico negativo ou positivo, apenas todo mundo estranhou).
      Ficou realzão demais nas partes que não interessam e teve um certo downgrade de realidade nas partes que eram boas.
      Por exemplo, no GTA IV você tinha que ter controle maior de quando frear, como frear, derrapagem, etc. o que tornava as missões envolvendo carros mais desafiadoras e divertidas.
      No GTA V nego faz curva de 90º a 200km/h só por soltar o acelerador.

      • Incluíram a possibilidade de pular os checkpoints que já eram fáceis (!!!). Tudo isso para que você pudesse assistir o jogo mesmo sem jogar.

      • Antonio

        Sabe que o GTA V foi um dos jogos que mais me decepcionou. Fiquei uns 3 meses namorando ele, vendo os gráficos e não tinha coragem de pagar tanto nele. No fim das contas cedi, comprei digital na própria PS Store numa promoção.

        Comecei a jogar e já veio um certo choque. O jogo é realmente surpreendente com gráficos incríveis, embora um pouco chocante por conta da linguagem e conteúdo. Sem dúvida um jogo 18+ na minha opinião. Não tem absolutamente nada que preste ali.

        Jogando comecei a achar entediante. Ainda assim, fui fazendo as missões, passando e, na prática, sentava pra jogar 15 minutos e já tava cansado.
        Comecei a reparar em alguns conhecidos que jogavam GTA V também, no PC e em consoles. O que me impressionou é que a maioria deles faz exatamente isso que vou descrever:
        – Abre o jogo, da loading;
        – Aplica um cheat pra ficar super poderoso ou pra ganhar muito dinheiro ou armas;
        – Fica explodindo coisas por uns 5 minutos no máximo;
        – Fecha o jogo.

        Não duvido que muita gente vai fazer as missões até o final, tentar pegar tudo e fechar o jogo com 100%. Mas no fundo, a sensação que tive foi que 90% dos jogadores vão fazer o que eu postei acima mesmo.

        Agora pego um dono de Wii U, que compra Mario 3D World, por exemplo. Conversando vejo que ele foi jogando, jogando, jogando e zerou o jogo. Depois ele voltou e pegou 3 estrelas em todas fases, depois todas figurinhas e no fim o cara jogou muito, mas muito mesmo aquele único game. Alguns jogos são muito difíceis mesmo! Fazer 100% em Donkey Kong Country Tropical Freeze não é pra qualquer um! Parece um jogo de criança, mas quando você joga da até raiva o tanto de vezes que morre!

        Uma coisa que eu acho que a Nintendo faz com maestria, na minha opinião, é criar jogos que podem ser jogados por crianças, adolescente e adultos, assim como por jogadores inexperientes até os mais viciados. Um jogador novato vai pegar um Mario ou Donkey Kong, pular na cabeça dos inimigos e chegar até o final, e vai se divertir muito. Já um jogador mais experiente vai procurar passagens secretas e tentar pegar os colecionáveis. Já o viciado vai tentar zerar tudo 100%, pegando absolutamente tudo e, acreditem, tem partes que é bem difícil mesmo!
        No Mario, as fases mais impossíveis não são obrigatórias no seu caminho e é possível prosseguir sem jogá-las. Tem como ter caminhos alternativos, etc. Então qualquer jogador consegue ir avançando sem problemas.

        • Quando eu peguei eu pensei: vou explorar tudo que tem no jogo e jogar as missões aos poucos. “Sem querer” zerei em 3 dias. Missões principais, secundárias, etc. Queria fazer 100% mas deu uma preguiça; o jogo é superficial demais.

        • Señor_Belmont

          Discordo com relação a GTA, na minha opinião foi um dos melhores games dos últimos anos e não ficou devendo em nada. Comparar GTA com games da Nintendo é um erro, o foco é totalmente diferente, GTA é para adultos, Nintendo é pra família toda.

          Gosto da Nintendo pelos mesmos motivos que você, os games dela são simples a primeira vista, mas pra quem se aprofunda mais, percebe que pode ser (e geralmente é) mais desafiador do que qualquer outro lançamento AAA multiplataforma.

        • Samuel Dragmire

          Vc está comparando com um jogo…e mesmo assim GTAV tem um fator replay absurdo, vc não gostou, mais tem muita gente que curtiu d+ o jogo. Fora a campanha gigantesca ainda há o modo online que é praticamente um jogo a parte. Além de GTA existem outros jogos com fator replay gigantesco como Dragon Age Inquisition, Fallout 4, The Witcher 3 e etc.

        • Lobo Solitário

          Esse ser não é humano, o que é isso? A mais avançada IA que já vi jogando um game. =O

          Edit: Ah, retiro o que disse. Quando olhei a thumb do vídeo, achei que era aquele do Luigi, que é perfeição. Esse daí é diferente, não é tão perfeito assim.

    • _KJ

      Carakas man.
      Genial!
      Me deixou triste até.

      Isso, para jogadores de décadas passadas, não temos dúvidas que antigamente a diversão era muito muito maior. E diversão de verdade nas últimas vezes que joguei, foram o Smash Bros e Mario Party 3 no Nintendo 64 em pleno 2015 com uma galera na mesma sala.

    • Mario Porfírio Souza

      Eu não concordo, pois me divirto muito jogando com meus amigos. E quando começo a jogar é 3 horas no minimo.

    • Na época do Wii eu falava isso e o povo das outras plataformas queriam me trucidar. Acho que esse povo amadureceu, vide a quantidade de likes que tu ganhou.

      Ótimo ponto de vista ! Parabéns !

    • doorspaulo

      Concordo plenamente.
      Ano retrasado, estava indeciso sobre qual console pegar. Eu tinha um note gamer e os únicos exclusivos de consoles que me animavam eram os da Nintendo. Quando lançou Mario Kart 8, botinei um Wii U. Melhor decisão!
      Até hoje junta a galera para competir no Mario Kart 8, Super Smash Bros, SM3DW, New Super Mario, etc, e tudo isso por longas horas de jogatina.
      Na época, eu dividia o apartamento com um amigo, que tinha um Xbox. Depois do Wii U, só ligavam o Xbox pra jogar Fifa, 2x no mês.

      Por essas e outras que não entendo como o Wii U foi um fracasso, pois é o videogame mais divertido da geração.

      • Antonio

        Exatamente. O Wii U é o mais divertido da geração!

        Na minha opinião, o Wii U não foi completamente um fracasso. Ele até vendeu bem, não tão menos que o Xbox One pelo que andei pesquisando, mas muito menos que o PS4. Em comparação o 3DS está vendendo horrores.

        Mas enfim, considerando as vendas fracas sim do Wii U perto dos antecessores e dos concorrentes, acho que o problema é que essa geração apenas compara o hardware dos consoles. Jogue na internet algo como “PS4 vs xbox one vs wii u” e leia as análises. Sempre são técnicas comparando o processador, placa de vídeo, etc. Nesse ponto o Nintendo sempre perde. Ou tem gente que pior, pega o mesmo jogo e mostra os screens nos 3 consoles pra mostrar a brutal diferença nos gráficos. Isso faz quem não sabe qual escolher partir sempre pro PS4 ou Xbox One.

        As análises não levam em conta o índice de satisfação dos usuários, essa é a real.

        • Samuel Dragmire

          Não, não é. Primeiro que diversão é algo subjetivo, segundo que é até um pouco arrogante da sua parte declarar que os 60M de usuários do Xbox One e PS4 não se divertem com seus consoles. E considerando a procura por essas plataformas podemos até dizer que na verdade o que acontece é o inverso.

