Início » Computador » Notebook gamer: pense bem antes de comprar um

Notebook gamer: pense bem antes de comprar um

Fabricantes como Acer, Dell e HP apostam cada vez mais nos laptops para jogos. Mas vale a pena ter um?

Por
39 semanas atrás

O mercado de desktops e laptops encolheu por conta do avanço dos dispositivos móveis. A situação só não ficou pior por conta do público gamer que mantém a predileção por PCs. Mas um ponto chama atenção nessa história: muitos jogadores ainda preferem os tradicionais desktops, mas a oferta de notebooks voltados aos gamers não para de crescer. Será que essa categoria vinga?

Vida longa ao PC

Fabricantes tradicionais, como Dell, HP e Lenovo, tiveram que reestruturar suas operações por conta do encolhimento do mercado de PCs. O impacto foi tão grande que muita gente deu o PC como morto. É óbvio que não é assim. Pode ser que isso aconteça em um futuro distante, mas até lá o PC segue tendo utilidade: você não vai fazer o seu TCC da faculdade ou desenvolver um software inteiro no smartphone. Pelo menos por ora, é impraticável.

Você sabe, certamente, que o apelo da mobilidade é um dos fatores que fazem smartphones e tablets serem tão requisitados. Esse mesmo aspecto também ajudou a transformar o mercado de PCs: hoje, a oferta de laptops é significativamente maior que a de desktops.

Desktop Dell

Até pouco tempo atrás era fácil encontrar lojas de informática especializadas em desktops. Você ia lá e o vendedor te apresentava algumas configurações pré-prontas, mas sempre havia a possibilidade de customizar o hardware. Negócio fechado, era só esperar alguns dias para a loja montar a máquina e entregá-la.

Lojas desse tipo ainda existem, mas são muito menos numerosas. A razão é simples: o consumidor comum — aquele que não quer se preocupar em configurar item por item de um computador — vai em um varejista e escolhe um notebook. É mais prático: além de já estar pronto, o laptop ocupa muito menos espaço e pode ser levado rapidamente para qualquer canto da casa. Vai viajar? Sem problemas, é só colocá-lo na mochila.

Questão de praticidade

Ainda há quem faça questão de ter um desktop. Este que vos escreve é um exemplo. Sei que sou uma espécie em extinção, mas eu ainda aprecio a possibilidade de customizar todo o meu computador para deixá-lo totalmente condizente às minhas necessidades. Se algum componente estiver deixando a desejar ou apresentar defeito, consigo trocar rapidamente.

Para muitos jogadores, porém, o que eu vejo como conveniência ou hobby tem ares de necessidade. Personalizar o PC é essencial, principalmente para definir a configuração mais apropriada para a jogatina dentro do que o orçamento permite.

Via de regra, ao jogador convém ter uma identidade (no sentido de transmitir uma imagem que o identifique como tal) e, nesse ponto, a customização também ajuda, afinal, aquele PC é único — é como se fosse uma assinatura. É por isso que os casemods fazem (ou fizeram) tanto sucesso.

Com base nesse aspecto, um notebook gamer (ou gaming laptop, se você preferir) parece não fazer muito sentido. Se é assim, por que a indústria aposta cada vez mais nesses equipamentos?

Quando um notebook gamer faz sentido

A indústria dos games é gigantesca e, como tal, comporta uma ampla variedade de tipos de jogadores. Um deles é o PC gamer clássico, por assim dizer: ele faz questão de uma máquina parruda, adequadamente refrigerada e não poupa esforços para deixá-la bem apresentável visualmente.

No meio dessa turma estão aqueles que levam a jogatina ao nível profissional. Eles formam times de eSports, são patrocinados por fabricantes ou lojas de hardware, comparecem a eventos e dão consultoria, por exemplo.

Jogatina profissa

Jogatina profissa

Ainda que a quantidade de jogadores que se enquadra nessa categoria não seja pequena, há outra que se sobressai numericamente: a de gamers que levam a jogatina bem a sério, mas não ao ponto de tratar o assunto com a seriedade de uma profissão ou negócio.

