Início » Ciência » Pessoas estão vendo cores pela primeira vez graças a estes óculos

Pessoas estão vendo cores pela primeira vez graças a estes óculos

Criados acidentalmente, os óculos da EnChroma estão ajudando muita gente a superar limitações do daltonismo

Emerson Alecrim Por

EnChroma - óculos

O daltonismo é aquele tipo de condição que, para indivíduos que enxergam normalmente, soa como algo pouco importante — a pessoa não está cega, oras. Mas, para quem é daltônico, o problema é impactante, sim. Dá para notar isso só pelo crescente número de vídeos no YouTube que mostram pessoas com o distúrbio enxergando corretamente pela primeira vez, tudo graças a um tipo especial de óculos criado pela EnChroma.

Que cores você vê aqui?

Estima-se que, para cada 12 homens no mundo, um tenha algum tipo de daltonismo. A condição também afeta o sexo feminino, mas de modo bem menos expressivo: um caso para cada 233 mulheres. Basicamente, o que essas pessoas têm é uma anomalia, frequentemente de ordem genética (casos oriundos de lesões nos olhos ou no cérebro são incomuns), que interfere na percepção das cores.

A maioria dos daltônicos têm dificuldades para distinguir o vermelho e o verde, assim como variações dessas cores. Mas há um grupo menor que não enxerga corretamente o azul, além das subsequentes variações. Por que isso acontece?

Teste de Ishihara: se você não identifica os números no círculos, é bom procurar um médico

Teste de Ishihara: se você não identifica os números no círculos, é bom procurar um médico

Nos humanos, a retina possui um conjunto de células sensíveis às cores chamadas cones. Há cones que identificam os comprimentos de onda relacionados ao vermelho, outros que o fazem para o verde e um terceiro grupo para o azul.

Como você deve saber, a combinação dessas três cores é que gera todas as outras. Mas, nos indivíduos com daltonismo, algum dos tipos de cones pode não estar presente em quantidade suficiente ou apresentar uma anomalia de pigmentação no interior das células que altera a sensibilidade à cor.

Este é o efeito: a pessoa não consegue enxergar corretamente determinadas cores. Quem tem daltonismo causado por ausência ou anomalias nos cones para vermelho (protanopia), por exemplo, poderá ver essa cor (e suas variações) em tons de bege, cinza, marrom ou verde.

Tipos de daltonismo

Tipos de daltonismo

Os óculos da EnChroma

Não há cura para o daltonismo. Pode até ser que um dia tenhamos um tratamento que estimule o desenvolvimento dos cones ausentes ou substituam os que tem alterações de pigmentação, mas isso é coisa para um futuro distante. É por isso que os óculos que a EnChroma desenvolveu estão sendo tão exaltados.

Sabe aquelas invenções que surgem acidentalmente? É o caso aqui. Com doutorado em ciência do vidro pela Universidade Alfred, nos Estados Unidos, Don McPherson decidiu criar um tipo de óculos para proteger os olhos dos médicos em cirurgias com laser.

Os médicos que experimentavam os óculos adoravam a invenção, tanto que alguns até começaram a usá-los fora dos centros cirúrgicos. Ao notar isso, McPherson passou a usar os óculos ocasionalmente ao ar livre. Era uma experiência interessante: “usá-los fez com que todas as cores parecessem incrivelmente saturadas”, disse.

Uma dessas vezes foi em 2005, durante um jogo de frisbee. Um amigo de McPherson, Michael Angell, viu os óculos durante a partida e pediu para testá-los. Aí veio a surpresa: Angell olhou para um conjunto de cones (desta vez, aqueles que são usados no trânsito) e percebeu que estava conseguindo enxergá-los normalmente. Angell é daltônico.

Óculos da EnChromaComo a mágica acontece

Depois da descoberta, McPherson passou um tempo estudando o daltonismo e, posteriormente, se juntou a Tony Dykes e Andrew Schmeder para fundar a EnChroma Labs, empresa que se dedica ao desenvolvimento de óculos para daltônicos. As primeiras unidades comerciais foram lançadas em 2012.

Hoje, a empresa oferece vários modelos, incluindo versões para crianças. Todas as opções lembram óculos de sol comuns. Só mesmo usando é que dá para perceber que aquelas lentes de convencionais não têm nada.

Cada cor corresponde a um comprimento distinto de onda de luz. Quando dizemos que há certos tipos de cones (células) ausentes ou com pigmentação alterada, significa que as respostas dessas células a determinadas ondas luminosas são diferentes do normal. É isso que faz o cérebro não identificar corretamente as cores.