    • Rodrigo Alves Passos

      Mano, seu comentário reviveu boa parte da minha infância com meus amigos, sempre 4 ou 5 pessoas revezando o controle em um jogo de futebol…
      Saudades

    • Hugo Hélvio

      Concordo!! nunca me diverti tanto quando tinha meu Nintendo!

    • Keven Franco

      Olá, concordo em partes contigo, mas, mesmo tendo limitações os consoles conseguem bem trazer a alegria e sorrisos que tu espera vai exigir um pouco mais de você, coisa que o Wii U supri.
      A falha dessa geração é lançar consoles atrás de consoles e abandonar os antecessores, focando em em jogos continuados como Assassin’s creed, eu adoro o X360 e pretendo ter o ONE mas como entrar nessa geração sem perder? desde 2013 foram lançados versões com kinect obrigatório, depois a parte, após isso tem o Elite agora o S ( slim ) e já tem data pra um salto de pelo menos meia geração!
      aguardamos algo que está paarecendo smartphones anualmente lançados e ofuscando o antecessor.
      Claro como consequencias jogos falhos, video-games pela metade e uma sensação final de ” falta algo ”

      • Antonio

        Concordo. É a obsolescência programada meu caro.
        Mas uma coisa é justo dizer. A Nintendo é mais justa nesse caso. Quando o Wii saiu, ela criou compatibilidade com o Game Cube (inclusive com o controle). O Wii U é uma atualização do Wii e roda absolutamente todos os jogos do antecessor. Os controles inclusive funcionam. Eu uso os remotes do Wii no Wii U. Quem queria atualizar, vendia apenas o Console (Wii) sem os jogos, e com 1 controle apenas (muita gente fez isso). Aí comprava o Wii U e continuava com tudo (games, controles, etc).

        Lançaram o New 3DS com um botão analógico adicional pra virar o cenário em jogos 3D e pra criar compatibilidade com os Amiibos. Mas todos jogos de um rodam no outro perfeitamente.

        Já a Sony é malandra. Os jogos do PS1 não rodam no PS2. Os do PS2 não rodam no PS3. Os do PS3 não rodam no PS4. E pior… eles pegam esses jogos do PS2 e PS3 e relançam na loja para PS4 cobrando caro. Muitas vezes eles não são sequer remasterizados (pra justificar a ação). São apenas vendidos mesmo.

        • Jonathan

          Jogos de PS1 funcionavam no PS2(com algumas exceções); existia modelos de PS3 q aceitavam jogos de PS2; e nunca jogos do ps3 vai rodar no ps4 por uma coisinha chamada CELL.

          Mas agora concorda de ser sacanagem o PS4 não ser compatível com PS2 e 1

        • Metrix

          eu tenho PS4 e sou old school.. meu negocio é pegar o joystick e jogar.. esse lance de ficar pulando na frente de um sensor não é pra mim.. ai alguns argumentam.. mas é uma atividade fisica.. discordo.. se é pra isso prefiro por o tênis e ir andar no parque perto de casa (inclusive faço todas as sextas a noite e fds a tarde) com relação a retrocompatibilidade com gerações passadas a Microsoft já sinalizou que vai criar isso para o XBone e tbm já se mostrou inclinada para criar um ambiente multiplataformas (Sony.. MS.. PC.. Nintentdo) o que seria otimo.. outra coisa que acho uma tremenda babaquice são jogos exclusivos.. pra que?? todos os jogos deveriam estar disponiveis para todas as plataformas e o jogador escolhesse qual ele quer comprar!! digo o mesmo para coisas como 4K ou realidade virtual dispenso!!! quem compra agora limitar os consumidores a ou compra ou não joga eu acho errado!!!!!!!

        • Marcelo Cobo

          PS2 roda jogos de PS1 sim e o PS3 também roda jogos de PS1.

    • lucasssotero

      Extremo exagero. Tenho ps4 e fazem vinte minutos que saí de uma jogatina com meu amigo em bloodborne que durou cerca de 3 horas, isso que só paramos porque queríamos, senão iriamos continuar(sendo que essa jogatina em coop só foi possível porque fizemos o esquema de partilhar contas, ai ele pode jogar a DLC toda mesmo não tendo). Quando não jogamos isso, jogamos Rocket league, jogo com zero de cinematografia, ou BF4 ou o multiplayer do U4, que é muito bom, e veja só, você joga durante todo o momento(contanto que a partida já tenha começado, obviamente). em suma, você está sendo muito equivocado ao dizer que os jogos de hoje que não os da nintendo são demasiado cinematográficos, porque existem duas coisas: a campanha, experiência solo(visto que precisa se jogar do início ao fim para se entender a história, e quem pega o bonde andando não entende. Mas mesmo assim, até um jogo cinematográfico tem cenas de intensa gameplay e ainda assim as pessoas confundem com filmes, quando por exemplo eu estava zerando pela primeira vez e cheguei na parte da perseguição em madagascar, que simplesmente dispensa comentários). Existe espaço para ambos os tipos de jogos, os voltados para gameplay pura como dark souls ou os jogos da nintendo, o meio termo como uncharted ou quantum break, ou o que dispõe apenas de tomar decisões para escolher o desenrolar da história, como life is strange ou heavy rain.

      • Weny

        Finalmente alguém com bom senso por aqui.

    • Cesar Costa Ventura

      Seu raciocínio está certinho brother, quem tem um videogame da Nintendo é mais feliz. Tenho o 360 e PS3 por causa dos exclusivos e também o WII mas quando os parça vem aqui em casa é pra jogar WII comigo. Vou demorar pra entrar nessa nova geração porque minhas condições financeiras já não são mais as mesmas mas certamente antes dos cobras da Sony e MS com certeza o WII U vai desembarcar primeiro na minha casa. PS e Xbox que eu amo me desculpe mas quem nasceu pra ser cu nunca vai ser pica!!! Nintendo é Nintendo!!!

    • Leandro

      Parei de acompanhar os consoles de mesa na geração 128 bits, foi minha última. Em compensação tenho um 3DS que não me faz sentir falta de nenhum jogo ultra-mega-realista. =)

    • Samuel Dragmire

      Creio eu que vc escolheu alguns games errados ou não se agrada da temática…Dark Souls 3, The Witcher 3, Shadow of Mordor, Batman Arkham Knight, Bloodborne. Todos são jogos que me garantiram uma diversão absurda. Discordo d+, que PS4 e Xone tem só gráficos. Nesse exato momento estou jogando The Witcher 3 totalmente imerso nesse RPG medieval.