Esse público é o que mais interessa aos fabricantes. Os jogadores dessa categoria fazem questão de um bom hardware — mas não necessariamente de uma configuração topo de linha —, mas muitas vezes não querem ter o trabalho de montar um PC ou simplesmente não têm espaço em casa para colocar um desktop. Para esses casos, um notebook gamer passa a ser uma opção inegavelmente interessante.

Aqui, o apelo da mobilidade também se manifesta, é lógico: poder levar o equipamento com relativa facilidade para qualquer lugar (relativa porque modelos para jogos normalmente são pesados), por si só, já é razão para muita gente prestar atenção em um notebook gamer.

Fácil de transportar (ou quase)

Fácil de transportar (ou quase)

Por muito tempo, os notebooks foram vistos como péssimos para jogos. Teclado desconfortável (para a dinâmica de um game), tela pequena ou com baixa taxa de atualização e hardware geralmente fraco (para economizar energia e reduzir custos) são apenas algumas das razões para essa impressão.

Nos laptops desenvolvidos especialmente para jogos, porém, esses problemas não costumam estar presentes. Fabricantes como Dell, HP, Acer e Asus oferecem opções com teclado próprio para a jogatina (com retroiluminação LED, mais resistência e teclas de atalho), tela com qualidade que se aproxima de TVs (em alguns casos, pelo menos), hardware mais avançado (especialmente no quesito gráfico) e, claro, design externo com traços bem ousados — novamente, pela questão da “identidade gamer”.

Os problemas dos notebooks gamers

Apesar de muito bem-vindos, nem todos os detalhes apontados acima são imprescindíveis. Você pode ligar o notebook a um conjunto de teclado e mouse se quiser mais conforto ou à TV 4K da sua sala se a ordem do dia for imagens com excelente qualidade.

No final das contas, a configuração básica (processador, RAM, chip gráfico e HD / SSD) acaba sendo mais importante. Como nos laptops não é tão fácil trocar esses componentes como em um desktop, você precisa prestar bastante atenção para escolher o melhor conjunto para as suas expectativas. Na minha visão de “micreiro desde criancinha”, as limitações no upgrade ou na troca de hardware são justamente as principais desvantagens de um laptop gamer.

Predator 17 - teclado

Teclas de atalho do Predator 17, da Acer

Mas não é só isso: a combinação de hardware parrudo com jogos exigentes frequentemente leva ao problema do aquecimento excessivo. No desktop, não é difícil resolver esse problema. Você coloca um cooler mais poderoso, instala um sistema de refrigeração sofisticado, deixa o gabinete aberto se a situação apertar, enfim, dá um jeito.

No laptop a situação é mais complicada: o corpo compacto do equipamento, sozinho, é suficiente para levar o aquecimento a patamares infernais. A boa notícia é que, pelo menos nos modelos mais atuais, esse problema tem sido bem remediado.

Predator 17, da Acer: módulo adicional com cooler

O Predator 17 tem módulo adicional com cooler

A Acer, por exemplo, tem na linha Predator uma tecnologia que impede o acúmulo excessivo de poeira nas saídas de ar. Além disso, a empresa oferece um módulo com cooler adicional que pode ser colocado no lugar do drive de DVD. Nos modelos da Alienware, a temperatura também é bem controlada.

De todo modo, pesquisar sobre o risco de aquecimento é mandatório antes da compra, principalmente se você mora no Brasil: no país, os serviços de assistência técnica costumam ser deficientes. Por conta disso, também convém torcer para o seu laptop não dar defeito.

Linha HP Omen

Linha HP Omen

O Problema mor: preço

Para quem não faz questão de montar um PC gamer ou acredita que não precisará de um upgrade tão cedo, um gaming laptop não soa como má ideia. O impedimento acaba sendo mesmo o preço.