Pois bem, as lentes da EnChroma são capazes de modificar a proporção de luz que passa por ali. Schmeder (relembrando, um dos sócios da EnChroma) desenvolveu um modelo matemático que simula a visão que pessoas com daltonismo têm. Com base nesse modelo, a empresa identificou os comprimentos de onda sensíveis — aqueles em que há percepção incorreta de cores.

Eis o truque: as lentes da EnChroma são revestidas com um material capaz de filtrar as ondas de luz que podem ser enxergadas erroneamente. Observe o gráfico abaixo. Nele, a parte branca corresponde aos comprimentos de onda que passam pela lente. Repare que as partes bloqueadas indicam os comprimentos em que há sobreposição, isto é, que podem alterar a percepção das cores.

EnChroma - gráfico de ondas

Se dá certo? A enormidade de vídeos que mostram a reação de daltônicos experimentando os óculos diz que sim. Um dos mais recentes é este:

Outro (avance para 2min30seg se quiser ir direto):

Legal, né? Não é de causar espanto a emoção de quem enxerga cores corretamente pela primeira vez. Embora seja considerado um distúrbio leve do ponto de vista funcional, o daltonismo pode atrapalhar o exercício de determinadas profissões, deixar a pessoa confusa diante de um semáforo, dificultar a preparação de certos tipos de alimentos e por aí vai.

Os óculos não funcionam em todos os casos, mas a EnChroma estima que 80% dos daltônicos podem se beneficiar da invenção. O maior problema é que, embora não sejam necessariamente caros, os óculos podem pesar no bolso, principalmente de quem mora no Brasil: os preços variam entre US$ 269 (versão infantil) e US$ 469.

A EnChroma faz questão de ressaltar que os óculos não devem ser usados para determinados trabalhos, como conduzir embarcações, afinal, o produto é um paliativo, não um tratamento que leva à cura. Apesar disso, não dá para negar: esse tipo de produto é mesmo uma baita invenção.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Chode 'Infamous' McBlob

Cara, vai te catar. Se você não tem capacidade para entender algo tão básico como frequência de espectro de luz, então abstenha-se de escrever toda essa merda aí.

surlaisatec198438

Wanna have fun with a hot girl?😏
My whatsApp +4-850-530-07-78 😘





Message id:7538921

mulpaife25

Loоking for sеxting
https://www.google.com/#btn...
Add me, my id 674636

Lidia Santana

Fantástico!!

Juber Oliveira

Tenho um amigo q não enxerga nenhum tipo de cor. Vive num mundo preto/cinza.
Será q esses óculos servem pra ele???

Rick Gorg

https://uploads.disquscdn.c... https://uploads.disquscdn.c... https://uploads.disquscdn.c... Ola meu nome é Ricardo Gorgulho Gonçalves, (Chefe Executivo da Pilestone no Brasil).
Tenho o prazer de trazer para os Brasileiros os modelos de óculos para Daltônico da PILESTONE.
www.pilestone.com.br

Visite o site e confira.
A Pilestone trabalha com o valor tabelado em todo o mundo, podendo variar conforme a cotação do Dolar USA.

Fabiana Ferraz

Eu até concordo com você (sempre o nosso mundo é como nós o vemos), mas só de poder olhar as cores verdadeiras dos olhos das pessoas que amo (pelo menos 1 vez) já me faria comprar estes óculos (se eu fosse daltônica), sem pieguices; eu entendo as pessoas chorarem...pense em quantos artistas, pintores podem vir a existir só por enxergar as cores de uma melhor maneira?

Pedro Damasceno

Cara, compre o óculos e entenderá. É como se vc redescobrisse o mundo. Eu não sou daltônico nem tenho problemas de visão, mas acho foda demais a pessoa poder voltar a enxergar cores. Sou fascinado nas cores vermelhas e contraste de cores e acho uma das poucas coisas boas que o planeta terra tem além dos animais. Eu por exemplo, tenho o ofato quase zero por desvio de septo, não sinto cheiro de nada exceto quando tiro todas as melecas e limpo o nariz com soro, mas é algo que dura poucos minutos e já perco o ofato. Quero muito operar e resolver isso e não acho que "é o modo que vivo ou que cheiro que está certo", entendo a deficiência e gostaria de não tê-la. Mude seu pensamento urgente e compre a porra do óculos, dps volte a comentar.
Eu só não operei até hoje, pq é muita enrolação, não é algo simples como vc chegar ali no médico, pagar e operar. Vc precisa fazer muitos exames e isso toma tempo e paciência. Quem dera se fosse só pedir e esperar chegar pelos correios.