    • Concordo. Tenho que deixar mais algumas coisas explícitas: ao longo do tempo vai se tornando cada vez mais raro fascinação que tínhamos como éramos criança. Isso é coisa de se tornar adulto e conseguir prever situações e comportamentos. Um jogo novo passa a fazer parte de um conjunto de títulos de mesmo estilo, no final, dentro de nós, mudando apenas nome e personagens. Ficar adulto tira a graça, e também paciência da gente. Não adianta esperar ter a mesma emoção, a gente muda, a gloriosa coloração que tínhamos quando estávamos entendendo os fundamentos do nosso tempo esvai-se.
      Atualmente, o ritmo das coisas está péssimo, as placas de vídeo estão sendo lançadas uma após a outra, e o computador está muito mais poderoso, e o celular idem. Os vídeo-games estão começando a cair nessa, e isso é péssimo porque desde os anos 80 vídeo-game é investimento a longo prazo pra quem compra e pra quem vende. Não adianta tentar acompanhar celular, computador, placa de vídeo. Eles vão matar os vídeo-games com isso porque as pessoas vão simplesmente enjoar. Ninguém quer avanço de ano em ano em gráficos e configurações. Uma pessoa que quer isso é uma tarada por especificações, ela está doente, não está curtindo JOGAR. Assim, eu acredito que ficaria só a Nintendo, porque ela não é idiota, os japoneses na Nintendo valorizam a humanidade nossa e fazem jogos e consoles para esse lado, mesmo que arriscado seja (wii u). Ou nós que consumimos damos uma mensagem bem clara: não queremos vídeo-games todo ano, ou eles vão ficar desenfreadamente aumentando o ritmo de tudo e vai ser um inferno pra todas as partes, com debandada maciça para produção de jogos em celular (e isso vai ser péssimo! Dá até dó e nojo dos próximos seres humanos achando-se “top da balada” jogando tudo pelo celular, rindo da gente, sendo que eles próprios já ficarão inveterados em velocidade, especificação, ao invés de diversão, profundidade, paciência e humanidade). Em todos os casos, isso é ruim. O mundo está sim senhor ficando de uma estupidez tremenda socialmente e tecnologicamente.
      Nós que regulamos o mercado e nossos filhos também o farão, então temos que fazer o trabalho de ensiná-los a não consumir desenfreadamente, e curtir aquilo que é mais demorado, e humano. Eu não estou nem aí se você quer consumir mais ou consumir menos, que gosta de travar a vida do alheio são marxistas, que não querem nem que você seja dono de você mesmo, porém, eu acho que consumo adoidado retira também humanidade, e prazer original por certas coisas, sendo esse prazer direcionado a outras menos relevantes, como ter o celular do ano ao invés de saber o que fazer com um celular bom, jogar no vídeo-game mais potente ao invés de um mais simples que faça interação humana maior.
      E é extremamente chato jogar “filmes”, como vem acontecendo. Muitas produtoras tem a mentalidade de querer nos mostrar uma suposta super história, mas sem nem consultar-nos, ou consultar livros ou coisas do tipo pra ver o que é atrativo, o que é diferente. E mesmo assim, ficar praticamente de palhaço vendo a coisa toda correr e a gente terem papel de apenas deixar o personagem vivo é uma involução do jogar. Há muitos jogos com uma coisa que deixa a gente bem ligado pela primeira vez que joga, como o walking dead da tell tales. Mas depois passa. Nenhum outro foi legal como aquele primeiro.
      Então escolham o que querem: ou jogos cinematográficos que no fundo nós jogadores somos a parte menos interessante, afinal a gente nem poder controlar muito podemos, ou jogos irritantes, rasos, repetitivos, enjoativos, bestificantes de celular, pra se ficar vesgo enquanto olha a telinha, ou lhe dar mais impressão ainda de que a vida é muito rápida e devemos jogar coisas nas pausinhas que damos.

      Vamos SEGURAR A ONDA DESSE MUNDO IDIOTA?

    • noiserman

      Comprar um console com apenas 4 jogos bons? Sobre a diferença de jogabilidade, o que você chama de “filme”, eu considero um jogo com história. Zelda, a franquia mais premiada da Nintendo, tem horas de diálogos e cutscenes. Pra piorar, você tem que ficar apertando o botão a cada troca de texto no “balão” (bem massante). Não acho que The Witcher 3, Uncharted 4, Bloodborne, e Dark Souls 3 sejam chatos e entendiantes, muito pelo contrário. Jogo muito com amigos sem ser online (fifa, nba, nfl e jogos de luta) e com sobrinhos (jogos da série Lego, Littlebigplanet, Rayman, Rocket League, Trine, Minecraft, Zen Pinball 2, Just Dance, etc). Obs: Clones do Mario Kart, toda geração acaba lançando. Dica: http://www.meups4.com.br/especiais/100-jogos-que-possuem-modo-cooperativo-local-no-ps4/

    • FOLGORE VALENTE

      eu adoro meu xbox 360 não vou passar pra essa geração do one por um unico motivo acho que eles estão mercenarios demais estão metendo á faca sem dó ouvi dizer que quem não tem internet não pode jogar xbox one isso é um absurdo tremendo não compro mesmo parei no 360

    • Maikel Cordeiro

      Comecei discordando da sua opinião e terminei assinando embaixo 🙂

    • Kynowary Bits

      Concordo plenamente não tem consoles como os da Nintendo em quesito diversão filme eu vejo na TV não preciso de vídeo game pra ser igual aquele Sega CD dos anos 90 ! Parabéns você expressou o que muitos pensam em 1 só comentário

    • Diego

      Comprei o xbox one S, não tenho video game a anos, estou frustrado, não sinto a diversão como anos atrás, tudo diz respeito a essa coisa de realidade virtual e a diversão fica para trás, fora os custos absurdos por apenas um jogo, estarei revendendo o video game e montando um pc gamer, não recomendo a ninguém Xbox one, muitas regras para pouca diversão.

  • ochateador

    Se apenas entregassem os jogos em fullHD (1920×1080) a 60fps e um HDD robusto (1+ TB) e um bom SO….

  • Douglas

    Acho que a revolta de alguns com toda essa história de novo PS4 e novo Xbox é que querem vender isso como um ‘prolongamento’ da geração atual, quando na verdade é uma geração completamente nova ao meu ver.

    Eu não sei vocês, mas eu duvido que não haverá jogos rodando lindamente no Neo/Scorpio enquanto as versões de PS4 e One saiam capadas ou ainda completamente diferentes. Pelo menos pra mim essa história de “seu PS4/One não está morrendo, os jogos serão iguais nos dois sistemas” não cola. É uma geração completamente nova, MS e Sony só não querem admitir.

    Mas quanto a geração atual.. ela pode ter sido a menor da história, os consoles podem ter nascido obsoletos (sobretudo o Wii U), mas não sei se concordo se são decepcionantes. Apesar de tudo, todos os consoles receberam jogos incríveis e com certeza trouxeram diversão a quem adquiriu um deles.

    • LekyChan

      certeza que vai acontecer a mesmo coisa que aconteceu com o Nintendo 3DS e o New Nintendo 3DS

  • Megadraviano

    Desculpas meu caro, vc está errado por um simples motivo, as vendas estão mais fortes que a geração anterior. A arrecadação de receita, tb cresceu bastante. Então me cheira mais uma opinião sua particular e não a realidade de fato. Falando em jogos exclusivos, tb discordo, parece que você tá falando demais e jogando de menos. Remake e Remaster, vc reclama, mas tem mt gente que gosta. Abraço

  • James Rodrigues de Souza

    Querem que a geração permaneça parada no tempo por 10 anos? Bando de hipócritas retardados, aposto que se fosse o contrário do que estaria acontecendo também estariam reclamando. Fazem mais de 3 anos que a atual geração de consoles chegou ao mercado, hoje em dia a tecnologia evolui de maneira inacreditavelmente mais rápida do que 10 anos atrás, precisam de muita coragem para criar um post sensacionalista desse.

  • Louis

    Nem li a matéria, mas, até que enfim alguém falou a verdade sobre essa geração.

    De fato é a pior da história e a única que ainda se salva é a Sony.

    Vou ler e comentar depois.