Não que alguém espere pagar pouco por equipamentos do tipo. Um notebook gamer precisa de bom hardware e, obviamente, componentes mais poderosos levam a um aumento de custos. Colocar esses itens dentro de um aparelho compacto também: é necessário um excelente trabalho de engenharia para que uma GPU GeForce GTX 980M, por exemplo, trabalhe a todo vapor dentro de um laptop sem jogar a toalha.

Asus ROG G752

Asus ROG G752

Só que, além dos custos atrelados a projeto, componentes, materiais e design, os fabricantes cobram ingresso: você tem que pagar pelo ar de exclusividade que rodeiam notebooks que ostentam marcas como Alienware, Predator e Razer (desktops também, mas esse fenômeno é mais intenso com os laptops). Se você vive no Brasil, essa suposta exclusividade é ainda mais cara: a linha Predator, lançada recentemente por aqui, começa em R$ 16.899. A Alienware não está muito atrás. Aí fica difícil, né?

Difícil não só porque o bolsa não aguenta, mas também porque a percepção de valor dessas marcas não corresponde ao que é cobrado. O pensamento predominante acaba sendo este: “essas máquinas são bem legais, mas é melhor deixá-las lá na prateleira mesmo”.

Ao menos essa situação indica que estamos diante de um nicho com muito a ser explorado. Pode ser só o otimismo falando mais alto, mas talvez o segmento amadureça a partir dessa constatação, fazendo a oferta de opções mais focadas no custo-benefício aumentar. Não custa torcer.

  • Magnosama

    Pois é,
    não faço questão de marca, design, exclusividade algum…
    só quero uma máquina parruda, com preço razoável e que não vai me deixar na mão por um bom tempo…

  • angeloghiotto

    Esqueceram da avell, que fornece uns notebooks gamers com configurações bem legais a partir de 6 mil, bem mais acessível.

    • Chicão ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

      Comprei um avell em 2013.
      Excelente configuração por menos de 3k.
      Até hoje roda bem meus jogos.
      Mas já me preocupo com o dia que for troca-lo: não vou pagar o preço dos notebooks Gamers de hoje.
      E tbm não quero mais desktop trambolhudo cheio de fios na bancada.

      • angeloghiotto

        Também tenho um Avell titanium 1511 de 2013 , até hoje tá rodando os jogos sem preocupação.

      • Thiago Vitorino

        Troquei meu avell com a placa gtx660m (acho) esse ano por um pc mini itx, coloquei uma gtx970 e agora to feliz rodando tudo numa qualidade boa. O bom é q o gabinete não eh grande, a desvantagem é q perdi a mobilidade 🙁

        • Pedra Pomes do Amor

          Amigo, pode compartilhar as especificações dessa máquina? pensando seriamente em pegar uma máquina mini-itx.

          • Thiago Vitorino

            gtx970 mini, Placa Mãe Gigabyte Lga1150 Mini Itx Ga-h97n-wifi, 16ram, Fonte Sharkoon ATX SFX-450W Bronze,
            Processador Intel Core I5 4460 , Gabinete SilverStone SG05. Feliz da vida que vai rodar bf1 no ultra

          • Pedra Pomes do Amor

            Valeu cara! #PartiuOrçar

  • Jhonathan Ramos

    Com metade do preço da maioria dos notebooks que só tem aparência de
    gamer dá pra fazer um desktop com o desempenho incrivelmente superior
    (para quem sabe como escolher cada peça casando item por item). É
    desleal fazer comparações desse tipo. Se os consoles até hoje tentam
    competir mas não se saem bem com todas as vantagens que o PC oferece,
    quem diria um notebook com espaço e peso limitado pro hardware…

    • Pedra Pomes do Amor

      Isso aí que pega: muita gente acha extremamente chato e dispendioso montar esse quebra-cabeças com peças de PC.

  • Te falar que nem precisa necessariamente montar peça por peça, um PC com um bom vídeo que já venha montado de fábrica atende bem o público gamer, a um preço melhor e com bem mais desempenho.

