Início » Internet » Dono do KickassTorrents é preso depois de fazer uma compra no iTunes

Dono do KickassTorrents é preso depois de fazer uma compra no iTunes

Perceba a ironia

Jean Prado Por
3 anos atrás

Depois de meses de investigações, a polícia polonesa prendeu o ucraniano Artem Vaulin, apontado como dono do gigante site de torrents KickassTorrents (KAT). O site se tornou mais popular há alguns anos, quando o The Pirate Bay passou por sérias instabilidades. Vaulin é acusado de distribuir milhões de cópias de conteúdos protegidos por direitos autorais que totalizam até US$ 1 bilhão.

Segundo o Alexa, o KAT é o 68º site mais acessado do mundo e tem mais de 50 milhões de visitantes únicos por mês. O site ficou offline entre quarta-feira (20) e quinta-feira (21) e é considerado pelos usuários do Reddit um dos mais completos e bem organizados. O domínio principal, kat.cr, ainda não voltou ao ar, mas algumas cópias do site já estão online com conteúdo de dias atrás.

Kickass-torrent-site

Valuin enfrenta duas acusações, uma por conspiração para cometer violação de direitos autorais e outra por conspiração para lavagem de dinheiro. Os processos foram iniciados depois de investigações do Departamento de Justiça (DOJ) americano, que agora quer extraditar Vaulin para os Estados Unidos.

Segundo Leslie R. Caldwell, procuradora-geral adjunta do DOJ, o KAT é o "site de compartilhamento de arquivos mais visitado". Caldwell afirmou que Vaulin evitava "a execução da lei usando servidores ao redor do mundo e trocando os domínios para não sofrer detenções e ações na justiça". A investigação que chegou até o suposto dono do site foi muito bem elaborada e contou com a colaboração da Apple e do Facebook, como aponta o Engadget.

Os detalhes estão em um PDF no site do DOJ. Tudo começou com um anúncio falso no site do KAT coordenado por um agente especial da divisão de investigação do Serviço de Receita Interna (IRS), ligado ao Departamento de Tesouro. Esse agente infiltrado negociou um anúncio em março com um representante do KAT, propaganda que custou US$ 300 por dia durante cinco dias. Ela ficava posicionada logo abaixo do botão de baixar torrent, como mostrado abaixo:

ad-kat

Só esse período de tempo já foi suficiente para a justiça americana rastrear o dinheiro de uma conta bancária na Letônia, que tinha US$ 31 milhões em caixa (!). Os investigadores ligaram essa conta ao e-mail [email protected], que estava associado às contas do Twitter e Facebook do KAT, incluindo um suposto "fã-clube oficial".

Com o endereço de e-mail e busca por DNS reverso, foram descobertos sete domínios que pertenciam à mesma pessoa: kickasstorrents.com, kat.cr, kickass.to, kat.ph, kastatic.com, thekat.tv e kickass.cr, sendo que dois desses tinham IPs localizados em Chicago. Por um recurso legal, investigadores conseguiram uma cópia do log dos servidores, além do nome, endereço, e-mail e número de telefone de Vaulin pelo WHOIS (!).

Os agentes entraram em contato com a Apple, ligando um endereço me.com a uma conta que foi usada para comprar algo no iTunes. Segundo os investigadores, a conta da Apple de Vaulin era acessada com o mesmo IP da página no Facebook. Por fim, uma conta com várias doações provenientes de Bitcoin foi descoberta, registrada com o mesmo endereço me.com.

Apesar de todas as evidências, Vaulin ainda tem que ser extraditado, julgado e condenado pelo DOJ para ter a propriedade do KAT confirmada.

Mais sobre: ,