    Desde já, parabéns pela coragem, pois a maioria alienada não quer ninguém com qualquer opinião contrária ao status quo.

  • Rodrigo

    Uma das poucas matérias que li que não colocou a Sony ou MS como a melhor de todas!

  • RenatoAr

    Vim ler o texto já que geralmente o tecnoblog não faz publicações com essas chamadas sensacionalistas, mas infelizmente ele não aborda muito bem o motivo que é anunciado. Pra um leigo ou alguém que não acompanha essa indústria ficou meio contraditório e vago.

    • Breno

      O autor tá nadando na contra-mão do TB, blog q respeito pra caramba =/

  • Muriel

    Honestamente, acho que quem vai sobreviver é a MS, com essa estratégia de integrar PCs e consoles, mas o que falta é um objetivo que interesse de verdade as pessoas, 4K é algo quase inútil considerando que até mesmo hoje em dia muita gente vive com tvs/monitores 720p, ou seja, se usassem a potencia do 4K pra algo mais interessante ou revolucionário(que honestamente não sei o que poderia ser) poderia trazer de volta a paixão por games das pessoas.

    ——–edit——–

    Agora que parei pra pensar, a única coisa que realmente me interessaria seria uma interface neural, entrar no mundo dos jogos, uma pena que vai levar pelo menos 20/30 anos pra ter tecnologia o suficiente pra aplicar em um console para o público em massa.

    • Louis

      Acho que a Microsoft cavou a primeira sepultura ao abandonar os consumidores do Xbox pelo público do PC. Isso fica evidente com o fracasso do Xone e suas péssimas vendas. Creio que quando ela tentar reparar essa merda, será tarde demais.

      • Muriel

        Eles não abandonaram, eles estão unificando.

  • Estou no Gizmodo? Jamais pensei que veria no tecnoblog tentativa tão rasteira de criar polêmica, trazendo ainda um título que não merece outro adjetivo senão “sensacionalista”, no pior sentido da palavra.

  • Antonio Souza

    It is Mario?

  • Breno

    Emerson, na boa, feedback de coração: seus posts estão caindo, cara. Vc tá viajando num achismo forte aí, seguindo para um caminho com manchetes sensacionalistas e um conteúdo sem fundamentos.

  • FrankCastiglione

    Parabéns pelo artigo, Alecrim! Não vou dizer que fico “feliz”, pois acho que o assunto é mais para ficar triste. Mas acho importante não tapar o sol com a peneira ou até mesmo desabafar mesmo. Nos últimos tempos, tenho percebido mais e mais pessoas desanimadas com as práticas da indústria. Eu, sinceramente, talvez tenha sido um cara pessimista de longa data e já esperava pelo pior. Mesmo que estivesse mais abastado, não investiria num console da atual geração.

    Motivos? Sei que há exceções e muita gente digna na indústria tentando fazer coisas boas e sinceras. Mas me cansei de ver mais do mesmo. Novamente, a E3 traz a dobradinha “GOW” (Gears of War para Xbox e God of War para Playstation). São ótimas franquias. A primeira já joguei todos os games, mas por mais que eu seja fã, sinto vontade de ver franquias novas, algo diferente. E, se for para ressuscitar franquias passadas, que sejam as que estão esquecidas, não aquelas que acabamos de jogar na geração passada! Cito exemplo de franquias que estão no ostracismo como Unreal (não confundir com o Turnament) ou Soulreaver.

    É de doer o coração ver caras como Yu Suzuki dependendo de crowdfunding para levar adiante a história e jogos que idealizou (no caso, Shenmue foi pensado, desde o início para desenvolver sua história em 7 ou mais games, em sequência) enquanto vemos milhões sendo torrados com franquias já saturadas.

    Desde a falência da THQ, já havia sido dado o sinal. DLCs, entre outras coisas, começaram a relevar um modelo falido para o qual a indústria estava convergindo. A verdade é que os jogos estão custando cada vez mais caros, principalmente para ter todas essas cutscenes com captura de movimento, a obrigação de possuir trocentas horas, mapas gigantescos etc.

    Muitos batem no peito dizendo que hoje a indústria dos games movimenta mais dinheiro que o Cinema, a música etc. Mas falta lembrar só de uma coisa: não existe almoço grátis. Quem paga por isso? Os próprios jogadores. E o preço será cada vez mais caro, para quem está num país como o Brasil então, mais caro ainda! A única solução da indústria de games continuar prosperando é que os jogadores se transformem em verdadeiros fomentadores, falando com a carteira (com isso quero dizer: pagar um valor acima do que é aceitável, tendo consciência que não está pagando pelo jogo, mas fazendo um verdadeiro investimento para que a indústria continue de pé, assumindo esse ônus. E, além disso, não se importar de pagar por um novo console a cada 2 ou 3 anos).

    Em minha opinião, a melhor saída é um PC, mesmo que não possa rodar esses jogos nos seus gráficos máximos. E, salvo por um ou outro jogo, sempre existirão boas opções de retrocompatibilidade para jogos mais antigos.

    Enfim, acho que os dois melhores vídeos sobre o assunto são esses do, finado, programa The Point (Gamespot). O primeiro fala sobre o “conteúdo” estar matando os jogos AAA. O segundo faz um comparativo entre os jogos lançados nos 2 primeiros anos da geração anterior e os jogos lançados nos 2 primeiros anos da geração atual. Para quem não conseguir entender (por causa do idioma), segue o vídeo de um canal brasileiro feito com base no primeiro vídeo do The Point.

    https://youtu.be/9x8IMeSucLs?list=PLpg6WLs8kxGN4Lz_LpvDgO5XuBCkD9Bej

    https://www.youtube.com/watch?v=jwmE4UeuDDw&list=PLpg6WLs8kxGN4Lz_LpvDgO5XuBCkD9Bej&index=22

    https://www.youtube.com/watch?v=6LSki6657ys

    • Douglas Marques

      Esses vídeos são sensacionais. Fico muito triste desse cara ter descontinuado a série =/

  • Louis

    Bom antes de tudo, novamente parabéns por falar de um tema que o jornalismo dessa área finge não existir.

    Tenho uma crítica sobre a forma como o Wii U foi abordado. Ele tem jogos exclusivos de alta qualidade e mesmo não fazendo a promessa dos 60 fps é o console que de fato trouxe jogos nesse nível. Além disso, nenhum dos concorrentes tem exclusivos com tanta qualidade e jogos com inovação como a Nintendo fez. Isso não muda o fato de como a empresa tem uma visão fechada e é absurdo fazer produtos com bloqueia de região.

    Em relação as outras abordagens é um fato. O pior é que dado ao histórico de mentiras da Microsoft ainda clientes é bastante provável que jogos exclusivos ao Scorpion seja um padrão em breve.

    Não só isso, mas, a falta de comprometimento com os jogadores está matando a maior indústria de entretenimento do mundo.

    É ruim, mas, se a Microsoft tivesse caído vitoriosa com aquelas políticas de controle abusivo na forma de jogar tudo seria ainda pior.

    Pelo menos ainda existe um pouco de concorrência.

  • Daniel Goldman

    Parabéns pela análise.
    Ao constatar que os jogos não inovavam em praticamente nada e tinham uma melhoria gráfica pífia, devolvi meu Xbox One antes de esgotar o prazo dos 7 dias (direito de arrependimento) em dezembro do ano passado.