  • Bruno Sanzio

    Dell este ano chegou com o modelo Inspiron Gaming Edition com uma GTX 960M ( R$4.299), ele não possui SSD, uma pena. A Avell também entrega um notebook gamer Titanium G1513 FIRE V3 ( GTX 960M/ SSD / 16GB RAM DDR4 ) por R$4.599.

    Eu não penso em ter um notebook gamer pelo simples motivo, eles entregam um desempenho semelhante à um console de ultima geração, que custa R$1.500. Quando eu irei gastar quase R$5.000 em um notebook para rodar The Witcher 3 em Low ?

    Nvidia promete uma 1060M com desempenho semelhante a GTX1060… Prefiro aguardar pelo menos mais 1 ano para pensar em ter um Notebook Gamer no Brasil.

    Links:

    http://www.submarino.com.br/produto/126897773/notebook-dell-inspiron-gaming-edition-i15-7559-a10-intel-core-i5-8gb-1tb-tela-15.6-windows-10-preto?loja=03&opn=XMLGOOGLE&&WT.srch=1&epar=bp_pl_00_go_g35062&gclid=Cj0KEQjwt-G8BRDktsvwpPTn1PkBEiQA-MRsBSZ5uUUpK0klQksH6PzRdz5_wPk_BTkDKLLDVfSD7W4aAvAt8P8HAQ

    http://avell.com.br/titanium-g1513-fire-v3

    • _KJ

      Eu comprei pela 2 meses com W10 por este preço, porém no Submarino estava hoje mesmo por 3.8K no cartão deles.
      Não me arrependo nenhum pouco, o que 85% da galera faz é comparar um Notebook com um console, mas quem compra um notebook somente para jogar tem que ser jogado do penhasco.
      Quem compra um notebook desses não quer mobilidade para poder jogar dentro do metrô ou no trânsito, galera esquece que jogar em um computador é 1 de bilhões de outras tarefas necessárias e possíveis. Para jogar existem os consoles, é óbvio. Não faz o menor sentido as comparações que costumam fazer.

      A falando sobre o Dell, escolhi ele frente ao Avell justamente por parecer um note comum, mas premium, não uma nave espacial. Além de ser super portátil, leve e fino e vem lidando muito bem com as temperaturas nos jogos e em qualquer outra tarefa sequer liga nenhum cooler. Coloquei SSD +8RAM e é simplesmente lindo trabalhar, estudar, jogar, assistir vídeos, escutar música, enfim, qualquer tarefa.
      Ano passado tive um desktop gamer por 5meses e praticamente não usei.

  • Caio Soares

    Alienware é caro, mas a Dell vende um Inspiron com configuração praticamente igual por R$4000 a menos.

    O maior apelo dos Notebooks gamer é visual.

    Pra mim a aparência não importa. O que vale é o desempenho.

  • caio.

    Notebook com VGA de desktop eu passo, hein? Fora o visual desses notes gamers, prefiro algo mais discreto. De qualquer forma, meu note com HD3000 da Intel tá no 5o ano já de uso e o único jogo até hoje que me fez falta foi o Grim Fandango remastered. De resto, rodo tudo que jogo sem problemas (claro, alguns jogos com configs no mínimo). No caso, jogo alguns MOBAs, Diablo 3, uma ou outra coisa do Steam, Civilization V, CS:S, TF2… não sou lá muito fã de jogo que tentem me convencer a jogar SÓ pelos gráficos… Se estivesse nessa praia, certamente montaria um desktop mesmo, e manteria um notebook razoável mas sem um radiador dentro =P
    Seria legal ter um note que rodasse tudo com anti-aliasing, v-sync e afins? Sim, seria ótimo, mas não acho que valha a pena a troca de autonomia de bateria, durabilidade do notebook e encheção de saco de ter que usar aquelas bases com cooler pro note não botar fogo na cama/derreter solda/sei lá…

    • Vinícius

      Tô nessa também, não acho necessário super gráficos pra jogar, não quero um notebook caro e/ou que esquente horrores, já considero bem satisfatório o desempenho atual da Intel HD Graphics.

