Início » Legislação » Finja surpresa: estudo conclui que serviços de streaming reduzem pirataria

Finja surpresa: estudo conclui que serviços de streaming reduzem pirataria

A gente já sabia (o Capitão Óbvio também): serviços como Spotify e Netflix estão tomando o lugar do P2P

Paulo Higa Por

Não que a gente ainda não soubesse, mas agora temos mais números para confirmar. Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (5), feita pela Kantar Media e patrocinada pelo governo do Reino Unido, concluiu que os serviços de streaming de músicas e vídeos, como Spotify e Netflix, estão impactando diretamente na redução do consumo de conteúdo pirata na internet.

O estudo levou em consideração 5,3 mil pessoas com 12 anos ou mais no Reino Unido, entre março e maio deste ano. De 2015 para cá, o Spotify aumentou sua participação de 16% para 19%, enquanto a utilização de softwares P2P para baixar conteúdo protegido por direitos autorais caiu de 12% para 10%. No total, 80% das pessoas estão utilizando apenas meios legais para ouvir música, mais que os 74% medidos há um ano.

Spotify

E por que as pessoas estão pagando por esses serviços? Para a maioria (58%), o motivo é a facilidade e conveniência, enquanto 47% dizem que é uma maneira mais rápida de consumir conteúdo. Do outro lado, no grupo dos que acessam conteúdo pirata, 49% afirmam que o fazem por ser gratuito. 24% migrariam para serviços legais se fossem mais baratos e 20% fariam o mesmo se tudo o que precisassem estivesse disponível legalmente.

No Reino Unido, 80% das músicas e 73% dos filmes são consumidos em formato digital, bem mais que os ebooks, por exemplo, que respondem apenas por 33% das vendas de livros. Em geral, o download é preferido em comparação com a mídia física porque é mais fácil, mais rápido e mais barato.

Como dissemos no segundo Tecnocast, os serviços de streaming são a maneira mais prática de consumir música — e vários oferecem recursos adicionais, como funções de descoberta de música e recomendações personalizadas. Resta saber por quanto tempo esse modelo de negócios vai sobreviver: o Spotify nunca conseguiu lucrar devido aos altos gastos com royalties e, mesmo assim, os artistas não parecem muito satisfeitos com o dinheiro recebido por esses serviços.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Antonio Júnior
Pois é, já é uma qualidade ótima. Lembro que quando extraia CDs antigamente, 128 kbps pra cima já é qualidade ótima, sem percepção de nada ruim. Também fico com 160 kbps.
Bruno

O bitrate 160 já dá uma qualidade mais que suficiente pra curtir qualquer tipo de música. O 320 é mais para quem estiver usando um conjunto aparelho-fone de nível mais audiófilo e está preocupado em achar ruídos minúsculos... Eu fico com o 160.

Bruno R da Silva
O bitrate 160 já dá uma qualidade mais que suficiente pra curtir qualquer tipo de música. O 320 é mais para quem estiver usando um conjunto aparelho-fone de nível mais audiófilo e está preocupado em achar ruídos minúsculos... Eu fico com o 160.
JGui

é fóda!!
Se existisse uma maneira de pagar SOMENTE pela HBO eu pagaria no ato. Mesmo com os filmes ultrapassados que passam no canal brasileiro, enfim, qualquer coisa é melhor que a tv aberta.

Eu uso torrent para tudo nessa vida. E no Brasil, pelo vistou, ainda vou usar por muito tempo.

Antonio Júnior

Então cara, mas no celular eu consigo usar em HQ ou alta qualidade que é 160 kbps (aproximadamente) no menu pelo free. Única opção que é só pra Premium é o Qualidade Extrema que é 320 kbps. Mas eu já tive Premium e usei a extrema e não vi tanta diferença audível. Só sinto diferença da qualidade baixa, que é 96 kbps, pra qualidade alta, 160 kbps. Então por isso o free é bem decente mesmo.

Antonio Carlos Junior

O spotify premium também oferece streaming em HQ e cara, é MUITO melhor hahahahah

Keaton

Quem faz essas pesquisas? O Capitão Óbvio?

Vitor Mikaelson

A foto tá escrito Bolsonaro Presidiário... :)
E não, não sou de direita.

Kawe Antônio

Cara, olha a foto de perfil dele direito, ele não é de extrema direita.

Antonio Júnior

Sim, o legal seria pagar. Mas como o free usa anúncios, ele acaba se pagando, só não sei se paga o bastante haha.

Eu uso mais em ambiente com Wi-Fi, no carro ainda sou fã da rádio FM.
Porém viso pagar o Premium logo mais, quando estiver com dinheiro sobrando. Porque nessa crise, qualquer gasto à menos, ajuda.

doorspaulo

Vai militar por aqui mesmo?
Pqp...

Thiago Lopes

Pera... PARA TUDO!!!!! Extrema direita usando conteúdo pirata? Isso não era coisa de comunista gaysista pirateiro anti-religiosos?

Trovalds

Enquanto os executivos da indústria fonográfica e do cinema insistirem nos modelos antigos de distribuição e cobrança de royalties, não veremos netflix e spotify (e companhia) avançarem mais. Pelo menos a netflix (e turma do streaming de vídeo) está investindo pesado em criar conteúdo próprio e não se tornando refém de ninguém. Acredito que o spotify deveria criar um modelo parecido com novos artistas disponibilizando direto pra plataforma, sem se prender a gravadoras, produtoras ou assemelhados. (aliás, já existe esse modelo?)

Rodrigo Fante

Eu pago pois acho correto incentivar iniciativas boas e justas.

No meu caso também poder baixar ajuda para conectar no bluetooth do carro e poder baixar e ouvir sem streaming.

Enzo Almeida

para músicas, meu "trio supremo": Spotify (para achar músicas mais populares, nome da banda, albúm e ano), site midomi (http://www.midomi.com - é um trocadilho com as notas musicais Mi e Dó) para achar cantores e/ou bandas mais raras e um programinha Q grava TODO e QUALQUER tipo de ÁUDIO do Pc: desde um simples vídeo a programações inteiras D rádios online! se o áudio estiver passando no PC, ele grava. chama-se: Audio Record Wizard. com 6,73 Mb, chega a ser pequeno para tamanha potência - e com vários formatos disponíveis, Ogg, Mp3, WAV e Flac e outras infinidades D opções. só baixando para testar! nota 1.000)

Exibir mais comentários