    Tenho 28 anos e vivenciei as transições do Nintendinho pro SNES, do SNES pro PS1, do PS1 pro PS2, do PS2 pro PS3 e, finalmente, do PS3 pro Xbox One. E digo com certeza que a geração atual é a mais fraca em termos de inovação. Basicamente, atualizaram os chips gráficos, adicionaram alguma frescura que ninguém usa e lançaram pra bobo comprar. A experiência de jogo, a jogabilidade e até mesmo os enredos são idênticos aos da geração anterior.

    Sou do tempo em que consoles de nova geração representavam um sopro de criatividade na indústria do entretenimento, era algo que te fazia vibrar e fantasiar. Te deixava embasbacado.
    Portanto, se daqui pra frente o cenário dos jogos se resumir a quem faz o game com o gráfico mais bonitinho… certamente, vão me perder como consumidor. Opções e possíveis destinos pro meu dinheiro é que não faltam.

  • Rafael

    Não são apenas os games, os grandes setores do entretenimento estão em crise de criatividade: na música, no cinema, no futebol você percebe que está faltando algo.

  • Rafael Guedes

    Do meu ponto de vista, a atual geração saiu muito cedo… Apesar de a geração anterior possuir mais de dez anos, acho que seria bem possível continuar com ela por mais algum tempo, talvez por mais uns dois anos, até se amadurecer a ideia do que fazer com a atual tecnologia.

  • marcelomartins

    Eu tenho um PS4, e minha maior decepção são os jogos que não podem ser jogados de 2 junto.

    As produtoras dizem que é complexo fazer tela dividida ou coisas do tipo, mas parece que no Super Nintendo não era.

  • Ariadna Grande

    nessas horas eu agradeço a existência do Steam

  • Magnosama

    Essa matéria me pareceu um grande mimimi…

  • Henrique Jordão

    Todas as matérias que leio sobre vídeo games, os culpados sempre são os consoles. Qualquer tipo de problema que um jogo venha a ter, o problema sempre será do console segundo todas essas matérias.

    Onde ficam as empresas que desenvolvem esses jogos? Essas empresas não tem culpa por um jogo ruim?

    Falam-se muito que o PS4/ONE são apenas “atualizações” do PS3/360, discordo completamente disso. Qual empresa hoje em dia tem grana pra bancar uma jogo AAA de qualidade? Pouquíssimas conseguem fazer isso, correndo um grande risco de não terem o retorno do investimento, maioria não tem grana pra bancar.

    Jogos lançados cheios de bugs, faltando conteúdo (Você mesmo Street Fighter 5), promessas não cumpridas e por ai vai… Se não existem desenvolvedoras para aproveitar o máximo do console, não adianta por a culpa nos consoles.

    PS4 NEO e o Projeto Scorpio, podem ter o um hardware extremamente poderoso, mas quem vai determinar a qualidade dos jogos, é se sempre será as desenvolvedoras.

  • PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

    Tá tudo virando PC (nintendo não conta) pra desespero dos caixistas e sonystas…

  • Velho John

    Pra mim a Sony acertou ao focar em games no PS4. Não sei se vão acertar com o VR ou PS4 NEO, mas até agora, é com folgas a empresa de games com a mais sólida proposta.

    A MS errou feio no início com toda aquela política de validação diária online, proibição de usados, e etc. Juntou o harware inferior a aposta no Kinect, que também não vingou e pronto. O PS4 vendia o dobro do Xone em pouco tempo.

    A MS abriu o olho e vem comendo grama tentando fazer as coisas certas. Isso é bom. Mas acho difícil recuperar ainda nessa geração. A menos q façam a geração acabar antes. Pra mim é pra isso que o Scorpio foi criado.

    Sobre o PS4, ele é rápido, evoluiu o SO monstruosamente em relação ao PS3, e tem mais jogos bons do que consigo jogar. Não sei quanto tempo livre o Emerson Alecrim tem pra jogar, mas no meu caso, 2015 quase não deu pra jogar TW3, Bloodborne, Metal Gear 5 e mais uns “indies” tipo Life is Strange e Rocket League. Somados, foram umas 2 mil horas facilmente.

    Pras pessoas que não jogaram a geração passada ou que não tinha um ou outro console, os Remaster são muito bem vindos. É só você olhar o sucesso de vendas do Uncharted Collection, GoW3 e etc.
    Aposto um doce como Skyrim e Red Dead 2 vão vender muito também.
    Reitero que não tenho tempo nem interesse nesses jogos mais, pois já os joguei. Mas certamente existe demanda.

    O único ponto que concordo com a matéria é que falta criatividade na indústria. Novas formas de jogar, de imersão e até de gêneros de games mesmo. Quem vai suprir essa lacuna, na minha opinião, é a realidade virtual. Então é contraditório reclamar que ela venha nos próximos meses.

  • Levy Gustavo Pontes

    Mas… seria as empresas donas dos consoles responsáveis por produzir jogos ou não?
    Partindo desse ponto de vista, seria problema das empresas de game e não das fabricantes dos consoles ou estaria errado?
    De fato sentimos falta dos jogos de rua(briga de rua), saudosos do NES, dos gráficos bobos do mario, os primeiros games do PSP, entre outros que fizeram nossa infância feliz, mas… se os jogos lançados são diferentes, no dia de hoje é porque existe uma demanda ou estaria errado?
    Falta dialogo com os fabricantes?
    Enfim… é algo bem a se refletir.
    Mas de fato a vida dos consoles tem se encurtado cada dia mais, até porque a exigência do consumidor tem aumentado no nível em q a tecnologia avança.
    Ai então seria culpa nossa(consumidor?).

    No fim das contas, temos q refletir sobre como tudo isso tem evoluído.

  • abraaocaldas

    E mais um prego no caixão do kinect, hoje a microsoft removeu o Xbox Fitness da loja e falou que até ano que vem ele some. Valeu microsoft!

  • Ramon Gonzalez

    Tirando o titulo baseado em sensacionalismo barato (afinal a geração não acabou pra se afirmar algo deste nivel), a meteria é ótima. Eu estava aguardando algo do Tecnoblog sobre as novas versoes dos consoles e valeu apena esperar. Ótima reflexão.

  • Thiago dos Santos

    O problema é que os videogames sempre foram superiores aos PCs em questão de jogos, na última geração os pcs conseguiram passar em questão de potência e esta geração já saiu defasada, claro até porquê seriam caros se tivessem acompanhado, como nos PCs a coisa caminha pra uma estabilização visto que o objetivo hoje é chegar aos 4k com fluência os novos consoles vão tentar chegar nesse poder de processamento pra aí sim focar nos jogos e serviços. Eu possuo um Xbox One e estou muito satisfeito com o console, comprei no lançamento em 2013, já tenho cerca de 200 jogos, alguns com multiplayer local que jogo com meu enteado e amigos sempre, óbvio que sinto falta dos jogos principalmente da Nintendo por gostar de suas franquias e tenho um wii como console secundário pra esses jogos.

  • Richard Slater

    Não acho que essa seja a pior geração de consoles da história, tá longe disso na minha opinião. Nessa geração temos tecnologias de ponta e títulos de cair o queixo mas o que com certeza essa foi a geração onde poucos jogos foram apresentados, e isso se dá principalmente ao fato de que os jogos hoje tem ou ao tentam ter um nível de realismo muito alto diferentemente do que aconteciam em gerações passadas, ou no que acontece hoje com a nintendo onde jogos são simples sem se preocuparem com gráficos absurdos. Gostei muitos do caminho que os jogos tem traçado ficado cada vez mais parecidos com filmes e talz, contudo alguns jogos trazem longas e desnecessárias cutcenes (algumas com +15min kkk) prejudicando o gameplay.