    • Adriano Garcez

      Não sei como estão as novas Intel HD, mas só sei que não consegui rodar Fallout: New Vegas no low sem dar lag direto na 3000. Da próxima vez que comprar um notebook, vou comprar uma com placa de vídeo no mínimo razoável, porque tá f…. Comprei o atual pensando apenas no uso em escritório, mas o futuro me reservou a morte do desktop, então já vou ficar esperto pra rodar os jogos atuais pelo menos no medium – não me vejo mais comprando desktop…

  • Rafael Gil

    O problema é que um notebook gamer fica no meio termo entre mobilidade e desempenho. O que é bem ruim, porque você tem um notebook que não é fino, nem leve, nem silencioso e tem performance muito inferior à um desktop que custa metade do preço.

    Ouvi em um podcast americano o pessoal desencorajando a compra desses notebooks pelo simples fato de que não valem a pena por serem caros demais pelo que oferecem.

    A recomendação deles é comprar um desktop parrudo e um notebook realmente portátil e barato pra usar para as outras atividades. Fica mais barato e você tem mobilidade e desempenho bruto quando precisar.

    Se quer ter um PC pra levar por aí em viagens e etc, gabinetes ITX estão aí pra isso!

    • Supersonic

      Mesmo com o gabinete itx tem que levar uma mochila igual com monitor teclado mouse…nem sempre é prático.

      • Rafael Gil

        Só precisa de um controle de Xbox e um cabo HDMI, rsrs.

        • Supersonic

          Depende do jogo.

      • Bruno R da Silva

        Concordo. Não é prático, mas pagar 8, 10, 15 mil num note gamer? Haha, a praticidade versus a realidade. Na boa? Se for pra ficar dias em outro lugar, levo meu PC monster mesmo assim! Daria um trabalho, mas ia de boa! ¯_(ツ)_/¯

  • Você quis dizer: Pense bem e NÃO compre um notebook gamer, compre um Desktop Gamer ou um console. Um conjunto PC Gamer + Console vale mais a pena e você pode usufruir dos dois mundos sem pagar o seu fígado em uma máquina que além de parecer uma árvore de natal, vai ficar defasada em menos de 1 ano meses e sem direito a upgrade .

    • Ivo Machado

      Eu tenho um notebook com um i7 e placa integrada, comprei com noção de que não iria jogar nele. Para jogar comprei um Xbox One, os dois fazem uma ótima combinação. Notebook gamer é pesado e bateria tende a durar menos.

      • csjnavarro

        I7 com vídeo integrado, suponho que vc não faça edição e já que vc também não joga nele então um i5 teria dado conta do recado, seria mais barato e gastaria menos bateria.

        • Ivo Machado

          Provavelmente sim, mas às vezes testo algoritmos que desenvolvo que exigem apenas CPU. Também preciso rodar máquinas virtuais e não sei se um i5 daria conta como o i7 dá. Mas a principal razão que tenho é que não tinha o modelo que eu queria com i5 e tela Full HD.

  • Pedro Barbosa

    Matéria totalmente parcial, sem pesquisar a fundo o que é o mercado hoje. Não sei quando vai parar esta briga de desktop e notebook gamer, pois desktop é desktop e notebook é notebook, são coisas diferentes para mercados diferentes, a pessoa só vai comprar um notebook se realmente precisar de mobilidade, se viaja muito e quer jogar seus jogos nos hotéis, ou se vai na casa da namorada e quer jogar lá ou se na faculdade entre uma aula ou outra pode jogar, ou se vai na casa dos amigos e pode levar com muito mais facilidade, tem uma infinidade de benefícios que só o notebook proporciona. O desktop é pra quem quer ficar com ele parado em casa e aí ele pode configurar da forma que quiser. Hoje tem modelos de notebooks da Avell e da Dell que você pode jogar a grande maioria, acho que uns 90% dos jogos, no High ou Ultra e por um preço de até 5 mil com uma GTX 960M que já é uma puta placa, e leves, pesando na faixa de 2.5 Kg, 2.7Kg. Acho que falta conhecimento para as pessoas sobre o mercado de notebooks e para que é seu uso, não dá pra comparar estes notebooks de 15 mil, 20 mil de Alienware, Predator, já existe no mercado notebooks que vão rodar seus jogos muito bem por preços bem mais atrativos. A grande questão é: se você precisa ou quer mobilidade compre um notebook, se você não precisa não ter porque comprar um notebook, aí você investe em um desktop que com certeza é mais barato e com configurações melhores. Pessoal coloca tudo no mesmo bolo, como se notebook competisse com desktop, quando na verdade não pode analisar assim, são para situações diferentes.

