Screen Shot 2016-07-07 at 12.54.06 PM

Quando falamos de games, a medida de tempo se torna ainda mais relativa que o usual. Cada país, cada cidade, cada economia local possui seu ritmo de absorção do que as produtoras oferecem. Os consumidores de Atlanta, cidade com maior número de jogadores dos Estados Unidos, têm um perfil completamente diferente dos compradores que vivem na Grande São Paulo, por exemplo.

Quando avaliamos todo o processo de lançamentos, notamos que existe uma lacuna enorme. Foi pensando nisso que, em 2015, a Microsoft anunciou a retrocompatibilidade de jogos do Xbox 360, que rodariam então no Xbox One. Existem restrições nesse catálogo, evidentemente, mas essa jogada demonstra que a empresa está buscando um modelo de negócio estratégico que atenda essa demanda.

Como a retrocompatibilidade pode ajudar o mercado?

A Microsoft está atrás nesta geração de consoles. Ela precisa vender mais Xbox One para bater de frente com os bons números da Sony. Acontece que muitos jogadores ainda possuem jogos do Xbox 360. Inúmeros podem ser os motivos para que donos do antigo console não queiram se desfazer dos títulos, como saudosismo ou mesmo não ter tido tempo de jogá-los.

A retrocompatibilidade permitiria a esses gamers manterem suas coleções caso eles optem por adquirir o novo videogame, uma vez que não não seria necessário comprar seus jogos novamente. Se ele estiver no catálogo citado acima, basta inserir o disco e se divertir.

Veja como funciona:

Portanto, a capacidade de rodar tanto jogos antigos quanto os novos faz do aparelho da nova geração uma escolha inteligente de compra neste momento. Mesmo colocando a diferença de preço entre os dois videogames na equação, o Xbox One se mostra o melhor custo benefício por sua abrangência e capacidade tecnológica.

E invertendo a perspectiva, colocando agora os atuais donos do Xbox One em foco, toda uma nova gama de possibilidades se abre, quando jogos e mais jogos são adicionados à lista de compatíveis.

Peguemos o exemplo aqui de Red Dead Redemption, da Rockstar, um dos melhores jogos da geração passada. Assim que sua retrocompatibilidade foi anunciada, suas vendas subiram nada menos que 6.000% na Amazon.

3090755-screen+shot+2016-07-06+at+11.17.44

Antes na posição de número 1.093 no ranking de vendas, agora o título pulou para a 17ª posição. Estamos falando de um jogo feito em 2010, figurando entre os 20 títulos mais vendidos seis anos depois do seu lançamento, o que é uma eternidade para esse mercado.

Ou seja, a cauda desse cometa pode ficar mais longa, o que garante mais verba para as fabricantes e também para as produtoras. E com mais verba, desde que a gestão seja bem feita, teremos mais e melhores produtos. Todo mundo ganha.

A Nintendo também possui seu modelo de retrocompatiblidade, por meio do Virtual Console. Ainda não é o ideal, mas é melhor que nada. Algo semelhante seria muito bem vindo aos seus portáteis, inclusive.

Resta saber se a Sony vai enfim entender que esse é um marketshare importante e criar alguma forma de tornar o PS4 compatível com o PS3, ou se ela vai mesmo ignorar todo esse potencial.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

iJohn - iPhone 4S 64 GB Preto
Mas o que vai acontecer com GTA III e GTA Vice City me digam?
abraaocaldas

Se a gente especula esse tipo de coisa, imagina os engenheiros de lá, deve ter dado algum tipo de problema para fazer esse tipo de coisa.

Mateus B. Cassiano

Pense nos arquivos contidos no DVD, e não da imagem do disco como um todo. Não precisa ser on-the-fly, poderiam baixar o delta dos binários modificados e salvar apenas os arquivos que sofreram alterações no HD do Xbox e ler o resto diretamente do DVD (já economizaria um bom espaço) ou então, se estiver pensando na imagem do disco como um todo, baixar apenas a diferença entre o DVD e a versão retrocompatível e instalar no HD uma cópia do jogo inteiro na versão retrocompatível a partir do DVD e desse delta baixado previamente...