  • Rafael Dias

    PS4 e Xbox one foram lançandos antes da hora por causa de expeculação de mercado, ou simplesmente, pela corrida. Realmente é uma geração refém de reboots, remakes e remaster, não que isso seja ruim, mas isso deveria ser um extra, e não uma constante. Sou da teoria que o mercado do entreterimento está em crise não só no games como no cinema e na música. Hoje está realmente difícil agradar a todos, e agradar a grupo pequeno de clientes, não é lucrativo. Teoria da conspiração? kk

  • É a pura verdade perdemos a essência de algo divertido e as empresas estão sido movidas por nada mais que dinheiro. é uma pena isso.

  • Daniel_Noia

    Eu ainda tenho muito jogo para jogar no meu Xbox360, e sinceramente, não me importo em esperar mais uns meses para adquirir a nova geração.

  • Jean C de Jesus

    Náo tem como mais a indústria inovar com essa interface atual.

    Logo aposto todas as minhas fichas nos VR.

  • JapanXPress

    De fato, a diferença entre um PS3 e um Xbox One não é gritante no tocante à imagem. Claro que isso comparando com os jogos de mais alta resolução, tanto que eu jogo no PS3 de boa e não me incomodo com a “falta” de resolução se comparado ao Xbox. Tenho os dois e gosto de ambos, cada qual com sua qualidade. Agora, também não adianta o cara comprar um Xbox One ou um Ultra-Xbox-Fudis-Total e usá-lo em uma TV de 32 polegadas, né? Aí até o Xbox 360 não faz feio com relação à imagem. Entonces, temos que entender que mudar e revolucionar uma coisa que já está bem desenvolvida é difícil mesmo! O próximo passo é a VR, só que ainda é cara e o que temos no mercado é pobre.

    • james sutherland

      esse papo de tamanho da tv não cola e nem resolução , a falta de salto nos graficos é visivel nessa gen de ps4 e one l , eu ja coloquei meu ps3 em uma tv de tubo pra ver como fica e a diferença pra ps2 é brutal mesmo sendo a tv de tubo e 22 polegadas

  • Ricardo Borges de Lima

    Atualmente tenho PC, mas estou jogando pouco os lançamentos, pois é o que o texto realmente diz e parece, tudo automatico e pouca interatividade inovadora. Sabem o que estou mais jogando? Emulador de Wii, o Dolphin, comprei 4 wiimotes e junto os amigos pra jogar Smash Bros, Mario Party e Kart, além de jogar sozinho Zelda e Mario.

  • Alessandro Borges

    Tenho 38 anos e jogava decathlon, hero, montezuma, river raid e um monte no Atari. Joguei Odissey, Amiga passei pelos jogos de fita cassete no TK2000, empolguei demais com o Mário no NES, o Sonic, pirei como todo mundo no PS1, no PS2 foi o bicho… vi o Kinect aparecer e o WI da nintendo tentar empolgar. Hoje acho que só valta o virtual para atingir o topo. Falar que a geração de hoje não empolga é no mínimo estranho… se maravilhar com as histórias e concluir jogos (a maioria dos jogos do Atari não tinham fim e o ranking ficava apenas em revistas ou entre os amigos que iam em casa). Pra mim, o hoje empolga sim, e estou acompanhando esta geração e acho que está ótimo… Acho que a competição é muito mais forte, todos se entusiasmam com os lançamentos e podem até falar mal, mas não vivem sem apreciar com majestade o que nos é fornecido… gráficos, jogabilidade e interatividade… cara… dos controles quebrados do decathon à dinâmica física de Uncharted , falar que o hoje não empolga, é algo que não consigo entender… fazer o quê… cada um na sua opinião… eu vou ficar achando tudo ótimo e tudo que aparecer, vou continuar curtindo, e muito..!!!

  • Ewerton P Souza Bastos

    Realmente, antes os jogos eram mais divertidos e mais difíceis de se jogar, mesmo tendo a parte gráfica bem inferior do que é hoje… pois boa parte deles não tinha saves, nao existia memory card, então exigia mto mais do jogador… hoje os jogos se parecem mais com filmes, com gráficos excelentes, mas com jogabilidade fraca, um exemplo são os jogos online, pois isola um jogador a enfrentar outros de lugares diferentes num jogo onde todos matam todos e voltam no mesmo lugar num ciclo mto enjoativo…

    • João Silverado

      Já jogou corrida ou luta online? Nem todo jogo online é de tiro.

  • Renan Cavalieri

    Isso só reforça que minha escolha ao optar por montar um PC nessa geração foi certa. Meu hardware além de me garantir 60fps (em muitos jogos passando bem disso), ultra settings a uma resolução full HD e até a 2.5K me tira a preocupação de ter que comprar um novo console.

  • Pedro Cabrial

    Puta mimimi, puta frescura, puta viadagem! A geração está massa, cheia de jogo bom! Mas tá cheio de viadinho por aí só pra reclamar.

  • Ótimo artigo. De fato, o que vai acontecer é justamente isso que você falou. Eles vão trazer toda essa coisa de VR, mas ninguém vai saber o que fazer com isso. Só vai encarecer as coisas ainda mais. Isso aliado ao fato de que as grandes companhias morrem de medo de arriscar e preferem se apegar a franquias e fórmulas prontas. As remasterizações são basicamente uma forma deles faturarem mais em cima de algo que já existe. Nós teremos muito mais do mesmo de agora em diante. É por isso que eu voltei minhas atenções aos jogos independentes. Tem muita gente criativa por aí trazendo novas ideias e fazendo bons jogos sem ter a necessidade de gastar milhões de dólares. Estúdios independentes brasileiros também estão criando jogos de qualidade.

  • Felipe Calvi

    Dá pra notar que o autor nunca jogou num Wii U. A Nintendo errou na técnica, não soube usar o gamepad, sim. Mas de longe os jogos são os mais divertidos da geração. Se não fosse a falha nas vendas por preconceito dos que se dizem hardcore, duvido que ela pensaria em NX. Já a MS a Sony e sua geração de remasters que se cuidem, ou teremos uma “nova” geração de remasters 4k com suporte a VR apenas… E espero que a Nintendo não entre nessa…

  • Não entendi esse rebuliço todo. São os jogos que fazem uma geração de consoles dar certo ou não.

    Hardware por hardware, o PC sempre esteve à frente. Só podemos dizer que uma nova geração de consoles chegou quando houver exclusivos dos tais novos consoles. E olhe lá.

  • Ian Prado

    Acho muito complicado quando as empresas que produzem os jogos de videogame pensam mais em lucrar do que em ouvir os seus clientes. Mesmo criando e melhorando tecnologias as empresas falham em coloca-las em prática. Porquê eu devo comprar um headset Bluetooth especial para o ps4 e não posso usar o que eu já tenho ? Porquê não podemos parear o celular com o videogame e ouvir as músicas por stream direto via Bluetooth ao invés de ficar naquela sacanagem do pen drive ou ficar gravando as músicas com cd ? Microsoft, vc realmente queria que cada jogo pertencesse a apenas uma pessoa acabando com o comércio de jogos usados que fomenta grande parte da venda de seus aparelhos ? Sony, você realmente quer fazer venda casada do vr com aquelas câmeras sendo que você simplesmente poderia ter colocado sensores espaciais no próprio vr ?
    É realmente lamentável algumas ações dessas companhias na busca por lucro fácil

  • Jair Dos Santos Rodrigues

    Comprei um ps4 e sabiamente não desfiz do meu ps3 pra adquiri-lo, senão teria me arrependido amargamente por falta de jogos interessantes

  • Daniel Rodrigues

    Não sei se pode dizer que os vários modelos que os consoles da geração passada foram versões melhoradas. Apenas mudavam de design, tamanho e memória… Esses não, além dessas coisas, vão ter suporte ao 4K e os caralho a quatro que melhoram os gráficos.