Alysson Veríssimo
Sou daltônico. Dessas placas só conseguir ver o 56 e 29. Confundo muitas cores: amarelo com verde, amarelo com laranja, azul com rósea, marrom com vermelho e verde, e tem cores que nem sei classificar como roxo, cinza, lilas... Eu não acho que vemos a vida de uma forma diferente das pessoas sem deficiência nos cones. O que acontece é que espectro de cores dos daltônicos engloba mais de uma cor. Por exemplo, no espectro de luz, o amarelo e o verde estão bem próximos. Para o daltônico é como fosse os dois, um espectro só. O que gera a confusão. Eu as vezes acerto as cores outras erro. Vai depender do tom e sempre uso uma como paramentro para classificar. Esse óculos ao meu ver é um farsa. Primeiro, por dizer que a pessoa vai ver o mundo de outra forma. Não acredito nisso. Vejo igual a todos, mas meu cérebro não consegue identificar os diversos padrões de cores. Segundo por querer universalizar um óculos para os diversos graus de daltonismo. Acredito que simplesmente intensifica as cores. Assim como óculos de luz polarizada. E pelo que entendi é exatamente isso e que ele faz. Filtra os comprimentos de onda da luz. Tenho um óculos de luz polarizada e realmente os objetos ficam mais nitidos, intensos ou "vividos" com eles. Esses óculos devem usar o mesmo principio. Temos que lutar é para sermos considerados deficientes físicos, pois além de ser uma deficiência permanente, somos restringidos em vários áreas de trabalho. Muitos concursos deixam muito claro que não aceitam o daltônicos. O que diminui nosso leque de opções. Temos um grupo no whatsapp onde partilhamos experiências, dramas de concursos, processos...Precisamos nos unir para entrar com uma solicitação junto ao conselho federal de medicina ou órgão competente para nos incluir como deficientes físicos. Evidente que não vai resolver nosso problema, mas amenizaria nossa restrição em vários setores como: forças armadas, polícia civil, militar, PRF, PF...Nesse lugares num tem um deficiente fisico? Se pessoas com outras deficiências são aceitas porque nós não?? Será que não podemos trabalhar em algum setor administrativo desses órgãos?? Os interessados em participar do grupo dos daltônicos, favor mandar email para [email protected]
Bruno Cajal
Eu só vi o primeiro e o quarto confundi entre 56 e 86 mas prestando mais atenção vi certo, agora os demais não vi nada! O quinto achei que era 20 ou 70
Bruno Cajal
Eu só vi o primeiro e o quarto confundi entre 56 e 86 mas prestando mais atenção vi certo, agora os demais não vi nada!
André Luis Fick
Caramba. No primeiro círculo não vejo nada. No segundo vejo um 3. No terceiro não sei se é 3 ou se é 5. No quarto não vejo nada. No sexto nada também. No sétimo um 3. No oitavo me parece um 10. No nono não distingo nenhum número, apesar de parecer ter algo ali. E no décimo círculo vejo o número 21. Fiquei bastante surpreso com a descoberta, entretanto o mundo que eu vejo é maravilhosamente lindo, nunca afetou minha vida, tanto é que só descobri nesse momento...
Aron Guimaraes
O Daltonismo é realmente uma condição subdiagnosticada! Quem trabalha na área da saúde visual sabe que os próprios pacientes muitas vezes dão pouco valor para esses sintomas. Acredito que os testes de cores devem fazer parte de toda consulta oftalmológica. www.aronguimaraes.com.br
José Renato Dias de Freitas
Olá Luciano Eu sou formado em engenharia geológica, e cheguei até a fazer mestrado em sensoriamento remoto no INPE, porém não conclui. Hoje, 25 anos após ter abdicado do mestrado e da carreira de geólogo, não por ser daltônico, mas por razões familiares, sou empresário bem sucedido em um ramo em que o daltonismo não influencia diretamente minhas conpetencias. Mas como sou apaixonado pela geotecnologia, e os novos aplicativos que surgiram, confesso que gostaria de testar estes oculos. Isto não vai me trazer de volta a geologia, mas acho que seria muito para o meu eu saber como seria ver as cores como os normais veem, e não apertar mais apertar mais o botão vermelho do controle remoto, quando as instruções pedem para apertar o botão verde. rsrs
Hilbert Yukihiro Takara
Boa matéria, tenho intolerância a lactose e glútem, imaginem quantas coisas deixei de comer, e sinto muita falta de várias. Imagino se não pudesse sentir todos os sabores, como o doce por exemplo e de repente alguém descobrisse um meio de corrigir isso. Que mundo de sabores isso abriria ? Creio que a emoção de enxergar todas as cores seja mais ou menos a mesma, só vai sentir quando experimentar, e pela reação das pessoas é fácil concluir que faz toda a diferença, pena que não resolva todos os casos, mas se ajudar 80% como diz a matéria é sim uma grande invenção.
Exibir mais comentários