Marcos Souza

Somos 2

Andre

Eu não compro videogame novo pra jogar jogo velho (por melhor que ele seja).

Dan_Marx

Isso mesmo, eles falaram em unificar a loja, agora é esperar pra ver como vai ficar.

Junior

Se a Sony fizesse a retrocompatibilidade funcionar eu compraria o PS4 sem dúvidas, mas enquanto isso não rola, vou ficando com o meu PS3 pois ainda tenho muitas horas de jogos para completar e o PS4 ainda está caro, e não vale a pena trocar de console com vários jogos que tenho q fechar ainda.

Dan_Marx

Sua premissa de comprar um PC que é melhor esbarra em algumas questões: um PC de entrada custa algo perto de 4k (maquina de entrada) contra 1,8k de um console que pode ser facilmente parcelado em 10X; depois temos a questão do plug & play dos consoles contra os config/drives dos PC; e por fim os mods/cheaters que os consoles (geração atual) ainda são blindados contra cheaters e começam a receber alguns mods, nada comparado ao PC mais é um começo.
Bom ai temos a BC em si, pensa um cara com uma biblioteca de jogos no 360 que vai trocar de geração de console, ele abre mão de centralizar seus jogos em um unico lugar? perder seu investimento? perder a chance de jogar jogos (muitos exclusivos e bons) com preço camarada?? Por isso eu falo: eu não entendo os haters da caixa (não que seja seu caso), ela é boa, tem seus jogos e funções exclusivas e o principal: tem melhorado constantemente (viva a concorrencia!!).
PS:Desculpa o textão amigo não consegui resumir mais que isso.

Heitor Silva

Será que vão colocar na Windows Store tipo fizeram com o Quantum Break e o Forza 6?

McFake

Tb tenho os dois consoles, mas achar que a MS liberou retrocompatibilidade apenas por amor aos gamers é ser muito cego meu amigo. A Razão é sim a surra homérica que ela está levando nessa geração. Vamos ser realistas.

abraaocaldas

Cara, ficar fazendo delta do DVD on-the-fly ia ser um inferno, essa solução deles é mais simples.

Felipe Doro

Nada disso, amigo. Então procure informações na internet e verá que alguns dos jogos exclusivos para PS4 tambem terão versão para PC, assim como acontece com o Street Fighter... Tu acha que eu vou deixar meu console para pagar mais de 3 mil, 4 mil numa máquina acima da media? kkkkk É o que disse, acho que tu é sonysta e tá com medo deles falirem kkkkkk

Mateus B. Cassiano

Poderiam ter otimizado um pouco isso. Entendo que o código executável (engine, frameworks, APIs, etc) seja diferente para funcionar na retrocompatibilidade do Xbox One, mas aposto que as texturas, músicas/sons, imagens, etc. permanecem sem alterações na versão retrocompatível. Logo, no caso do jogador ter a versão física do jogo, deveria ser baixado pela Live apenas um patch com a diferença entre o jogo base no disco do Xbox 360 e o jogo na versão retrocompatível do Xbox One, e não o jogo inteiro novamente, já ia economizar vários GBs no HD do console e também no tráfego da rede...

João Silverado

Exatamente, tipo a Capcom.
E tem alguma restrição com os jogos do Kinect do 360 tbm. Talvez pq precisam fazer um driver pra conversar com o Kinect novo mas se passar como o Kinect antigo para o jogo.

João Silverado

Pelo disco não sei, mas digitalmente, baixo o jogo e simplesmente jogo. Quando abre o jogo, aparece uma logo do 360 (o que leva a crer que é emulação do console antigo mesmo).
E realmente acredito que o disco é usado como uma key, mesmo pq é pra funcionar apenas discos originais.

Exibir mais comentários