  • Marcelo Bonatto

    Temos uma crise dos videogames pior do que a de 1984. Existem os indies que salvam o mercado, mas os jogos só tem gráfico hoje em dia, não há originalidade ou algo realmente diferente nos jogos AAAs. É um FIFA ou PES que mudam os jogadores, jogos de carros que pouco mudam, jogos de tiro que são clones um dos outros… Será que haverá nessa era uma Nintendo para salvar o mercado da mesmice (e não dá falência, já que anualmente são bilhões e bilhões de dólares de lucro)? Ou vamos assistir jogos bobos ou remakes ou até reboots idiotas por anos até que todo mundo se encha o saco e abandonem de vez esse mercado?

  • Leonardo Bruni

    O artigo fala só dos consoles. E os jogos? Verdadeiras enganações! Lançados incompletos para faturar logo, gastam mais com marketing do que no desenvolvimento. A ubisoft por exemplo era uma excelente empresa, virou lixo, vigarice total!

    Vou citar alguns exemplos de jogos meia boca que prometeram ser um divisor de águas ou foram lançados como alpha: watchdogs, destiny, assassins creed unity, batman arkham knight PC, halo 5, street fighter v. O mercado de jogos virou um fast food com vários lançamentos mensais, a maioria descartáveis que você não vai terminar e nem vai lembrar mais 2 meses depois. Estará já fascinado com o próximo lançamento!

  • Mazz

    Enjoei do ps4 e seus jogos super bostas (exessão do fallout4 e do uncharted) e comprei um super nintendo… to me divertindo com super mario, donkey kong e mario kart!

  • O texto criticou mais a falta de jogos do que os consoles em si. Oras, a culpa da escassez de jogos não é da Sony ou da Microsoft, e sim dos estúdios.

  • Pior geração da história? Mesmo?

    Aquela onde rolou o crash de 83 e o mercado reduziu mais de 97% em dois anos foi melhor do que essa onde as vendas do PS4 e o Xbox One são quase 50% maiores do que as do PS3 e Xbox 360 no mesmo período de seus ciclos de vida?

    Vish…

  • adnama

    WTF? Apenas admita que você é que está ficando sem paciência pra jogar videogame. Arranje outro hobby.

  • Fabio Alvez

    Video Game no meu caso foi o Atari, depois disso nunca mais gostei. Os únicos jogos que costumo jogar, e não duram mais que 25 minutos, são os de Pinbal ou no PC ou no celular.

  • Guilherme Borges Cunha

    Ainda bem que optei por jogar na PC Master Race. Depois de ver downgrades gráficos em novos consoles nos primeiros anos de vida, não esperava nada mais senão uma nova geração de consoles. E por mais que Sony e Microsoft não admitam, com certeza o PS4 e Xbox One serão abandonados. Talvez não assim que lançarem os novos consoles, mas será abandonado.

  • Roue I.

    Nessa atual geração a maioria dos jogos grandes são enjoativos… os únicos jogos que gasto bastante tempo jogando no PS4 é Bloodborne, Smite, NFS2k15 (mais de 50hrs), RE R2, Toukiden kiwami. Essa geração está cheia de jogos ótimos, no entanto nunca vai bater a geração do PS2.
    No entanto, com certeza vou comprar o X1S e o XS (não quando lançar). O serviço da MS está bem superior ao de todos e está sempre trazendo ou tendo trazer novidades para plataforma e os usuários.

  • noiserman

    Teve essa discussão em outro canal. Compilando o que escrevi: Essa geração não chegou nem na metade ainda e vai bombar de verdade só agora (lançamentos, dos grandes studios, demoram mais de 3 anos). Comparem os 20 melhores do PS2, com os do PS3 e depois com os de PS4. No metacritic, já está pau a pau. Galera reclama demais. Muitos querem uma revolução, para serem surpreendidos, mas isso só virá com a realidade virtual. Por isso Sony e MS estão correndo atrás. Não entendo essa idolatria pelo portfólio do PS3 ou Xb360 também. Ninguém cita nominalmente os games que fizeram essa “revolução” na geração passada (que durou 9 anos, não 3). Poderia usar o mesmo argumento que PS3 é um PS2 turbinado, ou que o Snes foi o Nintentinho tunado. Comparem: GTA San Andreas x GTA4, Trilogia do Metal Gear x MGS4, GOW 1 e 2 x GOW 3, Resident Evil 4 x RE5, franquias de esporte, etc. Sem falar que PS2 teve Shadow of Colossus, Bully, Jak3, Okami e muito mais. O PS4, em 2 anos e 8 meses teve: Uncharted 4, Bloodborne (+1 dlc), The Witcher 3 (+2 dlcs), Overwatch, Dark Souls III, The Witness, Batman: Arkham Knight, Fallout 4, Unravel, DiRT Rally, DOOM, Rocket League, Ratchet & Clank (remake), Mortal Kombat XL, Project CARS, Inside, Abzû, Firewatch, Street Fighter V, inFamous: Second Son, Star Wars Battlefront, No Man’s Sky, Driveclub, Tom Clancy’s The Division, Assassin’s Creed (Unity e Syndicate), etc. PS4 foi lançado no dia 15 de Novembro de 2013 (2 anos e 9 meses atrás). O PS3, em agosto de 2009 tinha o que? Já estão confirmados: Last of Us 2, God of War 4, Until Dawn, Spiderman, The Last Guardian, Gran Turismo Sport, Resident Evil 7, Injustice 2, Crash Bandicoot (remake), Death Stranding, Days Gone, Horizon: Zero, Detroit, Watchdogs 2, etc. E bem possível que a atual geração tenha: GTA 6, Red Dead Redemption 2, LA NOIRE 2, SF VI, Little Big Planet 4, etc. Tem muito mais, esses foram os que lembrei de cabeça. Precisamos controlar a ansiedade, só isso. Não terminei nem os DLCs do The Witcher 3 ainda (mais de 200 horas de jogatina). Xone teve sim problemas de performance, mas PS4 está redondo para rodar a 1080p 30fps. O Neo será para rodar em 4k (não será uma nova geração por causa disso). Quem não tem TV de 55 ou superior de 4k, não perceberá diferença alguma. Obs: Daqui 6 anos a gente analisa esses mimimis. 🙂

  • Andre

    Pior em que sentido “financeiro”,o problema é o país que vivemos tributação,corrupção e o povo que não sabe escolher que os governa,no EUA console é vendido a preço de banana.

  • Daniel Oliveira

    A atual geração tá que nem aquele time de futebol recheado de grandes estrelas, porém com um técnico incompetente que não sabe aproveitar todo seu potencial.