    • Supersonic

      Com certeza, o notebook é para quem joga em grupo, na casa dos amigos e desktop para quem não faz questão de mobilidade.

    • _KJ

      PARABÉNS!!!
      Obrigado por me poupar escrever mais uma vez a mesma coisa.

    • Adriano Garcez

      Que notebook que roda no HIGH~ULTRA os jogos atuais que custam menos de R$5000?

    • WTF blutufer

      Estou com meu Dell e muito satisfeito. Como você já mencionou, meu trabalho exige alguns dias fora de casa por isso me é conveniente ter um notebook não um desktop juntando poeira…. não tem porque comparar: um portabilidade e o outro possibilidade de upgrade e ponto final…. Chegaremos a um nível de tecnologia de tal forma que desk não vai passar de hobby…

  • Vinicius Wagner

    O preço é o fator decisivo. Um notebook gamer geralmente custa mais do que o dobro de um desktop equivalente. Jogo em um notebook ha mais de 5 anos e com certeza minha próxima maquina sera um desktop, notebook para jogos nunca mais.

    • Pedro Barbosa

      Então você não precisa de mobilidade, se precisasse não iria querer sair do notebook

  • André Silva

    Porque não citar empresas como a PowerNote e a Avell? Tem preços muito mais competitivos que todas as citadas aqui.

  • Anderson Freitas

    Em 2013 em viagem pro EUA, vendi meu Macbook Pro e comprei um Asus ROG i7, 24GB mem (4 slots de memoria) e 1tb disco + slot disponivel para outro disco, 4 USB 3.0, sistema de ventilaçao independente para CPU e GPU, tela 17″

    Eu trabalho com TI e queria algo potente mas ao mesmo tempo portatil, jogo também e roda tudo tranquilo a GTX 765M.

    Nenhum laptop NÃO GAMER atendia minha necessidade de portas, upgrade de memoria.

    Obvio que se a pessoa só quer jogar e web, desktop é muito melhor pela questão de valor e possibilidade de upgrade

    Com upgrade de memoria e SSD, tudo ficou US$ 1500

    • _KJ

      Ae. Mais uma pessoa sensata. Kkkk
      Como eu disse ali em cima, comprar um note pensando somente em jogar, é óbvio que não faz nenhum sentido.

  • Paulo_Cesar_72

    Eu compraria um note gamer com certeza se tivesse dinheiro pra isso, aquele monte de fios do meu desktop me irritam ao extremo. Não preciso de mobilidade mas aquele monte de fios e penduricalhos no meu quarto são insuportáveis. A idéia do note gamer foi uma ótima sacada, fica tudo arrumadinho e compacto e com potência de sobra. O problema realmente é o preço, ô trocinho caro bagarai.

  • Diego Janjão

    eu tô de olho no Dell Inspirion Gaming i7 com uma 960M, cabendo um cupom nas lojas que estou monitorando eu pego

    • Supersonic

      Qual loja?

      • Diego Janjão

        ontem o i5 de 6º Geração com a 960M estava 3720 no cartão submarino…

        mas hoje já aumentaram novamente

        • Supersonic

          Interessante preço mais em conta que os avell.