  • james sutherland

    É como se o PS4, o Xbox One e o Wii U (para não ignorar a Nintendo)
    fossem apenas expansões melhoradas do PS3, do Xbox 360 e do Wii,

    mas de fato é isso mesmo ou nego vai falar que ps4 parece nova geração kkkk faz me rir só o wiiu tem muitta diferença do wii e isso pq o wii tem hardware bem simples

  • james sutherland

    daniel A questão é que a atual geração não está sabendo aproveitar todo o potencial técnico de seus consoles,

    faz me rir cara potencial que não tem ja se pasam 3 anos e esses consoles estão a mesma merda isso é papo furado a arquitura ja é conhcida não tem o que descobrir neles diferente das outras gerações .

  • james sutherland

    lucasotero não é que o salto foi menor, mas sim que ele se tornou menos perceptível.
    por
    exemplo, o kratos tinha 20.000 polígonos no ps3, enquanto o delsing tem
    120.000 polígonos, mas a diferença de realismo não é nada de gritante.

    quem garanti que delsing tem 120000 poligonos sendo que na pratica isso não se ve isso foi o que dev falou não significando ser uma verdade

  • james sutherland

    daniel A atual geração tá que nem aquele time de futebol recheado de grandes
    estrelas, porém com um técnico incompetente que não sabe aproveitar todo
    seu potencial.

    kkkkk capaz mesmo ein e pq a culpa seria só do tecnico e não dos jogadores ruins não tem como falar de potencial onde não tem

  • Fausto Odilon

    A época em que eu mais me diverti com video-games foi na época do atari, e depois com Nintendo e Megadrive. Depois disso a tecnologia disparou na frente, e a criatividade dos jogos foi totalmente abandonada. Agora temos supermáquinas com jogos ridículos. Depois do mega, abandonei video-games e hoje só jogo em pc.

  • Rafael Romero

    Dessa vez a Nintendo vai subir alguns degraus no mercado de games e quem sabe tirar a Sony do topo….Eu estava me planejando para pegar um PS4…por causa dos jogos exclusivos ( MGS , Uncharted , TLOU ). Porém meu pensamento mudou por causa do trailer do Nintendo Switch….promete revolucionar a jogabilidade e a socialização ( item que falta no PS4 e One), o da microsoft pode até resistir um pouco se investirem em jogos usando o Kinect ( ou dar um bom upgrade) caso contrário nos próximos anos a Nintendo deve retornar ao topo.

    Lembro que quando possuía o N64 , apesar de ser dificil programar jogos para adequá-los ao padrão de cartucho limitou muito a capacidade do N64 ( mas mesmo assim), títulos como ( Star Fox 64 e 007 Goldeneye) fizeram a alegria da minha rapaziada,até campeonato rolava….acho que com Swiitch esse bons tempos vão voltar…..MP online ta com seus dias contatos

  • Rafael Romero

    Como não vi nada de novo nesta geração,se eu não puder comprar o Switch…vou de PS3 usado ( nessa crise meu amigo…vai de usado) e compro os jogos no TrocaJogo…diversão com economia…hahahaha

  • Christopher Francini

    Eu acho que o ps3, tinha ainda muito o que oferecer. Exemplo o GTA 5 de ps4, tudo o que a de novo nele, na minha opinião, dava para incluir no ps3, tranquilo, o ps3 e o Xbox 360, tinham muito o que queimar ainda, dava pra fazer muito jogo com conteúdo… O próprio Sam Hauser, admitiu que o ps3 e o Xbox 360, eram maquinas potentes…..

  • Freddones

    Um dos melhores artigos que ja li. Jogo desde o Atari 2600 e pulei a geracao passada por estar mais no PC game. Comprei o PS4 em 2015 e pra mim nao passa de um PS3 requentado. Nessa sexta feira sai o Switch, quero pegar um se conseguir. Aqui na Alemanha as prevendas foram fortes e se esgotaram rapidamente. Acredito que o Switch vai entregar o que eu desejo: multiplayer local, jogos dificeis e divertidos e formas diferentes de jogar. A inovacao do XOne e PS4 beira ao zero. Lamentavel.

  • Ricardo Barros

    Geração horrorosa esta, com jogos nada empolgantes e tecnologia velha requentada, o PS3 e X360 quando lançaram foi uma tecnologia nova e mais empolgante, esta não tem muito pra onde evoluir… Tinha um PS4 e em poucos meses vendi, pois não me empolgou….Master Race o PC comanda, foi a melhor escolha que fiz, PC muitooo melhor!

  • Otávio Berçam

    Potência não é nada sem controle.

  • Davi Fernandes de Freitas

    Não vejo um console com 1,8 teraflops de força (ps4)algo sofisticado… Desculpe… O Scorpio com 6 teraflops sim, já é algo a pensar… Na época do PS4 já existiam placas de vídeo com capacidade de 5 teraflops… Logo, para mim, o PS4 já lançou antigo…

  • Rafael Galozzi

    Vi essa matéria só hoje mas concordo plenamente, pior geração mesmo! tenho muitos games que curto e passo pra frente,nada me prende. O pior é que as empresas estão preocupadas aparentemente só com tecnologia por conta dos consumidores! hoje a discussão não é qual jogo é melhor, e sim qual tem a melhor taxa de FPS, melhor gráfico, coisa chata!

  • Concordo com tudo que você diz aí, mas alem de tudo temos outro grande problema que se agravou na ultima geração. O PS sempre foi a plataforma que rodou as anteriores e o PS4 foi o grande erro da Sony em não rodar nada do passado! PS2 roda tudo que é de PS1. PS3 roda games originais de PS2, precisava só baixar um programinha na PS Store, mas roda, e se você quiser pode comprar os outros games de PS1 e PS2 por uma ninharia na PS Store. Valia muito a pena!
    Eu não comprei um PS4 de RAIVA por ter comprado mais de 100 jogos de PS3 na PS Store e ter que enfiar eles todos no CU se quisesse comprar essa merda de nova geração! Aí comprei um PC FODIDO e jogo tudo PIRATA, já joguei mais de 300 jogos sem gastar nada, foda-se a Sony, MS e o caralho! Curtiu? Pois é, quer me foder? Eu fodo antes e fodo melhor!!!! Tenho CERTEZA que muuuiiiitttttaaaa gente sentiu a mesma raiva que eu, ainda mais porque nesta geração anterior foi onde surgindo a forma de jogar em CLOUD e ela se tornou FORTE onde vc compra os jogos na loja virtual e só baixa eles pra jogar no console e quando termina apaga, se quiser jogar de novo é só baixar novamente, mas a Sony fez todo mundo enfiar tudo que havia comprado na loja no CU, porque esses jogos comprados na loja são praticamente impossíveis de se vender depois, ou dá mó trampo pra vender uma conta com centenas de jogos onde você gastou uma puta grana durante alguns anos comprando e deixando lá pensando que iria poder até no final da vida jogar novamente eles sem problema algum. Os jogos que você compra em mídia, você vende seu console e vende os jogos também, apesar de desvalorizados, não enfia eles no CU como nesta última geração de consoles dessas empresas PILANTRAS!!!! Huuurrruuu economizei uma puta grana e após 5 anos meu PC ainda roda TUDO que é lançado com muito mais resolução que nesses consoles de merda!!!!!

  • Depois de 1 ano estou aqui comentando que o PS4 chegou a 60 milhões de unidades, passando Mega Drive, Super Nintendo, e mais 1 Milhão passa o Nintendinho!!

  • Thiago Silva

    Cara e pra mim que gosto da boa e velha campanha solo… Quando jogo é meu tempo comigo mesmo e estou cansado de jogos online… Quero a individualidade que acabou.