    • _KJ

      3.8K caso tenha o cartão Submarino.
      Cara, esquece o i7. O i5 está excelente e não vai mudar em nada seja qual for a sua tarefa, pega a grana da diferença e adicione SSD 240 + 8RAM.
      Máquina linda demais em todos os sentidos, não vai se arrepender!

      • Diego Janjão

        Eu tenho cartão sub mas não tenho esse limite todo, infelizmente.

      • WTF blutufer

        Foi o que fiz. Nunca tinha usado uma ssd quando instalei na maquina cara muito show, pena que ainda é cara hehe 500gb 2.5 e 275gb m.2 milao….

  • JGui

    Largar meu duol monitor (23” e 25” ultra sharp) com processador Xeon, gtx 970, teclado pimposo e tudo mais? JAMAIS! Ver meu desktop no meu quarto me esperando quando volto de um dia stressante do trabalho, é terapia.

  • LessTech

    Não entendi onde criar software no celular é impraticável. Já faço isso a pelo menos dois anos…

    • joaofla123

      Parabéns, campeão

      • LessTech

        Cadê minha medalha? =P

  • Austin Powers

    Boa Tarde.

    Notebook Gamer é bom até um certo ponto,como esta a tecnologia atualmente.

    O seu note gamer parrudo em menos de um ano pode ficar ultrapassado,não rodar certos games,etc.

    E como foi citado peças de note não é tão fácil de trocar,comparado ao pc.

    E por ae vai.

  • João Vicente Edom Castelan

    Eu comprei um da Avell em 2012, por ocasião do Diablo III. Acho que paguei uns R$ 3,400, com uma placa GTX 670M. Na épouca eu viajava com muita frequencia, mesmo que comprasse um desktop mal ia ter tempo de tocar nele, talvez menos do que 1x a cada 15 dias, portando o notebook era a compra óbvia se eu quisesse jogar alguma coisa mais do que 1x/semana.
    A experiência foi muito positiva, sempre rodou muito bem os jogos da época, a maioria com configurações bem altas até (e era o q eu esperava). Só passei a ter algum problema com aquecimento com o passar dos anos, mas foi só questão de fazer a manutenção mesmo.
    Tenho aele até hoje, claro que não roda os jogos mais novos, mas no meu caso prefiro console por causa de alguns exclusivos, portanto não deixo de jogar o que quero.
    A grande desvantagem é não poder trocar a GPU, por ex, o que simplificaria o processo de atualização do note. Se fosse o caso, hoje eu compraria um desktop mesmo pra jogar, e ainda daria um jeito de usar o Steam Link na TV da sala.

    Eu só recomendaria o notebook gamer pra quem viaja muito e realmente não ia conseguir parar na frente do desktop. Fora isso, compre um desktop ou console e um portátil, como o 3DS, para as viagens 🙂

  • Neo Neoo

    Posso ser conservador. mas nunca trocaria o desempenho do meu pc gamer por um note gamer, mais caro e pra ter uma config parecida com a do pc custaria em torno de 3x mais, o preço de um carro usado.

    A MINHA REALIDADE é de jogar somente em casa e quando vou pra casa de amigos todos tem videogame onde podemos configurar 4 controles. A grande maioria tem consoles então nao faz sentido investir em mobilidade pra jogar sozinho.

    Tirando isso, não me importaria em carregar o pc pra cima e pra baixo se fosse jogador profissional pra favorecer o desempenho.

  • Marcos S

    To na europa e estou pensando em comprar um XMG U717 com a 1080 e i7 6700 (posso configurar o note).

    https://www.mysn.de/detail.asp?bestellnr=XMG-U717&KategorienOrder=&

    Mas gastaria em torno de 10)mil na atual conversao. Me dá um dó. Mas eh o unico na europa em q posso colocar um teclado em portugues de fabrica. E se eu fosse compear um no Brasil sairia o dobro do preco. Qualquer coisa posso vendelo no Brasil depois.

    Preciso de opinioes!